Família de médico rebate informações do secretário Fábio Vilas-Boas

Médico Gilmar Calazans foi receitado por um cardiologista da rede hospitais estaduais, segundo familiares. Foto: Reprodução.

A família do médico Gilmar Calazans, que morreu pela Covid-19 em Ilhéus, na segunda-feira, 20, afirma que ele não se automedicou com cloroquina nem azitromocina, conforme foi divulgado na tarde da terça (21), pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).

Segundo a família, Gilmar teve receita médica prescrita por um cardiologista de um dos hospitais da rede estadual.

Além disso, a família da vítima ainda afirmou que, apesar de Gilmar ter diabetes e hipertensão, ele se cuidava bem e os exames cardiovasculares realizados em janeiro deste ano não apresentaram nenhum defeito estrutural ou remodelamento no coração.

Desde o dia 8 de abril, a Sesab autorizou o tratamento com hidroxicloroquina e azitromicina em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O uso do medicamento, contudo, é orientado apenas para pacientes internados.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *