“Na pandemia, ou eu executo ou paro para apresentar o que vou fazer”, explica a secretária de saúde de Itabuna

Lívia Mendes, secretária de saúde de Itabuna. Foto: Whatsaap.

A secretária de saúde de Itabuna, a médica Lívia Mendes, conversou com o BG sobre os primeiros 50 dias de sua gestão.

Apesar do pouco tempo e do período caótico devido à pandemia da Covid-19, na última quinta-feira (18), o desempenho de Lívia foi duramente criticado pelo vereador e líder do governo na câmara, Manoel Porfírio (PT). Parte da opinião pública considerou os questionamentos do parlamentar apressados e fora da cordialidade habitual (veja as declarações de Porfírio).

Lívia Mendes mora em Itabuna há 12 anos onde atua como médica cirurgiã e vive sua primeira experiência na gestão pública. Disse que os primeiros dias à frente da pasta foram dedicados à organização dos processos internos, das compras, do almoxarifado e ao planejamento das reformas dos postos de saúde. Irregularidades na folha de pagamento foram corrigidas, a exemplo de benefícios não justificados para alguns servidores. Além das questões internas, a atenção também foi direcionada ao fluxo de atendimentos nos hospitais e à imunização contra a Covid-19.

A secretária ressaltou a liberdade concedida pelo prefeito Augusto Castro (PSD) para montar a equipe técnica. Algumas pessoas altamente capacitadas do quadro de servidores municipais foram chamadas. Outras com “expertise” na área de saúde, mas não efetivas, foram incorporadas.

Perguntada sobre as críticas de Manoel Porfírio relacionadas à falta de planejamento e de que estaria “perdida”, a secretária disse ter consciência do seu trabalho e de suas capacidades. Informou que a última reforma administrativa extinguiu uma diretoria de planejamento. Falou do momento caótico da pandemia, que exige trabalho redobrado.

“Um período normal de transição de governos já é complicado, pior ainda com pandemia. Ou eu executo, ou paro para apresentar o que vou fazer. Eu tenho que correr atrás do que pode ser feito agora, nesse período crítico. Ações de planejamento eu passei para o Ministério Público em reuniões que acontecem toda semana”, explicou a secretária.

Lívia Mendes disse que o fato de ser médica lhe deixa muito ligada à viabilização de leitos hospitalares e ao atendimento de pessoas em estado de grande necessidade. Revela que tem cuidado pessoalmente da regulação de alguns casos e que mantém contatos com médicos para resolver questões de pacientes.

Perguntada sobre a hipótese de Manoel Porfírio ter feito um pedido de interesse particular, e não ter sido atendido, Lívia Mendes negou que o parlamentar petista tenha lhe encaminhado algo do tipo.

Contudo, demonstrou surpresa diante do comportamento, uma vez que manteve contatos amigáveis com ele. Numa dessas ocasiões, de maneira informal, Porfírio a convidou para ir à Câmara de Vereadores, mas não mencionou a data. “Ocorreu um mal entendido. Posso ir à câmara, basta marcar o dia. Não quero estabelecer conflito com ninguém. Nosso objetivo é trabalhar por Itabuna”, ressaltou a secretária.

Lívia demonstrou satisfação com o apoio do prefeito Augusto Castro por meio de uma nota pública, após as críticas do vereador.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *