Segundo associação, filho de vereador instalou trailer numa vaga de estacionamento para idosos e deficientes

Trailer do filho do vereador Ery Bar.

No último sábado, 19, o BG publicou uma matéria sobre um trailer instalado pelo filho do vereador Ery Bar, que dá apoio ao prefeito Mário Alexandre na Câmara Municipal de Ilhéus, na Praça Castro Alves, mais conhecida como Pracinha de Irene.

Alguns dias depois, nossa redação recebeu, via WhatsApp, uma nota da Apraça – Associação dos Comerciantes e Ambulantes e Permissionários da Praça Castro Alves, formada há mais de 10 anos, com alguns esclarecimentos.

Os associados afirmam que constantemente buscam diálogo com a Prefeitura com objetivo de conseguir a revitalização do local e a criação do espaço gastronômico, com quiosques e equipamentos públicos que garantam segurança e lazer aos usuários.

Eles explicaram que não compactuam com a instalação do trailer Dil Lanches, de propriedade do filho do vereador Ery Bar, pois a administração municipal em acordo com os comerciantes, proibiu a instalação de novos comércios, deixando o local privativo para os que já estão em atividade há mais de dez anos.

A associação pediu à Prefeitura a instalação de vaga prioritária para idosos e deficientes, e justamente no espaço da vaga, o trailer ‘Dil Lanches” foi instalado. Segundo os comerciantes, isso vem dificultando o acesso de pedestres e cadeirantes à praça. A associação acredita que a gestão municipal não compactua com isso. O vereador Ery Bar, segundo os comerciantes, tem usado do cargo para ameaçar os comerciantes, dizendo que serão retirados do local.

A Apraça afirma que o trailer não pertence ao filho do vereador e sim ao próprio Ery Bar. Em conversas com alguns comerciantes o BG obteve a informação de que é o filho de Ery que permanece mais tempo no trailer. Como não tivemos acesso aos documentos da permissão, só podemos afirmar quem toca o “empreendimento”.

Comerciantes estão indignados com a instalação deste trailer, pois outros já tentaram instalar equipamentos na praça e foram impedidos. A associação já enviou ofício à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo relatando o ocorrido e aguarda resposta, assim como nós do BG.

Leia na íntegra a nota enviada pela Apraça.

O BG não conseguiu contato com o vereador Ery Bar. O espaço está aberto.

O simulacro de procto-arma. O dedo ameaçador e o simbolismo do falo agressivo

As perdas momentâneas do autocontrole, do equilíbrio emocional, da razão ou, o tal do “ir pra cima”, tinham até recente passado, raras e pontuais ocorrências episódicas. Com o evoluir do tempo, passou à condição de usual e corriqueira, sobretudo quando nos referimos às emolduradas classes sociais mais altas e, àquelas ligadas ao poder político direta ou indiretamente, cujas personagens são mais susceptíveis e vulneráveis a esses convulsivos chiliques midiáticos. Não raro, essas refregas de furor na sua quase totalidade, não passem de simbólicos cânticos de guerra territorialista, como o dos pássaros que delimitam suas áreas de alimentação ou dos sapos-boi que bufam contra invasores que se insinuam para suas sapas no seu charco.

Por: Mohammad Jamal.

Nada que se conclua em olho roxo; dentes amolecidos, galos e pintos à cabeça (pintos galinhos) ou coisa que exija uma visitinha ao médico particular ou o disfarçar-se atrás de um óculo escuro de alguma grife famosa tipo Maui Jim; Oakley; Fendi ou Prada, dentre outras preciosidades mais caras do mundo Top. Chilique é coisa de gente chique; grã-fina e importante. Não é pra nós não. Aqui em baixo, no proletariado, agente sai é no pau, na porrada mesmo; depois vai pra fila do SUS, sem frescuras ou pudores tomar uns pontos; curar as lesões corporais, sem B. Os. Raras diferenças ficam pra depois. (mais…)