ENCONTRO COM ESCRITORES NA CASA DOS ARTISTAS

Daniela Galdino.
Daniela Galdino.

O Teatro Popular de Ilhéus, através da sua editora, a Mondrongo Livros, promove nesta quarta-feira, dia 27, na Casa dos Artistas, o segundo Encontros do público com escritores sulbaianos. Sob mediação de Gustavo Felicíssimo, o evento receberá Daniela Galdino e Piligra, às 19 horas e com entrada gratuita. Antes, às 17 horas, acontece no mesmo local o Transeunte, intervenção poética e musical, com Jef e André Rosa.

O encontro tem como objetivo difundir a obra de autores sulbaianos entre os leitores da região e promover um bate-papo informal entre público e escritores, que falarão a respeito do processo criativo, influências, seus livros, e sobre questões fundamentais que envolvem a criação, tudo com a participação ativa do público. 

CASA DOS ARTISTAS INICIA CICLO DE DEBATES SOBRE O LIXO

A Casa dos Artistas inicia o hoje (quinta,6), às 20h, o ciclo de debates “Lixo: para onde vai?”. A ideia é discutir a origem e o destino do lixo e o que isso tem a ver com a sua vida.

Os debates acontecerão todas as quintas e também haverá exibição de vídeos. Hoje, os curtas-metragens “O que você vê no lixo” e “Ilhas das Flores” serão projetados. O professor da UESC, Leandro Kerber, será mediador nos debates sobre a relação entre a sociedade  e a produção de resíduos solídos.

O projeto conta com a parceria do Instituto Nossa Ilhéus. A classificação é livre e a entrada é franca.

“INTELLIGENTSIA CONFINADA”

Por Emílio Gusmão

Não acredito na existência de instituições perfeitas.

Por isso, ousarei lançar uma crítica à Casa dos Artistas, sinônimo de respeito.

Já disse isso na Rádio Santa Cruz: tenho orgulho de ser contemporâneo de Romualdo Lisboa (um gênio) e do Teatro Popular de Ilhéus (grupo de uma dignidade artística impressionante).

Possui grande relevância a iniciativa de levar Teodorico Majestade aos assentamentos rurais, ideia capaz de revolucionar a mente das pessoas, por meio da reflexão e do pensamento.

Há uma constatação inegável: tudo que o TPI faz exprime grande qualidade.

Como provocador, fustigarei um pouco a vaidade de Romualdo Lisboa (apenas dele), às vezes auto-suficiente ao se relacionar com as críticas.

O Improviso Oxente passa a idéia de uma “intelligentsia confinada”, capaz de gerar debates interessantíssimos, entretanto, quase estéreis.

A repercussão das boas discussões tem alcance restrito, mexe com poucas pessoas e poderia render muito mais.

Sugiro algumas ideias: a inserção das comunidades por meio dos representantes das associações, a utilização de um ambiente aberto e a transmissão dos debates pela internet (a casa tem um núcleo de produção audiovisual com equipamentos para isso, se faltar um switch, um smartphone pode dar conta de tudo).

Este blog pode incorporar em sua home o “embed” da transmissão, numa boa, sem nenhum custo.

Essa tendência de segmentação, presente no Improviso Oxente, sugere a opção por uma elite pensante, distante do mundo real, academicismo sem extensão e inócuo ou masturbação intelectual.

Estas são as únicas observações que tenho. Não desejo impor convencimento, mas espero a compreensão que distingue os artistas.

Seria melhor se não fosse tão restrito.

VOCÊ VAI MORRER DE TANTO RIR!

Logo mais às 20h, a Companhia Casa Aberta de Teatro apresenta na Casa dos Artistas, a comédia “A Filha do Coronel”.

Dirigida por Ruy Penalva e com texto em cordel escrito por Guimarães Neto, a peça mostra os costumes e as contradições de uma típica família da década de 40 (seculo XX). Elenco: Ruy Penalva, Germano Lopes e Maurício Lima.

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). A Casa dos Artistas fica na Rua Jorge Amado, nº 39, centro, Ilhéus.

TEODORICO MAJESTADE E GILTON MUNHECA NO PAPEL

O dramaturgo Romualdo Lisboa, diretor do Teatro Popular de Ilhéus, é um inquieto ativista cultural. Sempre na trilha da ousadia, imerso na cultura grapiúna, ele decidiu lançar os textos de "Teodorico Majestade" e "O Inspetor Geral" em livro. As duas obras foram escritas em cordel. Reunidas num livro de acabamento impecável, propiciam a leitura de uma deliciosa sátira envolvendo as falcatruas dos políticos corruptos de Ilha Bela. O lançamento aconteceu na Casa dos Artistas, no último sábado (01), e foi a estréia do selo Mondrongo, editora que objetiva a publicação de obras produzidas por autores regionais, em pequenas tiragens. No evento, o Blog do Gusmão bateu um papo com o criador de Malote, Teodorico, Gilton Munheca, Pai Didão Jorge Paraíba e cia. Ouça a entrevista.

 

 

 

  

Veja mais fotos.

(mais…)

TÂNIA BARBOSA FALA SOBRE A MONTAGEM DA PEÇA “LENDAS DA LAGOA ENCANTADA”

Tânia Barbosa.

Nessa entrevista ao Blog do Gusmão, gravada na última quarta (24), a atriz e diretora de teatro, Tânia Barbosa, fala sobre  o novo espetáculo “Lendas da Lagoa Encantada”.

O projeto da Companhia Boi da Cara Preta (grupo residente da Casa dos Artistas) está em fase de pesquisa e montagem.

Tânia conta algumas peculiaridades do folclore ilheense, presentes no imaginário da comunidade que vive próxima à Lagoa.

A entrevista está imperdível!

Confira.

 

 

 

IMPROVISO OXENTE DISCUTE AS LENDAS DA LAGOA ENCANTADA

Lagoa Encantada: riqueza cultural, paisagística e da biodiversidade. Imagem de Fábio Coppola.

Os debates do Improviso Oxente retornam à Casa dos Artistas, dessa vez com a proposta de mergulhar no universo das lendas da Lagoa Encantada, tema do próximo espetáculo da Companhia Boi da Cara Preta.

O primeiro convidado será o professor Reinaldo Soares, diretor do Instituto Brasileiro de Educação, Cultura e Turismo (IBEC), autor da dissertação de mestrado: As Lendas da Lagoa Encantada e o Imaginário Popular. A participação de Soares será nessa quarta-feira (24), às 19h.

Situada na região norte de Ilhéus, a Lagoa está envolvida por uma Área de Proteção Ambiental (APA). Além da paisagem caracterizada por um imenso espelho d’água de 6,4 km², cercado por fazendas e mata nativa, ela oferece um lindo espetáculo natural que desperta a curiosidade e a imaginação dos visitantes. Ilhas flutuantes se movem entre as margens da lagoa, ao sabor dos ventos. Conhecida no passado como “Lagoa de Ilhéus”, ela guarda as mais interessantes lendas que fazem parte do folclore ilheense, contadas por sua comunidade ribeirinha.

(mais…)

CRÍTICA ESPECIALIZADA “RASGA ELOGIOS” AO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

“Entre muitas coisas admiráveis em Teodorico Majestade, destaca-se a consciência dos atores, que são ótimos cômicos, mas não se deixam levar pela própria graça, explorando efeitos à caça do riso fácil. Há um rigor explícito na condução da trama, uma sobriedade na interpretação, que longe de diluir a comicidade torna-a crítica e consequente. Um belo e digno exemplo de teatro popular”. Sebastião Milaré

A apresentação de “Teodorico Majestade – As Últimas Horas de Um Prefeito”, na VI Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, emocionou o público presente na sala Jardel Filho, do Centro Cultural São Paulo.

A encenação do Teatro Popular de Ilhéus, no dia 1º de maio, encerrou o evento que reuniu 33 companhias teatrais da America latina e da Europa.

Além de propiciar o êxtase das pessoas que assistiram, Teodorico Majestade rendeu elogios de dois analistas respeitados no meio teatral: os críticos Sebastião Milaré e o colombiano José Assad.

(mais…)

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA CONTA A HISTÓRIA DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

O Teatro Popular de Ilhéus estreou hoje (segunda, 18), às 14h30min, uma exposição fotográfica memorial que narra a trajetória do grupo, fundado em 1995, pelo ator e diretor Équio Reis (já falecido).

Quando surgiu, a proposta inicial do TPI juntou oito artistas corajosos, congraçados através de uma idéia desafiadora: fazer teatro independente no Sul da Bahia, buscando nos anseios das comunidades grapiunas, a inspiração principal.

A exposição, fruto da pesquisa de Potira Castro e Ed Paixão, traz fotografias inéditas, realizadas por Équio Reis e Pedro Mattos (personalidade importante na história do grupo, já falecido).

Aproximadamente 100 fotos, que relembram 20 espetáculos encenados pelo TPI, estarão à disposição do público, acompanhadas de sinopses e figurinos.

O acervo de imagens ficará até o dia 18 de maio, na Casa dos Artistas, sempre de segunda a sexta, das 14h30min às 18h30min.

Endereço: Rua Jorge Amado, nº39, Centro, Ilhéus. A entrada é franca.

ROCK’N ROLL COM POESIA

Acontece no próximo sábado, às 20 horas, na Casa dos Artistas, um programa cultural diferente, o espetáculo Catedrais Suspensas, em que a banda Enttropia, uma das mais atuantes do cenário cultural ilheense, funde o seu rock’n roll puro sangue e letras emblemáticas aos poemas viscerais de Gustavo Felicíssimo, que os interpreta no palco, proporcionando um show inovador e ao mesmo tempo surreal e vibrante para o público.

Mais informações: 73.8842.2793 (Gustavo)

COMPRE UMA FEIJOADA E GANHE UM ESPETÁCULO

A Casa dos Artistas promove de 4 a 15 deste mês o Feijão da Casa, sempre ao meio-dia.

Quem comprar uma suculenta feijoada, preparada pela Barrakitica, assistirá ao espetáculo “O Fiscal e a Fateira”.

A peça tem o texto do saudoso Équio Reis, com atuação de Romualdo Lisboa e Ely Izidro.

A promoção “casadinha” custa R$ 15,00.

A Casa dos Artistas fica na Rua Jorge Amado, nº 39, centro, lhéus.

Veja um trecho do espetáculo.

LUIS BUÑEL NO CINE CLUBE ÉQUIO REIS

Excelente filme em cartaz, nesta terça-feira (15), às 19 horas, na Casa dos Artistas, com entrada gratuita.

Trata-se de “Viridiana”, do polêmico Luis Buñel.

Às vésperas de ser ordenada freira, Viridiana passa uns dias na mansão do seu pervertido tio, que, obcecado com sua beleza, tenta seduzi-la de todas as maneiras. Com a morte repentina do tio, desiste da vida religiosa, indo morar na mansão. Movida pelo espírito de caridade cristã, ela abriga e alimenta todos os mendigos da região. Porém, os miseráveis não se comportam do jeito que ela esperava.

A Casa dos Artistas fica na Rua Jorge Amado, nº39, Centro, Ilhéus. Veja o trailer.

 

A DIALÉTICA DAS MISÉRIAS ESTÁ DE VOLTA

O espetáculo “Nazareno Contra o Dragão da Maldade”, a mais nova produção do Teatro Popular de Ilhéus, volta ao palco da Casa dos Artistas, neste final de semana (sexta-feira/17 e sábado/18), em duas sessões diárias (19 e 20:30 horas).

A montagem, inspirada em fatos reais, narra o drama de Nazareno, líder comunitário de Vila Nazaré (comunidade paupérrima de Ilhéus), e de sua esposa Maria.

Os dois travam uma luta pela sobrevivência, com posturas opostas diante do sofrimento. Nazareno acha que a miséria será vencida quando toda a comunidade de Vila Nazaré viver dias melhores, por isso, sacrifica sua vida familiar em benefício da luta comunitária. Maria, sensibilizada pelo coração de mãe, deseja uma vida melhor para seus dois filhos pequenos, que carecem de condições elementares para o desenvolvimento infantil.

(mais…)