Brasil chega a 2 milhões de casos acumulados de covid-19

Mais de 1,2 milhão de brasileiros se recuperaram da doença.

Nesta quinta-feira (16), o Ministério da Saúde divulgou que o novo coronavírus atingiu 2.012.151 de pessoas no Brasil desde o início da pandemia. Desse total, 1.296.328 pacientes conseguiram se recuperar da covid-19, doença que causou a morte de 76.688 brasileiros. Atualmente, 639.135 pacientes estão em tratamento.

Nas últimas 24 horas, o país registrou 45.403 novos casos da doença e confirmou mais 1.322 óbitos em decorrência do novo coronavírus.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,8 %. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 36,5. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 957,5.
Covid-19 nos estados

São Paulo é o estado mais atingido pelo novo coronavírus. Desde o início da pandemia, acumula 402.048 casos da doença, que resultaram em 19.038 óbitos. Em seguida, os estados que mais registraram casos confirmados são Ceará (144.000), Rio de Janeiro (134.573), Pará (133.039) e Bahia (116.373).

Rio de Janeiro é segundo estado que mais registrou número de mortes (11.849), seguido por Ceará (7.127), Pernambuco (5.836) e Pará (5.385).

Militares no Ministério da Saúde: qual o resultado disso?

É cada vez maior o número de cidadãos que, insatisfeitos com a forma como o Governo Federal está tratando a crise gerada pelo Coronavírus, espera ou pede pela saída do atual titular do Ministério da Saúde, e deseja que uma pessoa com formação técnica compatível com as exigências do cargo assuma a pasta.

Por Julio Gomes.

Recente Polêmica envolvendo o Ministro do Superior Tribunal Federal, Gilmar Mendes; e o Ministro da Saúde, General Eduardo Panzuelo, chamou a atenção da nação para um fato sobre o qual poucos têm coragem de falar: a permanência, há dois meses (desde a saída do médico Nelson Teich, ocorrida em 15 de maio) de um general sem nenhuma formação técnica na área de saúde à frente deste Ministério, em plena pandemia de Coronavírus, que já matou cerca de 75 mil brasileiros até esta data (15/07/2020).

Segundo Gilmar Mendes, além do general também há presença de “28 militares dos cargos de cúpula do Ministério da Saúde, dificuldade em executar o orçamento, portanto, colapso do serviço de saúde”.

Também foi veiculado recentemente que a maioria dos brasileiros é contra a presença fardada no poder político, segundo pesquisa do Datafolha realizada nos dias 25 e 26 de maio deste ano.

Não desejamos aprofundar os argumentos do Ministro do STF, mas chamar a atenção para outro aspecto relacionado a esta mesma discussão.

É cada vez maior o número de cidadãos que, insatisfeitos com a forma como o Governo Federal está tratando a crise gerada pelo Coronavírus, espera ou pede pela saída do atual titular do Ministério da Saúde, e deseja que uma pessoa com formação técnica compatível com as exigências do cargo assuma a pasta.

Por todos estes fatos, cabe aqui ressaltar o quanto se mostra imprescindível, inalienável e inegociável a continuidade do Regime Democrático em nosso país.

Caso estivéssemos sob um regime ditatorial, quem fizesse a mais leve crítica à atuação dos governantes no exercício dos cargos públicos poderia ser sumariamente preso, sem ordem judicial, e levado para local ignorado, onde talvez fosse submetido a sessão de tortura ou, até mesmo, “desaparecido”, sob a acusação de ser “comunista”. Isto ocorreu, por exemplo, com o Deputado Rubens Paiva, durante a ditadura.

Ignorando que quem ingressa na vida e nos cargos públicos está sujeito tanto a elogios quanto a críticas, durante pelo menos 21 anos, de 1964 a 1985, os militares governaram o Brasil ocupando os mais diversos cargos: a Presidência, a direção de grandes empresas estatais, diversos ministérios e cargos chaves em escolas, hospitais e em diversos outros órgãos e setores que, inúmeras vezes, nada tinham a ver com sua formação.

(mais…)

Bahia registra 3.380 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Boletim Epidemiológico 16/07.

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.380 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +3,0%), 55 óbitos (+2,1%) e 4.388 curados (+5,1%). Dos 116.373 casos confirmados desde o início da pandemia, 91.096 já são considerados curados, 22.584 encontram-se ativos e 2.693 tiveram óbito confirmado de coronavírus.

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 2.693 mortes pelo novo coronavírus.

Os casos confirmados ocorreram em 402 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (39,71%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Gandu (2.953,43), Itajuípe (2.488,90), Ipiaú (2.040,42), Lauro de Freitas (1.847,91) e Itabuna (1.788,74).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 229.503 casos descartados e 98.602 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (16).

Na Bahia, 11.984 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Ilhéus: Polícia Rodoviária multa veículos em alta velocidade na nova ponte

Agente da PRE na cabeceira da nova ponte. (foto: reprodução \ O Tabuleiro)

De acordo com o site O Tabuleiro, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) realiza a fiscalização de velocidade na nova ponte, em Ilhéus. Um flagrante mostra uma agente da PRE com um radar móvel em uma das cabeceiras. A velocidade máxima na ponte é de 60 km/h. As multas por excesso de velocidade variam de R$ 195,23 e R$ 880,41.

Ilhéus: mortes por Covid-19 passam de 90; 597 casos estão ativos

2.130 casos de Covid-19 já foram confirmados em Ilhéus.

O número de óbitos por Covid-19 em Ilhéus segue crescendo. De acordo com o mais recente boletim da Prefeitura Municipal, 2 novas mortes por causa da doença foram registradas. No total, 91 pessoas já perderam a vida por causa da doença. Ainda de acordo com as informações, existem 597 casos ativos em Ilhéus e 2.130 confirmados. Das 65 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) existentes, 57 estão ocupadas.

Bahia tem mais quatro cidades com transporte suspenso; total chega a 375

Jaborandi entrou para a lista de municípios com transporte suspenso na Bahia.

Angical, Coribe, Jaborandi e Lagoa Real terão o transporte intermunicipal suspenso a partir de sexta-feira (17). A decisão, que tem o objetivo de conter o avanço do coronavírus na população baiana, foi publicada em decreto no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (16).

Ficam proibidas nesses municípios a circulação, a saída e a chegada de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de van. O decreto ainda mantém suspensas, até 31 de julho, a circulação, a saída e a chegada de ônibus interestaduais no território baiano.

O decreto também autoriza a retomada do transporte intermunicipal em Pedrão e Santana, cidades com 14 dias ou mais sem novos casos de Covid-19.

Lista de municípios

No total, a Bahia possui 375 cidades com transporte suspenso. São elas: Abaré, Acajutiba, Adustina, Água Fria, Aiquara, Alagoinhas, Alcobaça, Almadina, Amargosa, Amélia Rodrigues, América Dourada, Anagé, Andaraí, Andorinha, Angical, Anguera, Antas, Antônio Cardoso, Antônio Gonçalves, Aporá, Apuarema, Araçás, Aracatu, Araci, Aramari, Arataca, Aratuípe, Aurelino Leal, Banzaê, Barra, Barra do Choça, Barra do Rocha, Barreiras, Barro Alto, Barro Preto, Barrocas, Belmonte, Biritinga, Boa Nova, Boa Vista do Tupim, Bom Jesus da Lapa, Bom Jesus da Serra, Botuporã, Boquira, Brejões, Brumado, Buerarema, Buritirama, Caatiba, Cabaceiras do Paraguaçu, Cachoeira, Caculé, Caém, Caetanos, Caetité, Cafarnaum, Cairu, Caldeirão Grande, Camacã, Camaçari, Camamu, Campo Alegre de Lourdes, Campo Formoso, Canarana, Canavieiras, Candeal, Candeias, Candiba, Cândido Soares, Cansanção, Canudos, Capela do Alto Alegre, Capim Grosso, Caraíbas, Caravelas, Cardeal da Silva, Carinhanha, Casa Nova, Castro Alves, Catu, Caturama, Central, Chorrochó, Cícero Dantas, Cipó, Coaraci, Conceição da Feira, Conceição do Almeida, Conceição do Coité, Conceição do Jacuípe, Conde, Condeúba, Contendas do Sincorá, Coração de Maria, Cordeiros, Coribe, Correntina, Coronel João Sá, Cotegipe, Cravolândia, Crisópolis, Cristópolis, Cruz das Almas, Curaçá, Dário Meira, Dias D’Ávila, Dom Basílio, Dom Macedo Costa, Elísio Medrado, Encruzilhada, Entre Rios, Esplanada, Euclides da Cunha, Eunápolis, Fátima, Feira de Santana, Filadélfia, Firmino Alves, Floresta Azul, Formosa do Rio Preto, Gandu, Gentio do Ouro, Glória e Gongogi.

(mais…)

São Paulo só permitirá eventos de réveillon e carnaval após vacina

Governador de São Paulo diz que pandemia é maior tragédia do país.

O governador de São Paulo, João Doria, disse ontem (quarta, 15) que as celebrações de ano novo e de carnaval, só poderão ocorrer no país após as pessoas estarem vacinadas contra o novo coronavírus, já que geram aglomerações.

Doria ressaltou que o Brasil já registrou quase 2 milhões de infectados e mais de 74 mil mortos pelo novo coronavírus. “É a maior tragédia desse país em qualquer tempo. Não há nada a celebrar, não há nada a comemorar” disse o governador.

“Não temos que celebrar nem ano novo e nem carnaval diante de uma pandemia. Apenas com a vacina pronta e aplicada e a imunização feita é que poderemos ter celebrações que fazem parte do calendário do país. Mas neste momento não”, ressaltou.

Até este momento, o estado soma 393.176 casos confirmados e pessoas infectadas pelo novo coronavírus, com 18.640 óbitos pela doença.