Com processos na justiça criminal, Jamil Ocké e Tarcísio Paixão foram derrotados nas urnas

Notinhas.

Tarcísio Paixão e Jamil Ocké. Fotos: internet/reprodução.

O ex-vereador Jamil Ocké e o atual Tarcisio Paixão não conseguiram votos suficientes para o preenchimento de cadeiras na Câmara Municipal de Ilhéus.

Jamil Ocké, condenado à prisão em 1ª instância por compra superfaturada de frangos quando foi secretário de assistência social (2013 a 2016), conquistou apenas 509 votos. Em 2016, foi o mais votado com 2.330. A redução de uma eleição para outra foi de 78%.

Tarcísio Paixão é acusado de montar um esquema de superfaturamentos e desvios de recursos públicos quando presidiu o legislativo municipal no biênio 2015/2016. Chegou a ser preso preventivamente, mas responde em liberdade. Em 2016, teve 1699 votos, quatro anos depois conquistou 749. A redução foi de 56%.

Até o momento, os dois não podem ser considerados definitivamente culpados pelos crimes que respondem. Não há contra ambos sentença transitada em julgado.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *