Cacá poderá sair da eleição com derrota vexatória; “paz e amor” fez campanha do PP derreter

Notinhas.

Cacá Colchões (PP).

A campanha de Cacá Colchões à prefeitura de Ilhéus cometeu erros primários que poderão desencadear um trauma eleitoral ao Partido Progressista (PP).

Em 2016, o PP do então prefeito Jabes Ribeiro perdeu a tentativa de reeleição e foi reduzido à condição de segunda força política do município. Em 2020, o resultado poderá ser pior.

Fontes confiáveis do BG preveem que “Nosso Cacá” ficará em terceiro lugar. Esta previsão não se baseia em pesquisas, mas caso seja confirmada, o PP será rebaixado ao posto de terceira força política de Ilhéus.

Diante de um cenário em que há rejeição considerável ao atual prefeito, Cacá e seus coordenadores resolveram adotar a postura “paz e amor” no início da campanha eleitoral. A necessidade de ser protagonista do discurso de oposição foi estupidamente colocada em último plano.

Essa visão amadora e despolitizada não tem conexão com a história do “marketing político” e desconhece a tradição helênica da Ágora, que imprimiu nos debates das questões públicas a crítica e a divergência como elementos fundamentais.

Alguns petistas inconformados com a falta de criticismo cobraram mudanças nos rumos da campanha e esboçaram a criação de um núcleo paralelo. A iniciativa fracassou na intensidade necessária, uma vez que as ferramentas de criação gráfica, sonora e audiovisual estavam controladas pela teimosia típica de quem não tem o hábito de ler história e geografia politica, e mesmo assim, dá a última palavra.

Cacá entregou sua campanha à ignorância de quem acha que o marketing político se reduz à posse de equipamentos de gravação e de edição. Leitura política advinda do conhecimento histórico é pré-requisito menor para a coordenação de marketing de Cacá.

O candidato do PP, na iminência da terceira derrota em candidaturas a prefeito, cometeu um erro crasso. Dificilmente Cacá terá condições de se posicionar como candidato competitivo em eleições futuras.



3 responses to “Cacá poderá sair da eleição com derrota vexatória; “paz e amor” fez campanha do PP derreter

  1. Bom dia,

    Inicio meu comentário citando a premissa conhecida e falada nos bastidores da política, “É praxe do grupo ao qual o Cacá faz parte, detonar com seus vices.” Como opinião pessoal, acredito que o fracasso da candidatura de Cacá se dar, pela escolha do grupo, que é coeso, constituído para está a serviço do seu alcaíde maior.
    Cacá sabia que ao construir um elo com JR, iria também herdar a sua rejeição política que há no histórico dos seus trinta anos de estrada em Ilhéus, o povo queria mudar a forma política administrativa que o grupo imprimia em Ilhéus, mudou e agora vem consolidando essa transição. Percebam que até mesmo o grupo que hoje estar no poder, tem como prerrogativas a hegemonia e estabilidade por parte do seu povo, vide os burburios de rejeição que pairam nos agrupamentos sociais, porém é verdade que nos últimos anos foi o único governo que conseguiu apresentar ações efetivas para a Cidade, se vieram via ações do governo do estado, memorável ao alcaíde Municipal de Ilhéus que conseguiu estar nesse bom momento que vive o desenvolvimento em Ilhéus. O que não se pode alegar é houve omissão da sua parte.
    O governo Municipal aproveitou seu momento e deslanchou, vêm fazendo o dever de casa certinho, poderia ter avançado mais, sim, mais temos que dar o desconto do aprendizado da coisa pública, afinal o homem vem de outra area de atuação. Enfim, as rejeições elas são pertinentes a qualquer gestão pública dentro de um processo político onde exista vários grupos oposicionistas e de interesses mútuos, onde também haja amadurecimento nas perspectivas desse grupo que domina hoje o cenário político ilheense, e claro, observamos novos nomes nesse pleito que despontam como prerrogativa positiva opcionais para futuros pleitos, uns não são pares para esse novo recorte político, social e capital que Ilhéus quer para seu futuro, e quanto a a candidatura do Cacá que é alvo da matéria e da nossa critica construtiva, acredita-se que a escolha e formatação de um grupo político com a cara da sua política, me parece ser a mais sensata a ser pensada. Quanto aos resultados das eleições na majoritária, o povo está escolhendo o trabalho e as coisas acontecerem, sobre a casa legislativa, muitas surpresas, muitas mulheres chegarão a ela, e muitos dos homens arrumarão suas malas e paletós e seguirão para suas casas.

  2. Em correção, quando se ler ” tem” como prerrogativas, favor ler, “não tem” como prerrogativas. Grt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *