ACREDITE! NEWTON LIMA PODE APOIAR GEDDEL

Newton: mais uma mudança, caso Geddel garanta 10 milhões para Ilhéus.

Fontes palacianas garantem: o prefeito de Ilhéus, Newton Lima, ainda pode apoiar a candidatura do ex-ministro Geddel Vieira Lima ao governo do estado.

Para isso, basta que o ministério da integração nacional, hoje comandado por João Santana, libere o mais rapidamente possível os 10 milhões de reais (já empenhados) para melhorar as condições de alguns morros da cidade.

Caso isso aconteça, a coalização PT/PSB no município será desmontada, deixando o secretário de governo Alcides Kruschewsky em dificuldades, já que ele foi o mentor da união.

Essa possibilidade tem deixado o secretário tenso. Nos festejos de São João patrocinados pela prefeitura na avenida Soares Lopes, Alcides não cumprimentou o vice-presidente  nacional do PTB, Benito Gama (aliado de Geddel), que foi levado ao palco oficial por seu companheiro de partido e secretário municipal de serviços públicos, Carlos Freitas.

Newton tem comentado que o acordo com o PT ainda não rendeu o efeito esperado, sendo assim, uma mudança de rumo, nesse momento de insatisfação, não seria nenhuma surpresa.

DUNGA, ARGENTINA, GLOBO E CIA – A LIÇÃO

Por Marcos Pennha.

Acabou. O Brasil tá fora da Copa do Mundo de Futebol 2010, depois de ser mandado embora pela Holanda, ao ser derrotado por dois a um, de virada. O time ficou tonto, em campo, como se tivesse rodado durante horas no carrossel da laranja mecânica de 1974. A seleção brasileira foi a única que não deu trabalho aos editores de imagem, que produzem aquelas em câmera lenta. A lentidão fora a sua marca. Não foi a toa que o ex-craque holandês Cruyff declarou que não pagaria para assistir a seleção de Dunga.

Dunga (nome de um dos sete anões da ficção) confirmou sua pequenez tão camuflada com as vitórias diante de seleções inexpressivas. Sempre com aparência de zangado, parece incomodar-se com o simples atchim de alguém. Um mestre na grosseria contra os profissionais da imprensa, exceto na entrevista coletiva derradeira. Seu novo comportamento quase beirou o estilo dengoso.

(mais…)

GENETON MORAES NETO ENTREVISTA NÉLSON RODRIGUES

Entrevista importante e fundamental publicada no Observatório da Imprensa.

Reproduzida do blog do autor, publicada originalmente em 9/3/2004; realizada em 1/5/1978.

As incríveis cenas dos bastidores de um encontro com Nélson Rodrigues, maior dramaturgo brasileiro, pernambucano exilado no Rio, estilista número um da crônica esportiva

Meu primeiro, único e último encontro com o gênio Nélson Rodrigues (1912-1980) começou com uma dúvida devastadora: por que diabos ele teria marcado nossa entrevista justamente para a hora de um jogo da seleção brasileira? Não é possível, deve ter havido algum engano – eu pensava com meus botões, enquanto caminhava pelas calçadas do Leme, na beira-mar, no Rio de Janeiro, em direção ao apartamento do homem.

Se Nélson Rodrigues escrevia aquelas crônicas geniais sobre futebol no jornal O Globo, é óbvio que ele não iria dar uma entrevista a um forasteiro pernambucano no exato momento em que a seleção brasileira entrava em campo, no Maracanã, com transmissão ao vivo pela TV. Se desse, como é que ele iria escrever sobre o jogo no jornal do dia seguinte? Não, deve ter havido um grande equívoco. É melhor que eu desista. Nélson não iria dar entrevista alguma num momento tão inoportuno. Ou iria?

Mergulhado num poço de constrangimento, aperto a campainha. A entrevista tinha sido marcada por telefone. Uma mulher abre a porta. Ao fundo, vejo a imagem de Nélson Rodrigues esparramado numa poltrona. Os pés estão fora dos sapatos. Não faz frio, mas ele veste um suéter sobre a camisa de mangas curtas. Pende na parede da sala uma foto emoldurada de Nélson Rodrigues em companhia de Sônia Braga e de Neville de Almeida – atriz e diretor da versão cinematográfica de A Dama do Lotação.

(mais…)

JABES SERÁ CANDIDATO? DECISÃO SÓ AMANHÃ

O ex-prefeito de Ilhéus,  Jabes Ribeiro, reuniu amigos e correligionários na noite de ontem (sábado/03), na Associação 19 de Março.

Ele explicou os motivos que o levam a repensar sua candidatura a deputado estadual, já divulgados neste blog (clique aqui).

Sem uma definição concreta, Jabes disse que a confirmação do seu nome para a próxima disputa eleitoral depende de reuniões que ocorrerão nas próximas 48 horas.

A decisão final sairá amanhã (segunda-feira/05).

COLUNA DO TOSTÃO: BRASIL ELIMINADO

Por Tostão.

O Brasil fez o melhor primeiro tempo e o pior segundo tempo da Copa. No primeiro, poderia ter feito mais de um gol. No segundo, quando perdia por 2 a 1, foi todo para frente, e a Holanda teve mais chances de fazer o terceiro, que o Brasil de empatar.

O Brasil, que fez, durante os quatro anos sob o comando de Dunga, um grande numero de gols em jogadas aéreas, levou dois gols nesse tipo de lance.

O Brasil, que procurou, durante quatro anos, um lateral-esquerdo, levou dois gols em jogadas que se iniciaram por esse setor.

O Brasil, que sempre teve um armador pela direita para ajudar Maicon (Elano ou Daniel Alves), nunca teve um armador, pela esquerda, para ajudar Michel Bastos. Desse lado, começaram as duas jogadas dos gols.

(mais…)

SELEÇÃO DÁ “CARUARA” NO SEGUNDO TEMPO E DIZ ADEUS À COPA

Tchau Dunga!!!!

Futebol é realmente um esporte impressionante. Depois de um primeiro tempo notável, a seleção entrou desorganizada na segunda etapa, e saiu atabalhoada da Copa do Mundo, deixando a torcida sem entender absolutamente nada.

Duas falhas de posicionamento da defesa definiram a vitória dos holandeses. O técnico Dunga, a nosso ver, não teve culpa. Todo o elenco passou por um processo de “desarranjo” psicológico e entregou o jogo ao time laranja.

Pelo menos, não teremos mais o técnico Dunga no comando da canarinha. Mesmo não tendo culpa pela derrota, ele é um chato, grosso e mal educado, que se notabilizou mais pelos coices, do que pelo bom futebol.

Vamos celebrar o fim da “Era Dunga”!

“INDEPENDÊNCIA NÃO SE FAZ COM GRITO”, ENTREVISTA COM O PROFESSOR ARLÉO BARBOSA SOBRE O 2 DE JULHO

Arléo Barbosa.

Conversamos nesta manhã (sexta-feira/02) com o professor e historiador Carlos Roberto Arléo Barbosa, que nos concedeu uma explicação sucinta e ao mesmo tempo rica, sobre a importância do 2 de julho para a história do Brasil e da Bahia.

Arléo desmistifica o 7 de setembro e o grito “Independência ou Morte” de D Pedro I. Segundo ele, o país tornou-se independente através das lutas travadas na Bahia  e não da frase emblemática dita pelo primeiro imperador, “às margens do Ipiranga”.

Vale a pena ouvir o significado de algumas personalidades humildes que se transformaram em heróis da nossa história.

CANDIDATURA DE JABES SERÁ DEFINIDA NESTE SÁBADO

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, ainda não definiu se será, ou não, candidato a deputado estadual.

Ele quer ouvir sua militância, para isso, convocou uma reunião para às 18:30 horas, deste sábado (03), na associação 19 de Março (avenida Itabuna).

A verdade é que todo esse suspense estimulou seus correligionários. Há um movimento muito forte tentando convencê-lo a não desistir.

Na política, Jabes nunca foi menino!

“COM TIRANOS NÃO COMBINAM BRASILEIROS CORAÇÕES”

Os governos carlistas (comprometidos com o culto aos burgueses) tentaram sepultar a importância do 2 de julho, data em que a Bahia lembra dos seus heróis populares que empunharam armas na luta pela independência brasileira.

A secretaria de educação do estado produziu uma linda gravação do Hino ao 2 de julho, interpretado pelo cantor Tatau e a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho.

A valorização da nossa história é um excelente exercício de cidadania.

Parabéns aos idealizadores do projeto!

Veja o vídeo e acompanhe a letra.

Hino “Dois de Julho”

Musica: José dos Santos Barreto

Letra: Ladislau dos Santos Tita

Nasce o sol a 2 de julho

Brilha mais que no primeiro

É sinal que neste dia

Até o sol é brasileiro

Nunca mais o despotismo

Regerá nossas ações (mais…)

TRENZINHO DO “PODEROSO CIDÃO” CRIA 52 NOVOS CARGOS NA PREFEITURA DE ILHÉUS

Luciana (no passado) e Cidão (no presente): novos cargos para onerar a folha de pagamento e fomentar a politicagem.

Em 2006, o então prefeito de Ilhéus, Valderico Reis, mandou uma reforma administrativa para a câmara de vereadores, criando vários cargos de confiança. O objetivo de Val era “estimular” a candidatura de sua filha, Luciana Reis, então candidata a deputada estadual, que antes havia sido secretária de governo.

Em 2010, a mesma estratégia para fazer politicagem volta a acontecer. A reforma administrativa aprovada na câmara, na terça-feira passada (29), cria 52 novos cargos, denominados “administradores de bairros”. O projeto foi supervisionado, atenciosamente, pelo todo poderoso secretário de governo, Alcides Kruschewsky. A intenção do “poderoso Cidão” é empregar novos cabos eleitorais da deputada estadual Ângela Sousa na prefeitura.

Por outro lado, infelizmente, o executivo municipal trava uma luta na justiça, tentando protelar a posse dos novos fiscais de postura aprovados em concurso público. Além do mais, todos os secretários se queixam que o governo não tem dinheiro para atender os reclames da população. Está mais do que evidente que essa desculpa é uma falácia, já que, de uma hora para outra, os “homens do palácio” decidiram entupir a folha de pagamento dos funcionários com novos apaniguados da irmã Ângela.

Não foi à toa que Alcides foi candidato a presidente do legislativo com o apoio de Valderico. Ele aprendeu as lições bem direitinho!

EUGÊNIO SPENGLER, SECRETÁRIO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE, FOI CONSULTOR DA BAMIN

Marcos Mendes do PSOL.

Palavras do  professor da UFBA e geólogo, Marcos Mendes, candidato a governador da Bahia pelo PSOL, durante entrevista concedida ontem (quarta-feira/30), ao radialista Gil Gomes (rádio Santa Cruz).  Na ocasião, ele fez críticas severas à implantação do porto de exportação de minério de ferro da Bahia Mineração (BAMIN), na Ponta da Tulha, em Ilhéus.

Segundo Marcos Mendes, os interessados no projeto estão mentindo, já que o número de empregos que será oferecido (especificado no relatório de impacto ambiental) é bem menor do que o anunciado. Ele garante que iniciativas como essa causam concentração de renda, ao invés de distribuição.

Ele cita outros projetos enganadores que prometeram grande empregabilidade para atrair a simpatia da população.

Ouça a entrevista.