Prefeitura de Ubaitaba e Embasa iniciam estudos sobre o Plano Municipal de Saneamento Básico

Foto: Ascom-Ubaitaba.

A Prefeitura de Ubaitaba e a Embasa deram início na manhã de sexta-feira, 02, às conversas para estudo e elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), um instrumento importante para o planejamento e melhoria dos serviços de água, esgotamento sanitário, drenagem urbana a disposição dos resíduos sólidos.

O engenheiro Erick Souza, gerente de contratos da Unidade de Negócios da Embasa, em Itabuna, disse que foi o primeiro encontro para tratar do PMSB que é muito importante para o planejamento do município para a melhoria das condições de vida da população. Também para que se adeque à legislação os serviços de abastecimento d’água, drenagem urbana, esgotamento sanitário e resíduos sólidos.

“Nesta primeira reunião, com os representantes da Prefeitura, foram feitos esclarecimentos e instrução sobre o Plano, formação da Comissão Municipal que vai elaborar o PMSB e etapas subsequentes. O trabalho também envolvera a população com a construção de diagnósticos e prognósticos por meio de oficinas para que o Plano seja construído. Vai se colocar tudo o que é necessário para planejar a infraestrutura de Ubaitaba em beneficio da própria população”, explicou o engenheiro da Embasa.

A Lei nº 11.445/2007 é considerada um marco regulatório para o setor de saneamento no Brasil. Ela estabelece as diretrizes nacionais e os princípios para a universalização do acesso ao saneamento. De acordo com a legislação, todo município deve elaborar um Plano Municipal de Saneamento Básico (PSMB). Ele deve contemplar os quatro serviços básicos: Abastecimento de água potável; Esgotamento sanitário; Manejo de resíduos sólidos; e Drenagem e manejo das águas pluviais urbanas.

Representaram o município na reunião, o chefe de Gabinete, Raimundo Fahning; os secretários de Administração, Leilson Oliveira, e de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano, Nilton Sales; diretor de Tributos, Laert Nascimento; e o engenheiro Mário Lima.

Nota de esclarecimento do Hospital Vida Memorial

 

O Hospital Vida Memorial enviou nota de esclarecimento para o BG relacionada à morte do bebê Lorenzo, de 1 ano e 2 meses. A criança faleceu ontem (sexta-feira,02) em circunstâncias aparentemente duvidosas, segundo os familiares (leia aqui). Leia a nota.

O Hospital Vida Memorial vem a público reafirmar seu compromisso com a busca pela excelência e pela qualidade no atendimento.

Somos uma Unidade Hospitalar com quantitativo superior a 35 mil atendimentos na Emergência e mais de 1126 internamentos, realizados há mais de um ano, a cargo da pediatria do município e da região pactuada.

Vimos, por meio deste comunicado, nos solidarizar com as famílias e a sociedade em geral, trazendo luz às informações que estão sendo divulgadas.

Afinal, estamos falando de saúde infantil, que aqui não se restringe à criança em si, mas se estende a toda a família e amigos.

Ressaltamos que, em nosso atendimento, seguimos todos os protocolos necessários, além de contarmos com uma equipe capacitada e preparada, que, ao longo deste ano, vem realizando um trabalho de referência no cuidado das nossas crianças e das suas famílias.

Informamos, ainda, que, em relação aos casos que vêm sendo noticiados pela mídia, todos os acontecimentos estão sendo investigados para que possamos trazer informações mais concretas e fiéis, baseadas em fatos e não em especulações.

A direção.

Mais uma criança morre no Hospital Vida Memorial

Imagem ilustrativa.

Uma criança de 1 ano e 2 meses faleceu em circunstâncias aparentemente duvidosas nesta sexta-feira, 02, no Hospital Vida Memorial, de Ilhéus.

O bebê, de primeiro nome “Lorenzo”, deu entrada na manhã de ontem no hospital por estar com o corpo quente e com febre. Segundo relato de familiares, exames detectaram que ele estava com uma infecção, por isso ficou internado.

Hoje a criança amanheceu bem melhor. Os avós chegaram a gravar um vídeo em que Lorenzo aparece no berço brincando e mais animado.

O caso teve um desfecho trágico depois das 17 horas. Após tomar uma sopa, a criança faleceu levando os pais ao desespero.

Funcionários afirmam que o bebê morreu sufocado após ter um “refluxo”. Os pais desconfiam de erro no tratamento, pois Lorenzo faleceu logo após receber uma injeção.

Outra mãe, cujo filho também estava internado, viu o momento em que a injeção foi aplicada e contou à família. Ela se dispôs a servir de testemunha para que o caso seja investigado.

Especialista ouvido pelo BG disse que o fato requer cuidado na análise,  e sobretudo, investigação. A perda de uma criança desespera os pais profundamente e a busca por culpados pode resultar em acusações injustas.

De acordo com o advogado Mesaque Soares, nos últimos 8 dias três crianças faleceram no Vida Memorial. O menino Leon, de 4 anos, uma criança filha de indígenas por falta de UTI infantil, e hoje o bebê Lorenzo. O advogado representa os familiares de duas crianças falecidas.

O BG tentou ouvir a direção do Hospital Vida Memorial, mas devido ao adiantado da hora não conseguimos falar com ninguém. 

Atualizado às 21h45min.

Leia a nota de esclarecimento do hospital.