Óleo atinge APA Costa dos Corais, maior reserva marinho-costeira do Brasil

Óleo encontrado na APA Costa dos Corais em 1 de novembro. Foto: Pedro Pereira/Projeto Conservação Recifal.

Fonte: O Eco

O alerta de que vestígios de óleo foram encontrados nos recifes de corais da Área de Proteção Ambienta Costa dos Corais (APACC) em Alagoas e Pernambuco veio do pesquisador Pedro Henrique Pereira, coordenador do Projeto Conservação Recifal: “O óleo está aparecendo desde 14 de outubro, aproximadamente. Ainda não sabemos a dimensão da área afetada, pois analisamos somente uma área de 0.5 km que estava com muito óleo”, informou o pesquisador. A APACC é a maior unidade de conservação federal marinha costeira do Brasil e a segunda maior barreira de corais do mundo, com cerca de 400 mil hectares e 120 km de praia e mangues.

De acordo com Pedro Pereira, o óleo continua chegando ao litoral e contaminando os corais e as praias. “Hoje pela manhã o pessoal fez uma varredura na praia e encontrou os vestígios mostrados nessas fotos. Estamos coletando amostras de sedimentos, água e corais para tentar entender quais os efeitos desse óleo nos organismos marinhos e na relação dos corais com as algas, que são organismos muito sensíveis. Mesmo o óleo diluído na água pode afetar a saúde dos corais, então teremos que fazer análises de laboratório para verificar os danos”, ressaltou. A praia de Japaratinga, em Alagoas, foi uma das mais afetadas, o que resultou em um decreto de situação de emergência em 24 de outubro, que vigora por 60 dias.

APA Costa dos Corais

Criada em 23 de outubro de 1997, a APA Costa dos Corais abrange 14 municípios, entre Rio Formoso, no litoral sul de Pernambuco, e Maceió, capital do estado de Alagoas, e recebe cerca de 15 mil visitantes por ano. Foi a primeira Unidade de Conservação a ser criada para proteger parte dos recifes costeiros espalhados por uma faixa de 3 mil quilômetros da costa nordestina, que são os únicos na região do Oceano Atlântico Sul. Sua criação foi subsidiada pelos estudos de Jacques Laborel, que era colaborador de Jacques Cousteau nos anos 60. Seus estudos sobre os corais brasileiros resultaram em uma tese publicada em 1967 que até hoje é referência para o conhecimento dos corais.

A APA abriga uma base do Projeto Peixe-boi, do ICMBio, inaugurada em 2015 no município de Porto de Pedras, litoral norte de Alagoas. Há diversas espécies ameaçadas de extinção na região incluindo, além do peixe-boi marinho (Trichechus manatus), as tartarugas verde (Chelonia mydas) e de pente (Eretmochelys imbricata), o peixinho néon (Elacatinus figaro) e o coral-de-fogo (Millepora alcicornis).

Projeto Conservação Recifal

O Projeto Conservação Recifal (PCR) visa garantir a preservação dos recifes de corais do Nordeste do Brasil, com foco para a APA Costa dos Corais. Já teve mais de 10 projetos aprovados nos últimos cinco anos e possui apoio financeiro de diversas instituições como Rufford Small Grant (RSG), Mohamed Bin Zayed Species Conservation Fund, Conservation Leadership Programme (CLP), Idea Wild e Fundação Grupo Boticário.

O recife de coral é uma estrutura rochosa constituída por uma série de organismos marinhos portadores de esqueleto calcário conhecidos como “pólipos” que, em associação com minúsculas algas chamadas “zooxanthelae”, dão aos corais cores como verde, azul, amarelo e lilás. São formações milenares muito frágeis a mudanças do ecossistema. Estima-se que 27% de todos os recifes de coral do mundo já foram irreversivelmente degradados por mudanças climáticas, crescimento irregular das cidades costeiras e poluição.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *