Ilhéus pode ter 35 mil infectados até maio, disse Magela em entrevista

Geraldo Magela.

“Ilhéus pode chegar a 35 mil infectados em maio”, lamentou o secretário de Saúde do município, Geraldo Magela. Esses dados se referem a uma projeção feita pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Programa de Pós-graduação em modelagem em Ciências da Terra e do Ambiente (Ppgm), pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), pela startup Geodatin, e pelo Laboratório de Biossistemas da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Durante participação no programa O Tabuleiro, ele lamentou profundamente o comportamento de parte da população que age como se não tivéssemos vivendo uma pandemia. “As pessoas estão indo para a rua e está aumentando a propagação dessa terrível doença”, disse ele.

Já foram confirmados 21 casos de coronavírus em Ilhéus e Magela reforçou que o município está trabalhando monitorando e avaliando os casos. Ele explicou que Ilhéus está fazendo mais testes que outras cidades, por isso o maior número de confirmações. Todos os pacientes confirmados com a doença seguem em isolamento domiciliar.

Outro importante alerta feito pelo secretário se direciona para as aglomerações e reuniões de pessoas nos distritos da cidade. “Estão fazendo festas com paredões, churrascos. Já existe um caso confirmado de uma pessoa que contraiu pois compartilhou o garfo”, pontuou ele .

Ontem (07), segundo dados oficiais , morreram no país 114 pessoas e o secretário imagina que a falta de bom senso da população também pode ter sido por influência das falas do presidente Jair Bolsonaro, que chegou a chamar a doença de “gripezinha”. “Infelizmente o presidente fez um desserviço para a sociedade”, opinou. Magela contou que hoje o município deverá concluir a instalação de UTI’s para atendimento à pessoas com COVID-19 no município.

Uruçuca: idosa morre com suspeita de Covid-19

Uma idosa de 63 anos, moradora de Uruçuca, faleceu nesta quarta-feira, 8, em um hospital de Itabuna. A paciente estava sendo investigada para Covid-19 e tinha histórico de diabetes e outras patologias, o que agravou o quadro levando-a óbito. O resultado do exame para Covid-19 ainda não foi liberado. Por isso o caso ainda é tratado como suspeito.

O Prefeito Moacyr Leite Junior, já determinou que todas as providências fossem tomadas no sentido de minimizar a dor dos familiares.

Itabuna: sobe para 16 o número de casos confirmados da Covid-19

De acordo com informações da Secretaria de Saúde de Itabuna, a cidade tem quatros novos casos confirmados da Covid-19.

O município conta agora com 16 casos confirmados da doença.

Dos quatro novos casos, dois são de crianças, uma de 3 anos e outra de 8 anos.  Há também dois adultos de 52 anos e 31 anos, todos em isolamento domiciliar.

Outro caso foi confirmado na cidade de Gongogi, o exame foi coletado pela Vigilância Epidemiológica de Itabuna.

MP intensifica atuação do Centro de Defesa da Saúde no combate à pandemia

O Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde do Ministério Público estadual (Cesau) apresentou um balanço das ações desenvolvidas até agora para combater a disseminação da pandemia da Covid-19 na Bahia. O Centro, que é coordenado pela promotora de Justiça Patrícia Medrado, mantém seu funcionamento e intensificou sua atuação durante todo esse período de quarentena.

Cerca de 240 atos foram praticados do início de março até o dia 2 de abril. Foram expedidas orientações técnicas, ofícios, realizadas diligências e reuniões de articulação com diversas Promotorias de Justiça com atuação na área da Saúde em toda a Bahia.

O Cesau integra o Grupo de Trabalho para enfrentamento da pandemia, criado pelo MP no dia 12 de março. Também coordenado por Patrícia Medrado, o GT tem acompanhado e auxiliado a atuação dos promotores de Justiça em todo o estado para defesa do direito à saúde da população, por meio da fiscalização de políticas públicas e da atuação dos gestores municipais.

Além disso, o Ministério Público orientou alguns municípios a adquirirem equipamentos de respiração, insumos e medicamentos necessários ao combate da Covid-19. Os integrantes do GT expediram também recomendações às secretarias de Saúde Estadual e municipais para que acompanhassem casos pontuais, como o funcionamento das Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs).

A Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) de Salvador foi recomendada, assim como diversos municípios, através de seus órgãos responsáveis, a reorganizar o serviço socioassistencial contínuo voltado à população em situação de rua. Diversas outras recomendações foram expedidas para os municípios propondo o imediato cancelamento ou adiamento de eventos que implicassem aglomeração de pessoas. (mais…)

Fiocruz divulga possível eficácia de medicamento contra covid-19

Foto: Fiocruz.

Fonte: Agência Brasil

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificaram, em laboratório, que o antirretroviral atazanavir pode inibir a replicação do novo coronavírus em células infectadas. Os resultados obtidos ainda precisam ser confirmados através de testes clínicos com pacientes para que o medicamento se torne uma possibilidade no combate à doença.

A pesquisadora Milene Miranda, do Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), avaliou que os resultados foram muito promissores, já que o antirretroviral, usado no combate ao HIV, não só inibiu a replicação viral como reduziu o quadro inflamatório das células infectadas.

“Se a pessoa tem um processo inflamatório menor, ela tem um melhor prognóstico”, resumiu a bióloga.

Para a realização dos ensaios in vitro, pesquisadores utilizaram um isolado viral produzido a partir de uma amostra de paciente infectado no Rio de Janeiro. Antes dos ensaios, a metodologia contou com a utilização de análises de modelagem computacional para simular como o atazanavir interage com a enzima usada pelo vírus para se replicar no corpo humano.

O trabalho foi enviado para a revista científica Nature Communications e disponibilizado para a comunidade científica internacional em formato preprint – sem revisão formal por outros especialistas da área -, o que acelera a troca de informações entre pesquisadores, enquanto os trâmites de uma publicação científica seguem paralelamente. (mais…)

Recém-nascida testa positivo para Covid-19; mãe tinha 28 anos e morreu por causa da doença

Rafaela e o marido Erisvaldo à espera do primeiro filho do casal na Bahia — Foto: Tiago Bottino/Itapetinga Agora.

A recém-nascida filha de Rafaela de Jesus Silva, de 28 anos, também foi infectada pelo novo coronavírus. Rafaela tinha 28 anos e morreu vítima da doença no dia 1° de abril, em Itapetinga. Segundo o pai do bebê, Erisvaldo Lopes dos Santos, 47 anos, a menina está isolada e não apresenta sintomas. Ela tem apenas 13 dias de vida.

“O resultado saiu na tarde desta terça (7). Todas as pessoas que tiveram contato com a Rafaela fizeram os exames, mas só a Alice que testou positivo”, contou Erisvaldo.
Ao todo, sete pessoas da família de Rafaela, incluindo Erisvaldo e a recém-nascida, fizeram o exame para coronavírus. Todos vão continuar isolados na casa onde moram, em Trancoso, na cidade de Porto Seguro.

“Ela [filha de Erisvaldo e Rafaela] não apresentou nenhum sintoma, graças a Deus! Ela está comendo direitinho, está muito bem. Uma amiga minha está cuidando dela, nem eu estou tendo contato”, contou.
Uma amiga de Erisvaldo está cuidando da bebê. Ele conta que tem seguido todas as orientações de prevenção ao novo coronavírus.

“Ela fica no quarto e, às vezes, na sala, mas estamos tendo todo o cuidado do mundo. Minha amiga sempre fica de luvas e com máscara. A casa está higienizada, e estamos cumprindo o pedido do pessoal da saúde, de ficar em casa por pelo menos mais uma semana”, disse o marido. (mais…)

Monarca, mito, besta-fera e vingador: o que a “Caverna do dragão” nos diz de Bolsonaro?

Na contramão da maioria dos líderes mundiais, o mito coloca-se acima das autoridades científicas. Em tom profético, insiste que a Covid-19 – doença que já ceifou milhões de vidas mundo afora – no Brasil se manifesta na forma de pequenos surtos gripais.

Por Caio Pinheiro.

À semelhança de Luís XIV, monarca francês que verbalizou “O Estado sou eu”, marcando o caráter absolutista do seu reinado, onde todas as garantias individuais foram suprimidas por um governo autocrático, despótico e teocrático, Bolsonaro, até aqui presidente da República, também tenta se afirmar simbolicamente como “monarca absoluto”. Para os amantes da alternância democrática do poder, o “mito” torna-se ameaçador da sucessão democrática, visto que se mostra refratário à transitoriedade do seu cargo. O mito utilizará artifícios para se manter no poder à semelhança da ditadura?

Alguns sinais preocupam. Na contramão da maioria dos líderes mundiais, o mito coloca-se acima das autoridades científicas. Em tom profético, insiste que a Covid-19 – doença que já ceifou milhões de vidas mundo afora – no Brasil se manifesta na forma de pequenos surtos gripais. Para sustentar mais esse absurdo, apoia-se na tese pseudocientífica da “natural imunidade” dos brasileiros. Daí sentenciar que “o brasileiro tem que ser estudado. Ele não pega nada. Você vê o cara pulando em esgoto ali, sai, mergulha, tá certo? E não acontece nada com ele. Eu acho até que muita gente já foi infectada no Brasil, há poucas semanas ou meses, e ele já tem anticorpos que ajuda a não proliferar isso daí”.

Pelo andar da carruagem, eu, simples mortal, começo a especular que o coronavírus é um ser extraterrestre com poderes de invisibilidade, e Bolsonaro, depois de ter sido abduzido, voltou à terra tendo como tarefa comandar uma invasão alienígena, que, pelo quadro, objetiva liquidar a espécie humana. Mas calma, não se assuste, apenas estou tentando acompanhar o modus operandi do pensamento bolsonarista. Resolvi seguir o conselho do deputado Sargento Isidoro: “para conversar com doido, só outro doido”. Então, interessado em entender o mito, ao mesmo momentaneamente, me dei o direito de ser doido. (mais…)

Taxa de ocupação de março é a pior da história da hotelaria em Salvador em decorrência da pandemia do coronavírus

A rede hoteleira de Salvador apresentou, em março de 2020, a taxa de ocupação mais baixa da história, em decorrência da pandemia do coronavírus (Covid-19). Os dados evidenciam que até o dia 15 do mês a ocupação estava em ritmo normal. Posteriormente caiu e na última semana chegou a 4%.

Segundo dados oficiais da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA), de 1º a 07 de março a taxa estava em 59%; na semana seguinte (8 a 15/03), subiu para 60%; na terceira semana (16 a 23/03), caiu para 27%; e de 24 a 31/03, fechou em 4%. Comparando o mês de março de 2019 (66%), com 2020 (37%), houve uma queda 30%.

“O setor hoteleiro na Bahia, em todas as 13 zonas turísticas, já interrompeu praticamente todas as atividades. Cerca de 80% dos hotéis fecharam”. Com esta afirmação, o presidente da ABIH-BA, Luciano Lopes, reforça que tem buscado intensamente o apoio dos Governos Federal, Estadual e Municipais, de bancos de desenvolvimento e privados, além do apoio institucional das mais diversas esferas para garantir a sobrevivência econômica do segmento.

O mercado hoteleiro não suportará se não tiver um suporte do governo. “Precisamos de solução urgente, pois a hotelaria é um setor fundamental para a economia. Temos que evitar a demissão de milhares de pessoas nos próximos dias, caso não tenhamos apoios governamentais suficientes para o setor”.

“É extremamente importante haver uma flexibilização dos sindicatos nas negociações, considerando que a finalidade é evitar as rescisões de contrato de trabalho para que o empregado fique seguro de que, passada a crise, voltará a ter seu emprego”, enfatiza o presidente da entidade.

Em Salvador, as reservas dos hotéis foram reduzidas a praticamente zero, além do cancelamento total de eventos, o que evidencia que a crise já comprometeu o ano de 2020. Apesar da campanha “Não cancele, remarque”, as desistências são inevitáveis e estão afetando todas as zonas turísticas do Estado.

A ABIH-BA está empenhada em evitar uma degradação do setor ainda maior do segmento e lutará constantemente para manutenção dos empregos e sustentabilidade dos negócios.

Ilhéus: um porto pedindo socorro

Sacas de cacau no Porto de Ilhéus. Imagem de arquivo: Blog do Thame.

Reportagem do site Modais em Foco.

Entre os anos de 2000 a 2007 o Porto de Ilhéus, no Sul da Bahia, chegou a movimentar em média 720 mil toneladas ao ano. Em 2004, superou 1 milhão de toneladas. Até então, era um porto que se auto-sustentava apesar das limitações físicas de acesso, de profundidade e de equipamentos inadequados.

Vieram, contudo, os efeitos da falta de estrutura mais adequada para atender a um mercado que se deslumbrava altamente competitivo. Perdeu espaço, e a soja do oeste baiano, que era seu carro chefe, passou a ser movimentada por um concorrente que se adequou com infraestrutura e equipamentos eficientes para atender a um mercado em expansão.

Então, Ilhéus passou a contar apenas com as esporádicas movimentações das amêndoas do cacau, de uma magnesita que lhe caiu do céu, por uma questão de logística empresarial, e vez por outra algumas cargas cujo volumes eram poucos expressivos. Das 720 mil toneladas anuais, o que se viu foi uma brusca queda no desempenho do porto. A partir de 2008 a média anual recuou para 300 mil toneladas, uma retração na ordem de 58%. E para piorar, os pífios resultados registrados em 2018 e 2019, com 211 e 147 mil toneladas respectivamente, deixou claro que o porto entrou e está num caminho difícil de voltar aos bons e velhos tempos.

O Plano Mestre e o Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ do porto que sinalizaram para 2019 uma movimentação de 356 mil toneladas, deu 147 mil, menos da metade prevista. E “projetou” a taxa de crescimento até 2039 para 870 mil toneladas de carga e 324 mil passageiros em navios de cruzeiro marítimo. Projeções em devaneios, longe da realidade do porto.

O que está faltando? Mercado? (mais…)

Sobe para 21 o número de casos confirmados de coronavírus em Ilhéus

Ilhéus tem 21 casos confirmados de infecção por Covid-19, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) dadas na tarde desta terça-feira, 07.

Os diagnósticos positivos são de cinco mulheres, de 41 e 25 anos, residentes na Barra de Itaípe e no Parque Infantil, zona norte, outra de 27 anos, moradora do Teotônio Vilela. Além disso, há também uma mulher de 44 anos, residente no Centro, e uma mulher de 45 anos, domiciliada no distrito de Castelo Novo, todas com Covid-19.

Dois homens de 37 e 30 anos, moradores de uma comunidade rural e do bairro Banco da Vitória, respectivamente, também testaram positivo para a Covid-19. Os pacientes já se encontram em isolamento social.

Governador anuncia prorrogação do fechamento das escolas na Bahia

Rui Costa.

Durante #PapoCorreria, transmitido ao vivo pela internet nesta terça-feira (7), o governador Rui Costa informou que as escolas públicas e privadas de todo o estado terão o período de fechamento adiado por conta da pandemia do novo coronavírus. “Vamos prorrogar o fechamento das escolas. Ainda não está no momento de nós pensarmos na abertura. Vamos acompanhar as próximas duas, três semanas, para ver como se comporta a curva de contaminação na Bahia”, afirmou. Um decreto estadual publicado em 19 de março suspendia por 30 dias as aulas, mas uma nova data para o fim da medida será definida e anunciada pelo governador nos próximos dias.

Rui disse ainda que as cidades baianas sem casos registrados de coronavírus por 15 dias, ou seja, até o próximo domingo (12), terão flexibilidade nas regras de isolamento. “É desta forma que vamos conseguir controlar e manter um ponto de equilíbrio entre a vida humana e alguma atividade necessária pra manter emprego e renda na vida das pessoas. É preciso um ajuste fino, um controle muito detalhado de cada região e é isto que estamos fazendo dia e noite para garantir o controle e a vida do ser humano”, destacou.

Atualmente, 62 cidades baianas estão com transporte intermunicipal suspenso até 15 de abril, por determinação do governador. Também até esta data está proibida a circulação, a saída e a chegada de ônibus interestaduais, em todo território do Estado da Bahia.

Mais duas mortes por Covid-19 são registradas na Bahia

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informa que registrou, nesta terça-feira (7), dois novos óbitos pelo novo coronavírus (Covid-19) no estado. Os pacientes eram homens com 26 e 53 anos, ambos com comorbidades associadas e estavam internados em estado grave em um hospital público da capital baiana.

O paciente de 26 anos foi internado em 2 de abril e faleceu hoje. Era hipertenso, obeso e residente no município de Adustina. Já o paciente de 53 anos era residente em Lauro de Freitas, com histórico de tabagismo e etilista.

A Bahia registra, até o momento, 13 óbitos por Covid-19.

Ex-funcionários de empresas do transporte público fazem protesto em Itabuna

Foto: Reprodução.

Na manhã desta terça-feira,07, trabalhadores demitidos do transporte coletivo de Itabuna realizaram um protesto no centro da cidade.

Os trabalhadores foram demitidos pelas duas empresas de ônibus que operam na cidade.

O transporte coletivo está suspenso há mais de 15 dias na cidade por conta do decreto de emergência em virtude da pandemia do coronavírus.

O ministro da saúde permaneceu no cargo. O que isso nos mostra?

É importante ressaltar este aspecto expresso em torno do episódio de Mandetta porque ele não mostra uma dicotomia entre progressistas e conservadores, nem entre direita e esquerda, nem mesmo do grupo partidário A contra o grupo partidário B, algo que é normal na vida política. Vai muito além disso.

Por Julio Gomes.
Todo o Brasil acompanhou, no dia de ontem, com imensa expectativa, o desenrolar da crise deflagrada em torno da possível exoneração do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, possibilidade que vinha sendo ventilada pelo Presidente Bolsonaro desde a semana passada, e com mais intensidade ainda nos últimos dias.
Na segunda-feira pela manhã, houve um quase anúncio da exoneração do Ministro da Saúde, e faltou unicamente a publicação da mesma no Diário Oficial da União para que ela se concretizasse.

Entretanto, devido a fortes resistências de diversos setores da institucionalidade e da sociedade brasileira, Mandetta se manteve no cargo, e Bolsonaro se viu obrigado a recuar a esse respeito.

Manifestaram-se a favor da permanência do Ministro da Saúde, de forma clara e direta – como raramente se vê na vida política – setores como o Congresso Nacional, por meio dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado; o Supremo Tribunal Federal, por intermédio de dois de seus Ministros; e também as principais associações médicas e científicas de todo o Brasil, além de inúmeros outros setores importantes da sociedade.

Também não passou despercebida, especialmente para os mais atentos, a firme posição dos militares que ocupam altos cargos no governo acerca da permanência de Mandetta, expressa entre outros pelo Ministro Chefe da Casa Civil, General Braga Netto, atual homem forte do Governo. Sobre a coesão dos militares em torno desta posição, também é significativo que, ao final da tarde de ontem, tenha sido o Vice-Presidente General Mourão quem tenha anunciado, publica e formalmente, a permanência do Ministro da Saúde em sua pasta. (mais…)

Capes abre inscrição para projetos de combate a epidemias

Imagem ilustrativa.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) abriu ontem (6) as inscrições de projetos no edital do Programa de Combate às Epidemias. O objetivo do programa é incentivar o desenvolvimento de estudos inovadores de prevenção, diagnóstico e estratégias terapêuticas para doenças infecciosas, seus agentes e vetores, além de contribuir para o desenvolvimento de equipamentos de Proteção Individual (EPI) para profissionais de saúde e de tecnologias e mecanismos para monitoramento, mapeamento e controle de surtos, endemias, epidemias e pandemias.

As inscrições são direcionadas aos alunos de Programas de Pós-Graduação (PPGs) que estudam epidemiologia, infectologia, microbiologia, imunologia, bioengenharia e bioinformática. O prazo vai até o dia 30 de abril e serão financiadas até 30 iniciativas.

Segundo o consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, Julival Ribeiro, a iniciativa da Capes não é para o combate ao novo coronavírus, e sim para a prevenção de epidemias futuras. “Não sabemos quando teremos outra pandemia de gripe, mas ela virá. Investindo agora em projetos para estudar inquérito epidemiológico, desenvolvimento de diagnósticos e formas de tratamentos, entre outros temas, nossa academia estará muito mais forte para dar respostas a futuras pandemias”.

Do Metro1.