Sinebahia Itabuna oferta vagas de trabalho nessa quarta-feira (18)

Sinebahia Itabuna tem duas vagas40 para mecânico de caminhão a diesel.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa quarta-feira, 18 de setembro.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

 

AUXILIAR ADMINISTRATIVO (PCD)

Vaga Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Fundamental Incompleto

Não exige experiência

Possuir habilidade com pacote Office

01 VAGA

 

OPERADOR DE CAIXA(PCD)

Vaga Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não exige experiência

02 VAGAS

 

OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD)

Vaga Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não exige experiência

05 VAGAS

  (mais…)

Sinebahia Ilhéus tem 8 vagas de trabalho nessa quarta-feira

Sinebahia Ilhéus tem uma vaga para técnico em enfermagem.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa quarta-feira, 18 de setembro, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM

Ensino Médio Completo
Experiência mínima de 06 meses comprovada em carteira de trabalho na área de Centro Cirúrgico
Disponibilidade de horário
01 VAGA

 

GARÇOM
Ensino Médio Completo
Experiência mínima de 06 meses comprovada em carteira de trabalho
Residir na Zona Sul de Ilhéus
01 VAGA

 

GARÇONETE
Ensino Médio Completo
Experiência mínima de 06 meses na Função
Apresentar carta de referencia
01 VAGA (mais…)

Rumos equivocados para um Brasil sustentável e promissor

Eles passarão, mas sobrará política ambiental de pé? Foto: Marcos Corrêa/PR.

 

Por Suzana Padua/O Eco

As áreas socioambientais do Brasil, que são a maior riqueza do país, estão sendo dizimadas sobre nossos olhares. A biodiversidade, quase nem mencionada pelo governo atual, é uma riqueza do Brasil e do planeta, agrade ou não ao presidente. Tivemos a sorte de nascer no Brasil, que tem aproximadamente 20% de toda a vida do planeta e o maior reservatório de água doce. Doce também deveria ser a responsabilidade por proteger tamanho patrimônio. Mas não tem sido assim – tudo está em risco de arder e a culpa é nossa.

A sensação é de impotência diante de tanta barbárie. Muitos ambientalistas encontram-se estupefatos, pois se veem sob escrutínio de críticas infundadas, mas que muitos brasileiros desinformados acreditam. A competência tem sido ignorada, seja advinda de profissionais de carreira, principalmente aqueles ligados a órgãos ambientais como ICMBio e IBAMA, seja dos que trabalham em organizações não governamentais (ONGs), estes últimos responsabilizados por tudo de errado que ocorre no país.

É como a metáfora do sapo na água quente. Quando a água esquenta de repente o sapo consegue sentir e pula fora rapidamente. Mas, se aquecer lentamente, custa a perceber e acaba morrendo. Na verdade esse governo ferveu a água de tal jeito que só nos resta pular. Mas, para onde? O pensamento e a ação precisam ser estratégicos porque as barbaridades têm sido diárias e inusitadas. Cada dia um susto novo. (mais…)

Nota de Esclarecimento – Prefeitura de Uruçuca

Veículo colidiu com animal durante trajeto

A Prefeitura de Uruçuca informa que na segunda-feira, 16, por volta das 20h, uma ambulância da Secretaria Municipal de Saúde sofreu um acidente no Km 12 da BA-262, próximo ao lixão.

O veículo estava sendo conduzido por Felipe Jordão, que seguia para o Hospital Regional Costa do Cacau para buscar um paciente de alta complexidade, quando foi surpreendido por um animal na pista e acabou colidindo. O condutor passa bem e a Prefeitura está prestando toda assistência necessária.

A Secretaria de Saúde salienta que o veículo estava em condições normais de uso e passou por vistoria de rotina há 15 dias. A Prefeitura lamenta o ocorrido e em tempo agradece a Deus pelo livramento do nosso servidor.

Serra Grande sedia etapa do I Campeonato de Pesca em Terra Firme

Acontece nos dias 21 e 22 de Setembro em Serra Grande – Uruçuca, a segunda etapa do I Campeonato Baiano de Pesca em Terra Firme. A etapa acontece em Serra Grande após a Prefeitura firmar parceria com a Federação Baiana de Pesca e Atividades Subaquáticas para que o evento ocorresse no distrito praieiro.

“Serra Grande tem crescido muito nos últimos anos e o nosso intuito é fazer deste lugar, o melhor destino turístico da região. A etapa do Campeonato de Pesca acontecerá na praia do Pé de Serra, ambiente perfeito para sediar a competição e entrar definitivamente no Circuito Baiano de Pesca”, disse o prefeito Moacyr Leite JR.

O torneio está aberto a comunidade em geral e as inscrições custam R$ 50 reais por atleta + 1kg de alimento não perecível que serão doados às famílias carentes da região

Inscrições no local, das 9h às 11h;
Início da competição: Sábado: 13 às 17 / Domingo 7h às 11h.

Assassinatos, ameaças e milícias: desmatamento é crime em larga escala, diz HRW

Indígenas sobre troncos que, segundo eles, foram abandonados por madeireiros perto de Novo Progresso, no Pará. (Amanda Perobelli / Reuters)

Lisandra Paraguassu | Reuters:

O desmatamento ilegal no Brasil é uma operação criminal em larga escala, liderada por grandes grupos que têm capacidade para extrair, processar e vender a madeira no Brasil e no exterior, e não fruto do trabalho de pessoas que tentam apenas sobreviver na Amazônia, e já levou à morte de mais de 300 pessoas na última década, segundo relatório da Human Rights Watch.

O relatório “Máfias do Ipê: Como a Violência e a Impunidade Agravam o Desmatamento na Amazônia Brasileira”, divulgado nesta terça-feira, aponta que o desmatamento da Amazônia segue uma lógica criminosa que envolve milícias, assassinatos, ameaças e corrupção.

“O desmatamento ilegal na Amazônia brasileira é tocado basicamente por redes criminosas que tem a capacidade logística para coordenar extração, processamento e venda de madeira em larga escala, ao mesmo tempo que usam homens armados para proteger seus interesses”, diz o documento.

O nome “máfias do Ipê” é dado por policiais, fiscais e promotores que tentam controlar o desmatamento na região. O Ipê, com suas flores roxas, rosas, amarelas e brancas, se destaca no meio da floresta e é o principal alvo dos desmatadores. Apenas um tronco da sua madeira resistente, segundo o relatório, pode chegar a 6 mil reais.

Para chegar à madeira nobre da região, desmatadores invadem assentamentos e terras indígenas, expulsam pequenos produtores, ameaçam e matam, de acordo com a HRW. O relatório aponta mais de 300 mortes ligadas à indústria do desmatamento e invasões de terra na Amazônia na última década, em dados compilados pela Comissão Pastoral da Terra — única organização no Brasil que levanta esses números, usados até mesmo pelo Ministério Público Federal.

O relatório detalha 28 assassinatos, 4 tentativas de assassinato e mais de 40 ameaças sobre as quais seus próprios pesquisadores conseguiram levantar evidências. Os casos envolvem lideranças indígenas, líderes de assentados, pequenos agricultores, policiais e outros agentes públicos. Pouquíssimos casos sequer chegaram aos tribunais.

O levantamento do HRW mostra que, de 230 ataques que resultaram em mais de 300 vítimas fatais, menos de 4% —apenas nove— chegaram aos tribunais. Normalmente, caso de repercussão nacional em que o envolvimento da Polícia Federal e de promotores federais levaram o caso adiante.

“A principal razão para que esses criminosos não sejam levados à Justiça, de acordo com autoridades federais e estaduais que conversaram com a HRW, é que a polícia não conduz investigações adequadas”, diz o relatório.

Um promotor federal ouvido pela ONG, Paulo Oliveira, afirma que o aparato investigativo das polícias “não funciona” para esse tipo de crime. Já um policial federal da região afirmou, sob a condição de se manter no anonimato, que a impunidade acontece pelas polícias locais fazerem muito pouco e não usarem nem mesmo métodos básicos de investigação, segundo a HRW.

Na maior parte dos casos, não são feitas autopsias ou preservação do local do crime ou mesmo testemunhas são ouvidas corretamente. Ameaças anteriores aos crimes não são investigadas e, em alguns casos, a polícia até mesmo se recusa a registrar o crime. Várias ameaças se concretizaram depois em assassinatos.

“A impunidade em torno dessas ameaças e ataques também mina a luta contra a exploração ilegal de madeira. Ibama, ICMBio e policiais federais ressaltam a importância de dicas de indígenas e da população local para lutar contra o desmatamento, mas as ameaças os deixa com medo de falar com as autoridades”, diz o relatório.

“As pessoas estão com medo. Cada um que foi ameaçado pelos madeireiros foi embora. Nós ficamos porque acreditamos na Justiça, mas temos certeza que eles vão nos matar”, disse aos pesquisadores do HRW Daniel Alves Pereira, um pequeno produtora no assentamento de Areia (PA).

Entre as recomendações apontadas no relatório para lidar com a impunidade na região, a HRW recomenda que Executivo, Judiciário e Legislativo tornem a questão dos crimes na região uma prioridade, com a formação de uma Força-Tarefa do Ministério Público Federal para investigar os casos sem apuração, uma Comissão Parlamentar de Inquérito para examinar as redes criminosas na Amazônia e um plano de ação preparado pelo Ministério da Justiça e os estados para desmantelar as redes criminosas e tratar da investigação das mortes e ameaças na região.

O relatório do HRW foi preparado entre o final de 2017 e o primeiro semestre de 2019, com mais de 170 pessoas entrevistas, entre agentes públicos, policiais, membros de comunidades locais e comunidades indígenas, pesquisadores e ONGs que atuam na região, além de analisar estudos, documentos e processos relacionados com os casos citados no relatório.

Procurado pela Reuters, o ministro do Meio Ambiente informou na noite de segunda-feira que ainda não havia tido acesso ao relatório da HRW. Também procurado, o Palácio do Planalto não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Uruçuca: Chef Marciano Saraiva confirma participação no Festival de Arte e Gastronomia de Serra Grande

Chef Marciano Saraiva confirma presença em evento gastronômico de Serra Grande

O chef Marciano Ferreira Saraiva confirma participação na cozinha show do Arte e Gastronomia, evento que acontecerá em Serra Grande, Uruçuca, de 10 a 13 de outubro e tem como objetivos potencializar o turismo sustentável, a conservação ambiental, fortalecer a identidade regional e economia local fomentando também novas oportunidades de negócios em períodos sazonais.

“Sou um cozinheiro apaixonado pelo que faço e amo a gastronomia afetiva de Minas Gerais”, destaca Saraiva, que é proprietário do Siriema, restaurante de mesa compartilhada  que conta com uma linha própria de produtos artesanais.

O Festival é realizado pela Construção Coletiva Serra Grande Sustentável, Associação Cultural APA Itacaré Serra Grande e pela Prefeitura Municipal de Uruçuca e conta com patrocínio da Tabôa – Fortalecimento Comunitário e do Sebrae.

MP aponta déficit de agentes de endemias e alta infestação de mosquito da dengue

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) acionou a Prefeitura de Ilhéus após identificar um acentuadedo déficit de agentes de endemias que trabalham em campo. A cidade tem registrado um alto índice de infestação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Segundo ação civil pública ajuizada na última sexta-feira (13), o município tem 77 agentes a menos do que necessita para atender ao mínimo preconizado pelo Ministério da Saúde no Manual de Instruções para Pessoal de Combate ao Vetor da Dengue.

Enquanto isso, o índice registrado para a cidade no Levantamento Rápido de Infestação Predial por Aedes Aegypti (Liraa) chegou a 14% em maio deste ano, colocando Ilhéus em situação de alto risco de surto ou epidemia (acima de 3,9%),conforme tabela de classificação do Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD).

De acordo com o promotor de Justiça Pedro Nogueira Coelho, autor da ação, o Município contava, em julho deste ano, com 53 agentes em efetiva atuação para realização de visitas em aproximadamente 103 mil imóveis cadastrados.

O Ministério da Saúde preconiza o mínimo de um agente de saúde para cada 800 imóveis. Assim, seriam necessários pelo menos 130 agentes em campo no Município.

O promotor destaca que o déficit vem se agravando nos últimos oito anos em paralelo ao aumento do índice de infestação, que praticamente dobrou no período. Em 2012, quando havia 90 agentes para 90,4 mil imóveis, o índice era de 7,3%, chegando a 14% em 2019.

Pedro Nogueira solicita à Justiça que, em decisão liminar, determine ao Município a realização, no prazo de 30 dias, de concurso público ou processo seletivo equivalente para nomeação de pelo menos 77 agentes de endemias, devidamente equipados com material de trabalho necessário para as visitas aos imóveis, a exemplo de pesca-larvas, inseticida, mapas e localizador.

“O quantitativo de agentes em desproporção com o número de imóveis municipais acaba por causar o preocupante aumento do índice de infestação predial e o aumento na contaminação de pessoas”, disse o magistrado. Informações do bahia.ba.

Salvador terá voos diretos para aeroporto Santos Dumont a partir de sábado

Aeroporto Santos Dumont.

Com tarifas a partir de R$ 505, ida e volta, a Gol Linhas Aéreas Inteligentes vai lançar uma nova rota entre Salvador e Rio de Janeiro a partir do próximo sábado (21). A empresa vai operar voos diretos de Salvador para o aeroporto Santos Dumont, que fica no centro da capital carioca.

A saída de Salvador será sempre às 4h30 e previsão de chegada ao Rio às 6h40. O trajeto contrário sai do Aeroporto Santos Dumont às 22h e deve estar em Salvador às 23h59.

“A novidade nas operações entre as cidades é um facilitador não apenas para os viajantes a negócios, em função dos horários, mas também para os turistas baianos e cariocas que conseguirão desfrutar de mais tempo nas cidades”, pontua o secretário do Turismo, Fausto Franco.

A iniciativa faz parte do pacote de incentivos lançado pelo Governo do Estado para ampliar a malha aérea, com o ICMS do combustível de aviação podendo chegar até 3%.