De 100 litros de água distribuídos no Vilela, 57 são perdidos, afirma gerente da Embasa

Água desperdiçada na distribuição é um problema grave em Ilhéus. Imagem ilustrativa.

Membros do corpo técnico da Embasa se reuniram ontem, 9, na sede administrativa da empresa em Ilhéus, para tratar do combate às perdas de água nos bairros Teotônio Vilela, Alto do Amparo e Alto Legião.

Os líderes comunitários presentes ao encontro conheceram a situação das perdas físicas (reais) e comerciais (aparentes) nos bairros, que superam a média geral de 30% da cidade. “De cada 100 litros de água que distribuímos no Vilela, perdemos 57. Nos altos do Amparo e Legião temos metade de nossos consumidores com ligações cortadas, sendo que parte deles podem estar abastecendo seus imóveis de forma irregular”, esclareceu o gerente da Unidade Regional de Itabuna, responsável pelas operações da Embasa em Ilhéus e região, Felipe Madureira.

A Embasa se comprometeu a intervir para melhorar a continuidade e a qualidade do abastecimento nesses bairros, por meio de ações como pesquisas de vazamento e atividades de educação ambiental.

A concessionária também registrou demandas de atendimento à comunidade, como mais agilidade na correção de vazamentos e substituição de hidrômetros, entre outros pleitos. “Foi válida a oportunidade de conhecer melhor a atuação da Embasa e temos meios de potencializar a presença da empresa em nosso bairro, especialmente se há disponibilidade em reconquistar o cliente em situação de débito e, ainda, de ajustar o enquadramento tarifário com base no perfil socioeconômico do morador”, destacou o assistente social e presidente da ONG Amparo Melhor, Sérgio Luiz Santos da Silva.

Técnicos da Embasa reunidos com líderes comunitários de Ilhéus. Foto: Ascom/Embasa.

A presidente da Associação de Moradores do Teotônio Vilela (AMTV), Macláudia Angeli de Sá, elogiou o fato de que a Embasa está retornando com o projeto Com+Água ao bairro: “Registramos as muitas atividades e os resultados positivos obtidos pela Embasa no Vilela, e a associação de moradores está à disposição para auxiliar; em contrapartida, precisamos que a Embasa se faça representar no atendimento às nossas pautas com o poder público, até para sabermos o que é ou não atribuição da Embasa resolver”.

(mais…)

Estudantes de Ilhéus e Itabuna desenvolvem método para tratamento de água

Foto: Ascom/Secti.

O trabalho de pesquisa de estudantes de Ilhéus e Itabuna tem trazido resultados práticos quando o assunto é oferecer água de qualidade para a população. É o que revela o professor Franco Amado, da Uesc, responsável pelo Laboratório de Materiais e Meio Ambiente (Lamma), que conta com pesquisas, como o Projeto Água Limpa Sempre. O projeto tem conseguido eliminar impurezas das águas baianas, como em casos nos municípios de Bom Jesus da Lapa, Ilhéus e Itabuna.

Responsável por iniciar as pesquisas entre os anos de 2000 e 2001, o professor Franco Amado explica que a máquina utilizada na Uesc pode tratar até dois mil litros por hora. “Se pensarmos que uma família de quatro pessoas utiliza 500 litros por dia, então uma máquina consegue tratar por hora o que quatro famílias consomem durante o dia”. Ele ressalta que atualmente não consegue tratar água de uma cidade inteira, mas de comunidades com 20 a 30 famílias.

Para maximizar o processo de tratamento da água, auxiliando, inclusive, a resolver problemas de contaminação em cidades baianas, o pesquisador afirma que é possível acoplar várias máquinas ou produzir uma maior. “Já existe sistema similar operando para tratamento de efluente, que é para tratar a água que sai das indústrias, como a de celulose. Podemos aumentar a escala da máquina para resolver esse tipo de problema”.

Foto: Ascom/Secti.

As pesquisas realizadas pelos estudantes da Uesc já tiveram resultados práticos no tratamento de água de poço no município de Bom Jesus da Lapa e na própria cidade de Ilhéus. “Em Bom Jesus da Lapa havia problema com excesso de flúor. Pegamos essa água e conseguimos tratar e remover o flúor da água. Outro problema que a gente resolveu foi na época da seca aqui na região, quando a água do mar estava invadindo o rio e deixando salobra a água para consumo”, lembra.

(mais…)

Abastecimento de água será suspenso na próxima sexta-feira em várias localidades de Ilhéus; veja se o seu bairro está na lista

A Embasa vai realizar serviços de manutenção na próxima sexta-feira, 03 de maio. O trabalho de prevenção vai interromper temporariamente o abastecimento de água em vários bairros e localidades de Ilhéus.

Na zona sul, a Embasa vai dar manutenção nos motores de captação de água bruta no Rio do Engenho. Já no Basílio, a empresa vai reparar o conjunto hidráulico na saída de água do reservatório, sendo necessário interromper a distribuição de água tratada.

Não sentirão os efeitos dessa interrupção usuários que dispõem de reservatório compatível com o perfil de consumo do imóvel. Para evitar transtornos, a empresa recomenda medidas de economia no período. A previsão é de que os imóveis sejam gradativamente reabastecidos nas 24 horas seguintes ao final dos trabalhos, a partir da tarde do mesmo dia.

Bairros afetados da zona sul: BA 415, Barreira , Ceplus, Couto, Cururupe, Hernani Sá, Ilhéus II, Jardim Atlântico, Loteamento São Caetano, Mar a Vista, Mar de Ilhéus I, Nossa Senhora da Vitória, Nelson Costa, Pérola do Mar, Pontal, Parque Olivença, Praia Dourada, Rodovia Ilhéus-Olivença, Santo Antônio de Pádua, São João, Sapetinga, Sol e Mar I e II.

Centro-oeste: Avenida Itabuna, Banco da Vitória, Basílio, Frei Vantuy, Hospital Costa do Cacau, Morada do Bosque, Morada do Porto, Parque Universitário, Residencial Rio Cachoeira, Vila Cachoeira, Vila Nazaré, Salobrinho/UESC, Teotônio Vilela.

Abastecimento de água na zona norte de Ilhéus será suspenso na próxima sexta

A Embasa informa que o fornecimento de água dos bairros da zona norte de Ilhéus será temporariamente suspenso na próxima sexta-feira, 12. A medida é necessária para executar procedimento de limpeza e desinfecção do reservatório da Estação de Tratamento de Água (ETA) Distrito.  A regularização do abastecimento ocorrerá 24 horas após a retomada das operações dessa ETA, prevista para ocorrer no fim da tarde do mesmo dia.

Usuários que dispõem de reservatório compatível com suas necessidades de consumo, conforme a legislação em vigor, não sentirão os efeitos da interrupção.

Serão afetados os bairros: Alto Nerival; Alto Soledade; Aritaguá; Barra/CSU; Centro Industrial; Iguape; Jardim Savóia; Novo Ilhéus; São Domingos; São José; São Miguel; Sambaituba.

Uso incorreto da água é desafio para a universalização do saneamento, afirma gerente da Embasa

Felipe Madureira, gerente regional da Embasa. Foto: Ascom.

Dia 22 de março é o Dia Mundial da Água, mas há pouco o que comemorar. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), embora tenha havido avanço em direção às metas definidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, quase 2,5 bilhões de pessoas ainda não têm acesso aos serviços de saneamento básico e 750 milhões não possuem uma fonte de água melhorada. O Brasil, um dos países mais privilegiados em oferta de água doce do planeta, amarga o acesso desigual à água potável e rede de esgoto e convive, diariamente, com a cultura do desperdício. Sobre essas e outras questões, ouvimos* o gerente regional da Embasa, Felipe Madureira. O gestor é responsável pelas operações da concessionária em Ilhéus e em outros 26 municípios do sul do estado. 

Felipe, 2016 foi um ano desafiador para o município de Ilhéus, porque, mesmo cercado por fontes de água, parte da cidade passou por meses de racionamento. O que a Embasa fez para evitar que uma nova crise hídrica aconteça?

Felipe – Diversas intervenções de caráter emergencial que foram feitas para mitigar os efeitos da estiagem, que atingiu Ilhéus e quase todos os outros municípios da região, deixaram um legado positivo para a oferta e a qualidade do serviço de abastecimento de água da cidade. Exemplificamos com a implantação de novas estações elevatórias de água tratada e a substituição de tubulações, abaixo da ponte Lomanto Júnior. Isso aumentou em 11% o percentual de contribuição do Rio Santana frente ao abastecimento geral de Ilhéus. A gente ressalta que a Embasa não é dona dos recursos hídricos de Ilhéus e que eles possuem múltiplos usos (navegação, agricultura, etc.). Nós obtemos uma outorga de utilização, que para o serviço de abastecimento de água é válida apenas para a represa do Iguape e a barragem do Santana. Essa permissão é dada pelos órgãos ambientais. Para o futuro, estudamos aumentar ainda mais a contribuição do rio Santana por meio da implantação de uma nova adutora e trazer água do Rio de Contas. A Embasa vai se antecipar ao aumento da demanda provocado pela implantação do Porto Sul. Mas qualquer solução em relação a uma nova fonte de abastecimento depende do consentimento dos órgãos ambientais. E com ou sem estiagem, desenvolvemos ações de educação ambiental o ano inteiro, especialmente agora em alusão ao Dia da Água.

Represa do Rio Iguape. Foto: José Nazal.

A Embasa já noticiou, em diversas ocasiões, ações para combater as fraudes na utilização da água tratada. Por que essas fraudes, na visão da empresa, dificultam a universalização do serviço?

Felipe – Porque os desvios comerciais contribuem para a cultura do desperdício e aumentam o nosso custo operacional, que poderia ser revertido na expansão dos serviços. Precisamos, para atender satisfatoriamente aos nossos consumidores regulares, captar e tratar mais água do que o necessário, e deixamos de arrecadar de quem usa de forma irregular e indiscriminadamente. Há doze anos Ilhéus é referência na Bahia na implantação de um programa de combate às perdas de água, o “Com+Água”, que aplicou R$ 2,6 milhões em ações operacionais de combate a vazamentos e quebramentos de rede; recuperação de clientes em situação irregular e ações de cidadania e educação ambiental. A participação da comunidade, nesse projeto, é fundamental para o sucesso do programa. Em 2019, estaremos de volta ao Teotônio Vilela e também no Alto do Amparo e Legião. 

Como a Embasa pretende se aproximar da comunidade nas comemorações pelo Dia Mundial da Água?

Felipe – Estão previstas ações socioeducativas em diversas frentes. Alunos do Colégio da Polícia Militar farão visita à estação de tratamento do Distrito Industrial, faremos uma blitz educativa na loja de atendimento, no Centro, levaremos teatro a grupos escolares do Teotônio Vilela e faremos palestras em várias instituições de ensino. Esse ano, a Embasa convida a todos a entrar no clima do uso responsável, sempre de forma lúdica e interativa. A empresa é a responsável pelo abastecimento, mas todos nós, com nossas atitudes, somos responsáveis pela disponibilidade de água para esta e para futuras gerações.

* Material produzido pela assessoria de comunicação da Embasa.