Valderico Junior quer ser prefeito de Ilhéus, mas não consegue administrar a Gabriela FM

Notinhas.

Valderico Junior na epoca em que se aventurava no pagode. Foto: Google.

Os ventos da política sopram favoráveis ao jovem empresário Valderico Junior, proprietário da Gabriela FM.

Dentro do jogo convencional, Junior tem dado passos bem planejados em direção à prefeitura de Ilhéus. Aliançado a políticos da velha ordem conseguiu projetar seu nome como liderança depois das eleições de 2018.

Após ouvir alguns marqueteiros, decidiu esconder o nome do pai (prefeito cassado em 2007) e adotou o nome “Junior Reis”, sua primeira peça de campanha.

O produto está quase pronto. Jovem, pagodeiro, formado em direito, nascido em berço de ouro e filho de homem rico, atributos bem ao gosto do senso comum e dos eleitores menos exigentes.

O problema é que Valderico Filho não consegue administrar a sua emissora de rádio (e trampolim político). Apesar da audiência enorme, anúncios aos montes e dos respeitados profissionais que nela trabalham, a Gabriela FM não possui gestão eficiente. O dono não sabe quanto entra e quanto sai. Diante da insegurança contábil, bateu na porta da UESC a fim de pedir ajuda.

Dizem as fontes que o pai, mesmo com métodos rudimentares, tem mais jeito para os negócios.

Governo Bolsonaro desperta expectativa muito alta e alta em 33% dos moradores de Ilhéus

Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas.

Pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019 mediu o nível de expectativa em relação ao governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Foram entrevistadas 1104 pessoas e a margem de erro é de 3%.  Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa que fez o levantamento.

Quando responderam a pergunta: “qual a sua expectativa para a administração do Presidente Bolsonaro?”, 17.57% dos entrevistados responderam muito alta, 16.03 alta, 17.48 média, 12.41 baixa, 31.07 nenhuma, 5,43 não sabe.

Quando somamos as expectativas muito alta e alta, o resultado é que 33% estão otimistas com Bolsonaro.

O presidente recém-empossado não obteve a maioria dos votos em Ilhéus, nos dois turnos das eleições de 2018. No 1º turno, Bolsonaro teve 34.45% dos votos válidos.

No 2º turno, o petista Fernando Haddad conquistou 54.505 votos (60,68%) e Bolsonaro 35.315 (39,32%). A vantagem do candidato do PT sobre o “capitão” foi de 19.190 votos.

As lideranças políticas de Ilhéus que almejam a “benção” do novo presidente devem torcer para que o governo dê certo.

Secretaria de saúde de Ilhéus assina contrato de R$ 4 milhões com clínica de familiares de Marão

COTI e o governo Marão: aumento de 652% no teto do contrato. Fotos: O Sarrafo/reprodução e Secom/Ilhéus.

O Diário Oficial de Ilhéus na edição de sexta-feira, 01 de fevereiro, publicou o extrato do novo contrato do Fundo Municipal de Saúde com a clínica COTI, que pertence a dois familiares diretos do atual prefeito. Antes de assumir o comando do município, o médico ortopedista Mário Alexandre atendia normalmente no local.

De acordo com o contrato anterior (veja aqui), renovado no dia 02 de fevereiro de 2018, a Coti recebeu cerca de R$ 25 mil por mês, já o novo prevê que a clínica poderá receber cerca de R$ 168 mil mensais, durante dois anos. Caso receba o previsto, por serviços de ortopedia e traumatologia aos usuários do SUS, a COTI terá um faturamento de mais de R$ 4 milhões, ao longo de 24 meses, oriundos da secretaria municipal de saúde. O aumento em relação ao contrato anterior é de 652%.

Em 2017, a COTI recebeu do Fundo Municipal de Saúde cerca de R$ 309 mil. Em 2018, até outubro, recebeu R$ 237 mil.

Vale explicar que o novo contrato apenas faz uma previsão com aumento do valor máximo. Não podemos afirmar que a COTI recebeu acima dos R$ 25 mil, teto do contrato anterior.

Por volta das 13h27min., tentamos manter contato com o secretário de saúde, Geraldo Magela, por meio do telefone final 4829, a fim de solicitar esclarecimentos. Tentamos três vezes, mas não conseguimos falar com o gestor.

