Odilon Pinto, professor, escritor e contador de estórias

Professor Odilon Pinto.

Nota de Pesar

A Via Litterarum Editora lamenta o falecimento do escritor Odilon Pinto de Mesquita Filho, 72 anos, ocorrido no início da noite desta quarta-feira, 13 de janeiro, em Itabuna, Bahia. Grande profissional da comunicação grapiúna, Odilon Pinto de Mesquita Filho nasceu em Teresina, Piauí, no dia 15 de julho de 1948, onde cursou o ginásio e o ensino médio em colégio jesuíta. Em 1966, engaja-se no movimento estudantil contra a ditadura militar entrando, logo a seguir, na militância clandestina, ligado à organização Ação Popular. Participa das lutas camponesas no Maranhão e milita entre os trabalhadores rurais de Camacã, no sul da Bahia. Preso em Ibicaraí, é torturado e condenado a três anos de reclusão, cumpridos na Penitenciária Lemos de Brito, em Salvador. Trabalha como professor, jornalista, radialista e bibliotecário, enquanto faz o curso de graduação em Letras pela UESC. Aprovado em concurso público da Ceplac, apresenta o programa radiofônico “De Fazenda em Fazenda”, na Rádio Jornal de Itabuna, durante 13 anos. Aprovado em concurso para professor da UESC, faz Mestrado e Doutorado em Linguística, pela Universidade Federal da Bahia.


Como contador de estórias ficou muito popular em programa na rádio itabunense no alvorecer dos dias. Nele, contava histórias principalmente do povo simples da roça, para o início da jornada diária. Essas histórias passaram a ser publicadas, durante muitos anos, numa coluna diária no jornal Diário do Sul, hoje Bahia do Sul, e uma seleção delas, 204, comporam o livro COISAS DA VIDA (Via Litterarum, 2004).Todas as histórias desse livro, contos ou minicontos, ocupam praticamente o mesmo espaço, uma lauda. A maior parte dessas histórias foram traduzidas pelo professor Peter Turton para o inglês com o título THATS LIFE (Via Litterarum, 2005).

Odilon Pinto também é o autor do livro USOS DO PORTUGUÊS (Via Litterarum, 2004). Nesse livro, trata de questões da Língua Portuguesa, em que é mestre e doutor, através de estórias, buscando atrair a atenção e fomentar o prazer pelo texto escrito. Por essa razão, seus textos tecem o cotidiano, das pessoas anônimas, os cenários de Itabuna e de seu entorno. O sujeito dessas estrórias é o homem do povo com seus dramas, seus anseios e frustrações. São páginas carregadas de vida, de paixão, traição, vingança, de sofrimento, sangue e morte, mas também de humor e leveza. A vida em suas nuanças perpassa as estórias que acabaram gravadas em páginas e que antes foram levadas nas ondas da rádio para dentro das roças de cacau, no amanhecer de cada dia.
Odilon Pinto, além de professor na Universidade Estadual de Santa Cruz, no curso de Letras, também se destaca como um exímio contador de estórias, contadas ao longo de anos e veiculadas pelas ondas da rádio, para depois ocupar ao longo de muitos anos uma coluna em jornal diário e, também, as páginas de um livro.

A editora Via Literarum iniciou suas atividades, em 2004, com cinco títulos, sendo dois deles de Odilon Pinto, COISAS DA VIDA e USOS DO PORTUGUÊS.
Aos familiares e amigos, externamos nossos sentimentos de solidariedade.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *