Impactos do Porto do Malhado se arrastam há décadas

Avanço do mar tem causado sérios danos à comunidade do São Miguel. Foto enviada via WhatsApp.

Em contato com a redação do BG, o perito ambiental Pedro Lima, morador do São Miguel, relatou ao blog a situação que os moradores do bairro têm vivido devido ao avanço do mar.

Pedro, cuja família mora no bairro há mais de 50 anos, informou que o avanço do mar começou após a construção do Porto do Malhado, na década de 1970. “O Porto impediu a circulação natural das correntes sul e norte, que trazia a areia para a Zona Norte de forma natural”.

O perito ambiental informou que depois que o porto foi construído, toda a areia foi transferida para a Avenida Soares Lopes. “A corrente da zona norte chega ao Porto do Malhado e retorna para os bairros São Miguel e São Domingos, tirando a pouca areia que tem” disse Pedro.

Segundo ele, há oitos anos a associação dos moradores do bairro ajuizou uma ação civil pública para que o Porto do Malhado faça a compensação ambiental, por conta dos impactos ambientais que ocorreram no bairro.



One response to “Impactos do Porto do Malhado se arrastam há décadas

  1. E os imbecis ainda defendem indiscriminadamente a vinda do Porto Sul não estamos tendo nenhum debate crítico sobre os impactos sociobientais dessa obra. Somos uma área de grande biodiversidade rota das baleias jubarte. Mas isso é oq os idiotas chamam de progresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *