ILHÉUS: URNA ELETRÔNICA COM DEFEITO NO COLÉGIO IMPACTO

Foto ilustrativa.

Problema inesperado para os eleitores da 25ª zona, seções 001, 187 e 247 agregadas numa só urna instalada no Colégio Impacto (antigo Diocesano) em Ilhéus.

Durante a tarde deste domingo, a urna eletrônica parou de funcionar e as pessoas que aguardavam o momento do voto ficaram quase duas horas paradas na fila.

A tela do equipamento ficou preta e não possibilitou qualquer visualização. Os mesários tiveram dificuldades para acionar os técnicos do TRE.

Após o contato, uma urna em boas condições chegou em 15 minutos. A fila continua grande por conta das três seções reunidas numa só urna.

NAZAL MANTÉM FIDELIDADE PARTIDÁRIA E VOTA NOS CANDIDATOS DA REDE

José Nazal. Imagem: Clodoaldo Ribeiro.

O vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal, manteve a fidelidade partidária e declarou voto nos candidatos da Rede Sustentabilidade nas eleições deste domingo, 07. “Sou membro da Rede e voto no meu partido de cima abaixo”, enfatizou.

Em áudio enviado pelo Whatsaap, Nazal divulgou seus votos em Marina Silva (presidente), Célia Sacramento (governadora), Chico (senador), Cacique Ramon (deputado federal) e Yuri (deputado estadual).

Para a segunda vaga do Senado Federal, Nazal optou por Jorge Viana (PMDB). “A Rede só lançou um candidato. Por uma razão pessoal decidi votar em meu amigo Jorge Viana que me apoiou em 2016 quando fui candidato vitorioso a vice-prefeito de Ilhéus”, explicou.

“No dia 01 de agosto de 2016, quando a REDE firmou aliança com PSD para as eleições municipais, afirmei no palanque, de maneira educada e tranquila, que o meu partido teria candidaturas próprias em 2018 e que eu seria fiel e coerente. Mantive a minha palavra”, ressaltou Nazal.

RENATO COSTA DECLARA VOTO EM LÍDICE DA MATA

Lídice da Mata e Renato Costa. Fotos encontradas no Google.

Num breve depoimento encaminhado ao Blog do Gusmão na manhã deste domingo, 07, o ex-vice-prefeito de Itabuna e ex-deputado estadual por dois mandatos, o médico Renato Costa, declarou voto em Lídice da Mata para deputada federal.

De acordo com Renato, “Lídice tem trajetória decente na política, com dignidade, correção e coerência. Sempre defendeu as causas sociais. Como prefeita de Salvador, criou o programa ‘Cidade Mãe’ que até hoje tem reflexos positivos. Como senadora teve atuação destacada em favor do Sul da Bahia, pois conseguiu recursos para a Universidade Estadual de Santa Cruz em todos os anos do mandato. Municípios como: Ubaitaba, Itapitanga, Barra do Rocha, Floresta Azul, Firmino Alves e Ilhéus receberam recursos de emendas de Lídice. Ela também conseguiu verba substancial para a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna que vai servir para ampliação dos serviços mais necessários”, ressaltou o médico.

UM VOTO PARA O FUTURO

Por Julio Gomes.

Seria muito fácil, neste momento, fazer um pronunciamento ou texto defendendo este ou aquele candidato(a), ressaltando suas qualidades, acrescentando alguma proposição ou fazendo uma crítica subliminar a seus principais concorrentes. Todas as informações estão abundantemente disponíveis para este fim, e vão desde as propagandas de cada candidato até as análises dos fatos que envolveram a presente disputa eleitoral.

Entretanto, o momento que vivemos talvez necessite de mais do que isto.

O clima de forte tensão que paira no Brasil de hoje é percebido até mesmo por quem odeia política ou tenta se manter o mais distante possível de questões partidárias. E mesmo que a pessoa não pense ou não queira pensar na política, nas eleições e, sobretudo, em suas consequências, é necessariamente levada a isto porque esta tensão está nas famílias, nas Igrejas, nos grupos voltados para o esporte, no trabalho, em todas as relações pessoais. Não se trata mais de perceber pela razão: a percepção vem pelo sentimento, é captada no ar.

De fato, vivemos um momento gravíssimo, talvez único em nossa história como nação.

Por isso, se você ainda não sabe em quem votar, talvez seja mesmo o caso de não votar em ninguém. E se você tem convicção de sua escolha, faça-a e, principalmente, assuma-a, amanhã e nos próximos quatro anos, no mínimo.

Neste domingo, 06 de outubro, dia da votação em primeiro turno das eleições 2018, quando as urnas se abrirem, vá exercer seu direito / dever de votar. Mas não brinque com seu voto, em hipótese alguma.

Porque você tem o direito de votar, mas não de brincar com o seu futuro, nem com o do Brasil, nem com o de seus filhos e – desculpe se lhe pareço egoísta – nem com o meu futuro!

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz.

DATAFOLHA: BOLSONARO AMPLIA E ATINGE 39% DOS VOTOS VÁLIDOS, HADDAD 25%

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters.

Segundo pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 04, o capitão do exército Jair Bolsonaro (PSL) ampliou sua vantagem sobre os concorrentes na disputa pelo Palácio do Planalto.

Bolsonaro tem agora 39% dos votos válidos, que excluem brancos, nulos e indecisos, estando a 11 pontos percentuais do patamar para a vitória no primeiro turno, faltando três dias para o primeiro turno da eleição.

O candidato do PT, Fernando Haddad, sem mantém estável na segunda posição, com 25% dos votos válidos. Ele está empatado com Bolsonaro na simulação de segundo turno.

O Datafolha entrevistou 10.178 eleitores. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela Folha e TV Globo e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-2581/2018.

No pelotão inferior, se mantiveram estáveis Ciro Gomes (PDT), com 13% dos válidos, e Geraldo Alckmin (PSDB), que registrou 9%.

Quando analisada a evolução em votos totais, Bolsonaro foi o único que oscilou acima da margem de erro, confirmando o espraiamento de seu voto em diversos segmentos -se a onda será suficiente para os 50% mais um voto necessários para a vitória no domingo, é incerto.

Ele subiu de 32% para 35% desde o levantamento divulgado na terça (2). A curva já vinha ascendente: na semana passada, ele tinha 28% dos votos totais entre 26 e 28 de novembro.

A pesquisa anterior havia registrado um aumento de sete pontos na sua intenção de voto entre mulheres, ocorrido após as manifestações de cunho feminista do EleNão do fim de semana.

(mais…)

JUSTIÇA ELEITORAL DETERMINA QUE PT REMOVA PROPAGANDA ELEITORAL DAS RUAS DE SALVADOR

A juíza Karla Adriana Barnuevo de Azevedo, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), determinou que o Partido dos Trabalhadores (PT) promova, em até 48 horas, a devida regularização das vias públicas que foram pintadas com a marca e o número do partido em Salvador, conforme denúncia feita pela Prefeitura.

Entretanto, com autorização da magistrada, a Prefeitura, por meio da Limpurb, já iniciou o processo de limpeza da propaganda eleitoral irregular para que a cidade não seja prejudicada, enquanto uma outra ação com o objetivo de identificar e punir os autores do ato será movida pela Procuradoria Geral do Município (PGM) no âmbito do TRE.

“Notifique-se a coligação e o partido denunciados para também procederem à retirada devida, nos endereços indicados na denúncia, assim como em todos aqueles bens que dependam de cessão ou permissão do poder público ou de uso comum, contendo a mesma ou semelhante pichação, no prazo de 48 horas, devendo se absterem do descumprimento reiterado da legislação eleitoral”, determinou a magistrada. Um servidor da Justiça Eleitoral acompanha o processo de retirada da propaganda.

Pontos de asfalto do Comércio, Piedade, Avenida Garibaldi e Acupe de Brotas amanheceram hoje, 04, pintados com a marca e o número do PT, em um ato de vandalismo proibido pela legislação eleitoral. A prática é uma das hipóteses de propaganda ilegal, podendo levar à aplicação de multa no valor de R$ 2 mil a 8 mil.

Além disso, as pichações configuram crime ambiental, segundo o art. 65 da Lei Municipal nº 9.605/98 e violam as posturas legais sobre o ordenamento da cidade, sujeitando os responsáveis ao pagamento de multa no mesmo valor do que foi gasto pela Prefeitura para a limpeza.

116.780 ELEITORES PODEM VOTAR EM ILHÉUS NESTE DOMINGO

No próximo domingo, 7 de outubro, a partir das 8 horas,  116.780 eleitores estarão aptos a exercer o direito cidadão do voto nas eleições deste ano, divididos em duas zonas, a 25ª e  26ª. Este total resultou do cadastramento biométrico obrigatório de eleitores no município de Ilhéus, após trabalho realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE\Bahia).

Em 2018, os eleitores vão escolher os deputados estaduais da Assembleia Legislativa da Bahia, os deputados federais, senadores, governador do Estado e o presidente da República. O eleitor deve comparecer à seção eleitoral munido do título e do documento de identidade, ou o e-titulo em seu celular. Quem teve o título cancelado não vota.

Até o início do cadastramento biométrico, Ilhéus possuía 135.424 eleitores. Após a conclusão do trabalho pelo TRE, o número de eleitores foi reduzido. Muitos fatores influenciaram para essa diminuição, a exemplo da ausência de eleitores falecidos e outros que mudaram para outros municípios, os que chegaram à idade de 70 anos e não são obrigados a votar, e dificuldades encontradas pelos que residem na zona rural e não tiveram condições de se deslocar até a cidade para efetuar o recadastramento.

Mudança – Em Ilhéus, o eleitor precisa ficar atento para algumas alterações nos locais de votação. A Justiça Eleitoral no município informa que houve mudança de locais de votação, excepcionalmente no pleito de 2018, na 25ª Zona. Quem vota no Sindicato dos Bancários deverá se dirigir ao Colégio Impacto (Terminal Urbano), e os votantes do Instituto Municipal de Ensino (IME) e do CEAMEV, na Avenida Canavieiras, terão como seção de votação o Colégio Heitor Dias, na mesma artéria (ao fundo do IME), no Centro.

Importante que cada cidadão brasileiro chegue com antecedência à sua zona de votação. O eleitor que não lembra onde se localiza sua seção eleitoral, deve se informar com antecedência, até sexta-feira, no SAC, ou no site da Justiça Eleitoral. Informações adicionais quanto ao seu domicílio eleitoral acesse o site: tre.ba.jus.br, ou, baixe o aplicativo e-titulo, ou através do disque título, (71) 3373 – 7000.

Fique atento às normas da eleição. Além de ser um direito e um dever, o voto tem implicações jurídicas na vida do cidadão. Quem não puder comparecer a seu local de votação pode fazer o voto em trânsito ou justificar a ausência.

Com informações da Secom Ilhéus.

BOLSONARO VAI A 32%; HADDAD AVANÇA 2 PONTOS E ATINGE 23%, SEGUNDO O IBOPE

Nova pesquisa do Ibope divulgada nesta quarta-feira, 3, traz números atualizados da intenção de voto para a Presidência da República em 2018. A quatro dias da votação do primeiro turno, a pesquisa mostra que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, continua na liderança.

Ele chegou a 32% da preferência do eleitorado, oscilação de 1 ponto porcentual em relação ao último levantamento, divulgado na segunda-feira 1º. O segundo colocado, Fernando Haddad (PT), passou de 21% para 23%.

As variações de Bolsonaro e Haddad se deram dentro da margem de erro, que é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. A diferença entre ambos, que era de 10 pontos, caiu para 9 pontos porcentuais.

Ciro Gomes (PDT), com 10% na nova pesquisa, e Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%, continuam empatados tecnicamente em terceiro lugar dentro da margem de erro. No Ibope anterior, Ciro tinha 11% e Alckmin, 8%. Marina Silva (Rede) se manteve com 4%.

João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles têm 2% cada na pesquisa de hoje; Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota), 1% cada um; Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU), José Maria Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não pontuaram. Brancos e nulos somam 11% e indecisos, 6%.

Ciro Gomes (PDT), com 10% na nova pesquisa, e Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%, continuam empatados tecnicamente em terceiro lugar dentro da margem de erro. No Ibope anterior, Ciro tinha 11% e Alckmin, 8%. Marina Silva (Rede), se manteve com 4%.

João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles têm 2% cada na pesquisa de hoje; Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota), 1% cada um; Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU), José Maria Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não pontuaram. Brancos e nulos somam 11% e indecisos, 6%.

O mais rejeitado continua sendo Jair Bolsonaro, cuja taxa variou de 44% para 42%; seguido por Fernando Haddad, cuja rejeição oscilou de 38% para 37%; Marina Silva, de 25% para 23%; Geraldo Alckmin, de 19% para 17; e Ciro Gomes, de 18% para 16%.

(mais…)

ESTUDANTE COM CAMISA DE BOLSONARO AFIRMA QUE FOI XINGADA NA UESC

A camisa que gerou a confusão.

Uma aluna do curso de enfermagem da UESC, de 21 anos, que pediu para não ser identificada, relatou ao Blog do Gusmão ter sido vaiada e xingada de “militante de direita”, “opressora” e”fascista”, em coro, por usar uma camisa preta com propaganda do candidato à Presidência da República,  Jair Bolsonaro (PSL). A gritaria aconteceu dentro do restaurante universitário, na noite dessa terça-feira, 02.

Duas moças que fizeram companhia à simpatizante de Bolsonaro testemunharam a revolta gerada pelo uso da camisa.

De acordo com a estudante, o fato gerou nota de repúdio no facebook contra as três jovens e o discurso do candidato de ultra-direita, além de ameaças de grupos feministas.

Nota de repúdio pede continuação dos “escrachos”.

Após a grande repercussão, a aluna procurou a reitora Adélia Pinheiro, na manhã desta quarta-feira, 03, para pedir providências, uma vez que não se sente segura dentro do campus da universidade. Adélia teria dito que não cabe o envolvimento direto da reitoria na questão, mas prometeu emitir nota pública a favor da democracia e contra a opressão.

“Não me referi a ninguém. Entrei calada e saí calada do restaurante. No Brasil, é crime ser chamada de fascista. Me senti ofendida”, disse a estudante que também admitiu temer por sua integridade física. Ela prestou queixa na ouvidoria da UESC e aguarda solução.

“Até os meus colegas do curso de enfermagem estão contra mim”, lamentou.

DATAFOLHA: BOLSONARO SOBE QUATRO PONTOS E CHEGA A 32%; HADDAD TEM 21%

Da Agência Brasil.

Nova pesquisa do Instituto Datafolha para presidente da República, divulgada nesta terça-feira (2), informa que Jair Bolsonaro (PSL) atingiu 32% das intenções de voto. Fernando Haddad (PT) foi escolhido por 21% dos entrevistados; Ciro Gomes (PDT), 11%; Geraldo Alckmin (PSDB), 9% e Marina Silva (Rede), 4%.

Conforme a pesquisa, João Amoêdo (Novo) é o candidato de 3% do eleitorado. Henrique Meirelles (MDB), Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota) estão empatados com 2% cada um. Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram no levantamento.

Oito por cento dos entrevistados indicaram a intenção de anular ou votar em branco; enquanto 5% disseram que não sabem em quem vão votar ou não quiseram responder. Como nos levantamentos anteriores, o nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa, encomendada ao jornal Folha de S. Paulo, foi feita hoje (2) e entrevistou 3.240 eleitores em 225 municípios. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (BR-03147/2018).

Comparação

Na comparação com a pesquisa anterior do mesmo instituto, de 28 de setembro, Jair Bolsonaro subiu quatro pontos percentuais (de 28% para 32%). Cinco candidatos oscilaram um ponto percentual negativamente: Fernando Haddad (de 22% para 21%), Geraldo Alckmin (de 10% para 9%), Marina Silva (de 5% para 4%), Vera Lúcia e Boulos – ambos de 1% para 0%.

Ciro Gomes manteve os mesmos 11% de intenção de votos. Os candidatos João Amoêdo (3%), Henrique Meirelles (2%) e Alvaro Dias (2%) mantiveram o mesmo percentual de intenção de votos nos dois levantamentos. Já a intenção de votos em Cabo Daciolo passou de 1% para 2%. João Goulart Filho e Eymael mantiveram 0% de intenção de votos nas duas pesquisas.

A proporção de eleitores indecisos manteve-se em 5% e a quantidade de pessoas que declaram voto branco ou nulo, oscilou de 10% para 8%.

Rejeição

O Datafolha também indagou aos entrevistados em que candidato não votariam “de jeito nenhum”. Jair Bolsonaro é rejeitado por 45% e Fernando Haddad por 41%. Pela margem de erro, os dois candidatos estão tecnicamente empatados.

(mais…)

DECLARAÇÕES DE JOSÉ DIRCEU INCOMODAM CAMPANHA DE HADDAD

José Dirceu e militantes do PT de Ilhéus. Foto de julho de 2018 enviada por um militante.

As declarações recentes do ex-ministro José Dirceu tem provocado incômodo na campanha de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República . Apesar de Dirceu não ter influência nas decisões da cúpula partidária, as suas falas servem de munição para os adversários. Sabe-se também que o ex-ministro é ídolo de parte significativa da militância petista, que pode acirrar os ânimos da campanha. Pessoas próximas a Haddad esperam que dirigentes petistas peçam a Dirceu para moderar suas palavras na reta final da eleição.

No último dia 26, em entrevista publicada pelo site El País, ao ser perguntado se havia risco de o PT ganhar as eleições e não levar, Dirceu respondeu: “é questão de tempo para gente tomar o poder, aí nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar uma eleição”.

No final de semana, em entrevista ao portal AZ, do Piauí, o petista afirmou que o Ministério Público se tornou “uma polícia política” e que, por causa disso, é preciso “tirar o poder de investigação” do órgão. O ministro também sugeriu, em outra entrevista, que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha seu nome alterado para “Corte Constitucional”.

De acordo com um aliado de Haddad, esse tipo de fala “não ajuda em nada”. O ex-ministro não exerce nenhuma função formal na campanha petista. Embora tenha participado do ato de registro da candidatura do ex-presidente Lula, em 15 de agosto, em Brasília, Dirceu não participou de atos públicos de campanha de Haddad.

No começo do ano, no entanto, quando tentava se articular dentro do PT para ser o candidato do partido a presidente, Haddad se encontrou com Dirceu, em Brasília.

No domingo, Dirceu afirmou, em coletiva de imprensa, que o uso da expressão “tomar o poder” foi “infeliz”. Segundo ele, estava se referindo à possibilidade de, mesmo após eleito, o PT levar um “golpe”.

Com informações de O Globo.

HADDAD MENTE SOBRE NÚMERO DE UNIVERSITÁRIOS DO BRASIL

Foto: Nacho Doce/Reuters.

No debate entre os oito principais candidatos à Presidência da República realizado nesse domingo, 30, na Rede Record, o candidato do PT, Fernando Haddad, faltou com a verdade ao afirmar que triplicou o número de universitários do Brasil, quando esteve à frente do Ministério da Educação.

Segundo a Agência Lupa, a afirmação é falsa. “Haddad foi ministro da Educação de junho de 2005 a janeiro de 2012. Em 2004, antes de ele assumir a pasta, havia 2.369.717 matrículas nas universidades brasileiras, segundo a Sinopse Estatística da Educação Superior do Inep. Em 2011, último ano dele à frente do ministério, o número de matrículas tinha subido para 2.933.555. Assim, o crescimento foi de 563.838 matrículas – um aumento de 23%.

No total – entre universidades, centros universitários, faculdades e centros e faculdades de tecnologia -, o número de matrículas no ensino superior cresceu de 4.163.733, em 2004, para 5.746.762 em 2011 – um crescimento de 38%.

Veja neste link a checagem sobre as afirmações do candidatos no debate da Record.

ABOBREIRA DECLARA APOIO A LÍDICE DA MATA

Lídice e Abobreira.

Em conversa telefônica no dia 27 de setembro à tarde, o dirigente socialista Domingos Leonelli, coordenador da campanha da senadora Lídice da Mata à Câmara dos Deputados, agradeceu o apoio do ex-vice-prefeito de Ilhéus José Henrique Abobreira no pleito de 2018.

Na conversa com Leonelli, Abobreira relembrou as lutas travadas em eleições e na política da Bahia, a exemplo de 1990, quando em dobradinha com Leonelli postularam juntos uma vaga no legislativo estadual e nacional, respectivamente, no palanque de Lídice então candidata a governadora da Bahia, no enfrentamento ao carlismo. 

Abobreira citou a trajetória política de Lídice, sempre altiva no enfrentamento à ditadura militar e nos movimentos democráticos e populares em defesa das liberdades públicas, de justiça e igualdade social para o povo brasileiro.

A senadora colocou o seu mandato no Senado Federal à disposição da região cacaueira na luta pela revitalização da cacauicultura e formação do Pólo Chocolateiro Sul-Baiano.

Segundo Abobreira, a trajetória política digna e altiva de Lídice rendeu-lhe uma carta do próprio punho do ex-presidente Lula em que manifesta apoio e pede votos dos baianos para a senadora.

MANIFESTAÇÕES DE 29/09: MUITO ALÉM DE BOLSONARO

 Por Julio Gomes.

As manifestações das mulheres contra o candidato a Presidente Jair Bolsonaro, convocadas pelas mídias sociais e que aconteceram no dia 29 de setembro se constituíram em um fenômeno político e sociológico sem precedentes na história do Brasil, por diversas razões.

A forma original e extremamente eficaz como surgiu e organizou as manifestações é o primeiro aspecto a ser ressaltado. Vindas de um grupo de mulheres criado no Facebook há menos de um mês e que hoje alcança mais de 3 milhões de membros, é como se tivesse surgido a partir do nada e, ao mesmo tempo, como se sempre tivesse existido!

A diversidade e o tamanho das manifestações, sobretudo se compreendidos em relação ao pouquíssimo tempo e à quase nenhuma estrutura utilizada nas convocações e nos próprios atos, também são mais do que surpreendentes. E não adiantou a Rede Globo, em seu parcial e tendencioso Jornal Nacional, tentar mostrar imagens de manifestações ocorridas no mesmo dia 29, a favor de Bolsonaro, pois o número de participantes das manifestações contrárias, que segundo estimativas reuniram em torno de um milhão de pessoas em todo o Brasil, foi esmagadoramente superior àqueles presentes em eventos a favor dele.

Manifestação do movimento #Elenão no Largo da Batata em SP.

Entretanto, o que nos parece mais importante ressaltar, neste momento, é que o ato contra Bolsonaro na verdade não foi propriamente contra ele, e nem mesmo contra sua candidatura: Foi uma reação legítima popular contra a tempestade de grosserias, violências, discriminações e agressões que vitimaram milhões de brasileiros e brasileiras ao longo dos últimos meses.

Primeiro porque a sexualidade das pessoas é, em regra, uma questão única e exclusivamente delas. Não cabe ao Estado, nem ao patrão, nem às igrejas, nem a partidos ou grupos ideológicos cercear opções que são eminentemente privadas, e menos ainda agredir e segregar pessoas em função de tais escolhas.

(mais…)