César Porto quer segurar Marão até o final do mandato

Notinhas.

Nazal não daria a César, o que César já conseguiu de Marão. Fotos: Thiago Dias e INI.

O governo Marão tem usado recursos oriundos do governo federal, com fins específicos, para pagar despesas proibidas por lei.

Entre os vereadores de Ilhéus uma tese tem gerado reflexões. Alguns afirmam que as “pedaladas” configuram justificativas para cassar o prefeito.

O presidente do legislativo municipal, César Porto, afirma que se o vice-prefeito assumir, a vida dos parlamentares não será fácil, pois José Nazal é muito duro [leia-se sério] e não fala o idioma da casa.

A opinião é verossímil. Vale lembrar que César tem parente direto na prefeitura em cargo de confiança, nomeação definida pelo Ministério Público como “nepotismo cruzado”.

A pequena política prevê que um governo impopular costuma atender pedidos pessoais de vereadores. Ciente da fragilidade, a câmara, sob a presidência de César, está disposta a salvaguardar o governo Marão de um vexame histórico.

Afinal, Marão já deu a César parte do que César pediu. Nazal, eventualmente no cargo, poderia não manter o que César já conquistou.

Alisson Mendonça vai fazer a travessia do deserto

Notinhas.

Alisson Mendonça vai ter que encarar. Fotos: Google e Thiago Dias.

Dono de uma ironia fina e educada, o ex-vereador Alisson Mendonça costuma fazer piada das figuras políticas que estão fora do poder. “Está atravessando o deserto. Eita travessia complicada!”, ri quase às gargalhadas.

Parte do desgaste do prefeito Marão muitas pessoas atribuem a Alisson, tido como “raposa da velha politica”. Nesse ponto, o senso comum erra mais uma vez, pois só há um culpado pelo fracasso do governo, o próprio Mário Alexandre.

Porém, não há como negar que Alisson não teve êxito em sua missão principal: a interlocução com a Câmara de Vereadores.  Quando foi nomeado para a secretaria de governo, muitos disseram que a indicação foi corretíssima, pois o ex-vereador por cinco mandatos é capaz de se comunicar em qualquer idioma com os edis, do mandarim ao grego, do português ao russo, passando também pelo esperanto e o latim (língua morta).

Posteriormente, Alisson arriou suas malas na Seplandes sem deixar boas recordações na pasta anterior.

Desprestigiado pelo prefeito, Alisson está com o olhar fixado em sua ampulheta, cuja areia da parte superior está próxima do fim. Desde 1997 no poder, está na iminência de fincar os pés na areia quente e claudicante do deserto, sabe-se lá até quando.

“Eita travessia complicada!”, dura demais para quem ama o poder, somente pelo poder.

Mauro Alves vai ser os olhos de Ângela no dia-a-dia do prefeito

Notinhas.

Mauro Alves: o observador indicado por Ângela.

A nomeação de Mauro Alves como chefe de gabinete do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, atende determinação da ex-deputada estadual Ângela Sousa.

Mauro é pessoa da confiança da ex-parlamentar – por dizer apenas o que ela gosta de ouvir – e exerceu cargos no governo estadual indicado por ela. Sem ter qualquer experiência no trato com a imprensa, costuma acompanhá-la nos estúdios de rádio durante as entrevistas e em viagens políticas.

Mauro vai chefiar um gabinete vazio e sem vida (segundo o vice-prefeito Nazal, em determinados horários do dia é possível andar “nu” pelo recinto). Também não terá acesso facilitado ao verdadeiro ambiente de trabalho do chefe, no condomínio Aldeia Atlântida.

A mais importante missão de Mauro será manter a mãe do prefeito bem informada sobre moças bonitas que podem se aproximar de Marão para tirar proveito.

Neopentecostal praticante, ela repudia o poder nos seus aspectos afrodisíacos e os possíveis efeitos no filho.

Jabes Ribeiro, o Orson Welles de Vila Nova

Notinhas.

Vila Nova e Jabes Ribeiro. Imagens: Charles Henri e O Tabuleiro.

Erivaldo Vila Nova é o radialista de maior sucesso no sul da Bahia.

Poucos conseguem influenciar a agenda política de uma cidade como ele.

O único prefeito que ousou peitá-lo foi Newton Lima (setembro de 2007 a 2012), que hoje se arrasta pelos fóruns respondendo centenas de processos, não por culpa do comunicador.

De origem humilde, vendeu sonhos (pães açucarados com goiabada) num tabuleiro durante a infância. Dedicou pouco tempo aos estudos, uma vez que só cursou até a 7ª série do antigo ginásio, mas desenvolveu inteligência notável.

Movido pela amizade ou por lacunas intelectuais, Vila Nova demonstra admiração especial pelo ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro. Admitiu isso no ar repetidas vezes para que todos ouvissem.

Abre o microfone à vontade para o amigo, indo de encontro a vários manuais de produção radiofônica ao permitir longos pronunciamentos, sem uma perguntinha sequer.

Vila nunca indagou o experiente político sobre a operação Citrus, que rendeu prisão e condenação de dois ex-secretários por superfaturamento na compra de frangos (alimento que simboliza o populismo do gestor).

Jabes, no estúdio de Vila Nova, passa incólume diante dos questionamentos, cria verdades paralelas e mundos fantasiosos.

O Rádio mexe com a imaginação dos ouvintes e Vila Nova não precisa de Orson Welles (e sua Guerra dos Mundos). Ele tem Jabes Ribeiro com o microfone inteiramente franqueado.

Partidos devem constituir diretórios estaduais e municipais definitivos até o dia 28 de junho

Do site do TSE.

Os partidos políticos em âmbitos estadual e/ou municipal que ainda mantêm comissões provisórias têm até o dia 28 de junho para constituir diretórios definitivos. A regra está prevista na Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.571/2018, que disciplina a criação, organização, fusão, incorporação e extinção de agremiações partidárias.

Segundo o artigo 39 da norma, as anotações relativas aos órgãos provisórios têm validade de 180 dias, salvo se o estatuto partidário estabelecer prazo inferior. O prazo é contado a partir de 1º de janeiro de 2019, tendo como data-limite o dia 29 de junho, que cai num sábado. Assim, o prazo deve ser antecipado para o primeiro dia útil anterior, ou seja: 28 de junho, sexta-feira.

As comissões provisórias são representações temporárias dos partidos, até que eventualmente haja a constituição regular de um diretório, mediante eleição interna no âmbito da agremiação. Cabe a elas, na ausência dos diretórios definitivos, promover as convenções para a escolha de candidatos. Entretanto, como usualmente ocorre em muitos municípios e até em estados, os diretórios permanentes não existem, razão pela qual as comissões provisórias acabam assumindo o papel de promover as convenções.

A fixação do período de 180 dias para a duração das comissões provisórias foi aprovada pelo Plenário do TSE em junho no ano passado. Antes disso, o prazo era de 120 dias. Os ministros entenderam que estabelecer um tempo de vigência para os órgãos provisórios é um meio de ampliar a democracia interna nas agremiações. E fixaram a data de 1º de janeiro de 2019 como marco inicial para contagem do novo prazo em observância ao princípio da segurança jurídica, de modo a permitir que os partidos tivessem tempo razoável, após a conclusão das Eleições Gerais de 2018, para a organizar o processo de constituição dos órgãos definitivos.

Na prática, depois de eleger os dirigentes dos diretórios estaduais e/ou municipais definitivos, os partidos terão de encaminhar até o dia 28 de junho, aos respectivos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), por meio do Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias (SGIP), os dados da composição e de início e término de vigência dos órgãos.

Stella Carillo deixou o PCdoB por divergências sobre drogas e aborto

Stella Carillo. Foto: Youtube/reprodução.

A advogada e professora Stella Carillo, por meio de uma mensagem enviada ao BG, informa que deixou o Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Nas redes sociais, informações desatualizadas afirmam que ela ainda pertence à legenda comunista.

Stella entregou carta de desfiliação em agosto de 2018. No mesmo ano, fez campanha para o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Adepta do espiritismo, sempre foi contra o aborto. “A minha opinião é a de que o aborto só deve ser feito na hipótese de risco de vida para a gestante”, explica. Também é contrária à descriminalização das drogas. O PCdoB tem postura libertária sobre os dois temas e isso motivou a saída da advogada.

Em 2016, quase foi candidata a vice-prefeita na chapa de Cacá Colchões. Por ter perdido o prazo de desincompatibilização no serviço público, cedeu espaço ao sindicalista Rodrigo Cardoso.

Stella Carillo é viúva do procurador federal Israel Nunes (filiado ao PCdoB), que faleceu precocemente no dia 01 de agosto de 2014, aos 32 anos.

Leia a mensagem enviada ao BG.

(mais…)

Contrato do Fundo Municipal de Saúde com a COTI é ilegal e imoral, afirma Mesaque Soares

Magela vê interesse público, Mesaque vê ilegalidade e imoralidade. Fotos: Secom/Ilhéus e Google.

Por meio de uma mensagem enviada ao BG nesta quarta-feira, 06, o advogado Mesaque Soares contestou as declarações do secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, sobre o contrato no valor R$ 4 milhões firmado entre o Fundo Municipal de Saúde e a clínica COTI.

A empresa conveniada ao SUS pertence a dois familiares diretos do prefeito Mário Alexandre. De acordo com o secretário, o contrato majorado em 652% vai atender os interesses da população (veja aqui).

O advogado Mesaque Soares entende que há ilegalidade e imoralidade na contratação. Ele explica que o artigo 9° da Lei Federal de nº 8.666/1993 não proíbe que parentes de servidores públicos participem de licitação ou contratem com a administração pública. Mas existe vedação de parentes de servidores responsáveis ou de dirigentes do órgão contratante. Os impedimentos referem-se à proteção da ampla competitividade, coibindo situações de fraude em licitação. O dispositivo trata da impossibilidade de se contratar empresas pertencentes a pessoas que possuam grau de parentesco com agentes públicos.

Segundo Mesaque Soares, o chamamento público é uma modalidade licitatória. Logo, há ilegalidade na contratação da COTI, e o caso será levado ao promotor Frank Ferrari do MP-BA.

A contratação, ainda segundo Mesaque, também atenta contra os princípios da administração pública presentes no artigo 37 da Constituição Federal. “Como saber se outras empresas não foram vetadas em detrimento da empresa familiar? Não seria também possível jogo de planilha para ninguém se habilitar? Foi dada ampla publicidade ao chamamento público para possibilitar inclusive a habilitação de outras empresas?”, perguntou o advogado

Mesaque Soares citou o Recurso Extraordinário nº 423.560 que considerou constitucional lei municipal que veda tal prática. “Usarei como fundamento jurisprudencial para provocar o Ministério Público”, finalizou.

Governador vetou Bebeto no secretariado. Ligações com ACM Neto pesaram

Notinhas.

Rui Costa e Bebeto Galvão. Foto: Jefferson Peixoto.

Fontes da cúpula estadual do PSB afirmam que o governador Rui Costa vetou o nome do ex-deputado federal Bebeto Galvão no seu secretariado.

Bebeto não tem o perfil técnico exigido por Rui, porém, observadores notaram que o “nível de dificuldade do jogo” foi elevado ao grau máximo apenas no caso do ex-parlamentar.

Nos bastidores da política sabe-se que o governador guarda pequenos ressentimentos na geladeira, para nos momentos certos esquentá-los.

Em 2016, na eleição para prefeito de Ilhéus, Bebeto ostentou o apoio de ACM Neto. Em 2018, lideranças da Força Sindical, ligadas ao mesmo, apoiaram o então vereador Léo Prates para deputado estadual. Prates foi presidente da Câmara Municipal de Salvador, é filiado ao DEM e é da cozinha de Neto.

A volatilidade de Bebeto, capaz de ir do líquido ao gasoso com facilidade, não tem a simpatia de Rui e motivou o veto, afirmam as fontes do PSB.

Valderico Junior quer ser prefeito de Ilhéus, mas não consegue administrar a Gabriela FM

Notinhas.

Valderico Junior na epoca em que se aventurava no pagode. Foto: Google.

Os ventos da política sopram favoráveis ao jovem empresário Valderico Junior, proprietário da Gabriela FM.

Dentro do jogo convencional, Junior tem dado passos bem planejados em direção à prefeitura de Ilhéus. Aliançado a políticos da velha ordem conseguiu projetar seu nome como liderança depois das eleições de 2018.

Após ouvir alguns marqueteiros, decidiu esconder o nome do pai (prefeito cassado em 2007) e adotou o nome “Junior Reis”, sua primeira peça de campanha.

O produto está quase pronto. Jovem, pagodeiro, formado em direito, nascido em berço de ouro e filho de homem rico, atributos bem ao gosto do senso comum e dos eleitores menos exigentes.

O problema é que Valderico Filho não consegue administrar a sua emissora de rádio (e trampolim político). Apesar da audiência enorme, anúncios aos montes e dos respeitados profissionais que nela trabalham, a Gabriela FM não possui gestão eficiente. O dono não sabe quanto entra e quanto sai. Diante da insegurança contábil, bateu na porta da UESC a fim de pedir ajuda.

Dizem as fontes que o pai, mesmo com métodos rudimentares, tem mais jeito para os negócios.

Governo Bolsonaro desperta expectativa muito alta e alta em 33% dos moradores de Ilhéus

Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas.

Pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019 mediu o nível de expectativa em relação ao governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Foram entrevistadas 1104 pessoas e a margem de erro é de 3%.  Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa que fez o levantamento.

Quando responderam a pergunta: “qual a sua expectativa para a administração do Presidente Bolsonaro?”, 17.57% dos entrevistados responderam muito alta, 16.03 alta, 17.48 média, 12.41 baixa, 31.07 nenhuma, 5,43 não sabe.

Quando somamos as expectativas muito alta e alta, o resultado é que 33% estão otimistas com Bolsonaro.

O presidente recém-empossado não obteve a maioria dos votos em Ilhéus, nos dois turnos das eleições de 2018. No 1º turno, Bolsonaro teve 34.45% dos votos válidos.

No 2º turno, o petista Fernando Haddad conquistou 54.505 votos (60,68%) e Bolsonaro 35.315 (39,32%). A vantagem do candidato do PT sobre o “capitão” foi de 19.190 votos.

As lideranças políticas de Ilhéus que almejam a “benção” do novo presidente devem torcer para que o governo dê certo.

Secretaria de saúde de Ilhéus assina contrato de R$ 4 milhões com clínica de familiares de Marão

COTI e o governo Marão: aumento de 652% no teto do contrato. Fotos: O Sarrafo/reprodução e Secom/Ilhéus.

O Diário Oficial de Ilhéus na edição de sexta-feira, 01 de fevereiro, publicou o extrato do novo contrato do Fundo Municipal de Saúde com a clínica COTI, que pertence a dois familiares diretos do atual prefeito. Antes de assumir o comando do município, o médico ortopedista Mário Alexandre atendia normalmente no local.

De acordo com o contrato anterior (veja aqui), renovado no dia 02 de fevereiro de 2018, a Coti recebeu cerca de R$ 25 mil por mês, já o novo prevê que a clínica poderá receber cerca de R$ 168 mil mensais, durante dois anos. Caso receba o previsto, por serviços de ortopedia e traumatologia aos usuários do SUS, a COTI terá um faturamento de mais de R$ 4 milhões, ao longo de 24 meses, oriundos da secretaria municipal de saúde. O aumento em relação ao contrato anterior é de 652%.

Em 2017, a COTI recebeu do Fundo Municipal de Saúde cerca de R$ 309 mil. Em 2018, até outubro, recebeu R$ 237 mil.

Vale explicar que o novo contrato apenas faz uma previsão com aumento do valor máximo. Não podemos afirmar que a COTI recebeu acima dos R$ 25 mil, teto do contrato anterior.

Por volta das 13h27min., tentamos manter contato com o secretário de saúde, Geraldo Magela, por meio do telefone final 4829, a fim de solicitar esclarecimentos. Tentamos três vezes, mas não conseguimos falar com o gestor.

Exclusivo. Governo Marão é péssimo para 58% da população e ruim para 14%, mostra pesquisa

Governo Marão não agrada a maioria.

O BG teve acesso exclusivo a uma pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019. Foram entrevistadas 1104 pessoas. A margem de erro é de 3%.

O levantamento foi realizado por um instituto de pesquisas muito respeitado no sul da Bahia, que por sinal, acertou o resultado das eleições municipais de 2016, em Ilhéus. Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa.

O resultado da pergunta “como avalia a administração do prefeito Mário Alexandre?” foi o seguinte: ótima 2.26%; boa 5.89%; regular 17.39%; ruim 14.86%; péssima 58.42%; não sabe 1.18%.

Ao somar ruim e péssima, a administração do prefeito agregou 73.28% dos entrevistados. A confiança e a expectativa relacionadas a Marão atingem 82.5% de baixa e muito baixa.

O especialista responsável revela que em média 9 pessoas avaliam o prefeito negativamente, enquanto apenas uma aprova a gestão. “Em resumo, a administração municipal precisa melhorar e muito. Melhorar especialmente na saúde e na segurança. Esses, além do problema do emprego, são os grandes problemas de Ilhéus, um município com muitos e graves problemas”, afirma na conclusão.

Magela sofre cobranças dentro da secretaria de saúde por dívida a supostos ciganos

Geraldo Magela. Foto: Secom/Ilhéus.

O secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, tem sido cobrado nas dependências do órgão vinculado ao SUS por uma dívida contraída junto a supostos ciganos do extremo sul da Bahia.

A informação foi passada ao BG por dois funcionários que exercem cargos de confiança na secretaria de saúde e por uma fonte externa que nos enviou áudio com relato de outra pessoa.

Magela contraiu o empréstimo antes de assumir o comando da pasta, mas como tem sido cobrado dentro do órgão público de Ilhéus, a questão saiu da esfera particular.

Segundo as fontes, no final de novembro passado representantes dos credores chutaram a porta do gabinete do secretário, depois de perceberem que não seriam recebidos. Um oficial da PM, já na reserva, faz a intermediação entre os supostos ciganos e Magela, a fim de evitar confusões e ameaças. Por não termos ouvido o militar, decidimos não revelar o nome.

Outro lado.

De maneira sincera e sem demonstrar qualquer tipo de receio, Geraldo Magela admitiu a existência da dívida, mas não deu certeza de que foi contraída junto a ciganos. Negou que a porta do seu gabinete foi chutada, mas admitiu que um oficial da PM, muito educado, tratou dessa questão com ele na secretaria. Afirmou que tem quitado as parcelas do empréstimo, cuja última prestação será paga em fevereiro.

Disse ser alvo de fofocas oriundas de pessoas desonestas que foram descobertas pedindo propinas dentro da secretaria de saúde. Inquirido sobre os nomes dos supostos corruptos, disse que no momento certo a opinião pública tomará conhecimento, pois os fatos serão denunciados ao Ministério Público.

Magela afirmou não possuir nenhuma condenação no poder judiciário. Disse que sua trajetória como gestor do Sistema Único de Saúde (SUS) é honesta e de absoluta seriedade.

Marcelino Galo assume liderança da bancada do PT na Assembleia Legislativa

Sai Joseildo (à direita), entra Marcelino na liderança do PT na ALBA. Foto: Ascom.

Foi escolhido por unanimidade, em reunião realizada ontem, 29, o novo líder da bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa da Bahia. A partir do dia 1º de fevereiro, o cargo que hoje é do deputado estadual Joseildo Ramos (PT) será ocupado pelo deputado estadual Marcelino Galo (PT).

De acordo com Joseildo, que deve assumir mandato como deputado federal com o anúncio do restante da reforma do secretariado de Rui Costa (PT), a decisão foi pensada de forma estratégica. “O líder do Governo é liderado pela bancada do PT e o líder do PT é liderado pela bancada do Governo. Marcelino Galo e Rosemberg Pinto estão comprometidos em criar o ambiente ideal para fortalecer e dar a devida sustentação a essa nova fase do Governo Rui Costa”, afirmou.

Exclusivo. TPI prepara espetáculo inspirado nas trapalhadas do governo Marão

Marão vai inspirar personagem do TPI, assim como Valderico Reis inspirou Teodorico Majestade e Newton Lima gerou Gilton Munheca. Fotos: arquivo do BG.

Depois do inesquecível Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, e de O Inspetor Geral – sai o prefeito entra o vice, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) prepara um espetáculo com sátiras inspiradas no governo do prefeito Mário Alexandre.

Os dois primeiros, com textos da literatura de cordel, trataram com bom humor as maluquices dos governos Valderico Reis e Newton Lima, respectivamente. Agora chegou a vez de Marão, figura política notadamente caricata, inspirar um personagem do respeitado diretor Romualdo Lisboa.

O BG apurou que o texto não está finalizado. A intenção do grupo é criar uma ficção com o romancista Jorge Amado no papel de narrador da trama.  A expectativa é de que a nova peça fique pronta para estreia em março deste ano.

Teodorico Majestade ajudou a opinião pública de Ilhéus a exigir a cassação de Valderico Reis em 2007. O espetáculo recebeu duas indicações ao Prêmio Brasken de Teatro 2008 (melhor texto – Romualdo Lisboa e melhor ator – Ely Izidro), foi selecionado nos festivais de Curitiba, Recife, São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro, e encerrou a Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, em São Paulo.

O Inspetor Geral foi exibido nas principais capitais do país, reinaugurou o Teatro Princesa Isabel (em Copacabana, no Rio de Janeiro), ficou quatro meses em cartaz em São Paulo-SP e foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro em 2012.

Lista parcial de secretários traz Davidson Magalhães no Trabalho e Bebeto fora, por enquanto

O governador Rui Costa anunciou uma lista parcial do novo secretariado que vai ajudá-lo na gestão da Bahia até 2022. A divulgação ocorreu no programa #Papo Correria, desta terça-feira, 29, transmitido no Facebook.

A relação traz Davidson Magalhães (PC do B) na secretaria do trabalho, tira Walter Pinheiro da educação e o coloca no planejamento. André Curvello continua na comunicação e Fabio Vilas-Boas permanece na saúde. A de agricultura traz o Professor da UESB, Lucas Teixeira Costa. O deputado federal Bebeto Galvão (PSB), em final de mandato, até o momento não aparece no grupo. Novos secretários serão anunciados nos próximos dias.

Veja a lista.