Cônsul Geral de Cuba visita a Biofábrica de Cacau e destaca interesse do país na cooperação com o Sul da Bahia

Cacau do sul da Bahia recebe selo do INPI. Imagem: CNA- Brasil.

A Cônsul Geral da República de Cuba, Milena Caridad Zaldívar, e o Cônsul para Assuntos Econômicos e Comerciais, Yoneski Gutiérrez, estiveram em missão ao Litoral Sul da Bahia no último final de semana para conhecer a produção de mudas que a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) distribui aos agricultores familiares na Bahia por meio da Biofábrica de Cacau. Na ocasião, os cônsules conheceram os viveiros e o laboratório da instituição, em Ilhéus, e o plantio e desenvolvimento precoce das mudas de cacau no Projeto de Assentamento Dois Riachões, localizado no município de Ibirapitanga.

“O objetivo da nossa visita foi precisamente conhecer o desenvolvimento que tem alcançado essa região na produção de cacau. Cuba tem muito interesse em conhecer essa experiência e começar a desenvolver parcerias que nos possibilitem aperfeiçoar os procedimentos, os mecanismos que temos lá para fortalecer a produção do cacau”, destacou a Cônsul Geral, que conheceu os diferentes tipos de propagação das mudas de cacau produzidas na Biofábrica com a parceria da SDR.

“Encontrei no Sul da Bahia uma preparação de qualidade, um trabalho muito bem feito na área, desde o trabalho nos viveiros e no laboratório ao campo. Acredito que uma parceria muito boa na troca de conhecimento vai acontecer entre o estado da Bahia e Cuba. Vou levando para o meu país essa experiência, esse saber que vocês têm adquirido aqui e uma agenda de ações, que vai incluir a participação de pesquisadores cubanos, e também a visita de uma delegação do Sul da Bahia a Havana, incluindo a participação em eventos internacionais. Parabenizamos pelos 20 anos da Biofábrica e desejamos muito sucesso nos próximos anos e nessa parceria entre o Sul da Bahia e Cuba, que está se iniciando”, completou Milena Caridad.

“O Sul da Bahia, ao receber a visita técnica do Consulado de Cuba, se fortalece na estratégia de inserir a região cacaueira no mercado internacional, ao passo em que também evidencia a importância da Biofábrica para a cadeia produtiva do cacau não apenas no Brasil, mas no contexto mundial. A SDR, por meio do secretário Josias Gomes, demonstra alinhamento e capacidade de expandir os horizontes da região e da Bahia”, ressaltou o diretor-presidente da Biofábrica, Lanns Almeida.

Dois Riachões

Em Ibirapitanga, Milena Caridad e Yoneski Gutiérrez conheceram o trabalho comunitário desenvolvido pelo Projeto de Assentamento (PA) Dois Riachões. No local, além de hortaliças para distribuir em feiras e estações orgânicas e consumo próprio, a comunidade possui uma área produtiva de cacau de 164 hectares.

“Somos 40 famílias. Hoje todas as famílias aqui trabalham na produção do cacau de qualidade, cacau orgânico, porque somos praticantes da agroecologia, obedecendo as regras do nosso estatuto desde o começo. Nossa comunidade caminha, apesar da crise, e está conseguindo superar com a diversificação da produção e com o cacau de qualidade”, disse Marcelo Mota, morador do PA, que em 2018 recebeu do governo do estado a doação de cinco mil mudas de cacau dos clones Cepec 2002 e CCN 51.

Após o processo de “rustificação” das mudas, elas começaram a ser plantadas pelas famílias do PA há quatro meses, e estão demonstrando o desenvolvimento precoce característico das mudas da Biofábrica. A produção é escoada para Gandu, Itabuna, Ilhéus, Irecê, todas no estado da Bahia, e São Paulo – “no circuito da Ceta-Movimento de Trabalhadores Rurais Assentados e Acampados da Bahia, que tem o maior número de acampados no estado”, destacou Mota. Os cônsules ainda conheceram os produtos derivados do cacau produzidos pelas famílias do PA e a escola construída na localidade para atender a 42 crianças.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *