Presidente do PSOL/BA, Fábio Nogueira declara apoio a candidata Bernadete Souza, em Ilhéus

Bernadete é candidata a prefeita de Ilhéus pelo PSOL Foto: Reprodução.

O presidente estadual do Partido Socialismo e Liberdade  PSOL/BA, Fábio Nogueira divulgou nota nesta quinta-feira (05) declarando apoio a candidata Bernadete Souza, que concorre ao cargo de Prefeita de Ilhéus, pelo partido.

A candidata a vice na chapa é Jack Meira, também do PSOL. Na nota, Fábio fala da representatividade de Bernadete como mulher negra, Ialorixá e assentada da Reforma Agrária e de seu papel para ajudar a construir um novo cenário com alternativas de caráter democrático e popular.

Leia a nota na íntegra.

A alternativa de esquerda em Ilhéus: Bernadete 50.

A cidade de Ilhéus tem uma história de resistência e luta negra e indígena. Desde a invasão de seu território pelos portugueses, a exploração de matéria prima, a violência praticada contra negros e indígenas, a formação dos latifúndios e o ciclo do cacau, a cidade vem sendo governada – salvo raras exceções – por representantes das oligarquias locais que só se fazem se alterar no poder.

Os impactos disso estão na péssima qualidade dos serviços públicos, a ausência transparência por parte do poder municipal e de participação popular, assim como, a dependência de projetos que irão finalmente colocar a cidade na “linha do desenvolvimento” (a exemplo do Porto Sul). Os descendentes da elite cacaueira que enriqueceu à custa do trabalho negro e indígena no passado, hoje, quer recuperar o tempo perdido em alternativas que representam o “velho em forma de novo” e cabe a nós questionar estes projetos de desenvolvimento e modernização que são excludentes e concentram riqueza nas mãos de poucos.

Mas assim como a resistência Tupinambá – que até hoje resiste – e a luta negra pela terra, contra o latifúndio e o racismo – vozes se erguem para apontar alternativas democráticas, modernas e inclusivas de desenvolver a cidade e distribuir riqueza e renda. E nas eleições de 2020, Ilhéus tem uma alternativa genuína da esquerda e popular: Bernadete Souza Ferreira. Mulher negra, pedagoga, Ialorixá, líder comunitária, trabalhadora rural e assentada da Reforma Agrária.

Bernadete é uma voz que se ergue – com outras – para dizer não ao fatalismo político que quer condenar a cidade a escolher entre seis e meia dúzia. Esta cidade, de cultura e resistência tão importantes para a Bahia, nunca foi governada por uma mulher. Nem por uma mulher negra. É preciso aprofundar a democracia, torná-la popular, inclusiva e participativa. Ilhéus precisa de um choque de democracia e participação na gestão municipal. Só Bernadete, por sua história, trajetória, combatividade e coerência tem condições de apresentar isso ao povo ilheense. Desta forma, na cidade de Ilhéus estão colocadas duas alternativas: uma de caráter oligárquico – representada pelas diversas candidaturas do campo da direita e do centro – e outra de caráter popular e democrático, representada por Bernadete e os que apoiam a Frente Popular.

O caminho da direita oligárquica todos já conhecemos. A mesma forma de fazer política, do cálculo pragmático, das conveniências de ocasião e a política do “me ajeita que eu te ajeito” que dão o tom, até hoje, da política na cidade de Ilhéus.

Por isso pergunto a quem é e reivindica a esquerda na cidade de Ilhéus: É possível um projeto de esquerda prosperar quando adere a esta política? Quando se alia as velhas oligarquias que diz combater? Não iremos tirar lições do golpe parlamentar e midiático de 2015, quando chegou ao poder, Michel Temer, vice de Dilma, do MDB, e antigo aliado de primeira hora dos governos do PT? Será possível que quem é de esquerda na cidade de Ilhéus irá votar em uma alternativa que não a representa, que é o mais do mesmo, a mesma oligarquia repaginada e que não apresenta nada de novo na forma de governar e estabelecer prioridades? Acredito que não. Até porque a consciência do eleitor de esquerda é livre, crítica e independente.

Quem é de esquerda, não tem vergonha de sua “história negra”, ao contrário, é orgulhoso desta e não reproduz o preconceito em suas falas. Para construir o novo é necessário fortalecer alternativas de caráter democrático e popular. Por isso, no dia 15 de novembro, quem é de esquerda e defende a democracia na cidade de Ilhéus irá votar Bernadete 50!

*Fábio Nogueira, presidente do PSOL/BA, professor da UNEB e militante do Círculo Palmarino.

Morre o humorista Jotinha, vítima da Covid-19

 

Foto: Reprodução.

Faleceu na tarde desta quinta-feira (5), o humorista José Luiz Almeida da Silva, mais conhecido como Jotinha. Ele estava em coma, internado, desde terça-feira (3), em uma unidade de saúde particular de Santo Antônio de Jesus, após apresentar problemas respiratórios.

Em uma publicação feita nas redes sociais o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas afirmou que Jotinha faleceu vítima de falência múltipla dos órgãos, em consequência da Covid-19 e lamentou sua morte: “Meus sentimentos à família enlutada e a todos que o admiravam”.

Na tarde desta quinta, o perfil oficial do humorista chegou a divulgar que ele estava com Covid-19. Também nesta quinta, Fábio Vilas-Boas afirmou que não tinha como transferir o humorista para um hospital na capital baiana. O comentário foi em resposta ao humorista Tirullipa, que fez um apelo nas redes sociais para que as autoridades fizessem a transferência do homem. “Infelizmente, Tirullipa, a situação clínica do nosso Jotinha é muito grave e não há condições de remoção por UTI aérea para Salvador. Felizmente, o Hospital Incar, onde está internado em Santo Antônio de Jesus, possui todos os recursos”, escreveu o secretário em uma rede social.

Jotinha tem mais de 1 milhão de seguidores somente no Instagram e ganhou projeção na internet por causa do seu tom de voz, o jeito debochado de comentar sobre futebol e a maneira bem humorada de “cornetar” os amigos nos grupos de Whatsapp.

Bahia registra 3.377 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.377 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,9%) e 2.317 recuperados (+0,7%). Dos 359.130 casos confirmados desde o início da pandemia, 345.431 já são considerados recuperados e 5.968 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (25,93%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (8.751,31), Almadina (6.625,18), Itabuna (6.573,40), Madre de Deus (6.495,05) e Aiquara (6.252,81)

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 736.538 casos descartados e 83.835 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (05/11).

Na Bahia, 29.283 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos
O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 20 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 7.731, representando uma letalidade de 2,15%. Dentre os óbitos, 56,05% ocorreram no sexo masculino e 43,95% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,30% corresponderam a parda, seguidos por branca com 18,01%, preta com 15,05%, amarela com 0,74%, indígena com 0,10% e não há informação em 11,81% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 71,93%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (74,68%).

Barragem do Rio Colônia garante abastecimento de água para cerca de 300 mil pessoas da região sul da Bahia

Barragem do Rio Colônia. Foto: Reprodução.

A Barragem do Rio Colônia, localizada no município de Itapé, além de garantir abastecimento de água para Itabuna, contribui para controlar, parcialmente, as enchentes do Rio Cachoeira que inundam a cidade. A construção do empreendimento é de uma importância significativa para região, como na perenização dos rios Colônia e Cachoeira a jusante do barramento, cujo impacto positivo recai na permanente garantia de oferta de água à captação do sistema de abastecimento de água de Itapé.

O empreendimento também contribui na diluição de efluentes de esgotos urbanos de Itabuna, Itapé e outras localidades ribeirinhas da jusante, minimizando principalmente os efeitos da eutrofização, que é o crescimento excessivo de plantas aquáticas, no trecho do Rio Cachoeira, que passa dentro da cidade de Itabuna. A construção da barragem garantiu uma vazão ecológica que chega a zero nas estiagens, o que prejudicava sobremaneira o meio ambiente aquático-fluvial dos rios Colônia e Cachoeira.

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), vinculada à Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs), foi a responsável pela construção e a Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB) é a atual gestora. A barragem ocupa uma área de 1.621 hectares, com 19 metros de altura e com capacidade para armazenar 62 milhões de metros cúbicos de água, permitindo a vazão de 1.259 litros por segundo. O empreendimento garante o abastecimento de água para cerca de 300 mil pessoas da região sul da Bahia, além de reduzir o risco de enchentes.

Equipe do Hospital Regional Costa do Cacau elege novos membros da CIPA, gestão 2020/2021

Foto: Ascom Hosp. Costa do Cacau.

Na última sexta-feira (30), o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, deu posse à nova Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), gestão 2020/2021. As eleições ocorreram no último dia 29 de setembro e 11 colaboradores foram eleitos pelos colegas para observar e relatar riscos, no intuito de solicitar medidas para evitar acidentes de trabalho.

Além dos cipeiros eleitos, a diretoria do HRCC indicou mais 11 funcionários para compor a equipe, totalizando 22 trabalhadores na gestão da CIPA. Todo o grupo passou por treinamento teórico-prático, com carga horária de 20 horas, entre os dias 26 a 30 de outubro, com temas previstos na Norma Regulamentadora (NR) 05, com o objetivo de receber a capacitação necessária para desempenhar as atividades da comissão.

O Serviço Especializado em Engenharia e Medicina do Trabalho (SESMT), da unidade hospitalar, que organiza todo o processo para a formação da CIPA, tem o auxílio dos seus profissionais e de outros colegas do HRCC nos treinamentos realizados. Além disso, a equipe contou com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que ministrou palestra sobre primeiros socorros; e do Corpo de Bombeiros para orientar as noções de prevenção e combate de princípio de incêndio.

De acordo com a engenheira Bruna Sobral, coordenadora do SESMT do HRCC, essa é a segunda turma de cipeiros do hospital e as capacitações atualizadas são fundamentais para atuação no ambiente de trabalho. “Ressalto aqui, que os participantes da comissão passaram, também, por um treinamento voltado para a segurança do paciente, módulo importantíssimo na área hospitalar”, disse.

Na CIPA, gestão 2020/2021, foi empossado como presidente da comissão, o encarregado administrativo, Wanderson Aragão e como vice-presidente, Marcos Henrique Costa Nascimento, auxiliar administrativo.

Foto: Ascom Hosp. Costa do Cacau

Como saber o programa de Governo de Cada Candidato?

“No calor da disputa os candidatos faziam grandes comícios nas maiores cidades do país, participavam de debates na TV transmitidos ao vivo para todo o Brasil, davam inúmeras entrevistas e apresentavam suas propostas de governo”.

 

 

Por Julio Gomes.

Eleições para Presidente da República no Brasil. O ano, penso que tenha sido 1989, pleito em que as principais lideranças inseridas na disputa eram Fernando Collor, Lula e Leonel Brizola.

Eram as primeiras eleições diretas para Presidente desde 1960, pois a ditadura instalada em 1964 instituiu, para aquele ano, o famigerado Colégio Eleitoral, em que um grupo de poderosos, ocupantes de altos cargos públicos, decidia quem seria o mandatário maior do país, retirando do povo a prerrogativa de escolhê-lo direta e livremente.

Por isso mesmo – após 29 anos sem poder votar para Presidente – havia grande frenesi e intenso interesse em torno do pleito, o primeiro a ser realizado após a Constituição de 1988, em mais um passo que consolidava a redemocratização do Brasil.

No calor da disputa os candidatos faziam grandes comícios nas maiores cidades do país, participavam de debates na TV transmitidos ao vivo para todo o Brasil, davam inúmeras entrevistas e apresentavam suas propostas de governo.

Ganhava especial destaque o programa de governo de cada candidato, onde cada um expunha, de forma mais ampla e detalhada, o conjunto de transformações que pretendia implementar.

Foi aí que ocorreu um episódio do qual jamais me esquecerei. Enquanto Lula e Collor desfilavam propostas, Leonel Brizola, mais idoso, experiente e com seu jeito característico, muito direto e sincero, ao ser insistentemente questionado por repórteres acerca de seu programa de governo, impacientou-se e respondeu, mais ou menos nestes termos: – Quantos programas de governo você quer? Eu posso mandar fazer e te dar vários deles.

Depois, olhando o repórter que ficou em silêncio, atônito, continuou respondendo, agora mais calmo e assertivo: – Se você quer saber o programa de governo de um candidato, olhe o passado dele. Cada um pode falar o que quiser, mas é seu passado que revela quem ele é, o que irá fazer.

Advirto que as palavras acima são a recriação de um diálogo do qual não me lembro as exatas palavras, mas do qual jamais me esquecerei, pelo sentido correto e profundo.

Passados tantos anos, hoje vivenciamos as eleições para Prefeito em Ilhéus. Aqui, tal como lá ocorreu, os candidatos apresentam propostas e acenam rumos futuros.

Entretanto, sem desmerecer a importância de um programa de governo formal, penso que devemos olhar para cada candidato observando, acima de tudo, o seu passado.

O que realizaram, ou não, nos anos anteriores? Como são no desempenho de sua profissão? São conhecidos por sua conduta mais ou menos correta? Como são em suas empresas, com seus empregados, são bons patrões? São falastrões inconsequentes ou sustentam o que afirmam? Como são até mesmo na parte pública de sua vida pessoal, que muito pode dizer acerca de seu caráter e reais propósitos?

Nosso passado fala por nós, fidedignamente e em alta voz, para quem está atento e quer ouvir.

Qualquer um pode abrir a boca e dizer qualquer coisa. Mas ninguém muda sua conduta passada, seja ela boa ou ruim, e é justamente através dela que melhor se pode conhecer quem é cada candidato, e o que realmente deverá fazer ao chegar no poder.

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz.

Itabuna: SineBahia tem 39 vagas de emprego nesta sexta-feira (6)

 

 

Vagas de emprego no SINEBAHIA FOTO: SINEBAHIA

A Unidade do SineBahia de Itabuna informa que já retornou ao atendimento presencial apenas para Seguro Desemprego e Entrega de CTPS. Desta maneira, o serviço de Intermediação de Mão de Obra continua sendo feito através do nosso e-mail institucional como já vínhamos fazendo em meio a pandemia. Os candidatos interessados devem enviar um e-mail para [email protected] com o nome completo, números de CPF, PIS, telefone e o nome da vaga pretendida. O processo de seleção dos candidatos será feito exclusivamente on-line. As vagas são exclusivas para Itabuna. Horário de funcionamento: das 8h às 17 h. 

AUXILIAR ADMINISTRATIVO (ESTÁGIO)

Cursando Superior a partir do 5° semestre de Administração, Contábeis ou Economia

Possuir conhecimento em pacote office

03 VAGAS

AUXILIAR JURÍRIDO (ESTÁGIO)

Cursando Ensino Superior a partir do 5° semestre de Direito

Possuir conhecimento em pacote office

01 VAGA

TÉCNICO DE REDE (PCD)

Exclusivo para Pessoas com Deficiência

Ensino Médio Completo

Possuir Curso de Eletrotécnico ou Eletromecânico

Possuir CNH ‘B’

Possuir CREA

Não exige experiência

01 VAGA

JARDINEIRO

Ensino Fundamental Incompleto

Experiência mínima de 6 meses na função

Experiência com roçadeira

01 VAGA

(mais…)

A Faculdade Madre Thaís planeja retomada gradual de aulas presenciais

 

Auditório da FMT. Foto: Reprodução.

A Faculdade Madre Thaís (FMT) fará retomada gradual das atividades presenciais de professores e alunos. Com esse objetivo a Instituição de Ensino Superior, em parceria com a Secretaria de Saúde do município realizou testagem contra  o vírus SARS-CoV-2, que provoca a doença Covid-19, na última terça e quarta-feira (3 e 4) nos servidores técnicos, docentes e alunos.

A FMT manteve as suas atividades online, envolvendo estudantes e professores de todos os cursos. Também o setor administrativo, obedecendo os protocolos sanitários estabelecidos, enquanto perdurar a pandemia provocado pelo novo coronavírus.

A retomada gradual das atividades letivas presenciais da FMT, de acordo com a diretora Acadêmica, Taitiana Barcelos, “deverá acontecer partir do dia 16 de novembro. O plano não envolve o retorno de todas as disciplinas dos cursos. Caberá aos professores da FMT indicarem a necessidade de revisão de conteúdos, bem como de aulas práticas obedecendo aos protocolos de higiene e saúde e, também, resguardando os cuidados sanitários recomendados pelas autoridades da área.”

Com o tema “O seu mundo não pode parar. É preciso se adaptar”. A Faculdade Madre Thaís está realizando o vestibular 2021.1. As inscrições gratuitas, o agendamento da prova ou informações podem ser feitas através do telefone e WhatsApp (73) 3222-2330. A Prova é 100% online e o candidato pode usar a nota do Enem para garantir a vaga e ainda, ganhar até 100% de desconto nas mensalidades do curso.

A Faculdade Madre Thaís oferece vagas nos cursos de Administração, Enfermagem, Biomedicina, Direito, Logística (Tecnológico), Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Fisioterapia, Gestão de Recursos Humanos (Tecnológico), Serviço Social, Farmácia, Gastronomia, Arquitetura e Urbanismo, Cacau e Chocolate (Tecnológico).

A partir da confirmação da inscrição do candidato, pela secretaria da Instituição, serão aplicadas uma Prova de Conhecimentos Gerais Contemporâneos e uma Prova de Redação. O candidato não precisa sair de casa para fazer a prova.