Exclusivo. Governo Marão é mal avaliado por 53.2% da população; segundo pesquisa apenas 13.1% avaliam de maneira positiva

 

Governo Marão continua “tendendo fortemente ao negativo”, afirma pesquisa. Foto: Pimenta.

Pesquisa realizada de 13 a 17 de agosto de 2019 pela mais conceituada empresa do ramo no Sul da Bahia (cujo responsável é professor da UESC), revela que o governo do prefeito Mário Alexandre continua mal avaliado pela maioria da população de Ilhéus.

Foram entrevistadas 1004 pessoas e a margem de erro é de 3% para mais ou menos.

Os números apurados recentemente vão de encontro à boataria espalhada por membros do governo municipal sobre uma suposta melhora significativa nos índices de aprovação.

Hoje o governo é mal avaliado por 53.2 da população, regular para 28.69% e tem avaliação positiva em apenas 13.1%. Dos entrevistados, 5.08% não responderam.

Ao serem perguntados: “Como avalia a administração do Prefeito Mário Alexandre?”, 2.49% responderam ótima, 10.56% boa, 28.69% regular, 18.33% ruim, 34.86 péssima e 5.08% não responderam.

Em relação à pesquisa de janeiro, divulgada com exclusividade pelo BG (relembre aqui), subiram modestamente: a avaliação ótima em 0.23%, a boa em 4.67% e a regular em 11.3%.  A avaliação ruim cresceu 3.47% e a péssima diminuiu de maneira significativa em 23.56%. Confira o gráfico.

Gráfico: Blog do Gusmão.

Houve sim uma diminuição considerável na avaliação péssima, mas a boa e a ótima cresceram timidamente. No parecer da pesquisa, o professor responsável afirma que a gestão Mário Alexandre tende fortemente para o negativo. Para cada pessoa que avalia de maneira positiva, 4.1 pessoas avaliam negativamente. Em janeiro a mesma média foi 1 para 9.

O governo esboça uma reação já percebida nos índices, mas o resultado está muito aquém do ideal para um projeto político que almeja a permanência no poder. Além disso, o tempo disponível para uma virada é curto.

Devido a questões contratuais, não podemos divulgar o nome da empresa responsável pelo levantamento.

A equipe do BG teve acesso amplo ao relatório da pesquisa e assegura a veracidade das informações publicadas nesta reportagem.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *