Professora Carmelita não aceita ser vice de Marão

Mário Alexandre e a Professora Carmelita.

O PT de Ilhéus já admite fazer aliança com Mário Alexandre (PSD). A possibilidade ganhou corpo dentro do partido após a sugestão feita pelo governador Rui Costa, para que os “companheiros” se aliem ao atual prefeito.

Nos últimos dias, circulou a informação de que o governador teria se hospedado na casa de Mário Alexandre, no Condomínio Aldeia Atlântida, onde as conversas nesse sentido avançaram. Porém, diferente do que afirmam os apoiadores do prefeito, o governador sugeriu uma aliança ao PT de Ilhéus. Não houve imposição.

A possibilidade coloca o PT numa contradição com o próprio nome, pois Mário Alexandre foi o gestor responsável pelo afastamento de 268 servidores municipais com mais de 30 anos de serviços. São trabalhadores que estão sem salários, sem condições de empregabilidade e muitos ainda não podem se aposentar.

A sugestão do governador incendiou o PT de Ilhéus. O grupo que domina a executiva municipal do partido, presidido por Ednei Mendonça e ligado ao deputado e atual secretário estadual, Josias Gomes, não está disposto a indicar o empresário Nilton Cruz como candidato a vice na chapa de Mário.

Ednei tenta emplacar a esposa, Professora Carmelita, que foi candidata a prefeita nas eleições de 2012 e 2016. Vale lembrar que na eleição de 2012, Carmelita foi candidata a prefeita e Mário a vice. A ideia agora é inverter a ordem, mas Carmelita não quer aceitar.  O fato de Carmelita ter sido sindicalista e ter ligação com a causa dos servidores faz com que ela recuse veementemente (até o momento) qualquer tipo de aliança com Mário. Militantes influentes do partido acreditam que Carmelita ainda pode aceitar.

Contra a aliança também pesa a oposição da sindicalista e professora Enilda Mendonça, que ganhou muito destaque após liderar com total coerência e solidariedade a causa dos servidores afastados.

A decisão de Edinei de indicar a própria esposa deixou Nilton Cruz chateado. Numa “live” com Leninha Vila Nova no Instagram, na última quinta-feira (03), Nilton acusou a direção do PT local de agir com “trairagem” e não reconhecer sua trajetória de muitos anos no partido.

Contudo, já está definido que o PT não terá candidatura própria. Além de não encabeçar a chapa, muito provavelmente Nilton Cruz não será  escolhido como candidato a vice-prefeito na coalizão com o PSD

Por outro lado, ainda há possibilidade, mesmo remota, de o PT não caminhar com Mário e não seguir a sugestão de Rui, podendo fechar aliança com o PP do ex-prefeito Jabes Ribeiro.

Inelegibilidade que vencerá em outubro não pode ser prorrogada com adiamento do pleito, decide TSE

Tribunal levou em consideração o princípio da segurança jurídica e manteve inalteradas as regras de contagem de prazo de inelegibilidade.

Do TSE.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu na terça-feira (1º) que as causas de inelegibilidade que acabam em 7 de outubro, oito anos após o pleito de 2012, não podem ser postergadas para 15 de novembro.

Por maioria, os ministros entenderam que impedimentos à candidatura com data certa para acabar não foram afetados pelo adiamento do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020. Segundo a maioria, em observância ao princípio da segurança jurídica, os prazos não podem ser alterados.

Essa foi a resposta dada pelo Plenário na sessão administrativa da terça-feira (1º) à consulta feita pelo deputado Célio Studart (PV-CE). Por 4 votos a 3, prevaleceu o entendimento apresentado pelo ministro Alexandre de Moraes.

Na consulta, o parlamentar indagou ao TSE se “os candidatos que, em 7 de outubro de 2020, estavam inelegíveis em razão de qualquer das hipóteses das alíneas do art. 1º, I, da Lei Complementar nº 64/1990, continuarão inelegíveis no pleito remarcado para o dia 15 de novembro de 2020 em virtude da aplicação do disposto do art. 16 da Constituição Federal?”.

A intenção era saber se os candidatos que estariam inelegíveis se a eleição ocorresse em 4 de outubro, antes do adiamento, seguiriam impedidos de disputar a eleição em 15 de novembro. (mais…)

Eleições 2020: começou prazo para nomeação de mesários

Fonte: Agência Brasil.

Começou ontem (18) e vai até o dia 16 de setembro o prazo para que os juízes eleitorais de cada município nomeiem os mesários e os membros das mesas receptoras de votos e de justificativas, bem como os eleitores que atuarão no apoio logístico dos locais de votação das eleições municipais 2020.

As datas foram alteradas com a Emenda Constitucional nº 107/2020, que, em razão da pandemia, adiou o pleito para 15 e 29 de novembro (primeiro e segundo turnos). Originalmente, as nomeações seriam de 7 de julho a 5 de agosto.

De acordo com o TSE, os locais designados para o funcionamento das mesas receptoras serão publicados até 16 de setembro no Diário de Justiça Eletrônico, nas capitais. Caberá aos tribunais regionais eleitorais (TREs) regulamentar a forma de publicação para os demais locais.

“Todo eleitor a partir dos 18 anos em situação regular pode ser convocado para trabalhar no dia da votação, com exceção dos candidatos e seus parentes até o segundo grau e por afinidade. Também estão impedidos de ser mesários os integrantes dos diretórios de partidos que exerçam função executiva, os agentes e autoridades policiais, assim como os funcionários com cargos de confiança do Executivo e os que pertencem ao serviço eleitoral”, informou por meio de nota o TSE.

Mesa receptora (mais…)

Cacá rebate declarações de Mário Alexandre e destaca geração de empregos

O pré-candidato a prefeito de Ilhéus, Cacá Colchões e o radialista Robertinho Scarpita.

Na manhã desta segunda-feira (17), o pré-candidato a prefeito de Ilhéus Cacá Colchões concedeu entrevista ao radialista Robertinho Scarpita na Rádio Gabriela FM. O programa Tropa de Elite acatou a decisão da justiça que conferiu direito de resposta ao partido progressista, depois de críticas feitas pelo atual prefeito a gestão passada.

Durante a entrevista, o progressista classificou como inaceitáveis as acusações feitas pelo prefeito Mário Alexandre em relação a demissão dos servidores e lembrou que todas as ações do governo anterior foram registradas em atas pela comissão de transição. “Eu gostaria de deixar claro que, no início da gestão em 2013, nós recebemos uma cidade com quase 70% na folha de pagamento e nós entregamos a cidade com 54,5% em um imenso esforço para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Cacá destacou que os servidores afastados estão sofrendo por uma decisão desumana do atual gestor que deveria ter convocado os concursados e não encher a folha de pagamento com cabos eleitorais, grande parte de outras cidades. “Com todas as dificuldades que enfrentamos não tiramos o emprego de nenhum servidor”, lembrou Cacá.

O entrevistado destacou que as principais realizações da cidade foram obras do governo do Estado e todas elas iniciadas na administração passada. A exemplo do Hospital Costa do Cacau, Nova ponte de Ilhéus, Saneamento básico da zona sul e a aquisição da usina asfáltica (com recursos próprios municipal da administração anterior). (mais…)

Cacá acusa Marão de espalhar fake news

Por meio de uma nota de repúdio, o pré-candidato a prefeito de Ilhéus, Cacá Colchões (PP), acusa o prefeito Mário Alexandre de espalhar fake news pelas redes sociais.

Leia a nota na íntegra.

Fake news são notícias falsas divulgadas com a intenção de manipular pessoas a terem determinados comportamentos: influenciar decisões, provocar revolta, entre outros.

Nesta semana fui vítima de mais uma fake news criada pelo prefeito Mário Alexandre. Em uma tentativa de manipular a opinião popular, o prefeito e seus militantes compartilharam uma publicação de uma página – criada exclusivamente para atacar seus adversários e exaltar a figura do gestor – em grupos de whatsapp.

Em um olhar mais atento, é possível perceber que o print partiu da conta oficial do prefeito no instagram. A imagem do usuário (no caso, de Marão) está na parte inferior direita do “print” espalhado por seus próprios militantes.

Os ataques continuaram na tarde de hoje, o perfil criado pelo gabinete do ódio de Marão postou um vídeo tentando imputar a culpa em outros pré-candidatos.

Continuo prezando pelos valores éticos em qualquer esfera da vida, e por uma campanha política “limpa”, propositiva, sem baixezas, ataques pessoais e mentiras. Não é justo com o povo de Ilhéus o acesso a esses conteúdos. O povo quer e precisa de debates construtivos, de pessoas que pensam pelo bem da cidade, de projetos realizáveis.

FAKE NEWS NÃO PASSARÃO! A VERDADE SEMPRE VENCE!

Cacá Colchões
Presidente Municipal dos Progressistas

PSOL define pré-candidatura para Prefeitura de Ilhéus

Bernadete Souza será a pré-candidata a prefeita de Ilhéus pelo PSOL.

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), devido à pandemia, está impossibilitado de adotar seu método tradicional de debates presenciais e físicos, com plenárias de filiados, eleições de delegados e conferências para a definição de resoluções, estratégias, táticas e escolhas de candidaturas.

Diante dessa situação e seguindo as orientações da Direção Nacional do partido e das autoridades sanitárias nacionais e internacionais para enfrentamento da COVID-19, o DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PSOL ILHÉUS-BA definiu remotamente em reunião extraordinária realizada neste sábado, 01 de agosto, a sua pré-candidatura à prefeitura municipal de Ilhéus nas eleições municipais 2020. A decisão foi precedida de um debate que aconteceu na última quinta-feira (30/07), entre as duas pré-candidaturas inscritas: Bernadete Souza Ferreira e André Luís Freitas Fonseca.

O Diretório Municipal se viu diante da difícil tarefa de escolher entre André Luis e Bernadete Souza, dois quadros altamente qualificados e com potencial altíssimo para representar o PSOL na disputa eleitoral. Pesou na decisão o fato de não existir uma única mulher pré-candidata para a prefeitura de Ilhéus nas eleições 2020, em um universo com mais de 10 pretendentes ao cargo da gestão municipal. O Diretório Municipal do PSOL aprovou o nome de Bernadete Souza como a pré-candidata a prefeita do partido para as eleições municipais 2020 em Ilhéus.

Para Jorge Luiz, presidente municipal da agremiação, o PSOL Ilhéus é um partido privilegiado por ter excelentes quadros tanto para concorrer à prefeitura, quanto para concorrer à Câmara Municipal. A chapa proporcional do PSOL vem forte e será impulsionadora da candidatura de Bernadete Souza a prefeita, assim que for homologada pela Convenção Partidária, a ser realizada a partir de 31 de agosto.

“Valderico Junior repete o mesmo erro do pai”, afirma Jabes Ribeiro

O ex-prefeito Jabes Ribeiro, Valderico Junior e seu pai, Valderico Reis.

O empresário e pré-candidato a prefeito de Ilhéus, Valderico Junior (DEM), negou direito de resposta a Jabes Ribeiro.

Em entrevista à rádio Gabriela FM, o atual mandatário da cidade, Mário Alexandre, fez críticas ao ex-prefeito Jabes Ribeiro, acusando-o inclusive de ser responsável pelo afastamento de 268 servidores municipais em janeiro de 2019.

Jabes enviou à Gabriela FM, que é controlada por Valderico Junior, pedido de direito de resposta como prevê a lei. Na manhã desta terça-feira (28), venceu o prazo para que a emissora desse uma resposta. Como não houve retorno, o ex-prefeito vai acionar a justiça para fazer valer o seu direito.

Em entrevista ao Jornal Bahia Online, Jabes disse que Valderico Junior “repete o mesmo erro do pai”. Entre os anos de 2003 e 2004, o pai de Junior, Valderico Reis, utilizou a rádio para criticar insistentemente o então prefeito Jabes e não concedia a possibilidade do contraditório. Na época, o desrespeito ao princípio democrático gerou multas altas definidas pelo poder judiciário.

Opinião do BG.

A atitude de Valderico Junior mostra o quanto ele é inábil politicamente. Há setores do jabismo que aventam a possibilidade de apoiá-lo, caso o PP não lance candidato. Mesmo que seja lançado, mas não prospere, VJ poderia sair fortalecido com o esvaziamento.

Fica evidente que o jovem candidato carrega ressentimentos herdados do pai, que em 2003 acusava Jabes de ter tirado de circulação a empresa de transporte coletivo que lhe pertencia.

Valderico Junior não tem orientação política e dispõe de um longo passado pela frente.

Jabes Ribeiro responde a Rosemberg Pinto: rejeição de Mário ganha de todos e o PP segue firme com a candidatura de Cacá

Jabes Ribeiro e Rosemberg Pinto.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), respondeu ao deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) sobre o quadro pré-eleitoral da cidade.  No último sábado, 25, o parlamentar sugeriu que se o PP não lançar candidato à sucessão de Mário Alexandre, poderá ocorrer deslocamento de progressistas para a candidatura de Valderico Junior (DEM), nome contrário ao governador Rui Costa.

Provocado pelo BG, Jabes disse que: “As declarações do deputado Rosemberg são próprias da sua função de líder do governo na Assembleia [Legislativa]. No entanto, a realidade é outra. A construção de alianças resulta de interesses comuns e trabalhados ao longo do tempo. Não percebo esse interesse de nenhuma das partes envolvidas, seja no campo municipal ou estadual. Na democracia, atitudes impositivas tendem a dar errado. O [partido] Progressista segue firme com a candidatura do companheiro Cacá”.

Sobre a análise de Rosemberg, relacionada ao desempenho “não tão bom” de Valderico Junior até o momento, o ex-prefeito disse que Mário, Cacá e o nome do DEM apresentam situação quase igual. “O detalhe é a rejeição de Mário que ganha de todos. Ainda é cedo para qualquer análise mais segura”, ponderou Jabes.

Desempenho de Valderico Junior não é tão bom, mas pode ser fortalecido caso os jabistas não lancem candidato, afirma Rosemberg Pinto

Deputado Estadual Rosemberg Pinto (PT).

Na manhã deste sábado (25), o programa Bom dia Bahia, da Rádio Difusora de Itabuna, apresentado pelo jornalista Ederivaldo Benedito (Bené), teve como convidado o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT).

O editor do BG, Emilio Gusmão, também participou do programa, e, na oportunidade, perguntou ao parlamentar se o empresário Nilton Cruz (PT) é pré-candidato a prefeito ou pré-candidato a vice na chapa de Mário Alexandre (PSD).

O deputado foi dúbio. Disse que Nilton Cruz é pré-candidato a prefeito, mas não descartou aliança com o atual mandatário.

Diante da possibilidade não refutada de união com o prefeito, Gusmão lembrou do afastamento dos 268 servidores municipais em janeiro de 2019. A decisão do prefeito Mário Alexandre deixou vários pais de família sem renda. Segundo o editor do BG, essa aliança ofenderia o nome e a identidade do Partido dos Trabalhadores.

Marão, Cacá e Valderico Junior.

Rosemberg fugiu da pergunta ao dizer que não comentaria questões administrativas. Lembrou que Ilhéus tem problemas históricos com a folha de pagamento, mas não citou os direitos dos trabalhadores.

Rosemberg, que tem formação em Ciência Política, comentou o quadro pré-eleitoral de Ilhéus. Na opinião dele, o desempenho do pré-candidato do DEM, Valderico Junior, não é tão bom. Marão e Cacá Colchões, lideranças da base do governador Rui Costa, conseguem se destacar mais. Segundo o deputado, Junior deveria estar em melhor situação, já que é o único nome do prefeito de Salvador, ACM Neto.

Segundo Rosemberg, talvez seja interessante a base de Rui Costa ter três candidaturas em Ilhéus. Afirmou já ter percebido que, se o PP não lançar candidato poderá ocorrer uma migração de progressistas para o DEM de Valderico Junior. Diante da impossibilidade da base se unir em torno de um, já que Marão tem feito críticas ao ex-prefeito Jabes Ribeiro, é melhor que PSD, PP e PT lancem seus nomes.

PSDB fecha com Valderico Junior e Marcos Flávio deixa o partido

O tucano bateu asas rumo a Valderico Junior.

Nesta segunda-feira, 30, a reportagem do BG manteve contato com o presidente do PSDB-Ilhéus, Alan Marinho, para saber qual será a posição do partido nas eleições municipais deste ano.

Alan Marinho revelou que os tucanos vão caminhar com o empresário Valderico Junior, pré-candidato a prefeito pelo DEM. A composição ocorreu naturalmente após entendimento entre as direções municipal e estadual, uma vez que na Bahia DEM e PSDB estão juntos na oposição ao PT.

O deputado federal Adolfo Viana (presidente estadual do PSDB) e Alan Marinho concluíram ser impossível fazer aliança com o PSD do prefeito Mário Alexandre, partido que compõe a base de apoio do governador Rui Costa (PT).

Alan Marinho continua na presidência e Marcos Flávio deixa o partido.

O advogado e ex-vereador Marcos Flávio, integrante da procuradoria jurídica do governo Marão e nome de maior peso eleitoral que havia no ninho dos tucanos, deixou o partido e vai continuar entre os apoiadores do prefeito.

Também saíram o pastor Carlos Moraes, Roberto de Jesus (Corsário), Paulo Roberto Carmo (7 flechas) e o 1º suplente de vereador Jonilson Souza (que tem cargos no governo municipal). Permaneceram Alan Marinho, Adilson Souza, Ivan Benevides e Tyandrer Macedo.

A partir da aliança com Valderico Junior, o PSDB-Ilhéus vai receber ex-integrantes do Podemos, que deixaram a legenda por terem se recusado a apoiar Marão.

Congresso discute adiar eleições municipais por causa do coronavírus

Fonte: Folha de São Paulo

A crise provocada pelo coronavírus e a incerteza sobre a extensão e a duração da pandemia levaram congressistas a iniciar um movimento em defesa do adiamento das eleições municipais previstas para outubro de 2020. Estimativas do Ministério da Saúde apontam para aumento dos casos entre abril e junho. A situação só se estabilizaria a partir de julho.

O cenário traçado pelo ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) causou preocupação entre líderes de partidos na Câmara e de congressistas, que temem impacto nas campanhas eleitorais. Elas estão previstas para começar apenas no dia 16 de agosto, mas até lá parte do calendário eleitoral pode ser afetado.

Na terça-feira (17), alguns dirigentes partidários, entre eles o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), debateram a necessidade do Congresso discute adiar eleições municipais por causa do coronavírus de achar uma saída jurídica para o caso de a crise se estender até o início das campanhas.

De acordo com o dirigente, se até julho vigorar ainda a restrição para realização de eventos, as convenções partidárias estariam inviabilizadas. Pela lei eleitoral, o prazo para escolha dos candidatos é de 20 de julho até 5 de agosto.

“É uma avaliação antecipada, mas que tem de estar no nosso radar. Terça abrimos a discussão para saber o que é preciso juridicamente”, disse.

Uma das recomendações do ministério é evitar contato e aglomerações. Isso afetaria também um dos mais tradicionais recursos políticos, o corpo a corpo com eleitores.

O líder do PL, Wellington Roberto (PB), compartilha da preocupação de Paulinho. “Todas as agendas que a gente tinha nos estados foram canceladas por causa da concentração popular. O meu temor é que não se consiga realizar os eventos a tempo nem mesmo das convenções partidárias no prazo da lei”, diz.

Alguns, como o líder do Podemos na Câmara, deputado Léo Moraes (RO), já iniciaram consultas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Moraes afirmou que a ideia inicial era unificar, em uma PEC (proposta de emenda à Constituição), as eleições municipais de outubro deste ano com as eleições gerais de 2022. (mais…)

Jabes Ribeiro descarta possibilidade de Rui Costa apoiar exclusivamente Marão

O ex-prefeito Jabes Ribeiro, governador Rui Costa e o prefeito Mário Alexandre.

O bem informado site Políticos do Sul da Bahia, de João Matheus, publicou nesta quinta-feira, 19, que Rui Costa pode apoiar exclusivamente o prefeito Mário Alexandre nas eleições municipais deste ano.

Segundo o site, o governador começou a se articular visando a eleição de 2020, principalmente nas 80 maiores cidades. Ele já percebeu que será impossível unir a base aliada em Ilhéus, uma vez que os grupos de Marão e do ex-prefeito Jabes Ribeiro não se “misturam”.

O BG manteve contato com Jabes Ribeiro, que é aliado de primeira ordem do Governo do Estado, pois é secretário geral do PP, partido do vice-governador João Leão.

Segundo Jabes, “onde houver mais de uma candidatura da base aliada, o governador manterá a neutralidade”.

Adélia Pinheiro, ex-reitora da Uesc, pode compor chapa com Cacá Colchões

Notinhas.

Adélia Pinheiro e Cacá colchões podem formar chapa nas eleições municipais de 2020.

 

A ex-reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), professora Adélia Pinheiro, disse em entrevista que estava disposta a enfrentar novos desafios. A declaração se referiu à possibilidade da ex-magnífica se candidatar ao comando da Prefeitura de Ilhéus.

O tempo passou e a reitora assumiu a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, a convite do governador Rui Costa, e, por isso, não teve condições de entrar no jogo político.

Adélia não se filiou a nenhum partido (ainda há tempo) e tampouco procurou lideranças para conversar.

Dessa forma, dificilmente terá condições de se candidatar, mesmo porque, não se sabe se ela ainda quer concorrer ao cargo.

Contudo, Adélia é um nome de muito prestígio junto ao governador Rui Costa, que admira sua capacidade técnica. Como se sabe, Rui tem predileção por quadros técnicos.

Adélia também é muito comentada nos bastidores da política como a personalidade que pode compor uma chapa tendo Cacá Colchões (PP) como candidato a prefeito.

A ideia de lançá-la como candidata a vice-prefeita é do agrado do deputado federal (licenciado) e secretário de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes (PT), bem como do presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação.

Adélia nunca teve contato com a militância do PT de Ilhéus, fato que pode ser contornado com uma ou duas reuniões, uma vez que o partido carece de lideranças na cidade.