Morre o empresário Galeno Machado, dos postos de combustíveis Dom Eduardo

O empresário Galeno Machado faleceu em pleno sono. Foto: arquivo pessoal da família.

Faleceu nesta quinta-feira, 4, em Ilhéus, o empresário Galeno Machado, com 97 anos.

Segundo um de seus netos, Galeno morreu dormindo. Familiares perceberam que ele demorava para se levantar da cama e quando foram tocá-lo, o corpo já estava sem pulsação, totalmente frio.

Galeno Machado era proprietário dos postos de combustíveis Dom Eduardo (3 unidades), reconhecidos pelo bom atendimento e excelente qualidade da gasolina. Ele deixou 4 filhos, 8 netos e 2 bisnetos.

O velório acontece no SAF (Alto da Conquista) e o sepultamento será nessa sexta-feira, às 9 horas.

Morre o chefe de cozinha Mauricio Torres

Faleceu nesta quarta-feira, 19, por volta das 11 horas, o chefe de cozinha Mauricio Torres. Ele teve infarto fulminante no sistema cardíaco e faleceu em casa, que fica nas proximidades do Estadio Mário Pessoa.

Mauricio, especializado em gastronomia “gourmet”, era irmão do empresário Marcelo Torres, do ramo de sonorização.

O velório acontecerá no SAF (Alto da Conquista). Data e local do sepultamento ainda não foram definidos.

Ilhéus: morre o empresário Sergio Gordo

Sergio Teles de Oliveira. Foto que circula no Whatsaap.

O empresário Sergio Teles de Oliveira, conhecido como “Sergio Gordo”, faleceu por volta das 18h30min., desta terça-feira, 18.

Sergio faleceu com 59 anos. Ele foi um dos fundadores do Bloco Galera de Ilhéus, na década de 90 do século passado, e foi produtor do evento Trivela Ilhéus entre os anos de 2005 a 2014.

O empresário lutava contra o câncer, que inicialmente atacou uma de suas mamas, e depois se espalhou.

O corpo será velado no SAF (Alto da Conquista). O sepultamento ocorrerá nessa quarta-feira, 19, às 15 horas, no Cemitério da Vitória, em Ilhéus.

Sepultamento do servidor Gilberto Dórea vai ocorrer no Cemitério do Pontal às 15 horas

Gilberto Dórea faleceu com 52 anos, de infarto. Foto que circula no Whatsaap.

Faleceu na noite de ontem (quarta-feira, 12) o servidor municipal de Ilhéus, Gilberto Dórea, de 52 anos.

Gilberto era fiscal de tributos da secretaria da fazenda de Ilhéus, onde ingressou por meio de concurso público em 1998.

Na noite anterior, ele estava em casa quando passou a sentir dores no peito. O infarto foi fulminante e ele faleceu por volta das 22h30mim. Quando o Samu chegou para socorrê-lo, ele já havia partido. Gilberto era cardiopata e possuía uma ponte de safena.

Homem educado e reconhecido pela honestidade, Gilberto era considerado em servidor modelo, desses que sustentam na unha e com muita garra o serviço público do município. Ele era casado e deixou um filha com 11 anos.

O velório acontece na Rua Castro Alves, no Pontal, onde ele morava com a família. O sepultamento será às 15 horas desta quinta-feira, 13, no Cemitério São João Batista, zona sul da cidade.

Gabriela Viegas, Miss Ilhéus 2018, é encontrada morta em Belo Horizonte

Gabriela Viegas. Foto: Instagram/reprodução.

A Miss Ilhéus 2018, Gabriela Viegas, foi encontrada morta no último sábado, 3, em Belo Horizonte (MG). A jovem, que cursou medicina na Universidade Federal da Bahia, travava uma luta contra a depressão.

Segundo o missólogo Ricardo Mello, ela cometeu suicídio. A informação inicial era de que ela estivesse na Bahia, mas de acordo com o serviço funeral, o corpo virá de Belo Horizonte para Ilhéus.

“Gabriela Viegas acaba de perder a batalha contra a depressão. Meus sinceros sentimentos aos amigos, família e a todos os amantes do mundo miss que sofrem ao descobrir da pior maneira que suas deusas não estão imunes a esta triste doença. Descanse em paz”, afirmou Ricardo Mello.

A miss não estava ativa nas redes sociais e fez o último post há seis dias, mas de vez em quando interagia. Na quinta-feira, 2, ela comentou uma foto do noivo, o consultor fitness Lucas Ferrara, que mora em Belo Horizonte. Embora não gostasse de expor a idade nas redes sociais, o aniversário dela seria comemorado no dia 14 de junho.

Gabriela Viegas e o noivo, o consultor fitness Lucas Ferrara. Foto: Reprodução/Instagram.

O coach de misses Maycom Soares, um dos melhores amigos de Gabriela, lamentou a morte em seu Instagram Stories. “Hoje eu perdi a amiga mais querida que eu tinha, que mais se preocupava comigo. Ela me amava do jeito que sou, não me julgava, só me amava. Qualquer dorzinha que eu tinha, ligava para ela. Ela sempre me ajudava. Ela foi a miss mais miss que eu tive. Mais grata, mais humana, mais solidária. O que farei da minha vida sem os conselhos dela, sem o amor dela?”

A morte foi anunciada em uma nota oficial da associação atlética da Universidade Federal da Bahia, que ela frequentava. “Hoje é um dia triste. Neste momento de extremo pesar, faltam palavras e até mesmo fôlego. Com muita dor, a AAAACVL comunica o falecimento da colega Gabriela Alexandre Mendes Viegas, da 253ª turma da FMB-UFBA. Desejos todo o conforto e força para os amigos e familiares. A perda de uma pessoa tão afável e repleta de bondade é angustiante. As diversas manifestações de carinho e o impacto causado pela notícia apenas reforçam a perda imensurável de um ser humano incrível”.

Gabriela Viegas. Foto: reprodução/Instagram.

O velório de Gabriela acontece neste domingo , 5, a partir das 16h, no SAF do bairro Conquista, em Ilhéus, e será aberto ao público. O sepultamento será realizado nessa segunda-feira, 6.

Com informações do site Quem Acontece.

Trabalho do jornalista Marcos Correia foi importante durante a crise política de 2007

Jornalista Marcos Correia. Foto: José Nazal.

O jornalista Marcos Correia faleceu, aos 66 anos, na noite da última terça-feira, 23 de abril, no Hospital São José, em Ilhéus. Ele estava internado desde o último dia 5, devido a problemas respiratórios. O corpo está sendo velado no SAF, no bairro da Conquista, e o sepultamento ocorrerá às 14h30min, no cemitério São Jorge, no Alto do Basílio.

Os últimos anos de Marcos Correia foram difíceis. O jornalista vivia sozinho e não conseguiu se livrar dos cigarros, vício mortal de muitos jornalistas, poetas e escritores. Também não demonstrava interesse em vencê-lo. Amigos muito próximos afirmam que ele não tinha apego à vida e emitia sinais típicos dos sintomas da depressão.

Passou por dificuldades financeiras, amenizadas devido à ajuda de amigos, alguns jornalistas. A situação melhorou um pouco em setembro de 2018 quando ele conseguiu aposentar-se pelo INSS.

Durante a crise política que culminou na cassação do ex-prefeito de Ilhéus, Valderico Reis, em setembro de 2007, o trabalho do jornalista Marcos Correia teve importância fundamental na busca por uma solução.

Uma reportagem dele publicada no jornal A Tarde, em outubro do mesmo ano, possibilitou que o Tribunal de Justiça da Bahia recebesse informações sobre o caos administrativo que tomaria conta da cidade, caso o ex-prefeito Valderico Reis fosse reconduzido ao poder, por meio de um recurso judicial.

O TJ-BA não deu ganho de causa a Valderico, e o vice-prefeito Newton Lima cumpriu o restante do mandato.

Nas poucas conversas que o Blog do Gusmão teve com ele, esse episódio foi mencionado pelo próprio com orgulho e zelo pela cidade.

Segundo o jornalista Maurício Maron, “Marcos Correia chegou a Ilhéus em 1987, quando começou a trabalhar na Prefeitura Municipal, na assessoria de comunicação, e a partir daí passou a residir na cidade. Ele foi assessor de comunicação social do município na gestão do prefeito Newton Lima, trabalhou nos jornais Diário da Tarde e A Região, e foi sócio fundador do Diário de Ilhéus (ao lado de Damiana Gomes, Getúlio Pinto e Carlos Moura Makalé), veículo impresso que surgiu em 24 de julho de 1999, após a extinção do Diário da Tarde.

Prestou também assessoria de imprensa ao extinto Instituto de Cacau da Bahia (ICB), à Unimed Ilhéus, Câmara Municipal, à Viação São Miguel, além de ter atuado em assessorias políticas. Natural de Recife, Marcos Correia iniciou a carreira de jornalista no Diário de Rio Claro, no interior de São Paulo. Em seguida, transferiu-se para Ilhéus juntamente com sua mãe, dona Isaura Silva.

Considerado um profissional crítico e combativo, atuou ainda como editorialista e redator do Diário de Ilhéus, do qual era também diretor. Há cerca de dois anos, o jornalista, que tinha o hábito de fumar, já apresentava problemas respiratórios. A internação no Hospital São José ocorreu após o transcurso de seu aniversário, no dia 4 de abril”.

Makota Valdina é homenageada na Câmara dos Deputados

Makota Valdina faleceu na madrugada na última terça-feira, 19. Ela tinha 75 anos.

Na última terça-feira, 19, o deputado federal Nelson Pelegrino (PT-BA) apresentou Moção de Pesar, na Câmara dos Deputados, pelo falecimento da educadora Valdina de Oliveira Pinto, conhecida como Makota Valdina.

Natural de Salvador, ela era ativista política, membro do Conselho de Cultura da Bahia, assessora da Nengwa Nkisi e Mãe de Santo do terreiro Angola Tanusi Junsara, localizado no Engenho Velho da Federação.

“A Bahia e o Brasil perdem uma grande expoente na luta dos direitos das mulheres e contra a discriminação racial. Que sua vida sirva sempre de exemplo para todos que sonham com um mundo mais justo” – discursou Pelegrino.

Makota Valdina não gostava de dizer que seus antepassados foram escravos. Ela afirmava que seus antecessores eram livres, mas foram escravizados.

 

Morre o empresário Kenichi Fukino do Restaurante Tokyo

Kenichi Fukino. Foto: divulgação.

O empresário Kenichi Fukino, 68 anos, faleceu na manhã desta terça-feira, 19. Ele comandou o famoso restaurante Tokyo, um dos mais respeitados pontos de gastronomia, em Ilhéus, a partir dos anos 90.

Kenichi lutava contra o câncer, mas não resistiu. O velório acontece a partir das 17 horas no SAF do bairro Conquista.

Morre a Professora Carlota Medauar Reis

Professora Carlota faleceu aos 89 anos. Foto: Whatsaap.

Faleceu na manhã deste domingo, 20, por volta das 6h30min., a Professora aposentada Carlota Medauar Reis, mãe do médico Paulo Medauar e do advogado Carlos Medauar.

Dona Carlota faleceu em casa, no bairro Cidade Nova, em Ilhéus. Ela completaria 90 anos no dia 21 de março. A causa da morte foi a falência múltipla dos órgãos e insuficiência renal.

O velório acontece na Loja Maçônica Regeneração Sulbaiana, centro de Ilhéus, e o sepultamento será neste domingo no Cemitério da Vitória às 16 horas.

MORRE O EMPRESÁRIO HELENILSON CHAVES

Helenilson Chaves. Foto: Diário Bahia/Reprodução.

De acordo com o site Políticos do Sul da Bahia, o empresário Helenilson Chaves faleceu nesta sexta-feira, 12, em Salvador. A causa da morte não foi informada.

Helenilson enfrentava problemas de saúde e tinha 72 anos. Como empresário atuou em diversos segmentos econômicos: agropecuária; comércio de cacau; construção civil e telecomunicações. Foi um dos responsáveis pela criação da TV Santa Cruz e da instalação da primeira empresa processadora de soja, em Barreiras, no oeste baiano.

Helenilson Chaves construiu o Shopping Jequitibá, na década de 90, no auge da crise provocada pela vassoura-de-bruxa que quase dizimou a cacauicultura.

O corpo será cremado na tarde desse sábado, 13, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

MORRE O EX-DEPUTADO FEDERAL PELA BAHIA, JOSÉ LOURENÇO

Lourenço defendeu a causa dos dentistas brasileiros que residiam em Portugal. Foto: Câmara dos Deputados.

O ex-deputado federal José Lourenço, de 85 anos, faleceu nessa sexta-feira, 05.

Português de São Martinho, ele chegou a Bahia aos 16 anos. Estava internado há meses por sofrer de problemas cardíacos. O sepultamento será realizado neste sábado, às 16 horas, no Cemitério Jardim da Saudade em Salvador.

José Lourenço era economista, empresário e residia na Bahia desde 1949. Estreou na política em 1970 como deputado estadual filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido da base de sustentação do regime militar.

Foi reeleito outras duas vezes e chegou a ser líder do governo Antônio Carlos Magalhães na Assembleia Legislativa da Bahia. Rompeu com o Carlismo em 1982 e elegeu-se deputado federal por quatro mandatos.

José Lourenço lutou para que os dentistas brasileiros residentes em Portugal tivessem a profissão reconhecida pelo governo português. Essa conquista veio em 1997, após negociação com a Assembléia da República e autoridades lusitanas.

Em 2002, deixou a política por não conseguir a reeleição para a Câmara dos Deputados.