REDUÇÃO DO POLICIAMENTO PODE CHEGAR A 100%

Pm bahia

Do Correio.

A liderança do movimento ‘Polícia Legal’, formado por 33 associações de praças e oficiais da Polícia Militar (PM), confirmou o início das mobilizações da categoria nesta segunda-feira (10), a partir das 7h, por tempo indeterminado.

Após reuniões no sábado e no domingo com o comando da PM, não houve consenso sobre as reivindicações salariais. “A expectativa é que haja uma adesão de 90% a 100% da tropa, e que a redução do policiamento possa chegar a 100%”, calcula o major Sílvio Correia, presidente da Associação dos Oficiais da PM na Bahia (Força Invicta).

Em nota oficial, o governo do estado afirma que tomou medidas para garantir a segurança pública e classificou como “movimento paredista” a interrupção dos serviços prestados por policiais militares, configurando quebra da hierarquia e da disciplina. A nota afirma ainda que a negociação só irá continuar com a manutenção das atividades regulares dos policiais.

O governador Jaques Wagner disse em entrevista ao Jornal da Manhã, desta segunda (10), que a mobilização é uma forma de ‘greve branca’ dos militares que não será aceita, nem reconhecida pelo governo. Wagner chamou atenção ainda para a ordem militar e a hierarquia que devem ser mantidas. A Constituição proíbe que os PMs façam greve. ‘Se negar a trabalhar, é aderir a greve’, enfatizou.

(mais…)

DISSIDENTES DO PSB SE FILIAM AO PMDB

Depois de perder espaço no PSB, Magno foi para o PMDB de Geddel e Veloso.
Depois de perder espaço no PSB, Magno foi para o PMDB de Geddel e Veloso.

Dissidentes do PSB descontentes com o grupo da deputada federal Lídice da Mata, que comanda o partido, se filiaram ao PMDB do ministro Geddel, no último sábado, dia 08, no Centro Cultural da Câmara de Vereadores, na Praça Municipal, em Salvador.

Lideranças conhecidas, tais como: Elísio Santana, Magno Lavigne (ex-presidente do PSB Ilhéus), Marcelo Trotta, Roberto Corsário, representantes do movimento de valorização da cultura afro-brasileira, sindicalistas rodoviários e diretores da UGT (União Geral dos Trabalhadores) aderiram ao “velho MDB”.

Com o aval do ministro Geddel, Magno Lavigne terá a incubência de dirigir o PMDB Sindical na Bahia.