População está com medo de comprar peixes e frutos do mar, afirma presidente de Colônia de Pesca

Imagem ilustrativa.

Em conversa com o BG, o ex-vereador Zé Neguinho, presidente da Colônia de Pescadores Z-34, do bairro Malhado, informou a atual situação dos pescadores e marisqueiros após a chegada do óleo nas praias de Ilhéus.

Zé Neguinho explicou que antes dos primeiros sinais serem vistos nas praias, a colônia já vinha trabalhando para acalmar os pescadores, que estão nervosos e apreensivos com a situação. Ele informou que os pescadores devem procurar a colônia para que juntos possam acionar as autoridades competentes e tentar resolver os problemas.

Zé Neguinho disse que ainda não conversou com especialistas para saber se há ou não proibição do consumo. “Buscaremos providências junto aos governos estadual e federal para compensar os pescadores que forem afetados pelo óleo”, disse o presidente. Ele informou também que Ilhéus tem 6000 pessoas, aproximadamente, que adquirem renda por meio da pesca. Só a Colônia Z-34 tem 2300 pescadores cadastrados.

“A colônia está trabalhando no cadastramento de todos pescadores, revendedores e marisqueiros para apresentar dados concretos aos órgãos competentes, pois em alguns estados afetados já houve liberação de parcela do defeso e nós contamos com essa lei”, destacou.

Presidente da Colônia Z-34, Zé Neguinho.

“Em outras cidades, o impacto do óleo foi muito grande e afetou os corais. É nos corais que há a reprodução de alguns peixes e com isso [a contaminação] toda a produção será perdida. Muitas marisqueiras já foram prejudicadas”, explicou Zé Neguinho.

Para o presidente da Colônia, o impacto do óleo foi muito ruim para a cadeia da pesca, pois as pessoas que consomem peixes e frutos do mar estão com medo de comprá-los, devido ao risco de intoxicação. “A venda continua liberada e até o momento não há proibição”, explicou.

Segundo Zé Neguinho, nesta terça-feira, 29, o governo federal estabeleceu um período adicional (de 1º de novembro a 31 de dezembro de 2019) do seguro-defeso para as comunidades de pescadores atingidas pelo óleo.
Mais detalhes sobre o seguro-defeso neste link.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *