Covid-19: Itabuna registra 221 casos e 6 mortes em 24 horas

O boletim da Prefeitura de Itabuna deste sábado (15) afirma que o município está com 7.213 casos confirmados de Covid-19. Na sexta-feira (14) o número era de 6.982. O aumento foi de 161 casos em 24 horas.

A cidade está com 167 mortes de acordo com o boletim, seis a mais que na sexta.

O número de casos ativos no município é de 3.856, um aumento de 158 em 24 horas. São considerados ativos os casos que permanecem monitorados pela vigilância epidemiológica, com sintomas da Covid-19 e que podem infectar outras pessoas. Esses casos descartam pacientes curados e aqueles que infelizmente faleceram. Formam um indicador importante para saber se a pandemia ganha ou perde força.

Itabuna tem 3.190 casos curados, 31 internados em UTI e 58 internados em leito clínico.

Ilhéus está com 922 casos ativos de Covid-19 segundo boletim municipal

O boletim municipal deste sábado (15) apresentou aumento de 140 no número de casos confirmados da Covid-19, chegando a 4.806. Ontem (14) eram 4.666 casos confirmados.

Neste sábado o boletim não apresentou nenhuma morte a mais. Ilhéus permanece com 183 óbitos causados pela doença.

O número de casos ativos neste sábado é de 922, na sexta o número era de 823, uma diferença de 99 casos ativos.

São considerados ativos os casos que permanecem monitorados pela vigilância epidemiológica, com sintomas da Covid-19 e que podem infectar outras pessoas. Esses casos descartam pacientes curados e aqueles que infelizmente faleceram. Formam um indicador importante para saber se a pandemia ganha ou perde força.

Bahia está com 15.886 casos ativos de Covid-19

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.386 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +1,6%) e 3.330 curados (+1,7%). Dos 214.379 casos confirmados desde o início da pandemia, 194.155 já são considerados curados, 15.886 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 413 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (32,14%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Almadina (4.776,76), Dário Meira (4.537,82), Itapé (4.017,81), Salinas da Margarida (3.976,51) e Ibirataia (3.944,62).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 405.463 casos descartados e 84.302 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste sábado (15).

Na Bahia, 17.229 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 67 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 4.338, representando uma letalidade de 2,02%. Dentre os óbitos, 55,95% ocorreram no sexo masculino e 44,05% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 50,55% corresponderam a parda, seguidos por branca com 15,19%, preta com 15,15%, amarela com 0,90%, indígena com 0,09% e não há informação em 18,12% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 76,03%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (78,23%).

Considerações sobre os testes para coronavírus realizados nas escolas estaduais em Ilhéus: é possível voltar às aulas?

Entretanto, como o Governo do estado da Bahia decidiu pela aplicação do teste rápido, é de se supor que levará em consideração a possível margem de erro, mas que está em busca de números que, de forma ampla e rápida, permitam um diagnóstico, ainda que não seja 100% exato, de como estão os níveis de infecção nas comunidades escolares.

Por Julio Gomes.

Na segunda-feira, dia 10/08/2020, o Estado da Bahia iniciou uma ampla testagem entre professores, alunos e funcionários de apoio que trabalham nas escolas estaduais situadas em Ilhéus, em um processo de coleta de resultados que deverá se estender até a próxima semana.

Como o ciclo de testagem não foi concluído, não temos ainda o resultado geral. Mas faremos algumas considerações com base nos números disponibilizados até agora pelos veículos de imprensa Bahia OnLine, O Tabuleiro e A Tarde. Vamos aos números.

Segundo o conceituado Jornal A Tarde, em sua versão eletrônica publicada em 14/08/2020, “Até o momento, o Estado já detectou que em um total de 966 estudantes avaliados, 271 testaram positivo; dos 322 professores, 24 apresentam o vírus no organismo; e entre 161 trabalhadores em Educação, 16 também testaram positivo”.

Em um resumo dos números acima, aponta o jornal A Tarde que “Do total de 1.449 testes para o Coronavírus realizados na comunidade escolar da rede estadual de Ilhéus, 311 tiveram resultado positivo. Isto significa que a cada 100 pessoas testadas nos três primeiros dias, 21 estão infectadas e assintomáticas”.

Sabemos que os testes rápidos podem ser imprecisos, tendo margem de erro maior. O ideal seria aplicar o teste PCR, padrão ouro, mais complexo, mais caro e também bem mais confiável quanto aos resultados apresentados. (mais…)

Eleitores do Nordeste e de baixa renda puxam aprovação de Bolsonaro

Na região marcada por grandes votações do PT nas eleições recentes, presidente dobrou sua avaliação positiva em um ano.

Fonte: O Globo.

A aprovação recorde do presidente Jair Bolsonaro na pesquisa do instituto Datafolha divulgada na noite de quinta-feira, com 37% dos entrevistados opinando positivamente sobre o governo, foi impulsionada, entre outros fatores, pela mudança na avaliação dele entre entrevistados que moram na Região Nordeste, que ganham até dois salários mínimos ou que estão desempregados. No intervalo de um ano, desde estudo semelhante realizado em agosto de 2019, esses estratos sociais registraram aumento significativo no índice de pessoas que consideram o governo bom ou ótimo, bem como diminuição expressiva na taxa de rejeição. Os dados indicam que a alteração pode estar relacionada à concessão do auxílio emergencial durante a pandemia de Covid-19.

No Nordeste, em que 40% da população solicitou a assistência de R$ 600 mensais, houve o maior aumento relativo da aprovação bolsonarista no corte por regiões. Os entrevistados que consideram a administração boa ou ótima passaram de 17% em agosto de 2019 para 33% atualmente.

Rejeição em queda

A recuperação já havia sido identificada na pesquisa mais recente, em junho, quando 27% dos nordestinos ouvidos pelo Datafolha avaliaram Bolsonaro positivamente. Alteração ainda mais significante ocorreu na rejeição regional do presidente. Há um ano, 52% dos entrevistados locais o consideravam ruim ou péssimo. O índice foi mantido em junho, mas, após os últimos dois meses, caiu para 35%.

Entre os mais pobres, com renda familiar de até dois salários mínimos, o processo foi semelhante. Em agosto de 2019, 22% dos entrevistados nessa situação aprovavam Bolsonaro. Este mês, eles representaram 35% daqueles que estão nessa situação — uma alta em relação a junho, quando o índice foi de 29%. A avaliação negativa caiu: de 43% em agosto passado, chegou a 43% em junho deste ano e agora atingiu o patamar de 31%. Na amostra de desempregados, o movimento se repetiu. O índice positivo dobrou em um ano, de 18% para 36%, e a rejeição caiu de 48% para 34%. (mais…)

Bahia assina protocolo de entendimentos para desenvolvimento da vacina chinesa

Imagem ilustrativa.

O Governo do Estado da Bahia assinou na sexta-feira (14) um memorando de entendimento com o Grupo Nacional Biotecnológico da China – CNBG, responsável pela produção de duas vacinas contra o novo coronavírus, com o objetivo de inserir a Bahia e a região nordeste nos estudos clínicos de fase III que estão por ser conduzidos internacionalmente.

Confirmando os resultados positivos, um acordo comercial será estabelecido entre o Governo da Bahia, através da Bahiafarma e o CNBG para distribuição da vacina no país.

CNBG é uma das primeiras empresas chineses a começar a testar suas vacinas Covid-19 no exterior. É subsidiária do Grupo Farmacêutico Nacional Chinês (“SINOPHARM”), com negócios principais de fabricação, fornecimento, distribuição, pesquisa científica e desenvolvimento de produtos biológicos, incluindo vacinas, hemoderivados e outros produtos biológicos para prevenção, controle e tratamento de doenças na República Popular da China.

A vacina chinesa segue o tradicional modelo de emprego de vírus inteiro inativado. Os resultados preliminares dos estudos de fase I e II foram publicados na quinta-feira (13) em uma das mais importantes revistas médicas do mundo, JAMA (https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2769612). De acordo com os estudos, essa vacina COVID-19 inativada teve uma baixa taxa de reações adversas e demonstrou ser capaz de gerar imunogenicidade. (mais…)