Movimento fraco na Praia do Sul neste sábado; cabanas abriram para receber poucos teimosos

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse em entrevista coletiva na tarde de ontem, 20, que esse final de semana será um grande teste para ver se as pessoas vão colaborar com o isolamento social para evitar que o novo coronavírus se espalhe.

“Acho que esse sábado, esse domingo, vai ser um grande teste de maturidade da população, um grande teste de entendimento das mensagens”, pontuou o ministro.

Estimulada pelo pedido do Mandetta, a reportagem do BG esteve na Praia do Sul, em ilhéus, para conferir o movimento. O repórter do BG foi sozinho ao local e não desceu do carro.

Funcionário da Cabana Axé Bahia tentava atrair clientes.

A cabana Axé Bahia não tinha clientes, mas um funcionário convidava os passantes. Na cabana Espelho D’água a reportagem encontrou pessoas reunidas. Apenas uma mesa estava ocupada.

Grupo reunido na Cabana Espelho D’água.

As cabanas Ribeiro e Nariga’s estavam sem movimento e os funcionários de ambas aguardavam possíveis clientes.

Cabana Ribeiro vazia, mas com funcionários.
Funcionários da Cabana Nariga’s à espera de clientes.

No espaço vago entre duas cabanas encontramos um grupo “aproveitando” a praia aparentemente sem medo da Covid-19.

Carro, piquenique e guarda-sol.

O maior movimento visto neste sábado foi na cabana Guarany onde havia 10 carros estacionados. O tradicional Acarajé da Margarida também estava aberto.

Cabana Guarany.
Barraca do Acarajé da Margarida estava aberta.

O movimento constatado estava muito abaixo da normalidade. As cabanas estavam vazias, mas com funcionários já que o prefeito não determinou o fechamento desses estabelecimentos.

Se fôssemos dar uma nota, considerando o teste citado pelo ministro Mandetta, podemos dizer que o ilheense que gosta de ir à praia e os visitantes que costumam vir à cidade receberiam 9,5 no quesito de responsabilidade e consciência.

Apesar da nota alta, vale repetir que nós encontramos alguns teimosos.

Solidariedade brasileira ainda é insignificante

As imagens mais comum que vemos da falta de solidariedade são os saques às cargas de caminhões virados nas estradas, em que os “sabidos” sequer olham para o agonizante motorista, sem se interessar saber se precisa de cuidados. Farinha pouca, meu pirão primeiro.

Por Walmir Rosário.

O jornalista e dramaturgo Nélson Rodrigues atribuiu ao jornalista mineiro Otto Lara Resende a frase “o mineiro só é solidário no câncer”, e ainda inseriu-a com todo o destaque na sua peça e filme “Bonitinha mas ordinária”. O amigo Otto sempre desmentiu a autoria, mas, aqui pra nós, o irreverente Nélson Rodrigues deveria tê-la cunhado assim: “O brasileiro não é solidário nem no câncer”.

Penso eu que os brasileiros foram educados para serem “sabidos” e que não faria mal ou pecado algum levar sempre vantagem. Mais uma vez essa insossa teoria foi comprovada durante o anúncio da pandemia do Coronavírus no Brasil, a começar pelos quais deveriam dar o exemplo, por se tratar de uma questão de vida ou morte: os comerciantes dos ramos de farmácia, mercados e congêneres.

Assim que foi feito o anúncio e os cuidados preventivos que deveriam ser tomados, a exemplo da desinfecção das mãos com álcool em gel e alguns medicamentos, para que os preços subissem de forma astronômica nesses estabelecimentos. Outros, de forma desavisada, ou para levar vantagem, partiram para os supermercados e atacadões para esvaziar o estoque. Como não consumiriam tudo, prejudicariam os próximos.

A solidariedade – ou a falta dela – é determinante na sociedade, pois vai de um pequeno gesto de gentileza a salvar uma vida. As imagens mais comum que vemos da falta de solidariedade são os saques às cargas de caminhões virados nas estradas, em que os “sabidos” sequer olham para o agonizante motorista, sem se interessar saber se precisa de cuidados. Farinha pouca, meu pirão primeiro. (mais…)

Presidente do Sindicato dos Comerciários faz alerta sobre coronavírus em Ilhéus e região

Crismélia Moreira e Mário Alexandre.

A Presidente do Sindicato dos Comerciários de Ilhéus e região, Crismélia Moreira, junto à sua Diretoria vem a público solicitar ao Prefeito Mário Alexandre e aos órgãos que representam o comércio local em geral (CDL, Sindicato Patronal e Associação Comercial de Ilhéus), medidas referentes ao funcionamento dos estabelecimentos comerciais da nossa cidade, buscando com isso preservar a saúde dos comerciários e de toda a população, já que estamos diante de um quadro epidemiológico que assola a população mundial e vem se tornando eminente na nossa cidade.

Cientes de que esta é uma situação atípica e inesperada, faz-se necessário viabilizar medidas efetivas de combate à proliferação do Coronavírus (COVID-19) através de confinamento domiciliar preventivo de toda a população, inclusive os comerciários de Ilhéus.

Bahia confirma 41 casos de Covid-19

Imagem ilustrativa.

Sete novos casos de Covid-19 foram confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) nas últimas 24 horas. Os novos casos são de Salvador (5), Prado (1) e Porto Seguro (1). Destes, 41 foram confirmados, 535 foram descartados e nenhum óbito. Todos os pacientes encontram-se em isolamento domiciliar, adotando as medidas de precaução respiratória e de contato.

Do total de confirmações, 23 foram em Salvador; 6 em Feira de Santana; 5 em Porto Seguro; 3 em Lauro de Freitas; 2 em Prado; 1 em Itabuna; e 1 em Camaçari.

Ressalta-se que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

É importante pontuar que o paciente com diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades da atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita de coronavírus, é necessária a coleta de uma amostra que será encaminhada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA). Para confirmar a doença, é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o genoma viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito. Outras informações podem ser obtidas no link: www.saude.ba.gov.br/coronavirus.

Diagnóstico laboratorial de infecção pelo SARS-CoV-2 (mais…)

É difícil suportar o sorriso fácil do prefeito Mário Alexandre neste momento de pandemia

Mário Alexandre, prefeito de Ilhéus.

A secretária municipal de educação, Eliane Oliveira, afirmou ao BG que “não há nenhuma situação sobre ameaça de coronavírus em Ilhéus”.

A afirmação desinformada e estapafúrdia está num áudio, onde a secretária tenta explicar porque os professores contratados não receberam os salários de fevereiro.

Eliane Oliveira foi contraditória. Se não existe ameaça, por qual razão as aulas na rede municipal foram suspensas e as crianças foram orientadas a ficar em casa e ter os devidos cuidados com a higiene?

A declaração alheia à realidade de Eliane Oliveira não é um ato isolado e jamais poderia ter sido dita pela secretária de educação. Ela como educadora não pode ignorar a ciência.

O ministro da saúde, Luis Henrique Mandetta, já disse que se trata de uma pandemia. A contaminação é comunitária em todo o território nacional. No final de abril, segundo o próprio ministro, o SUS vai entrar em colapso.

O governo Mário Alexandre tem agido de maneira irresponsável, lenta e até com mentiras para lidar com a crise.

O prefeito mandou publicar decretos atrasados e fracos. Ao invés de determinar, Marão recomenda e tergiversa. Em Itabuna, o prefeito Fernando Gomes determinou o fechamento temporário do comércio. Em Ilhéus, o prefeito recomenda que funcionem das 09 às 15 horas.

Enquanto isso, nas redes sociais, os vídeos do prefeito não passam qualquer sensação de seriedade com a causa pública.

O gabinete de crise criado por Marão é liderado por Bento Lima, um secretário fraco e desequilibrado que sequer mora na cidade (reside em Itabuna).

Bento Lima não está em condições de presidir qualquer situação relacionada a Ilhéus. Recentemente, ele foi indiciado pela Polícia Federal por assinar, como testemunha, um contrato supostamente falso de compra e venda de um veículo que foi utilizado por um prefeito de uma cidade vizinha. Bento é alvo de outras investigações e se o governo Marão fosse sério, ele já teria sido afastado até que a justiça decida pela sua inocência.

