Marcos Pontes sobre CNPQ: ‘Se não tiver orçamento, eu não tenho como pagar’

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, disse que o governo só tem dinheiro para pagar bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) até o final do mês de agosto. A informação do blog do programa Em Foco, da GloboNews.

“A gente tem o recurso agora até o final desse mês, que a gente vai fazer pagamento, em 1º de setembro, e a gente vai ter que achar para outro mês”, afirmou o ministro.

Perguntado se as bolsas podem acabar, o ministro disse que se não houver orçamento, não terá como pagar. “Se não tiver orçamento, eu não tenho como pagar. São 84 mil bolsas. Isso é difícil, se for pensar, tem várias implicações”, afirmou. Informações do Bahia.ba

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 42 milhões

Valor pode render aproximadamente R$ 156 mil por mês, se aplicado na poupança. (foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil)

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (28) o prêmio acumulado de R$ 42 milhões. As seis dezenas do concurso 2.183 serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O sorteio é aberto ao público.

De acordo com a Caixa, caso aplicado na poupança, o valor do prêmio poderia render aproximadamente R$ 156 mil por mês.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Chuva não apagará incêndios na Amazônia nas próximas semanas, dizem especialistas

Floresta amazônica em chamas em Canarana, no Mato Grosso 26/08/2019 (Foto: REUTERS/Lucas Landau)

Da Reuters:

A chuva fraca dificilmente extinguirá o número recorde de incêndios que ardem na Amazônia no futuro próximo, e os bolsões de precipitação previstos até 10 de setembro só devem causar alívio em pontos isolados, de acordo com dados e especialistas meteorológicos.

A maior floresta tropical do mundo está sendo vítima de um aumento de 79% na quantidade de incêndios na Amazônia brasileira neste ano até o dia 25 de agosto, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os focos não se limitam ao Brasil, já que ao menos 10 mil quilômetros quadrados estão em chamas na Bolívia perto de sua fronteira com o Paraguai e o Brasil.

Embora o governo brasileiro tenha lançado uma iniciativa de combate ao fogo, enviado soldados e aviões militares, estes esforços só apagarão incêndios menores e evitarão que outros surjam, disseram especialistas. Incêndios grandes só podem ser extintos pela chuva.

A estação de chuvas da Amazônia começa em torno de setembro e demora semanas para causar chuvas generalizadas.

A previsão de chuvas da próxima quinzena se concentra nas áreas que menos a necessitam, segundo Maria Silva Dias, professora de ciências atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP).

Prevê-se uma precipitação menor em partes da Amazônia assoladas pelos piores incêndios, acrescentou ela.

O extremo nordeste e oeste da floresta tropical da Amazônia brasileira terão mais chuvas nas próximas semanas, mas partes do leste continuarão muito secas, mostraram dados da Refinitiv.

Mesmo áreas com mais chuvas só as terão de maneira isolada, disseram especialistas.

“Em alguns pontos, você pode até apagar algum fogo, isso com certeza, mas são pontos isolados, não é a área como um todo”, explicou a professora.

“A área como um todo precisa começar a chover com mais regularidade, isso só vai acontecer para a frente, outubro por aí.”

É preciso que chuvas se concentrem durante um período suficientemente curto para se extinguir um incêndio, caso contrário a água simplesmente evaporará, disse Maria.

Diversidade da Bahia é destacada em conferência sobre Turismo LGBT

A 3ª Conferência Internacional da Diversidade e Turismo LGBT, que acontece até quarta-feira (28), em São Paulo, tem o apoio da Secretaria do Turismo do Estado da Bahia (Setur), que é membro oficial da organização Mundial LGBT.

Durante a abertura, o titular da pasta, Fausto Franco, ressaltou a diversidade do Estado, além das belezas naturais, riqueza cultural e histórica e a hospitalidade do povo.

Ele acrescentou que as cidades baianas se destacam no turismo gay friendly por proporcionarem ambientes democráticos, respeito à diversidade, vida noturna agitada, arte e cultura.

“Nos últimos dois anos, os órgãos estaduais de turismo têm desenvolvido ações para o segmento, principalmente no que se refere à qualificação do setor através de capacitações profissionais”, afirmou.

Presente ao evento, a diretora de promoções da Setur, Regina Ahmed, destacou que o turista LGBT viaja, em média, quatro vezes ao ano, sendo o visitante que mais gasta em seus passeios.

Sobre a Conferência

Maior encontro econômico brasileiro sobre Diversidade e Turismo LGBT, que debate os mais importantes temas do setor, acontece até 28 de agosto na Praça das Artes, em São Paulo. O evento possui extensa programação de painéis, palestras, mesas redondas e ações da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil que, em 2019, inovou ao se basear em três pilares: Mercado Empresarial, Turismo e Cultura.

Exclusivo. Uildson Nascimento faz denúncias contra Marão no MPF e no TCM-BA

Uildson Nascimento na Procuradoria da República, polo de Ilhéus.

Em primeira mão.

O ex-diretor de planejamento da secretaria municipal de saúde, Uildson Nascimento, esteve nesta segunda-feira, 26, no polo de Ilhéus da Procuradoria da República onde protocolou denúncia contra o prefeito Mário Alexandre.

Na comunicação de fato encaminhada ao Ministério Público Federal, Uildson informou que a Prefeitura de Ilhéus, entre janeiro de 2017 e maio de 2019, gastou de maneira desnecessária aproximadamente R$ 2.5 milhões em juros por atrasos no recolhimento do INSS dos servidores municipais.  O ex-diretor descobriu o grande prejuízo após ter acesso a documentos oficiais levantados junto à Receita Federal por meio da Lei de Acesso a Informação.

A mesma denúncia também foi encaminhada ao Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia.

Marão poderá responder processo por improbidade administrativa e talvez tenha que ressarcir o erário do município pelo prejuízo que o governo dele causou.

Segundo Uildson, o pagamento de juros como sintoma da incompetência da gestão é inadmissível no momento em que a saúde de Ilhéus beira o caos. Há falta de profissionais, insumos e grande parte dos procedimentos de média e alta complexidade são negados à população. Vários postos de saúde não marcam exames por não haver sinal de internet e o recolhimento dos resíduos hospitalares foi paralisado por 60 dias.