Artistas ilheenses apresentam entraves da política cultural na Câmara e vereadores

Integrantes do Fórum Permanente de Cultura de Ilhéus foram até a Câmara de Vereadores de Ilhéus na tarde da última quarta-feira (04) para ouvir o secretário de Turismo e Cultura de Ilhéus, sr. Fábio Júnior, sobre os motivos que o levaram a optar pelo pagamento parcial dos projetos aprovados no edital cultural 001/2019 – Demanda Espontânea. No entanto, o secretário, que foi convocado pela Câmara, apresentou um atestado médico e não compareceu. A convocação foi reagendada para a próxima semana.

Atendendo reivindicações do Fórum, foi aprovada a solicitação para que os agentes culturais, Romualdo Lisboa e Ruy Penalva, fizessem falas sobre a situação, o panorama municipal da Cultura e a apresentação da proposta de funcionamento do Fórum, e a situação do edital, respectivamente.

Após as falas, os vereadores Ivo Evangelista Santos, Paulo Carqueija, Gil Gomes, Tarcísio Paixão e Vereador Makrisi dialogaram com os artistas sobre a questão do pagamento parcial aos projetos selecionados no edital supracitado, e se comprometeram a intermediar a conversa com o secretário. Além disso, devem propor até esta sexta-feira (06), o adiamento do prazo para entrega dos documentos dos projetos aprovados na segunda chamada do edital, a fim de que seja possível encontrar uma solução plausível para os agentes culturais contemplados.

Outra pauta do Fórum, que os vereadores se comprometeram intermediar com o prefeito Mário Alexandre (Prefeitura de Ilhéus), foi em relação ao repasse de 0,5% da arrecadação municipal, para o Fundo Municipal de Cultura (FMC), previsto na Lei 3.454 de 14/11/2009, pois desde a sua aprovação, até os dias atuais, nem a gestão atual, nem as anteriores fizeram repasse de um único centavo para o Fundo.

O Fórum reitera a importância de bem gerir a Cultura como política pública municipal, realizando sistematicamente iniciativas e medidas de apoio institucional aos projetos dos agentes culturais que, democraticamente, acessam o recurso do Fundo de Cultura para executar ações em benefício da população ilheense, gerando emprego e renda e colaborando, desse modo, de forma decisiva, para o desenvolvimento econômico e social do município. Além disso, defende a proteção e o estímulo ao desenvolvimento simbólico material e imaterial no município, entendendo que a sua vocação é o turismo e, consequentemente, a sua principal atração é a cultura local.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *