Ilhéus não aplica vacinas no feriadão; infectologista critica

Sem vacinação e sem fila no feriado prolongado. Foto: Emílio Gusmão.

No momento em que o país se notabiliza por seguidas quebras de recordes macabros, Ilhéus suspendeu a vacinação no feriado prolongado.

Cada pessoa vacinada representa a possibilidade de diminuição do contágio e uma vida que pode ser salva.

Na última quinta-feira (01), aeronaves do governo estadual iniciaram o transporte de mais 495 mil vacinas contra a Covid-19 divididas para vários municípios. Não há falta de doses.

Foto: © Rovena Rosa/Agência Brasil.

De acordo com Jamal Suleiman, infectologista do Instituto Emílio Ribas, em entrevista ao Jornal Nacional na edição de ontem, nesse período crítico é necessário vacinar 1 milhão de pessoas por dia. Para o médico: “é um grande equívoco não ter a vacinação na sexta-feira [santa]. Se tivermos mais dois feriados deixaremos de vacinar 3 milhões de pessoas. Qual a justificativa para isso nesse instante?  Nenhuma. A gente tem que pensar nessa questão e colocar esse carro para andar na maior velocidade que conseguirmos”.

Em Ilhéus, a prefeitura terceirizou a vacinação, ou seja, não são os servidores públicos da saúde que aplicam os imunizantes. Em tese, essa opção possibilita mais liberdade nos acordos de trabalho com a categoria. Vale lembrar que os trabalhadores das UTIs não folgam obrigatoriamente em feriados prolongados.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *