Reajuste de 10,2% na gasolina e de 15% no diesel começa a valer nesta sexta-feira (19)

Imagem ilustrativa.

Na quinta-feira (18), a Petrobras anunciou novo reajuste no preço dos combustíveis. Os preços passam a valer a partir de hoje (19). O valor médio do litro da gasolina será de R$ 2,48, alta de 10,2%, após reajuste de R$ 0,23. O preço médio do diesel será de R$ 2,58, depois de aumento de R$ 0,34 por litro, uma elevação de 15%.

A gasolina sofreu aumento de R$ 0,42 por litro desde a última sexta-feira (12). “A Petrobras já promoveu oito aumentos seguidos no preço da gasolina”, disse Paulo Tavares, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Distrito Federal.

A Associação dos Engenheiros da Petrobras (AEPET) informou que em 2021, o combustível acumula alta de 34%. O diesel, como o reajuste que vai vigorar nesta sexta-feira, terá acumulado 27% de aumento este ano. Os caminhoneiros de todo o país ameaçaram fazer uma greve em 1º de fevereiro, por conta do alto preço do óleo diesel. O combustível é utilizado no frete e o aumento pesa na inflação de quase todos os produtos.

Para a Petrobras, “o alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros refinadores, além da Petrobras”. A companhia afirma que o equilíbrio competitivo é responsável pelas reduções de preços quando a oferta cresce no mercado internacional, como ocorrido ao longo de 2020.

Segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a partir de levantamento de preços ao consumidor final em 13 capitais e regiões metropolitanas brasileiras, feito na semana 7 a 13 de fevereiro, a composição do preço da gasolina era a seguinte: 11% de revendas e distribuidoras; 14% de etanol anidro; 28% de ICMS, 14% de Cide, PIS/Cofins; e 33% de realização da Petrobras. No diesel, a composição, na mesma semana apurada pela ANP, era a seguinte: 14% de revendas e distribuidoras; 13% de biodiesel; 14% de ICMS; 8% de PIS/Cofins; e 51% de realização da Petrobras.

*Com informações do Correio Braziliense.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *