Estudantes de Teatro do CEEP do Chocolate em Ilhéus são aprovados na UFSB

Estudantes do CEEP do Chocolate em cena. Foto: Daniel Thame.

Seis estudantes do Curso Técnico de Teatro do Centro Estadual de Educação Profissional do Chocolate Nelson Schaun, em Ilhéus, foram aprovados para o curso de Artes da Universidade Federal do Sul da Bahia-UFSB, no campus Jorge Amado, em Itabuna. Amanda Cardoso,  Andreina Tainá Guerra Félix Mendes, Ingrid Santos, Natália Santos,  Mariana Andrade e  Raromine Lopes fazem parte da primeira turma de Teatro do CEEP Ilhéus, que colou grau no mês de março, e estão iniciando a carreira universitária neste semestre.

A professora Valdiná Guerra Félix, Articuladora do Curso Técnico de Teatro, destaca que “a aprovação dos estudantes na UFSB tem um grande significado para nós, porque reflete o trabalho realizado em três anos, valorizando teoria e prática na atividade artística”. “Além disso, eles estarão dando continuidade ao processo de formação profissional e acadêmica. A existência do curso Técnico em Teatro despertou novos horizontes para os alunos do CEEP”, disse.

A estudante Natalia Santos comemora o acesso à universidade: “abri mão da aprovação em Direito, para realizar o meu sonho que é cursar Artes, a carreira que escolhi seguir. Estou muito feliz e agradeço ao CEEP do Chocolate pela formação que me possibilitou  o acesso à Universidade Federal do Sul da Bahia”.

Foto: Daniel Thame.

Além da formação básica e da valorização da cidadania, o curso também forma os alunos para assumirem  funções técnicas dentro do teatro como cenotécnica, iluminação, sonoplastia, fotografia cênica, maquiagem, figurino, direção, dramaturgia e atuação.

Cerca de 50 estudantes fazem o curso técnico de nível médio em Teatro no CEEP Chocolate Nelson Schaun, que também oferece os cursos técnicos de nível médio em Agroindústria, Análises Clínicas, Eletromecânica, Guia de Turismo, Hospedagem e Logística.

Reportagem: Daniel Thame/Secom-BA.

Teatro Popular de Ilhéus oferece curso de teatro e canto

Foto: Ascom/TPI.

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) vai oferecer aulas de teatro e canto a partir de 11 de março, nas segundas e terças-feiras, sempre das 16h às 17h30, na tenda instalada na Avenida Soares Lopes.

As atividades são destinadas a crianças e adolescentes, de 8 a 14 anos. As inscrições estão abertas até o dia 08 de março, diretamente no TPI, de segunda a sexta, das 14h às 18h. É necessário xerox do RG da criança e do RG do responsável.

O Curso de Teatro e Canto do TPI é ministrado por Tânia Barbosa (atriz e diretora teatral) e Antônio Melo (regente musical), e vai trabalhar com os alunos, de forma divertida e construtiva, práticas dramáticas, jogos teatrais, exercícios vocais e práticas musicais em grupo.

Serão apenas 20 vagas, e o investimento no curso é de R$ 120,00 mensais, podendo ainda ser pago em uma única parcela com 10% de desconto. Haverá ainda matrícula social de 20% das vagas com bolsa integral destinadas a crianças matriculadas na rede pública de ensino e cujo responsável seja portador de CadÚnico atualizado.

Foto: Ascom/SECULTBA.

A ideia é desenvolver e estimular as capacidades de expressão, socialização, espontaneidade, imaginação, observação e percepção.

A prática do teatro na infância é ideal para ajudar a criança a desenvolver a expressão verbal e corporal. A aula também contribui para o desenvolvimento mental e emocional, estimula a memória, a atenção e a concentração, melhora a dicção, a coordenação motora e a autoestima, combatendo a timidez. Além disso, a criança aprende a se relacionar melhor e a trabalhar em grupo, reforça o interesse pela leitura e literatura, controla suas emoções e estimula a capacidade criativa.

A iniciação musical feita desde criança também traz diversos benefícios de ordens física, mental e emocional. Além da aquisição de uma nova habilidade lúdica, os benefícios da prática do canto incluem melhoria da respiração e da dicção, estimula habilidades mentais como memória e raciocínio lógico, colabora na socialização e desenvolvimento de disciplina e concentração e ajuda na diminuição da ansiedade e do stress.

Teatro Popular de Ilhéus (TPI) – É uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA) com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.

Nova edição do “Ciranda, Ilhéus na Praça” traz geladeira literária como novidade

Ciranda, Ilhéus na Praça. Foto: Rodrigo Macedo.

A primeira “Ciranda, Ilhéus na Praça” de 2019 traz uma novidade: a Geleitura, ou, geladeira literária, recheada de obras que ficam ao alcance dos participantes. A iniciativa, segundo as organizadoras, foi criada para proteger o meio ambiente e incentivar a leitura, e ganhou concepção gráfica do artista plástico Chico Salles. A nova edição será realizada neste sábado, 2, a partir das 17 horas, na Praça Antônio Viana Dias da Silva, no bairro Cidade Nova, com apoio da Prefeitura de Ilhéus.

A cada mostra, a Ciranda conquista mais pessoas e atende às expectativas das idealizadoras. São 12 mulheres, mães, amigas e guerreiras que promovem, a cada evento, a oportunidade de dividir ideias, experiências e conhecimentos. Aos participantes, o espaço sugere trocar tempo dedicado aos smartphones por envolvimento com pessoas e leitura de livros. Na opinião de quem já passou pela praça, a Ciranda é um movimento compartilhado e abraçado por todos.

Às 17 horas haverá exposição com a artista homenageada, Manu Pessoa. O espaço contará ainda com outros expositores; apresentação de instituições parceiras; Armário Solidário; Troca de Livros e Geleitura. O músico ilheense Herval Lemos se apresenta ao vivo a partir das 17h30min. Já às 18 horas, haverá contação de histórias interpretada em Libras – Língua Brasileira de Sinais, com a participação da Associação de Surdos de Ilhéus (ASI).

A programação segue com contação de histórias com Jorge Batista, às 18h30min. A partir das 19 horas, vivências e histórias, com Benedita da Estrada. A programação fecha com chave de ouro com a música de Itassucy e Banda, a partir das 20 horas. O projeto acontece no terceiro sábado de cada mês e se consolidou por meio da gastronomia, cultura, entretenimento e acima de tudo, a promoção de um espaço para a garotada curtir toda a boa programação.

Da Secom/Ilhéus.

SECULT LANÇA EDITAL DE OCUPAÇÃO DE PAUTA DO TEATRO MUNICIPAL DE ILHÉUS

Foto: Clodoaldo Ribeiro.

A Secretaria da Cultura (Secult) recebe, de 2 a 31 de janeiro de 2019, inscrição para a pauta do Teatro Municipal de Ilhéus que será executada no primeiro semestre do próximo ano. O processo de seleção é dirigido a pessoas físicas ou jurídicas estabelecidas em qualquer parte do Brasil, que deverão obedecer às condições e exigências estabelecidas no regulamento. Serão considerados espetáculos do município de Ilhéus aqueles em que pelo menos 75% dos envolvidos comprovar que nasceram e, ou, residem na cidade há pelo menos dois anos.

O secretário da Cultura de Ilhéus, Pawlo Cidade, informa que o objetivo do edital é colaborar com a política de transparência e democratização do acesso de artistas e produtores aos projetos e pautas nos Teatro Municipal, bem como difundir o fazer das mais diversas artes em espaço cênico destinado a este fim.

O chamamento de construção de pautas do teatro, denominado de edital Pauta Livre tem por finalidade a seleção de propostas de teatro (auto, comédia, drama, farsa, melodrama, ópera, monólogo, revista, stand-up comedy, musical, surrealismo, tragicomédia, teatro infantil, teatro de fantoches, teatro de sombras), dança (ballet, salão, break, contemporânea, dança do ventre, moderna, flamenco, frevo, hip hop, jazz, kuduro, lambada, salsa, samba, sapateado, tango) e música (afro, músicas de câmara, erudita e folclórica, samba, pagode, gospel, pop, blues, rock, rap, MPB, jazz e reggae).

As pautas do teatro a serem preenchidas compreendem de quarta-feira a domingo, no período de 1º de março a 21 de junho de 2019. Serão selecionados espetáculos de teatro infantil e de adulto, dança e música, inéditos ou já estreados. “As propostas selecionadas terão isenção da taxa de agendamento e não receberão quaisquer ajuda financeira por parte do município, mas ficam condicionadas à divisão de bilheteria. Cada proponente poderá marcar até quatro pautas, sequencialmente, ou de forma alternada”, ressalta o secretário.

Texto da Secom Ilhéus.

SITE DA ISTOÉ DESTACA A OBRA DO ARTISTA ILHEENSE GOCA MORENO

Foto: Divulgação/Goca Moreno;

O escultor, pintor e desenhista Goca Moreno teve seu trabalho ressaltado pelo site da revista Istoé.

Numa reportagem publicada sexta-feira, 26, o jornalista Luis Antônio Giron afirma que Goca Moreno “converteu” Ilhéus num importante centro de arte do Brasil.

Com 57 anos e formado em Artes pela Universidade Federal da Bahia, Goca foi aluno do escultor e pintor Mario Cravo Junior (1923-2018).

O artista estima que seu poder criativo tenha rendido, até agora, 10 mil peças entre gravuras, esculturas, desenhos, telas e pinturas digitais.

Em Ilhéus, ele mantém o Espaço Cultural Goca Moreno, com três prédios que sediam sua Galeria e a Casa da Arte Baiana. Neste espaço, que recebe visitantes de várias partes do mundo, estão expostas 400 obras.

Leia a reportagem.

ITACARÉ E ILHÉUS SEDIAM FESTIVAL DE DANÇA CONTEMPORÂNEA

Foto: Ascom.

O 7º Festival de Dança Itacaré vai transformar o Teatro Municipal de Ilhéus e o Centro Cultural Porto de Trás em uma grande vitrine da evolução da dança contemporânea no Brasil.

Durante sete dias (10 a 16 de setembro), as duas cidades vão receber grupos e artistas de todo o Brasil para apresentações, oficinas, instalações, palestras, documentários e intercâmbio de vivências com as comunidades locais, todas gratuitas. A programação completa está disponível no site do evento (festivaldedancaitacare.com.br).

No palco do Teatro Municipal de Ilhéus, serão apresentados, na segunda-feira (dia 10), os espetáculos “A Morte do Cisne” (Cia Dita, Fortaleza) e “Mariana, a História que se Perdeu” (A-rrisca Cia da Dança, Ilhéus), às 19 horas e 19h30. No dia 11, às 19 horas, o público será brindado com a montagem “Tamanho Único”, do Balé do Teatro Castro Alves, Salvador, convidado especial da curadoria do evento.

Programação Itacaré

O Centro Cultural Porto de Trás será o palco principal da programação de Itacaré. Na quarta-feira (dia 12), o público poderá conferir as criações “A Morte do Cisne” (Cia Dita, Fortaleza), “Pura: Espetáculo em Três Atos” (CCP – Cia, Salvador) e “Depoimentos para fissurar a pele” (Djalma Moura, São Paulo), às 19 horas, 19h30 e 20h30, respectivamente. Na quinta-feira (dia 13), o Balé do Teatro Castro reapresenta “Tamanho Único”, às 19 horas.

O palco, na sexta-feira (dia 14), será dos espetáculos “Poracê” (Cia. Dançurbana, Campo Grande) e “Prelúdios para uma Dança Cabocla” (Cia Balé Baião, Itapipoca), às 19 e 20 horas. E no sábado (dia 15), das montagens “Eu Danço Sambarroxé” (Joubert Arrais, Juazeiro do Norte) e “Isto não é um Espetáculo” (Cláudia Müller e Clarissa Sacchelli, São Paulo), 19 e 20 horas. No mesmo dia, acontece também o espetáculo “Os Superficiais” (Cia. Etc., Jaboatão), na Passarela da Vila, às 16h30.

A programação encerra no domingo (dia 16), com os espetáculos “A Cadeirinha e Eu” (Cia Dita, Fortaleza) e “Canto Piu” (Giltanei Amorim, Salvador), às 19 e 20 horas.  No Centro Cultural Porto de Trás, acontecem também as instalações “Poesia que Dança” (de 12 a 16, das 18 às 21 horas) e “Transakrytica”, além do ensaio-estúdio “Eu Danço Sambarroxé”, com Joubert Arrais.

O Festival de Dança Itacaré é realizado pela Comunidade Tia Marita, com o apoio institucional da Casa Ver Arte e  apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

MORRE BEATRIZ SEGALL, A ODETE ROITMAN DA NOVELA VALE TUDO

Foto: O Globo.

De O Globo.

A atriz Beatriz Segall morreu nesta quarta-feira, aos 92 anos. Segall estava internada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e tinha recebido alta no dia 21 de agosto. Recentemente, no entanto, ela voltou a ser internada. O motivo da internação não foi divulgado a pedido da família. Segundo a assessoria do hospital, ela morreu em consequência de problemas respiratórios.

Que ninguém convidasse Beatriz Segall e Odete Roitman para a mesma festa — a atriz e a personagem mais popular que ela interpretou viviam em mundos bem distintos. “[Odete] entrou para a história da televisão brasileira, isso é indiscutível. Agora, eu não sou uma atriz de um papel só, fiz muitas outras coisas, recebi alguns prêmios e não construí minha carreira só com ela”, desabafou Beatriz em 2013, em entrevista à revista ÉPOCA, numa das muitas vezes em que foi requisitada para falar sobre o enorme sucesso que a má, mesquinha, vaidosa e arrogante vilã da novela “Vale tudo” (de 1988, mas várias vezes reprisada) fez.

Na mesma entrevista, ela explicava seu cansaço: “As pessoas que acham que estão sendo originais e soltam a velha pergunta: ‘Quem matou Odete Roitman?’. Ninguém aguenta mais ouvir falar sobre isso. Mas se for uma abordagem bacana sobre a personagem, nunca me nego a falar.”

De vez em quando, porém, como quando falou ao GLOBO, em 1988 (época em que era parada na rua a toda hora por causa da novela), Beatriz revelava até algum carinho pela criação de Gilberto Braga: “A Odete diz coisas que são consideradas impatrióticas, mas que são verdades. Isso provoca alguns tipos de ações ou reações. Parece que todo mundo se envolveu muito com a Odete Roitman.”

WAGNER MOURA VAI ESTREAR COMO DIRETOR COM FILME SOBRE CARLOS MARIGHELLA

Seu Jorge e Wagner Moura no set de gravações.

Em agosto de 2013, o jornalista Mario Magalhães anunciou que Wagner Moura dirigiria a adaptação da biografia do guerrilheiro baiano Carlos Marighella (1911-1969). O ator estima que o longa-metragem seja lançado neste ano de 2018.

O filme vai ter o mesmo nome da biografia, “Marighella – o guerrilheiro que incendiou o mundo”. O novo cineasta Wagner Moura selecionou para o papel principal Seu Jorge, Adriana Esteves como sua companheira de luta e Bruno Gagliasso como o policial responsável pelo homicídio do guerrilheiro.

A cinebiografia vai representar os passos do guerrilheiro, poeta e político que em determinado momento foi considerado o principal inimigo da ditadura militar brasileira. Carlos Marighella foi assassinado por um militar em 1969.

Em 2014, o Ministério da Cultura liberou, por meio da Lei do Audiovisual, R$ 10,3 milhões para a obra. De acordo com o site da Agência Nacional do Cinema (Ancine), a produção já retirou R$ 550 mil.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA ENCONTRO DE MÚSICOS QUE VAI ACONTECER EM ILHÉUS

Inscrições abertas.

No período entre 5 de março e 14 de junho, Ilhéus vai sediar o Encontro de Compositores do Litoral Sul da Bahia. O evento acontecerá no teatro municipal e tem como objetivo dar visibilidade às obras autorais de qualquer gênero musical.

As inscrições são gratuitas e podem ser feita até o dia 19 de fevereiro no site do Encontro Litoral Sul. A curadoria é formada por músicos reconhecidos na região, que vão selecionar dezesseis (oito em cada) atrações nas categorias individual e banda autoral. 

A banca vai avaliar os seguintes critérios: letra, harmonia, melodia, arranjo, originalidade e conjunto da obra. A lista dos selecionados vai estar disponível no dia 26 de fevereiro no site do evento. Os aprovados vão se apresentar ao longo de quatro mostras musicais que acontecerão entre março e junho. 

Podem se inscrever compositores dos municípios de Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barro Preto, Buerarema, Camacã, Canavieiras, Coaraci, Floresta Azul, Ibicaraí, Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Itaju do Colônia, Itajuípe, Itapé, Itapitanga, Jussari, Maraú, Mascote, Pau Brasil, Santa Luzia, São José da Vitória, Ubaitaba, Una e Uruçuca. 

Para mais informações, acesse o regulamento do encontro.

TVE VAI EXIBIR SEGUNDO EPISÓDIO DA SÉRIE “ÍNDIOS NO BRASIL”

Direção: Camilo Cavalcante e Adelina Pontual. 

Nessa segunda-feira (29), a TVE, canal 10.1, vai exibir o segundo episódio da série “Índios no Brasil”. O seriado aborda o papel que as nações indígenas reivindicam na construção de um país plural e justo.

A série de documentários conta com 13 episódios de 26 minutos cada. A direção é de Camilo Cavalcante e Adelina Pontual, com a produção da Urso Filmes. A TVE vai transmitir os capítulos às segundas-feiras, às 17h.

A TVE lançou a série na última segunda-feira (22). A obra entra no universo indígena em uma abordagem que vai além da social-histórica e apresenta um recorte antropossocial e socioecológico. O seriado representa os índios como são na contemporaneidade.

Segundo a assessoria da TVE, o seriado é um retrato humanístico, poético e contemporâneo das diversas etnias que habitam o nordeste brasileiro.

Sinopse da série “Índios no Brasil”.

O ativista cultural e militante reconhecido como embaixador dos povos afro-indígenas, Tiago Nagô, descendente de índio Cariri (Tingui-Botó) de Alagoas e de uma negra, sacerdotisa do Candomblé, seguirá em uma jornada de redescoberta, em diferentes nações indígenas existentes no Nordeste do Brasil. Partindo da cidade de Olinda, de onde saíram as primeiras missões de catequese indígena no período Colonial, ele percorre 13 aldeias, de etnias diferentes, nos estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Bahia. 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

Atrações para todas as idades.

Nesta quinta-feira (25), a Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI), situada na avenida Soares Lopes, vai iniciar a sua programação da semana. As atrações vão seguir até esse sábado.

A primeira atração vai ser o espetáculo infantil “Pandolfo Bereba no Reino da Bestolândia”, às 17h. A peça é uma adaptação da obra literária de Evani Furnari.

Já nessa sexta-feira (26), o grupo vai apresentar a sátira política em cordel “Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito”, às 20h. A peça foi destaque no “IV Festival de Teatro da Caatinga” – relembre.

No sábado (27), o grupo A-rrisca Cia. de Dança apresentará às 19 horas o espetáculo “Mariana – a história que se perdeu”, que tem como tema o desastre ambiental ocorrido em 2015, em uma mineradora da Samarco, no município de Mariana, em Minas Gerais.

ARTISTAS REGIONAIS SE APRESENTAM NA PRAÇA CASTRO ALVES

Músico Itassucy é o idealizado do projeto. Imagem: Domingos Lins.

Nessa quinta-feira (28), os cantores Herval Lemos, Itassucy, Daniel, Stella e Edu Neto vão se apresentar na Praça Castro Alves, às 19h. A iniciativa faz parte do projeto “Cantando para Jorge – Música na Praça”.

O projeto foi idealizado pelo músico Itassucy e tem o apoio da Ilhéus FM. O evento propõe apresentações musicais de artistas regionais para dar visibilidade e trazer arte e cultura para a cidade.

ARTISTA PLÁSTICO EXPÕE TRABALHOS EM NANQUIM NA GALERIA DO TEATRO

Artista radicado de Ilhéus, Clóvis Loureiro.

Da Secom.

O artista plástico Clóvis Loureiro, radicado em Ilhéus, mantém na Galeria do Teatro Municipal uma exposição de telas em nanquim. As obras em acrílico em tela móveis e louças podem ser visitadas até o dia 31 deste mês, das 9 às 18 horas, com a proposta de ser uma das atrações no âmbito cultural durante a temporada de verão.

Clóvis Loureiro nasceu no Rio de Janeiro e, aos nove anos de idade, veio morar em Ilhéus. “Aqui é a terra da minha família, comecei a dar meus primeiros traços em grafite em papel. E quando contava com 10 de idade recebi de minha avó materna uma caneta nanquim de presente e passei a desenhar centenas de formas geométricas e abstratas. Na realidade, sou autodidata”, lembrou.

O artista plástico contou ainda que quando morou em Curitiba conheceu um professor de arte alemã que o incentivou a pintar em acrílica, ajudando a aperfeiçoar a técnica. O artista tem trabalhos comercializados no Japão, Dubai (cidade nos Emirados Árabes Unidos), Suíça, França, Itália e Brasil com divulgação em algumas revistas internacionais. “Também, participei do projeto Pan American Arte, na Alemanha, e este ano recebi certificado de o mais novo membro da América da Latina, na Federação de Arte e Cultura (ICAF), da Coreia do Sul”, destacou.

 

CAMAMU REALIZA FESTIVAL GASTRONÔMICO PARA ESTIMULAR TURISMO

Sabores e Saberes da Nossa Terra. IMAGEM: SECOM/CAMAMUBA
Festival gastronômico. IMAGEM: SECOM/CAMAMUBA

Entre os dias 14 e 15 deste mês de agosto, Camamu realizou a primeira Edição do Festival Gastronômico “Sabores e Saberes de Nossa Terra”. Nos dois dias do evento que reuniu gastronomia, música e arte houveram mais de 1500 pessoas visitando, um concurso gastronômico com 30 participantes entre chefs, donas de casa e restaurantes, 03 atrações musicais, exposições de arte e ainda a Cozinha Show e Cozinha Kids que contou com mais de 100 participantes.

Na terça-feira (15), aconteceu o Concurso Gastronômico e Degustação de Frutos do Mar, na praça Nossa Senhora da Assunção, onde iniciaram-se as comemorações da Padroeira da Cidade, tendo a programação finalizada com show da cantora Fabíola Lins.

Houveram premiações para os melhores nas três categorias: chefs, cozinha de casa e restaurantes até o terceiro lugar de suas respectivas categorias. Os critérios avaliativos foram “apresentação e sabor”.

O evento realizado em parceria do Governo da Bahia, Secretaria de Turismo e da prefeitura da cidade tem objetivo de incrementar o turismo e colocar Camamu no roteiro Gastronômico da Bahia. “Camamu é muito rica, em sua cultura, história, suas tradições, belezas naturais, tem um imenso potencial turístico e a gastronomia está inserida nesse contexto. Estou satisfeita com o resultado. Esse é apenas o primeiro de muitos. Vamos entrar no roteiro gastronômico da Bahia!”, afirmou a prefeita Ioná Queiroz (PT). 

Além da prefeita, Ioná Queiroz, estiveram presentes, os deputados estaduais Rosemberg Pinto (PT) e os federais Josias Gomes (PT) e Robinson Almeida (PT).

RUI COSTA LANÇA PROJETO DE INCENTIVO A CULTURA BAIANA

Governador lança projeto de reafirmação da cultura da Bahia. IMAGEM: Paula Fróes/GOVBA

O governador Rui Costa (PT) lançou nesta última terça-feira (15), na Governadoria do Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, o projeto ‘Concha Negra’ que será realizado a partir de setembro até fevereiro do próximo ano (2018), na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA) também na capital. A iniciativa do projeto é reafirmar a identidade cultural da Bahia e garantir a presença da estética negra no maior palco da cultura do estado.

Como afirma o governador. “Estamos garantindo a presença da estética negra, a musicalidade e a dança nesse equipamento que completa agora um ano de reinaugurado. É um espaço onde cabem todos: o artista renomado que atrai um grande público e os grupos que carregam nossa história. Esse projeto ajuda a reafirmar a identidade cultural da Bahia. A ideia é essa e nós vamos manter isso como uma política de estado, incorporando outros grupos que simbolizam a nossa cultura e a nossa arte”.

Segundo a diretora artística do TCA, Rose Lima, participaram da primeira etapa, que iniciará no dia 03 de setembro, os grupos que estavam na reinauguração da Concha: Filhos de Gandhy, Cortejo Afro, Ilê Aiyê, Malê Debalê, Muzenza e Olodum. “Além das apresentações principais, cada espetáculo terá a participação de pelo menos um convidado especial e também uma abertura com o projeto ‘Janela Baiana’, uma ação que abre espaço para artistas ou grupos emergentes da Bahia nos eventos da Concha”, afirma.

O presidente do primeiro bloco ‘Afoxé Filhos de Gandhy’, Gilsoney de Oliveira afirmou que o projeto “certamente ajuda a potencializar e fomentar a cultura afrodescendente. Também dá suporte para uma maior sustentabilidade desses blocos. O Governo do Estado está de parabéns por essa iniciativa”.

Após a inauguração no dia 03 de setembro, a programação segue com Muzenza (8/10), Ilê Aiyê (19/11), Cortejo Afro (17/12), Olodum (7/1/2018) e Malê Debalê (4/2/2018) finalizando a lista de apresentações do projeto. Todos os shows serão aos domingos, às 18h, com ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).