Candidaturas de Jamil e Tarcísio podem prejudicar a campanha de Cacá Colchões

Notinhas.

Jamil apela para a fé e pretende ser candidato. Imagem que circula no WhatsApp.

O ex-vereador Jamil Ocké (PP), condenado em 1ª instância por compras superfaturadas de frangos quando foi secretário de assistência social no último governo do ex-prefeito Jabes Ribeiro (2013-2016), tentará retornar à Câmara na próxima eleição.

Em agosto de 2017, Jamil teve o mandato cassado por extrapolar o número máximo de faltas permitidas nas sessões legislativas.

Jamil vê muitas possibilidades de reverter sua condenação no Tribunal de Justiça da Bahia. O otimismo o impulsiona a tentar conquistar mais um mandato no legislativo Ilheense.

Outro pré-candidato polêmico é Tarcísio Paixão, investigado na Operação Xavier por suposta participação num esquema que desviou recursos da Câmara, quando o mesmo a presidia. Ele teve a prisão preventiva decretada, ficou encarcerado no
Presídio Ariston Cardoso por alguns dias, mas conseguiu Habeas corpus e atualmente responde ao processo em liberdade.

Novas delações premiadas podem complicar a situação do vereador. Recentemente, anunciamos que o servidor da Câmara, Paulo Leal, assinou acordo nesse sentido, sendo que os biênios de Tarcísio Paixão (2015-2016) e Lukas Paiva (2017-2018) serão os contextos de onde sairão mais denúncias.

Tarcísio pretende ser candidato apesar da Operação Xavier.

Essas duas figuras da política Ilheense não foram condenadas em processos transitados em julgados, ou seja, não podem ser considerados culpadas das acusações que respondem. Contudo, inegavelmente são personalidades controversas que podem gerar ruídos e desgastes desnecessários se forem incorporadas à campanha de Cacá Colchões, pré-candidato a prefeito pelo PP.

Será que a dupla vai percorrer a cidade e pedir votos como companheiros de Cacá?

Será que os dois vão subir em minitrios para ouvir e acompanhar os pronunciamentos de Cacá?

Fontes confiáveis do PP afirmam que os dois não seriam candidatos se o nome para concorrer à prefeitura fosse Jabes Ribeiro.

Por acaso estaria faltando coragem para pedir aos dois que não sejam candidatos pelo PP?

Se forem confirmadas, as duas candidaturas reforçarão a tese de que há dentro do PP a intenção de sabotar a campanha de Cacá Colchões.



3 responses to “Candidaturas de Jamil e Tarcísio podem prejudicar a campanha de Cacá Colchões

  1. Só pôde fazer ser piada Jamil e Tarcísio candidatos que absurdo se tre conceder esta barbaridade a política vai mas uma vez ser desmoralizada…………”

  2. No caso do primeiro, professor Jamil, sobre ele já pesa uma condenação em primeira instância; quanto ao segundo, Vereador Tarciso, a imprensa alardeou supostas irregularidades cometidas contra os duodécimos da Câmara, fatos que ainda se encontram sigilosos no andamento das investigações da Operação Xavier. Com o devido respeito a ambos candidatos, o que nos surpreende nessas candidaturas pouco sutis, é o juízo critico que esses dois políticos fazem dos eleitores de Ilhéus em cujo histórico figura um prefeito eleito para 4 mandatos, e que nada fez por Ilhéus que valesse ao menos por um. Nesse caso, será mesmo que essas duas candidaturas à Câmara podem chamuscar a campanha do Caca. Tenho cá minhas dúvidas.

  3. ILHÉUS UMA CIDADE DE CONSERVADORES A ULTIMA VEZ QUE EU VI UMA FALTA DE .RESPEITO FOI COM O PREFEITO NERIVAL ROSA BARROS,AGGA VEM O CONSERVADOR QUERENDO COLOCAR A IMAGEMBDO PROFESSOR JAMIL NA MAIOR CILADA DO COMSERVADOR FALIDO DO CACAU,ESPERO QUE NOSSA POLITICA NAO MERECE COMSERVADOR MA NOSSA HISTORIA POLÍTICA RESPEITE O PROFESSOR É DIGNO E DE FAMILIA DA NOSSA HISTÓRIA CHEGA DEIXA O POVO JULGAR DESDE QUANDO O JABÁ É A MAIOR BESTEIRA QUE ILHEUS ACEITA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *