Cineastas baianos iniciam a produção de filme sobre a importância central de Itabuna na história do cinema brasileiro

Camele Queiroz e Fabrício Ramos.

Os cineastas e produtores baianos, Fabrício Ramos e Camele Queiroz, iniciaram em março a produção do filme “A Rua do Cinema Mágico”, cuja narrativa parte de uma história que nem todo mundo conhece: a importância central de Itabuna na história do cinema brasileiro, desde o Cinema Novo dos anos 1960 até a chamada retomada, na década de 1990.

Para Fabrício Ramos, itabunense radicado em Salvador, Itabuna assume um lugar importante, porém nem sempre reconhecido, na história de nosso cinema de maior impacto internacional e importância cultural. Segundo o diretor, “Itabuna teve, de diferentes modos, relações diretas com os filmes de peso na história do cinema mundial, desde ‘Deus e o Diabo na Terra do Sol’, do conquistense Glauber Rocha, e ‘Os Deuses e os Mortos’, de Ruy Guerra; até ‘Central do Brasil’, de Walter Salles, que disputou o Oscar de 1998 levando para Hollywood uma história cuja gênese é a vida da itabunense Socorro Nobre”.

Que história é essa?

Fabrício, nascido e criado em Itabuna, conta que viveu grande parte de sua infância e adolescência numa rua que tinha um cinema. “Morei nessa rua até os 10 ou 11 anos de idade, mas nunca me desliguei completamente dela”, diz. Trata-se das redondezas da rua Travessa Francisco Benício, no centro da cidade, onde existia o Cine Teatro Amélia Amado, atualmente um galpão abandonado, e onde morava Socorro Nobre, a mulher cuja história inspirou a narrativa do filme “Central do Brasil”, de Walter Salles, um dos filmes mais premiados da história do cinema brasileiro.

“A mim”, Fabrício continua, “sempre me impressionou pensar naquela rua de Itabuna como uma rua de grande magia e grande tragédia! Lá, fui ao cinema pela primeira vez na vida e, tempos depois, fui às lágrimas quando vi o rosto de Socorro Nobre, que morava ali bem pertinho, no Oscar. A tragédia da vida dela sensibilizou artistas como Frans Krajcberg e o próprio Walter Salles. É o rosto de Socorro Nobre o primeiro a aparecer em ‘Central do Brasil’. (mais…)

Cinemas têm até janeiro para garantir acessibilidade a cegos e surdos

A partir do dia 1º de janeiro de 2020, todas as salas de cinema do país serão obrigadas, sob pena de multa, a oferecer aparelhos de acessibilidade para deficientes visuais e auditivos. A determinação está na Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Até o dia 16 de setembro deste ano, os exibidores precisam ter atingido a meta de 35% das salas dos grandes complexos e 30% das salas dos grupos menores.

Segundo o secretário-executivo da Ancine, João Pinho, o dia 16 de junho foi o primeiro prazo para o cumprimento das metas, com a exigência de 15% das salas de grandes complexos oferecendo os recursos de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras) para quem solicitar.

“Agora a gente entrou efetivamente na segunda fase, que é monitoramento do cumprimento em si. Ainda tem um pouco de orientação, mas já começa com a fiscalização pelos complexos. Estamos acompanhando semanalmente pelos sistemas internos da agência e de acordo com o plano de fiscalização, que envolve visitas técnicas quando necessário. Estamos divulgando a lista dos cinemas que se declaram acessíveis”.

Segundo o último levantamento feito pela agência, divulgado no fim de junho, a meta de 15% havia sido cumprida. A lista das salas com os recursos pode ser consultada na internet e o próximo levantamento deve ser divulgado no início de setembro.

Pinho explica que as exigências de acessibilidade para o setor de cinema no Brasil começaram em 2014, com a obrigatoriedade de todos os filmes produzidos com recursos públicos oferecerem os recursos para audiência de cegos e surdos. E desde 16 de junho todos os filmes, inclusive estrangeiros, já estavam adaptados.

(mais…)

COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA É TEMA DO DOCUMENTÁRIO A LUTA SAGRADA

Filme reúne depoimentos de representantes de diversos segmentos que lutam contra intolerância religiosa. Foto: A Tarde.

Salvador é o ponto de partida do filme documentário A Luta Sagrada – O Combate à Intolerância no Estado da Bahia, que será lançado nessa terça-feira, 11, às 18h, na Sala de Arte – Cinema do Museu, no Corredor da Vitória.

Ambientado em Salvador e em cidades do Recôncavo baiano, o filme reúne depoimentos de representantes de diversos segmentos religiosos e institucionais na luta das religiões de matriz africana contra a intolerância religiosa no estado da Bahia. Segundo o Ministério Público da Bahia, houve aumento de 300% no número de casos.

Com a direção do cineasta Filó Filho, A Luta Sagrada é uma realização do Acervo Cultne e a União de Negros Pela Igualdade (Unegro), com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

“A intolerância religiosa é uma das mais desprezíveis formas de desrespeito aos direitos humanos e às liberdades individuais, e A Luta Sagrada traz isso à tona, para que busquemos valorizar a paz e a boa convivência entre as religiões existentes na sociedade”, destaca Filó Filho. 

Veja a chamada do filme.

L.A.T.A – LEGIÃO ANÔNIMA TRABALHADOR AUTÔNOMO

Por Thiago Dias

Era noite no Pontal. A senhora vociferou: “Largue! Largue meu lixo! Não mexa! Não venha bagunçar meu lixo”!

Pensei que a mulher enxotava um cão. Mas o animal do qual ela defendia seu lixo nos era semelhante. Notei isso quando o homem levantou e caminhou até o próximo monte de sacolas. Delas, ele re-colheu duas latas. Depois disso, o trabalhador seguiu seu caminho e a senhora voltou ao grupo de vizinhos reunido na calçada.

As personagens se foram. A impressão produzida pela cena, não. Intimamente, solidarizei-me com o homem tratado feito cão. Mas não ousei manifestar-me contra o sentimento de posse que aquela mulher nutria pelo seu lixo. Não convinha desafiar sua raiva. Muito menos explicar-lhe o valor ecológico e socioeconômico da Legião Anônima de Trabalhadores Autônomos.

Ou será que aquele catador sempre bagunça o lixo da senhora e, dessa vez, ela lhe flagrou? Certamente, isso justificaria a violência da velha. Afinal, não se pode sair por aí revirando o lixo alheio, sem pedir licença ao dono. 

______

¹ Link para descrição do documentário que inspirou esse título

“IMAGEM NO AR” E “O EX-MÁGICO” NO CINECLUBE DESTA TERÇA

O Cineclube Équio Reis desta terça-feira (18) traz dois vídeos: Imagem no ar, de Lívia Gouveia, Malu Carvalho e Thalline Gonçalves , e O ex-mágico, dirigido por Adrian Greyce.

O primeiro apresenta a história de uma jovem aficionada pelo rádio, criando imagens para tudo o que escuta. Já o segundo traz a história de um homem sombrio que vive da magia e decide cometer suicídio.

O Cineclube acontece na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, localizada na Avenida Soares Lopes. A entrada é franca e as exibições começam às 19 horas.

ANTÔNIO PITANGA EM ILHÉUS

Antônio Pitanga

Telma Avarenga/Correio:

Antônio Pitanga desembarca em Ilhéus no mês que vem, para o  III Festival de Cinema Baiano (Feciba). O ator vai conferir a exibição do documentário Água de Meninos – A Feira do Cinema Novo, de Fabíola Aquino.

O baiano, radicado no Rio, é um dos entrevistados do longa, que traça um paralelo entre a antiga feira – que sofreu um incêndio devastador na década de 60 – e a Feira de São Joaquim.

Depois da sessão, o pai da atriz Camila Pitanga baterá um papo com o público. O festival vai de 7 a 13 de junho.

FILME COM CENAS GRAVADAS EM ITAJUÍPE GANHA PRÊMIO EM PORTUGAL

“A Coleção Invisível”, longa dirigido pelo cineasta francês radicado na Bahia, Bernard Attal,  ganhou o prêmio de Melhor Longa Metragem no 4 º Fest-In (Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa), que ocorreu de 3 a 10 de abril, em Lisboa, Portugal.

O filme teve cenas gravadas em Itajuípe, que foi escolhida entre 40 cidades sul-baianas. Mais de  400 moradores foram cadastrados para atuar como figurantes e, segundo o prefeito Marcos Dantas, em pouco mais de trinta dias de filmagens a economia local lucrou cerca de um milhão de reais.

O longa contou ainda com participação do ator itajuipense Wesley Macêdo, de 14 anos. Wesley arrancou elogios de atores veteranos, como Paulo César Peréio.

A produção traz no elenco Vladimir Brichta, Walmor Chagas, Ludmila Rosa, Frank Menezes e Paulo César Pereio, entre outros atores. Conta a história de Beto (Brichta), um DJ cuja família é dona de um antiquário que está em crise. Para tentar resolver o problema da loja, ele viaja para o interior da Bahia, quando conhece Samir (Walmor Chagas) e sua vida muda.

Confira o trailer:

HOMENAGENS PARA GLAUBER ROCHA NO SENADO

Glauber Rocha.

O mais celebrado cineasta baiano será homenageado no Senado Federal durante o mês de agosto. Morto em 1981, Glauber Rocha dirigiu grandes clássicos do cinema, entre eles, “Terra em Transe”, “Deus e o Diabo na Terra do Sol” e “O Dragão da Maldade”.

Nascido em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, Glauber faturou grandes prêmios, como A Crítica do Festival de Cannes e o Prêmio Luis Buñuel na Espanha, com a produção “Terra em Transe”.

A homenagem do Senado inclui programações especiais realizadas pela TV e Rádio, sempre aos domingos, as 21h, e uma sessão especial, no dia 23, em plenário.

Para a veiculação na TV foram selecionados  três filmes e o documentário “Redescobrindo o Brasil – Glauber Rocha”, dirigido por Maria Maia e produzido pela TV Senado.

Informações do A Tarde.

ENTREVISTA DO CINEASTA SILVIO TENDLER À REVISTA CAROS AMIGOS

O cineasta Silvio Tendler fala, em entrevista exclusiva para a revista Caros Amigos, de sua vida, dos seus filmes, do cinema brasileiro e da cultura em geral. Demanda, com veemência, a existência de política pública para o cinema nacional não comercial e de mais espaços para exibição.

Os filmes do cineasta carioca procuram resgatar a memória brasileira e circulam principalmente em universidades, escolas e movimentos sociais. Tendler começou a se interessar por cinema cedo: nos anos 60. Então, entrou para movimento cineclubista e mais tarde enveredou para o filme-documentário. Hoje, tem mais de 40 curtas, médias e longas-metragens.

Os documentários mais conhecidos dele são Utopia e Barbárie (2009), Memórias do Movimento Estudantil (2007), Encontro com Milton Santos (2006), Glauber o filme (2003), JK (2002), Marighella (2001), Quilombos (1996), Josué de Castro (1994) e Jango (1984).

(mais…)

MOSTRA CINEMULTI EM ITACARÉ

De 30 de abril a 29 de maio, Itacaré receberá a sua primeira mostra de cinema cultural, com apresentação de 23 curtas e 10 longas metragens, distribuídos durante cinco finais de semana, em vários pontos da cidade.

Porto de Trás, Bairro Santo Antônio, Passagem, Praça da Mangueira e Taboquinhas irão receber um público interessado em descobrir, debater e curtir algumas das melhores produções brasileiras da atualidade.

Todas as exibições da Mostra Cinemulti serão gratuitas, e no final das projeções, haverá bate papo com diretores, produtores e atores dos filmes exibidos.   Durante o evento serão oferecidas ainda 80 vagas para jovens da comunidade, em cinco oficinas de capacitação em audiovisual.

LUIS BUÑEL NO CINE CLUBE ÉQUIO REIS

Excelente filme em cartaz, nesta terça-feira (15), às 19 horas, na Casa dos Artistas, com entrada gratuita.

Trata-se de “Viridiana”, do polêmico Luis Buñel.

Às vésperas de ser ordenada freira, Viridiana passa uns dias na mansão do seu pervertido tio, que, obcecado com sua beleza, tenta seduzi-la de todas as maneiras. Com a morte repentina do tio, desiste da vida religiosa, indo morar na mansão. Movida pelo espírito de caridade cristã, ela abriga e alimenta todos os mendigos da região. Porém, os miseráveis não se comportam do jeito que ela esperava.

A Casa dos Artistas fica na Rua Jorge Amado, nº39, Centro, Ilhéus. Veja o trailer.

 

A ESTREIA DO 1º FESTIVAL DE CINEMA BAIANO FOI UM SUCESSO!

Com o Teatro Municipal de Ilhéus cheio, o Festival foi aberto por uma mesa composta por Pawlo Cidade, representante da Fundação Cultural de Ilhéus, Samuel Mattos, diretor do Departamento de Letras e Artes da UESC e Edgard Navarro, cineasta. Depois, foi exibido o filme “Batatinha, poeta do samba”, seguido de um bate papo com o diretor Marcelo Rabelo, que instigou o público a um papo sobre cinema e música popular.

Hoje (10), pela manhã, iniciaram as oficinas gratuitas de produção, roteiro e direção de arte. Ás 18:30h, será exibido o histórico “Superoutro”, de Edgard Navarro, no Cine Santa Clara e, às 20:30h, “Cantador de Chula”, de Marcelo Rabelo, no Teatro Municipal de Ilhéus. Os cineastas estarão presente para participar de um bate papo com o público após a exibição dos filmes. Para cada uma destas sessões, a entrada custa apenas R$ 5,00. Acesse: www.feciba.com.br .

Abertura do Feciba no Teatro Municipal de Ilhéus. (Foto: Blog do Gusmão)

FECIBA DIVULGA PROGRAMAÇÃO

Cena de "Filhos de João" premiado com 4 estatuetas, no 42º Festival de Brasília e que será exibido no evento.

O 1° Festival de Cinema Baiano (FECIBA) divulgou a programação no site oficial (www.feciba.com.br). O evento acontecerá entre os dias 9 e 13 de janeiro. O circuito de exibições vai abranger o teatro Municipal de Ilhéus, o Cine Santa Clara e a Fundação cultural de Ilhéus.

Durante o FECIBA serão exibidos longas e curta-metragens em cinco categorias de mostra: mostra atualidade, mostra retrospectiva,  mostra sexualidade,  mostra pararela  e a mostra competitiva de curtas-metragens, cuja curadoria foi feita pela associação Baiana de Cinema e Vídeo (ABCV) e que vai premiar com R$ 2 mil, R$ 1 mil e R$ 800,00 o primeiro, segundo e terceiro lugares, repectivamente, e com R$ 500,00 para duas menções honrosas. Todos os premiados serão escolhidos por meio do voto de público presente.

Até o dia 20, os interessados podem se inscrever nas oficinas de roteiro, produção e direção de Arte e na mostra paralela. O passaporte que da acesso a todas as sessões está com preço promocional de R$ 15,00 até esse dia.

(mais…)

1º FESTIVAL DE CINEMA BAIANO RECEBE INSCRIÇÕES

As inscrições para oficinas e mostra paralela de produções independentes do 1º festival de cinema baiano (FECIBA), que acontece em Ilhéus, entre os dias 09 e 13 de janeiro de 2011, já estão abertas.

Para participar da mostra parelela, os produtores independentes  devem adquirir o passaporte e enviar o vídeo até o dia 20 de dezembro para o endereço: Rua Daniel Leão, nº 20, bairro Manoel Leão, Itabuna-BA, CEP 45 601-010. Serão exibidos 20 curtas-metragens de, no máximo, 20 minutos em formato DVD.

O evento disponibilizará gratuitamente três oficinas de capacitação em audiovisual. A Oficina de Roteiro será ministrada por Clarissa Rebouças, roteirista de peças de teatro, documentários e ficção, graduada em Cinema e Vídeo pela Faculdade de Tecnologias e Ciências e especialista em roteiro pela UNIJORGE, ambos os cursos de Salvador. A Oficina de Produção será ministrada por Paula Gomes, produtora cultural, roteirista e diretora de diversos filmes atuais do cinema baiano, com destaque nacional e internacional; estudou Cinema e TV na Escuela Septima Ars de Madri e se especializou em direção e produção no CPF –SICA, em Buenos Aires. E a Oficina de Direção de Arte será ministrada pela cenógrafa e diretora de Arte, Carol Tanajura, que atuou em diversos longas-metragens, como “Eu me lembro”, de Edgard Navarro e “Trampolim do Forte”, de João Rodrigo Mattos, além de atuar também em curtas-metragens.

(mais…)