Em Itacaré, o prefeito Antonio de Anizio afirmou: “o vírus está na cidade”. Em Ilhéus, o prefeito sumiu da cidade num momento tenso sem qualquer justificativa plausível. Ao retornar, afirmou que Ilhéus não tem nenhum caso de coronavírus. Até quando Marão?

Até quando o senhor pensa que vai conseguir enganar as pessoas com seu riso político fácil e irresponsável?

Seja responsável prefeito. Se lhe falta espírito público, lembre-se que o senhor tem pais idosos dentro do grupo de risco.

Ouça este editorial gravado pelo editor do BG, Emílio Gusmão.

PM quer prender empresários baianos que estocarem álcool em gel

Foto : Alexandre Galvão/ Metropress.

Comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, o coronel Anselmo Brandão afirmou que a corporação busca identificar e prender empresários que estocarem álcool em gel.

“É um problema que estamos sentindo [o estoque de [álcool em gel e outros materiais]. Temos dificuldade de adquirir álcool em gel, queremos achar quem está fazendo estoque e prender. É crime econômico”, reclamou, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole.

Ainda de acordo com Brandão, a PM tem recebido muitas doações. “Nós temos dinheiro para comprar. Não temos encontrado o produto, mas temos recursos”, disse.

Ainda segundo o coronel, “infelizmente” ainda existem aglomerações. “Mas o processo é lento e gradual. Ontem o governador determine que a gente uso os microfones das viaturas e peça que as pessoas evitem aglomerações. É um trabalho de cultura”, afirmou.

Do Metro1.

Juíza nega prisão domiciliar a Lukas Paiva; coronavírus foi a justificativa da defesa

Lukas Paiva.

A defesa do vereador Lukas Paiva (PSB) por meio de um Habeas Corpus tenta converter a prisão preventiva em domiciliar. Os advogados Sergio Habib e Thales Habib alegam que seu cliente pode ter sido contaminado pelo coronavírus, após ter recebido uma visita de uma pessoa que teria chegado de São Paulo no mesmo dia. Lukas está preso no Centro de Observação Penal do Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador.

O desembargador Sérgio Guerra, da Primeira Câmara Criminal (2ª Turma) do TJ-BA, entendeu ser necessária uma decisão da juíza Emanuele Vita, da 1ª Vara Criminal de Ilhéus, a mesma que determinou pela segunda vez a prisão preventiva, após o vereador ter sido flagrado pelo Ministério Público da Bahia prejudicando as investigações.

Segundo a magistrada, Lukas Paiva não se enquadra nas condições excepcionais definidas pela recomendação nº 62 do CNJ para sair da prisão.  Disse que ele é jovem, tem 39 anos, não está no grupo de risco de letalidade, tem recebido toda a assistência médica necessária e não possui diagnóstico conclusivo sobre a contaminação pelo coronavírus. O laudo médico também não recomenda a liberação de Lukas.

Na decisão assinada na última sexta-feira, 20, Emanuele Vita afirma que o vereador “não está em estabelecimento penal com ocupação superior à capacidade. Em verdade, encontra-se custodiado em ‘local por ele escolhido’, com condições muito melhores que os demais estabelecimentos penais do Estado”.

Ela também lembrou que Lukas foi preso recentemente, após ficar foragido por mais de 60 dias, “tendo se ´entregado voluntariamente’ ao sistema de justiça quando bem quis, após ter se esmerado em se comportar de modo a claramente destruir provas, ameaçar testemunhas e demais réus, por meio do oferecimento de vantagens indevidas, utilizando-se de recursos públicos da Câmara de Vereadores de Ilhéus, que, por condutas semelhantes, já estava sendo processado criminalmente”.

A juíza ressaltou que o vereador foi afastado justamente pela acusação de praticar condutas incompatíveis com o cargo e, mesmo assim, a medida não foi suficiente para diminuir “sua sanha criminosa”.

A decisão negativa da juíza Emanuele Vita sobre a prisão domiciliar será enviada ao desembargador Sérgio Guerra que poderá reformá-la ou não.

Confira a decisão na íntegra.