Faculdade de Ilhéus realizou exame simulado do ENEM 

Faculdade de Ilhéus – Fachada (Foto: Pedro Augusto)

Centenas de estudantes de escolas públicas e privadas participaram do exame simulado do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) promovido pela Faculdade de Ilhéus e realizado neste domingo, 27. A prova teve início às 13 horas, na sede da instituição, localizada no bairro São Francisco, zona sul da cidade, e transcorreu em clima de tranquilidade.

O chamado Simuladão do ENEM faz parte das atividades do canal De olho no Enem, criado pela Faculdade de Ilhéus para disponibilizar aulas gratuitas de disciplinas exigidas pelo exame oficialmente aplicado pelo Ministério da Educação. Todo o conteúdo das aulas pode ser conferido através do site http://www.deolhonoenem.com.br, de acordo com o regulamento estabelecido para o cadastro dos interessados.

Além de promover o exame simulado do ENEM, a Faculdade de Ilhéus vai premiar os primeiros classificados das escolas públicas inscritas no programa com bolsas de estudo, com a finalidade de estimular o acesso de estudantes de baixa renda ao ensino superior, considerando os cursos de graduação oferecidos na instituição. As bolsas contemplam os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Civil, Nutrição, Odontologia e Psicologia.

A expectativa é de que o valor total de bolsas de estudo a serem distribuídas seja de aproximadamente meio milhão de reais. A escola pública inscrita no programa De olho no Enem que tiver o maior número de participantes no Simuladão também será premiada com um aparelho de projeção de slides e outras ferramentas. De acordo com a diretora acadêmica da Faculdade, o resultado do exame simulado deverá ser divulgado no prazo de 15 dias.

O diretor-geral da instituição, professor Almir Milanesi, acompanhou todos os procedimentos para efetivação do programa De olho no Enem. Ele afirmou que o incentivo aos estudantes que vão realizar o ENEM na região é uma prática constante da Faculdade de Ilhéus. “Temos compromisso em ofertar educação de qualidade e assim contribuir com o desenvolvimento regional”, salientou Milanesi.

Desmistificando o “déficit” e a crise da Previdência Social

Desmistificando o “déficit” e a crise da Previdência Social[1]

Sérgio Ricardo Ribeiro Lima[2]

Ricardo Candea Sá Barreto[3]

Atribui-se a Joseph Goebbels, político e ministro da propaganda do Partido Nazista na Alemanha, de 1933 a 1945, a seguinte frase que atravessou décadas: “uma mentira repetida mil vezes se torna verdade”. Essa frase parece estar na ordem do dia.

Parece-me que virou um consenso a afirmação de que a Previdência Social é deficitária e se não for feita uma reforma urgentemente, o sistema previdenciário entrará em colapso. Não se trata de que não seja necessária uma reforma, mas, o que se questiona, é o artifício usado pelo governo para justificar a reforma e, mais ainda, a natureza dessa reforma que foi aprovada, no Congresso e no Senado.

O objetivo dessa resenha é desmistificar o discurso da falência da Previdência Social e mostrar, através de dados oficiais e com base na Constituição Federal de 1988, que, ao contrário do que se vem alardeando, a Previdência Social não está em crise nem é deficitária. O texto abaixo foi inspirado no livro que lançamos (apenas por meio eletrônico e gratuito) em setembro deste ano, sobre este tema.

A aprovação do Sistema de Seguridade Social e seu respectivo Orçamento, de várias fontes além das fontes tradicionais (trabalhadores, empresas e Estado), representou um avanço significativo para o sistema de saúde e de aposentadoria do cidadão brasileiro. Na realidade, o povo brasileiro, a partir dos avanços sociais na Constituição de 1988, passou a vivenciar o início de um Sistema de Proteção Social amplo. Avanço social conquistado pelos trabalhadores europeus, conhecido pelos 30 Anos Dourados, após a Segunda Guerra Mundial, até final da década de 1960, quando o capitalismo novamente entra em crise. (mais…)

Azevedo tenta compor base de Rui Costa e se dá mal

Notinhas

Capitão Azevedo.

No último final de semana, um almoço foi organizado em Itabuna, na mansão do ex-candidato a deputado estadual, Rafael Moreira, para tentar aproximar o ex-prefeito, Capitão Azevedo, da base do governador Rui Costa.

Azevedo foi o primeiro a chegar e ficou isolado. Os convidados, incluindo Davidson Magalhães e Augusto Castro, só chegaram no final da tarde. Na conversa, os dois ressaltaram a necessidade de uma renovação na política em Itabuna, deixando Azevedo e os organizadores frustrados.

Ficou estabelecido que Azevedo não é visto com bons olhos pelos aliados do governador. Enquanto isso, o médico Mangabeira, outro prefeiturável, agrega partidos ligados a ACM Neto.

Membros do PCdoB, PP, PT, PSD, PSB, que apoiam Rui Costa, afirmam que Azevedo não se encaixa no contexto governista. Já ACM Neto tentou levar o ex-prefeito para o DEM, mas Azevedo acreditou que teria mais oportunidade de estar na base do governo estando no PL (antigo PR).

O problema é que poucos confiam em Azevedo, que nas eleições estaduais de 2010 prometeu apoio a Paulo Souto e Geddel (hoje preso e condenado) e acabou não apoiando ninguém.

Muitos acreditam que o Capitão mesmo estando no PL é ligado e leal a ACM Neto, que também desconfia e articula para que Mangabeira seja o candidato dele. Neto almeja a composição de uma aliança com Azevedo, que não aceita ser vice numa chapa.

Por  enquanto, Azevedo segue com poucas perspectivas.

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 35 milhões no próximo sorteio

Mega-sena acumulou mais uma vez.

No sorteio nº 2202 da Mega-Sena, que ocorreu no sábado, 26, nenhuma aposta acertou as seis dezenas sorteadas (11, 29, 37, 38, 43 e 60). A Quina (cinco dezenas certas) teve 48 apostas ganhadoras. Cada uma recebeu prêmio de R$ 51.806,91. A Quadra teve 3717 apostas ganhadoras e o prêmio foi de R$ 955,73 para cada vencedor.

 No próximo sorteio, previsto para o dia 30 de outubro, quarta-feira, a estimativa de prêmio da Mega-sena é de R$ 35.000.000,00.

Os sorteios são realizados duas vezes por semana, às quartas e aos sábados. A aposta mínima, de 6 números, custa R$ 3,50.

Flica encerra a nona edição com crescimento de público e inovação nas atrações

Último dia da programação da Feira Literária Internacional de Cachoeira (Flica 2019). Foto: Camila Souza/GOVBA

A nona edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) chegou ao fim neste domingo (27), após quatro dias de intensas atividades culturais, com foco especialmente na diversidade dos temas. Mais de 35 mil visitantes participaram de lançamentos de livros, mesas de debates e outras ações, que incluíram iniciativas das secretarias estaduais de Cultura (Secult), da Educação, do Turismo (Setur), de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e de Políticas para as Mulheres (SPM), no Espaço Educar para Transformar, onde se concentraram as atividades promovidas pelo Governo do Estado.

A mesa de encerramento, neste domingo, contou com as escritoras Bárbara Uila e Ludmila Singa e com a slamer Nega Faya. Segundo o coordenador-geral da Flica, Emmanuel Midad, a festa vem crescendo a cada ano. “A 9ª edição foi um sucesso total. A gente estima que mais de 35 mil pessoas tenham passado por Cachoeira nesses quatro dias de festa”. Para ele, a parceria com o Governo do Estado foi fundamental, como principal patrocinador. “O Governo do Estado participou também com conteúdo, as diversas secretarias estiveram presentes no espaço Educar para transformar, na fundação Hansen Bahia, com lançamentos de livros, saraus, shows musicais e outros eventos. Este ano a grande novidade foi o Geração Flica, com ações voltadas para receber os jovens inclusive de escolas de outros municípios”.

O jornalista e escritor Valdeck Almeida participou de diversas atividades durante os quatro dias de festa. “A Flica, como o próprio nome diz, é uma festa. Eu me sinto realmente inserido nesta festa. Para mim foi um momento de êxtase, eu pude escolher entre poesia, crônica, romance e me deleitar com o que a festa nos proporciona”.

Lançamentos (mais…)

Estado intensifica ações de combate à sífilis e sífilis congênita

A Bahia registrou entre 2015 e 2019 mais de 34 mil novos casos de sífilis.

A Bahia registrou entre 2015 e 2019 mais de 34 mil novos casos de sífilis. Deste total, 43,18% correspondem a gestantes. Com o objetivo de reduzir esses números, as unidades da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) intensificaram as ações de combate à sífilis e sífilis congênita (transmitida da mãe para o bebê) neste sábado (26), dia D da campanha nacional.

De acordo com a subsecretária da Saúde do Estado, Tereza Paim, a sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. “As unidades estaduais estão realizando rodas de conversa, distribuição de preservativos, além de testes rápidos, aconselhamento e, caso necessário, o início imediato do tratamento”, afirma a subsecretária, ao pontuar ainda que as gestantes são um público de extremo interesse devido a possibilidade de passarem para o feto.

Dezessete unidades da rede estadual materno-infantil participaram da mobilização, com ações de conscientização, prevenção e tratamento da sífilis. São elas: Maternidade Albert Sabin (MAS), Maternidade Tsylla Balbino (MTB), Iperba, Centro de Parto Humanizado João Batista Caribé, Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), Hospital Geral Menandro de Faria (HGMF), Hospital Geral de Ipiaú, Hospital Geral de Camaçar (HGC)i, Hospital Geral de Guanambi, Hospital Estadual da Criança (HEC), Maternidade de Referência Professor José Maria De Magalhães Neto, Hospital Eurídice de Santana, Hospital Geral de Itaparica, Hospital Deputado Luís Eduardo Magalhães, Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães, Hospital Regional Dr. Mario Dourado Sobrinho e Hospital do Oeste (HO).

Sífilis congênita

A sífilis congênita é transmitida para a criança durante a gestação (transmissão vertical). Por isso, é importante a realização do teste para detecção durante o pré-natal. Foram registrados entre 2015 e 2019 mais de 5.500 diagnósticos positivos em menores de um ano na Bahia.

Lei garante amamentação durante concursos públicos

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

Fonte: Agência Brasil

Em vigor desde o dia 18 de outubro, a Lei 13872/19 garante, às mães lactantes, o direito de amamentar seus filhos, de até 6 meses de idade, durante provas de concursos públicos. A amamentação é permitida por períodos de até 30 minutos por filho, em intervalos de duas horas. Apesar de a nova lei representar avanço, especialistas avaliam ser necessária a compreensão dos fiscais de prova, no sentido de flexibilizar os prazos previstos pela legislação.

“É importante que o fiscal de provas tenha conhecimento e seja sensibilizado quanto a importância da amamentação porque, talvez, o bebê precise de um pouco mais do que 30 minutos”, explica a gerente do Banco de Leite Humano (BLH) do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), Danielle Aparecida da Silva.

Mãe e servidora concursada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Valesca Lira defende, além de períodos maiores do que 30 minutos a cada duas horas de prova, que a lei possibilite também a amamentação de crianças com idade superior a 6 meses. (mais…)