Programa da Faculdade Madre Thaís identifica pacientes portadores de hanseníase

Professora Gracielle Santos, da Madre Thaís, ressalta as estratégias para a desmistificação da doença. Foto: Ascom.

Mais uma ação do Programa de Orientação e Reabilitação de Incapacidades em Hânsenicos (PROREABIH) Projeto de Extensão da Faculdade Madre Thaís (FMT-Ilhéus) foi realizada no curso de Analises Clinicas do Centro Estadual de Educação Profissional do Chocolate Nelson Schaun (Ceep Nelson Schaun).

O Programa funciona uma vez por semana, visitando as escolas da rede pública com o objetivo de passar orientações com relação à hanseníase (prevenção, tratamento, como evitar incapacidades físicas, evitar reações hansênicas etc).

De acordo com a professora Gracielle Santos, Fisioterapeuta Especialista em Neurofuncional e coordenadora do PROREABIH, da FMT-Ilhéus a parceria com as secretarias municipais de Educação e de Desenvolvimento Social tem o objetivo de transformar alunos e professores em multiplicadores de conhecimento. “Passamos orientações de educação e saúde nessa temática nas escolas eles multiplicam esse conhecimento divulgado nas comunidades onde moram e interagem”.

O projeto, apoiado pela professora Karla Rocha Carvalho Gresik, coordenadora do Curso de Fisioterapia da FMT-Ilhéus, além de identificar, fazendo a busca ativa de manchas, identifica hanseníase e encaminha os pacientes portadores para o CAE III, na Av. Canavieiras, centro de referencia.

Doença Infectocontagiosa – A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, causada por uma bactéria (Mycobacterium leprae), que compromete principalmente a pele e os nervos periféricos, provocando manchas na pele, alteração da sensibilidade e inflamação. A doença é transmitida através das secreções das vias respiratórias (nariz e boca) para as pessoas que convivem com o doente não tratado. Assim que se inicia o tratamento, os pacientes deixam de transmitir a doença. Se não for tratada precocemente, a hanseníase pode tornar-se grave e gerar deformidades físicas devido ao comprometimento dos nervos, principalmente nas mãos, pés e face.

O tratamento da hanseníase é fornecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a todos os doentes. O tratamento, conhecido como Poliquimioterapia (PQT), é composto por dois ou três medicamentos e dura de 6 a 24 meses, dependendo de cada caso.

Ao criar o Programa de Orientação e Reabilitação de Incapacidades em Hansênicos , a Fisioterapeuta Neurológica e Professora Gracielle Santos, da Faculdade Madre Thaís, reconhece que para enfrentar a hanseníase, além da questão terapêutica é necessária a educação em saúde, as estratégias de informação e a desmistificação da doença.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *