A história triste de um mocotó que não deu certo

Notinhas.

O prefeito e Joelia. Na antipolítica ambiental do governo Marão, o que menos importa é o mocotó.

Desde abril de 2018, quando José Nazal deixou a secretaria de planejamento e desenvolvimento sustentável, o prefeito Mário Alexandre tem afirmado no meio empresarial que suas determinações à superintendência de meio ambiente são cumpridas rapidamente e sem questionamentos.

Agilidade e presteza reconhecidas fizeram a superintendente de meio ambiente, Joelia Sampaio, supor que tinha “muita moral com Marão” (como se diz de maneira coloquial).

Joelia costumava visitar o gabinete do alcaide municiada de baguetes e pães deliciosos, na tentativa de reforçar o seu prestígio por meio do estômago. Glutão convicto apesar de já ter feito cirurgia bariátrica, Marão até os farelos ingeria.

Mas faltava o pulo do gato.

Joelia queria ter mais “status”. Sonhava com o posto de secretária.

Apoiada pelo Ministério Público estadual, convenceu o prefeito a transformar a superintendência em secretaria. O projeto foi enviado à Câmara de Vereadores e aprovado rapidamente.

Para garantir a nomeação, Joelia preparou, em sua própria residência, um delicioso “mocotó” para o prefeito. O prato foi preparado com muito afeto, gordura e substância.

O mocotó foi comprado num açougue de confiança. Cada quilo foi lavado com um limão rosa escolhido a dedo. Uma panela de pressão novinha foi comprada para o cozimento. Alhos, cebolas picadas, pimenta-do-reino, cominho, hortelã, coentro, massa de tomate, sal, pimentas de cheiro e pimentas ardidas foram adicionados com carinho e muita esperança. Em paralelo, não faltaram tripas e o bucho para o tão requisitado “mocofato”.

O prato foi servido e Marão lambeu os dedos e melou a camisa. Satisfeitíssimo, olhou para a assessora e disse: “Obrigado! Quero você sempre comigo. Vamos pra luuuuta!”. Os demais convidados também aprovaram.

Dias depois, Marão nomeou o advogado Mozart Aragão como titular da nova secretaria. Joelia, se quiser, vai continuar como superintendente (sua família assim deseja).

Observadores xeretas e maldosos atribuem a falta de sorte ao cozimento interrompido para a troca do botijão de gás. Outros falam que a anfitriã exagerou na pimenta e no carinho.

É provável que o motivo jamais seja esclarecido e que Joelia se dê por satisfeita, apesar do imenso esforço.

A vida é assim mesmo.

Humor. Ailton Enfermeiro: “vereadores ao lado do prefeito estão na boquinha, com a chupeta na boca”

Segundo Ailton, a chupeta está na boca dos vereadores que gravaram o vídeo.

Ailton Enfermeiro, o comentarista mais corajoso e ousado dos grupos de Whatsaap de Ilhéus, afirmou que os oito vereadores que gravaram mensagens de apoio ao prefeito Marão, contra o retorno dos 268 servidores, são “traíras” e não representam o povo, apenas a si mesmos.

Comentarista “boca de 09” que “bota pocando e não come nada de ninguém”, Ailton disse que os vereadores do vídeo querem “esculhambar ” e “defamar” Ilhéus, pois gostam de “mamar”.

Vídeo que circula no Whatsaap traz o desabafo de Ailton (com a foto dele nas laterais), e as imagens dos vereadores no centro.

Ouça Ailton Enfermeiro, “O Fantástico de Ilhéus”.