Marão não fez Carnaval porque deseja se reaproximar dos evangélicos

Notinhas.

O prefeito Mário Alexandre.

Fontes ligadas ao prefeito de Ilhéus disseram ao BG que ao decidir não fazer o Carnaval 2020, Mário Alexandre busca, na verdade, uma reaproximação com o eleitorado evangélico.

Grande parte deste segmento, muito conservador, enxerga o carnaval como “festa do “demônio” ou “da carne”.

Ao decidir não bancar os festejos do “Rei Momo”, Marão sinaliza o desejo de reconquistar parte do público evangélico neopentecostal, que em 2018 praticamente rompeu com a mãe do prefeito, a então deputada estadual, Ângela Sousa (PSD), que não conseguiu a reeleição.

Mário Alexandre não é bem visto pelos “crentes”, pois adota publicamente comportamento hedonista, ao contrário da mãe que é uma típica integrante da Igreja Assembleia de Deus.

O prefeito gosta de festas, costuma dar “reboladinhas” em palcos e não tem receio em esconder a sua predileção por bons vinhos.

De uns tempos pra cá, percebeu que o eleitorado evangélico de Ilhéus é imprescindível e para recuperá-lo, tem adotado postura conservadora em relação ao carnaval.

Marão tem seguido os passos do prefeito do Rio de Janeiro, bispo Marcelo Crivella, que some da cidade no carnaval e tem diminuído o apoio aos blocos e escolas de samba.

Crivella tem realizado a festa a contragosto, forçado pela imprensa e pela cultura tradicional do samba carioca que envolve milhões de pessoas.



2 responses to “Marão não fez Carnaval porque deseja se reaproximar dos evangélicos

  1. GUSMÃO EU JÁ TINHA FEITO ESTE COMENTÁRIO SÓ QUE MARAO ESQUECEU QUE CARNAVAL É RENDA ALÉM DE GERAR EMPREGO PARA MUITOS E MUITAS PAÍS E MAES DE FAMÍLIA CUIDADO MARAO O TIRO PODE SAIR PELA CULATRA

  2. Focado apenas na própria reeleição, sua principal meta, esquece os compromissos assumidos com a cidade, com os quais deveria estar voltado e comprometido. Se realizado algo atrativo em que a cidade sempre se destacou, o carnaval, certamente teria criado dezenas de empregos temporários, estimulado a renda da informalidade, o comércio e os serviços formais, atraído turistas e veranistas, fomentando o consumo, aumentado a captação de impostos. Os logistas e empresários teriam motivos para sonhar com melhorias, estabilidade e crescimento em vendas e serviço. Mais uma vez, demonstras desprezo, desinteresse e inaptidão para o cargo que exerce. Mesmo assim sonha reeleger-se prefeito. Com meu voto não, já deu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *