Salles mantém a intenção de Secretaria da Amazônia

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mantém a intenção de instalar, em Manaus, a Secretaria da Amazônia, que seria encarregada de descentralizar as ações federais para o desenvolvimento sustentável da região. Sem divulgar publicamente detalhes sobre o funcionamento do novo órgão, o ministro discutirá o assunto com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), no próximo sábado, durante evento na capital do estado.

A viagem a Manaus foi confirmada, nesta segunda-feira (27/1), pelo Ministério do Meio Ambiente, uma semana após o anúncio do presidente Jair Bolsonaro sobre a criação do Conselho da Amazônia, a ser coordenado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, e da Força Nacional Ambiental. A pasta, no entanto, não deu detalhes da pauta do encontro com o governador.

Consultada, a assessoria de Wilson Lima informou que a criação da secretaria será um dos principais temas da agenda de sábado. Na ocasião, Salles deve participar da solenidade de inauguração da nova sede da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema). Segundo as conversas iniciais, esse local vai abrigar o novo órgão federal.

A criação da Secretaria da Amazônia foi também tema de uma reunião, na última sexta-feira, entre representantes do ministério e o secretário estadual de Meio Ambiente do Amazonas, Eduardo Taveira. Uma comitiva da pasta esteve em Manaus para acompanhar uma agenda do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O recente movimento do governo em torno da floresta tem sido visto como uma resposta às críticas, de dentro e de fora do país, à política ambiental brasileira. Sobretudo na Europa, a preservação da Amazônia pode fazer a diferença em decisões de acordos comerciais.

O vice-presidente Hamilton Mourão pretende apresentar a Bolsonaro, ainda nesta semana, uma minuta da proposta de criação do Conselho da Amazônia — levando em consideração os três pontos pedidos pelo presidente: preservar, proteger e desenvolver a região. Quanto à criação da Força Nacional Ambiental, nos moldes da Força Nacional de Segurança Pública, Mourão deve deixar o assunto para um segundo momento.

Políticos dos estados amazônicos têm acompanhado com desconfiança os anúncios do governo federal relacionados à região. Com o fim do recesso parlamentar, o assunto deverá ser debatido no Congresso, já que deputados e senadores querem se inteirar sobre as intenções do Executivo antes de se posicionarem oficialmente.

Uma das preocupações é com o risco de a nova Força Ambiental sobrecarregar os estados da região — como já acontece quando a Força Nacional de Segurança Pública é acionada.

*Com informações do Correio Braziliense



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *