Minitrio do Dilazenze foi barrado na Soares Lopes; PM diz que bloco desrespeitou horário

Foto: Clodoaldo Ribeiro.

No último domingo, 3, por volta das 21h45min., a Polícia Militar impediu que o minitrio do Grupo Cultural Dilazenze prosseguisse com o bloco pela Avenida Soares Lopes.

A ação da PM rendeu reclamações e vaias, pois o Dilazenze agradava o público com um desfile de carnaval organizado e digno das tradições da cultura afro-brasileira. Mãe Ilza Mukalê, 85 anos, sacerdotisa e referência principal do grupo, estava no minitrio. Leitores do BG disseram que “a polícia calou a voz do bloco”.

Contudo, segundo informações do major Robson e do capitão Lima Junior, comandantes da 68º CIPM, o bloco não cumpriu acordo estabelecido entre a Prefeitura de Ilhéus, Ministério Público da Bahia e as entidades carnavalescas. Ficou previsto que os desfiles aconteceriam das 15 às 22 horas com total apoio da PM na segurança.

Segundo os oficiais, o comando da corporação não autorizou o pagamento de horas extras para os soldados que trabalharam em Ilhéus, por isso, o horário limite foi avisado com antecedência. O efetivo pequeno, situação comum no interior da Bahia durante o carnaval, também limitou o trabalho.

De acordo com o capitão Lima Júnior, em respeito ao desfile cultural do Dilazenze foi permitido que o grupo concluísse o roteiro com os instrumentos de percussão e todas as alas, mas sem o equipamento de som. Diretores do bloco admitiram que atrasaram o cortejo devido a problemas internos de organização.

No vídeo abaixo, um integrante do Dilazenze reconhece a compreensão da PM ao deixar o bloco concluir o desfile.

Exclusivo. Quase dois anos depois, assassinato do Soldado Tyrone continua sem solução

Soldado PM Tyrone Thomaz Aquino, assassinado em abril de 2017.

Reportagem: Emílio Gusmão.

“Em sociedades como as nossas, onde tudo é efêmero, a informação voa e desaparece. A vulgaridade como os fatos são contados resulta em abandono e esquecimento, sem contexto e explicações. Vivemos com mais ruído midiático do que informação. Com certeza há certos fatos e certos momentos que constroem uma ferida, e essa ferida continua aberta e não fecha”.

O pensamento acima é do escritor espanhol, naturalizado mexicano, Paco Ignacio Taibo II. Com essa reflexão, ele inicia uma reportagem sobre o desaparecimento de 43 jovens mexicanos, moradores do vilarejo de Ayotzinapa, em setembro de 2014.

O caso que trataremos nesta reportagem, infelizmente, já está cicatrizado na opinião pública de Ilhéus. A lembrança sofrida e a saudade persistem apenas nos familiares do soldado PM Tyrone Thomaz de Aquino.

Tyrone foi assassinado no dia 23 de abril de 2017, de madrugada, numa lanchonete da Rua Bela Vista, do bairro Nelson Costa. O comportamento pacífico do soldado de 44 anos, que sequer andava armado quando estava sem a farda da PM, não correspondeu à violência do crime que lhe tirou a vida.  Quinze tiros foram disparados contra Tyrone e quatro balas atingiram suas costas.

A tragédia deixou um legado de imagens fortes e sangrentas, uma vez que a falta de escrúpulos, inclusive de profissionais da imprensa, disseminou na internet vídeos em que Tyrone agoniza ferido e desesperado em seus momentos finais.

Passados quase dois anos da execução, o crime continua insolúvel. Os dois assassinos chegaram na lanchonete vestidos com casacos pretos e cabeças envolvidas por capuzes.

Nas proximidades não havia câmeras de segurança que pudessem fornecer imagens à investigação.

A principal testemunha do caso, Danilo José Silva Santos, presa menos de 48 horas após o crime, disse em depoimento à delegada Andréa Oliveira que a morte foi encomendada por Adailton Soares dos Santos (Dai), líder da facção Raio A, na época encarcerado no complexo penal de Itabuna.

Conforme relato de Danilo, Fabrício Santana Caetano (Beiço) e um homem conhecido como Everton mataram Tyrone. Eles receberiam dois mil reais e um quilo de maconha pelo crime. Um terceiro envolvido, Fabrício Magno de Santana (Testinha), teria dirigido o carro que propiciou a fuga dos executores.

Como não houve prisão em flagrante, a delegada Andréa Oliveira foi obrigada a liberá-lo. Depois que saiu da delegacia, Danilo foi assassinado misteriosamente na Avenida Princesa Isabel. O taxi que o transportava foi emparedado e homens não identificados atiraram nele.

Após o depoimento de Danilo, os suspeitos foram mortos ou desapareceram.

Dai, o suposto mandante, foi morto em Vitória da Conquista no dia 29 de outubro de 2017. Ao tentar matar o filho de um cigano, recebeu tiros da reação implacável de um segurança e não sobreviveu.

“Beiço” morreu no dia 11 de outubro de 2017 após confronto com a Polícia Militar. Exame realizado numa pistola 380 encontrada com ele, não indicou relação com o crime.

Testinha desapareceu de Ilhéus. Informações desencontradas afirmam que ele pode estar em Brasilia (DF).

Outro suspeito, Pippou Cleber Machado dos Santos, foi assassinado em Uruçuça.

Cristiane Soares, mãe de Dai (líder do raio A), também sumiu de Ilhéus. Ela acompanhava o marido Danilo, no dia em que ele foi emboscado na Avenida Princesa Isabel. Segundo a delegada Andréa Oliveira, ela tinha várias passagens na delegacia e abandonou o apartamento que morava no Condomínio Moradas do Porto.

O suspeito de primeiro nome “Everton” jamais foi identificado.

Com as sucessivas mortes e desaparecimentos, a investigação não teve tempo e condições para apurar se o depoimento de Danilo era verdadeiro.

Delegada Andréa Oliveira, do núcleo de homicídios da 7ª Coorpin/Ilhéus. Foto: Emilio Gusmão.

A delegada Andréa Oliveira disse à reportagem do BG que a esperança de solucionar o caso está no resultado do exame feito numa arma encontrada com um homem chamado Felipe Ariel. Trata-se de outro suspeito que não pode ser incriminado, pois o Departamento de Polícia Técnica (DPT) ainda não disponibilizou o resultado.

A delegada também revelou que dias antes de ser assassinado, Tyrone fez carga de uma arma de fogo da PM, para uso fora do serviço, procedimento poucas vezes registrado no histórico dele.

Uma névoa de mistério ronda o caso. Um policial militar, servidor da segurança pública, foi brutalmente assinado e o Estado não oferece condições mínimas para que o crime seja resolvido.

O apelo ao esquecimento está feito. A impunidade tende a prevalecer e só restará a memória das pessoas que gostavam de Tyrone devido ao seu jeito tranquilo e gentil.

Soldado PM Tyrone.

No peito aberto dos seus amigos e familiares ecoa o canto e a letra de Milton Nascimento, na música Sentinela.

“Longe, longe, ouço essa voz

Que o tempo não vai levar”.

Bloco Zé Pereira: Marão toma vaias e acena para amigos imaginários

Notinhas.

Diante da câmera da Secom, Marão acena para “ninguém’ após receber vaias. Imagem extraída de vídeo.

O Bloco Zé Pereira, do bairro do Pontal, em Ilhéus, se transformou num palco de vaias a prefeitos mal avaliados.

A irreverência da tradicional agremiação pontalense deixou Jabes Ribeiro envergonhado em 2016 (lembre aqui).

Na noite de ontem (sexta-feira, 01), foi a vez de Marão sentir que seu governo tem nota baixa no quesito popularidade.   

O prefeito, sempre acompanhado de seguranças, recebeu muitas vaias de integrantes e aderentes do bloco.

As vaias foram tão intensas que superaram o volume de som da aparelhagem do palco. Muitas pessoas chamaram a atenção do prefeito com o dedo polegar para baixo, sinal inequívoco de desagrado. Poucas cumprimentaram Marão com carinho.

Ao perceber o clima adverso, ele desfilou um pouco no bloco, dirigiu acenos a amigos visíveis só na imaginação e foi embora.

Depois, num ambiente aberto, mas com pouca gente, gravou um vídeo onde diz que muitas pessoas o abraçaram em reconhecimento ao seu “bom trabalho”.

Marão criou uma realidade paralela que só ele acredita.

Madre Thaís forma primeira turma de Engenharia Civil

Foto: Ascom/Madre Thaís.

A primeira turma do curso de Engenharia Civil da Faculdade Madre Thaís (FMT) está formada. São 46 novos profissionais diferenciados à disposição do mercado de trabalho, qualificados por uma instituição que tem dado oportunidades a jovens e pessoas de todas as idades de frequentarem cursos reconhecidos e com ótimo conceito junto ao MEC.

A solenidade foi realizada no Auditório Jorge Amado, do Centro de Convenções Luis Eduardo Magalhães, em Ilhéus, com a participação de familiares, amigos e convidados dos formandos, bem como professores, coordenadores e diretores da FMT, sob a presidência da diretora Acadêmica da FMT professora Tatiana Almeida Rocha Barcelos.

A mesa foi composta pelo Dr. Eusinio Lavigne Gesteira, diretor Geral da Faculdade Madre Thais; professor Carlos Armando Rocha Filho, coordenador do curso de Engenharia Civil e amigo da turma; professor Marcelo O’Donnell Krause , paraninfo da turma; senhor Valderico Luiz dos Reis Junior, patrono da turma; senhora Roberta Maria Nascimento , secretária acadêmica da Faculdade Madre Thais.

Foram oradores da turma de Engenharia Civil, os formandos Almir Agostinho dos Santos Filho e José Oliveira da Cruz. O diretor Geral da Faculdade Madre Thaís, Eusínio Lavigne Gesteira, explicitou o compromisso que a instituição de ensino superior tem em formar profissionais bem qualificados para o mercado de trabalho com condições similares oferecidas em outras importantes instituições do país.

A diretora Acadêmica da Faculdade, professora Tatiana Barcelos destacou a importância da participação da família e amigos na solenidade, reforçando o compromisso da instituição com a qualidade de seus cursos e com os princípios profissionais e éticos basilares da instituição.

Foram homenageados pelos formandos o professor Mestre Marcelo O’donnell Krause, paranifo da turma; o senhor Valderico Luiz dos Reis Junior, patrono da turma; o professor/MSc Carlos Armando Rocha Filho, coordenador do curso de Engenharia Civil e amigo da turma; o professor/Dr. Anderson Alves Santos; o professor/MCs Felipe José Estrela Marinho; o professor/MCs Geraldo Porto de Araujo; o professor/Especialista Kleber Marcelo Braz Carvalho; a professora/Especialista Lorena Lopes Novais; o professor/Especialista Marcos Cezar Teixeira Telles e a funcionária Nelma Campos Souza.

São engenheiros civis formados na primeira turma da FMT Abimael de Jesus Cruz , Allan Costa Lima, Almir Agostinho Dos Santos Filho, Amanda Santos Mendes, Andre Nascif Silva Aranha, Antonio Jorge Santos Dos Santos Junior, Arthur Nascimento Guimaraes, Brunno Nardes de Freitas, Caio Rocha Carvalho, Caren Matos Da Costa, Carolina Céo Lima, Claudio Dantas Azevedo Filho, Daniel Silva Alves, Eder Estevam Santos; Everton Pereira De Souza Galo, Felipe Nascimento Santos, Filipe Souza De Santana, Gabriela De Almeida Souza, Genilson Cardozo Silva, Gilberto Fernandes Araujo Junior, Gustavo Henrique Woichekoski Vontroba, Hayanna Emilly Silva Papalardo, Heloiso Carlos de Souza Junior, Ingrid Marques Liberato Penna, Jinaldo Santos Souza Junior, João Honorato Neto, Jorge Augusto Coelho Magalhães; Jose Oliveira da Cruz, Juliana Menezes Argolo, Keith Krisna dos Passos Nascimento, Kizzy Belem Oliveira, Leandro Matos Dantas, Leonardo Silva Pinto, Marco Antonio Paiva Lima, Marcos Magalhães de Macedo, Matheus Lucas De Oliveira Bomfim, Mauro Jorge Telmo Bonilla, Paulo Roberto Alves dos Santos, Rassimi Macedo da Silva Ourives, Reginaldo Souza Santos, Roberio dos Santos Silva, Rodolfo Vieira Reis, Rodrigo di Tullio Campos,Shirley Fabiane Araujo de Jesus, Tâmara Nascimento de Oliveira e Tassio Freitas Santos.

Exclusivo. Após denúncias do Blog do Gusmão, Prefeitura de Ilhéus suspende duas licitações

No dia 20 de fevereiro publicamos que a secretaria de saúde de Ilhéus estava disposta a promover uma licitação sem seguir as orientações do Tribunal de Contas da União (TCU).

O procedimento para a compra de remédios previa que as empresas habilitadas disputariam o fornecimento “por lote”. O TCU orienta que a modalidade ideal é “por item”, uma vez que estimula ampla concorrência e economia de recursos públicos.

Em contato com o BG no dia 23 de fevereiro, o secretário de saúde Geraldo Magela disse que o TCU permite a modalidade “por lote” com justificativa plausível. Pedimos que nos apresentasse o motivo, mas ele preferiu o silêncio.

Para surpresa da nossa reportagem, na última quarta-feira, 27, a licitação foi suspensa para adequação do edital.

Suspensão do pregão eletrônico para aquisição de medicamentos.

No mesmo dia, publicamos que a empresa Sysvale Softgroup reunia todas as condições para vencer uma licitação que seria realizada na sexta-feira, 28. A disputa ocorreria em torno de um contrato para fornecimento de um sistema de gestão saúde web.

Após a publicação, a secretaria de saúde suspendeu o pregão eletrônico no dia exato da disputa, depois do horário previsto (9h15min.) para a abertura das propostas, ou seja, completamente fora do prazo. O certame ocorreria no site do Banco do Brasil.

Conforme motivo publicado no Diário Oficial às 20h03min, a empresa MVA Agulham Sistemas de Gestão entrou com um recurso no dia 26 de fevereiro. O pregoeiro informou que só conheceu o questionamento dois dias depois, justamente na data da concorrência.

Além do mais, a MVA ingressou com recurso físico, sendo o procedimento correto por meio eletrônico conforme orienta o TCU (art. 19 do Decreto no 5.450/2005). O pregoeiro tinha condições para não considerar o documento.

Ilhéus tem muitas carências na saúde pública. Em nome do uso correto do dinheiro de todos, o BG vai se manter atento diante das licitações do governo Marão.

Suspensão do pregão eletrônico para aquisição do sistema saúde web.
Em destaque, o horário em que foi publicada a suspensão do pregão eletrônico.

 

Exclusivo. Supervisora de compras do governo Marão é acusada de desviar recursos de empresa

Imagem da carteira de identidade de Luciana Lima de Jesus.

Humberto Bezerra de Queiroz, procurador da empresa Unilev Tecnologia de Elevadores LTDA, localizada em Salvador, acusa Luciana Lima de Jesus de apropriação indébita.

Luciana é supervisora de compras e serviços da secretaria de administração de Ilhéus e, segundo fontes da prefeitura, foi indicada para o cargo pelo secretário Bento Lima. Ela começou a trabalhar no governo Marão no dia 16 de maio de 2018 (veja decreto com a nomeação). Antes ela trabalhou por três anos no setor financeiro da Unilev.

Conforme boletins de ocorrência registrados na 12ª delegacia, localizada no bairro Itapuã, em Salvador, o responsável pela empresa acusa Luciana de ter desviado quarenta e três mil reais (R$ 43.818,00) para contas particulares movimentadas no Banco Itaú.  As transferências ocorreram de novembro de 2017 a janeiro de 2018.

Boletins de ocorrência registrados contra Luciana.

 

Luciana moveu uma ação trabalhista contra a empresa que tramita na 24ª Vara do Trabalho de Salvador.

Os proprietários da Unilev denunciaram o suposto desvio de recursos ao Ministério Público Estadual, à Prefeitura e à Câmara de Vereadores de Ilhéus. A denúncia já é do conhecimento do promotor Frank Ferrari.

Até o momento não há decisão do poder judiciário que tenha considerado Luciana Lima de Jesus culpada pelo crime. Não podemos afirmar que o prefeito Mário Alexandre e o secretário Bento Lima tenham ciência da acusação contra a servidora pública, que na época atuava na iniciativa privada.

Às 14h10min., desta quinta-feira, 28, entramos em contato com a secretaria municipal de comunicação para tentar ouvir a versão de Luciana. Eli Macena atendeu nossa chamada e nos informou que não tem o contato da supervisora de compras.

O BG deixou recado com o atendente. Até o momento da publicação desta reportagem não recebemos resposta da Secom.

Supostas transferências (de 23 mil e 7 mil reais) realizadas para contas particulares de Luciana.
Documento prova que a conta que recebeu 30 mil reais da Unilev (exposta na imagem acima) é de Luciana.

Desembargadora reconheceu o longo tempo de serviço dos servidores afastados por Marão

Desembargadora Silvia Zarif. Foto: divulgação.

 

A decisão da desembargadora Silvia Zarif que determinou o retorno dos 268 servidores municipais afastados pelo prefeito Mário Alexandre não encerra a disputa judicial, mas demonstra a sensibilidade da corte baiana de justiça.

Silvia Zarif usou a balança e a fumaça do bom direito para determinar o retorno dos servidores enganados pelo prefeito de Ilhéus, que antes de afastá-los prometeu ir até o último recurso judicial.

A magistrada ressaltou os 30 anos de serviço público e afirmou que as idades relativamente avançadas dos funcionários dificultariam a disputa no mercado de trabalho. Leia o trecho da decisão sobre essas questões.

“No caso concreto, vê-se que apesar de ter se protraído no tempo a ofensa ao interesse da coletividade de livre acesso aos cargos públicos ocupados por agentes que não se submeteram a certame para tanto, tem-se, como contraponto, dezenas de pessoas admitidas em regime constitucional prévio no qual o recrutamento sem concurso não estava maculado por vícios de inconstitucionalidade, que serviram por 30 anos ao Poder Público e que hoje se encontram em idades relativamente avançadas para se verem na disputa do mercado de trabalho ou do mundo do empreendedorismo contemporâneo”.  

Silvia Zarif também mencionou a campanha de entidades de classe para reunir alimentos para os servidores afastados. O BG opina que a campanha da OAB, presidida pelo advogado Martone Maciel, foi muito importante nesse processo.

“Causa espécie, no caso sob exame, as declarações e notícias trazidas aos autos relacionadas ao socorro de entidades de classe e sociedades civis para se prover mantimentos à sobrevivência dos servidores demitidos”,  escreveu Zarif.

Exclusivo. TJ-BA determina o retorno dos servidores afastados por Marão

Afastamento deve ser suspenso imediatamente. Foto: Sinsepi.

A desembargadora Silvia Zarif, do Tribunal de Justiça da Bahia, determinou o retorno imediato dos servidores não estáveis afastados no dia 07 de janeiro de 2019 pelo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e pelo secretário de administração Bento Lima.

A decisão assinada na quarta-feira, 27, suspende o decreto que afastou os servidores públicos e obriga a prefeitura a mantê-los dentro do quadro até que a questão judicial se encerre transitada em julgada.

Confira a decisão.

OAB doa alimentos para os servidores afastados por Marão

Foto: Ascom APPI.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – subseção de Ilhéus, Martoni Maciel, fez a entrega de alimentos não perecíveis arrecadados pela entidade em solidariedade às centenas de servidores municipais contratados entre 1983 e 1988 que foram afastados por decreto pelo prefeito Mário Alexandre. A doação foi feita nesta quarta-feira, na sede da OAB, no Bairro Boa Vista.

Os alimentos doados reforçam a campanha realizada pelas entidades sindicais representativas dos servidores municipais, no sentido de suprir a necessidade dos trabalhadores mais vulneráveis atingidos pelo afastamento abrupto da folha de pagamento da Prefeitura, no dia 7 de janeiro último.

Participaram do ato, os presidentes do Sinsepi (Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Ilhéus), Joaques Silva, da APPI\APLB, Osman Nogueira, e do Sindguardas, Pedro de Oliveira Santos, entre outros sindicalistas. Eles agradeceram ao apoio da OAB de Ilhéus aos servidores, que em sua grande maioria estão passando por necessidades para sobrevivência, após a decisão do prefeito de Ilhéus.

O presidente da OAB local disse que os servidores possuem “um direito bom”. “Todas as pessoas que sofrem a consequência de uma decisão judicial têm o direito de responder o contraditório antes do efeito da sentença”, declarou Martoni Maciel.

Atropelamento no Pontal: por falta de médico no DPT taxista não fez teste de alcoolemia

Imagem registrada do acidente. Foto: Pimenta/reprodução.

O taxista Agnelo Brito Leal, de 56 anos, que atropelou duas mulheres e duas crianças no último sábado, 23, no Pontal, não fez o teste de alcoolemia por falta de médico no DPT de Ilhéus. O acidente gerou indignação, uma vez que as vítimas foram atropeladas na faixa de pedestre.

Segundo informações da Polícia Civil, sem o exame fica impossível saber se ele fez uso de álcool antes do acidente. Outros exames que poderiam detectar o uso de drogas também não foram realizados. Agnelo não socorreu as vítimas e tentou fugir do flagrante, mas foi impedido por populares. Uma das crianças teve traumatismo craniano. Ela tem quatro anos e está internada no Hospital Manoel Novaes, de Itabuna.

A investigação ainda não conseguiu as imagens de uma câmera de segurança que pode ter gravado o acidente.  O acesso não é tão facilitado como parece. A Polícia Civil, em Ilhéus, não possui técnicos capacitados para retirar as imagens dos equipamentos. Para extraí-las, os investigadores normalmente contratam técnicos particulares e os pagam com dinheiro do próprio bolso.

O taxista Agnelo, que mora em Itabuna, passou pela audiência de custódia, mas continua preso. Um agente de trânsito do município, em depoimento, disse que ele não conduzia o carro em alta velocidade. Provavelmente trafegava de 50 a 60 Km/h. A falta de atenção causada pelo uso de celular pode ter causado o acidente.

Sempre com seguranças, Marão só participa de festas de carnaval em ambientes fechados

Notinhas.

Marão transpira falsa alegria na festa do “Chap, Chap”. Imagem extraída de vídeo.

O prefeito de Ilhéus vive praticamente confinado, não por opção, mas por necessidade.

No último final de semana, Marão foi a duas festas de carnaval em ambientes fechados, a do “Chap, Chap”, no bairro da Conquista, e a do bloco “Os Caretas”, na Cidade Nova. A presença de seguranças não foi dispensada.

Rejeitado pela população sempre disposta a vaiá-lo ou a lhe fazer reclamações sobre o governo, Mário interrompeu suas participações sucessivas entre “As Muringuetes” do Pontal, bloco que mais gosta e que ajuda financeiramente há muitos anos, bem antes de ser prefeito.

Os participantes do bloco pontalense, na imensa maioria homens, saem pelas ruas vestidos como mulheres esbanjando irreverência. O estilo do bloco, sempre bem humorado, agrada bastante Marão.

Segundo informações de fontes privilegiadas, ele foi aconselhado a não sair na agremiação carnavalesca. A situação o deixou triste, mesmo assim, a ajuda financeira foi mantida.

Para tentar passar a impressão de que tudo anda bem, Marão gravou um vídeo no “Chap, Chap” para o Facebook. Na gravação ele demonstra alegria forçada, sem naturalidade, e chega a afirmar que esteve nas Muringuetes.

A informação não procede, pois a impopularidade o impediu de se aproximar do bloco.

Atualizado às 14h36min., de 27/02/2019.

Integrantes do “Chap, Chap” esclarecem que a festa deles não foi fechada. Os foliões desfilaram em algumas ruas da Conquista ao som de marchinhas de Carnaval, porém, Mário Alexandre não os acompanhou. O prefeito esteve na Praça Santa Rita rapidamente, cumprimentou algumas pessoas e foi até a sede do “Chap, Chap” para fazer a gravação do vídeo.

MP vai investigar tramitação rápida no Condema do licenciamento ambiental do Pontal Park Residence

O promotor Paulo Sampaio, da 11ª promotoria do Ministério Público Estadual, abriu inquérito civil para investigar a tramitação do licenciamento ambiental do empreendimento imobiliário “Pontal Park Residence”, de Ilhéus, no Conselho Municipal do Meio Ambiente (Condema), sob a presidência de Alisson Mendonça.

Denúncia de um conselheiro do Condema, Cid Edson Póvoas, provocou a ação do MP iniciada no último dia 15 de fevereiro, conforme portaria.

O Código Ambiental do Município exige que esse tipo de processo seja submetido aos membros do Condema, após análise, ajustes e emissão de parecer favorável à liberação do setor de licenciamento ambiental da Superintendência de Meio Ambiente. A licença só pode ser concedida se a maioria dos conselheiros aprovar.

O MP vai investigar supostas irregularidades na aprovação do projeto, tais como: altura dos prédios; dados conflitantes sobre lançamentos de efluentes (de esgoto) no Rio Santana; contradições relacionadas ao número de apartamentos, perspectiva de habitantes, necessidade de abastecimento de água informada pelo empreendimento e a capacidade assegurada pela Embasa.

Conselheiros do Condema ouvidos pelo BG confirmaram a denúncia. Segundo relatos, o processo foi encaminhado pela Superintendência de Meio Ambiente (dirigida pela Professora Joélia Sampaio) para o Condema, sem os documentos necessários, como por exemplo: anotação de responsabilidade técnica (ART); outorga concedida pelo Inema para lançamento de efluentes; e divergência quanto à autoria do requerimento no Condema, cujo contrato social apresentado pertence à IMT Participações e Empreendimentos LTDA, e o requerimento de licenciamento ambiental tem os dados da empresa SSN Incorporações e Empreendimentos LTDA.

Segundo o MP, o processo também chegou ao Condema sem o projeto de prevenção e combate contra incêndio e pânico, aprovado pelo Corpo de Bombeiros, e não foi obedecido o prazo de 10 dias para que a Câmara Técnica de Licenciamento, do Condema, pudesse elaborar um parecer sobre os diversos aspectos envolvidos no licenciamento ambiental.

O promotor Paulo Sampaio vai ouvir as pessoas envolvidas na tramitação do processo. Leia a portaria do MP.

Outro lado.

Alisson Mendonça. Foto: Thiago Dias.

Alisson Mendonça, que também acumulava a função de secretário de planejamento e desenvolvimento sustentável, disse ao BG que o processo teve o trâmite normal. “Eu, como presidente do Condema, só fiz conduzir a pauta. Cid [Póvoas] pediu vista por 10 dias, depois aumentou para os 30 dias que ele tem direito, e no plenário fez algumas observações. Eu coloquei no plenário e [o licenciamento] foi aprovado”.

Segundo Alisson, não houve nenhum privilégio na tramitação desse processo e os questionamentos de Cid encaminhados ao MP serão sanados, inclusive os de ordem técnica.

Não conseguimos ouvir a superintendente de meio ambiente, Joélia Sampaio.

Madre Thaís oferece pós-graduação em Metodologia e Didática do Ensino Superior

A Faculdade Madre Thaís (FMT) abriu processo de inscrição para o preenchimento de vagas no Curso de Pós-Graduação, Lato Sensu, em Metodologia e Didática do Ensino Superior. São ofertadas 40 vagas tendo como público alvo graduados em curso superior de licenciatura e bacharelados das diversas áreas de conhecimento.

O curso de Metodologia do Ensino Superior é coordenado pela diretora pedagógica da FMT, MSc. Tatiana Barcelos, e tem como objetivo propiciar uma reflexão sobre as tendências atuais de ensino. As inscrições podem ser feitas na coordenação de pós- graduação, a partir das 14 horas e pelo site da faculdade.

Segundo a professora Tatiana, “a intenção é ampliar a compreensão sobre o universo acadêmico, as suas demandas e articulações teórico-metodológicas, indicando caminhos e conhecimentos que auxiliem o professor na escolha de procedimentos didático-pedagógicos adequados aos diferentes estilos de aprendizagem e em consonância com as tecnologias contemporâneas. Busca-se compreender o cenário acadêmico, suas particularidades metodológicas e conceituais que envolvem o processo ensino-aprendizagem no ensino superior”.

CIPPA apreende carro que fez barulho no Vilela depois da meia-noite

Foto: CIPPA/Porto Seguro.

A Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (CIPPA/Porto Seguro) flagrou um carro com equipamento de som perturbando o sossego dos moradores da Rua dos Ipês, no bairro Teotônio Vilela, em Ilhéus.

O flagrante aconteceu no último domingo, 24, por volta de 00h30min., após denúncia anônima. Policiais militares do 2º pelotão da CIPPA mediram o volume do barulho e constataram 75,9 decibéis de poluição sonora.

Segundo a PM, Eduardo Franklin Oliveira foi identificado como o responsável pelo carro e pela aparelhagem. Ele vai responder no judiciário pelo crime de poluição sonora.

Nomeação de Manzo, o assessor que sabe demais, gera crise entre os vereadores Tarcisio e Escuta

 

Manzo está com medo de andar sozinho nas ruas. Foto: Whatsaap.

Osman Antônio Lima, conhecido como Manzo, tem longa trajetória na Câmara de Vereadores de Ilhéus. Foi assessor e homem de confiança dos ex-vereadores Joabes Ribeiro, Gilmar Sodré, Alisson Mendonça e Lukas Paiva. Ao todo, soma 22 anos de casa.

Humilde, extrovertido e cumpridor de palavra, com o passar do tempo ganhou a confiança de outros parlamentares que não tinham vínculos com ele. A esses, cujos nomes não convêm mencionar, fez favores diversos, até mesmo depósitos em contas bancárias de amantes.

Certa vez, inadvertidamente ele avisou à amante X que o dinheiro já estava na conta. O problema é que a mesada entrou na conta da amante Y, e uma ficou sabendo da existência da outra. Por conta da confusão, o vereador polígamo virou desafeto de Manzo.

Quando Tarcisio Paixão (PP) presidiu a Câmara (2015-2016), pagamentos a algumas empresas,  feitos em cheques, foram parar nas mãos de Manzo para que fossem descontados. As quantias retiradas das agências bancárias foram entregues a assessores do presidente.

A partir das operações Citrus e Prelúdio, o Ministério Público da Bahia tomou ciência dos cheques e Manzo foi convidado a depor. Homem simples e alheio às malandragens, contou tudo ao MP.

Lotado no gabinete do vereador Luiz Carlos Escuta (PP), Manzo afirma sofrer perseguições de Tarcisio por ter sido sincero em seus depoimentos. O ex-presidente, hoje investigado, estaria exigindo do colega Escuta a exoneração do assessor por conta dos relatos sobre os cheques. Essa informação foi confirmada por duas fontes distintas.

Escuta não está disposto a exonerar Manzo, e, por conta disso, os dois vereadores do PP estão em crise.

Não conseguimos falar com o vereador Tarcisio Paixão.