Exclusivo. Governo Marão é péssimo para 58% da população e ruim para 14%, mostra pesquisa

Governo Marão não agrada a maioria.

O BG teve acesso exclusivo a uma pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019. Foram entrevistadas 1104 pessoas. A margem de erro é de 3%.

O levantamento foi realizado por um instituto de pesquisas muito respeitado no sul da Bahia, que por sinal, acertou o resultado das eleições municipais de 2016, em Ilhéus. Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa.

O resultado da pergunta “como avalia a administração do prefeito Mário Alexandre?” foi o seguinte: ótima 2.26%; boa 5.89%; regular 17.39%; ruim 14.86%; péssima 58.42%; não sabe 1.18%.

Ao somar ruim e péssima, a administração do prefeito agregou 73.28% dos entrevistados. A confiança e a expectativa relacionadas a Marão atingem 82.5% de baixa e muito baixa.

O especialista responsável revela que em média 9 pessoas avaliam o prefeito negativamente, enquanto apenas uma aprova a gestão. “Em resumo, a administração municipal precisa melhorar e muito. Melhorar especialmente na saúde e na segurança. Esses, além do problema do emprego, são os grandes problemas de Ilhéus, um município com muitos e graves problemas”, afirma na conclusão.

Magela sofre cobranças dentro da secretaria de saúde por dívida a supostos ciganos

Geraldo Magela. Foto: Secom/Ilhéus.

O secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, tem sido cobrado nas dependências do órgão vinculado ao SUS por uma dívida contraída junto a supostos ciganos do extremo sul da Bahia.

A informação foi passada ao BG por dois funcionários que exercem cargos de confiança na secretaria de saúde e por uma fonte externa que nos enviou áudio com relato de outra pessoa.

Magela contraiu o empréstimo antes de assumir o comando da pasta, mas como tem sido cobrado dentro do órgão público de Ilhéus, a questão saiu da esfera particular.

Segundo as fontes, no final de novembro passado representantes dos credores chutaram a porta do gabinete do secretário, depois de perceberem que não seriam recebidos. Um oficial da PM, já na reserva, faz a intermediação entre os supostos ciganos e Magela, a fim de evitar confusões e ameaças. Por não termos ouvido o militar, decidimos não revelar o nome.

Outro lado.

De maneira sincera e sem demonstrar qualquer tipo de receio, Geraldo Magela admitiu a existência da dívida, mas não deu certeza de que foi contraída junto a ciganos. Negou que a porta do seu gabinete foi chutada, mas admitiu que um oficial da PM, muito educado, tratou dessa questão com ele na secretaria. Afirmou que tem quitado as parcelas do empréstimo, cuja última prestação será paga em fevereiro.

Disse ser alvo de fofocas oriundas de pessoas desonestas que foram descobertas pedindo propinas dentro da secretaria de saúde. Inquirido sobre os nomes dos supostos corruptos, disse que no momento certo a opinião pública tomará conhecimento, pois os fatos serão denunciados ao Ministério Público.

Magela afirmou não possuir nenhuma condenação no poder judiciário. Disse que sua trajetória como gestor do Sistema Único de Saúde (SUS) é honesta e de absoluta seriedade.

Marcelino Galo assume liderança da bancada do PT na Assembleia Legislativa

Sai Joseildo (à direita), entra Marcelino na liderança do PT na ALBA. Foto: Ascom.

Foi escolhido por unanimidade, em reunião realizada ontem, 29, o novo líder da bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa da Bahia. A partir do dia 1º de fevereiro, o cargo que hoje é do deputado estadual Joseildo Ramos (PT) será ocupado pelo deputado estadual Marcelino Galo (PT).

De acordo com Joseildo, que deve assumir mandato como deputado federal com o anúncio do restante da reforma do secretariado de Rui Costa (PT), a decisão foi pensada de forma estratégica. “O líder do Governo é liderado pela bancada do PT e o líder do PT é liderado pela bancada do Governo. Marcelino Galo e Rosemberg Pinto estão comprometidos em criar o ambiente ideal para fortalecer e dar a devida sustentação a essa nova fase do Governo Rui Costa”, afirmou.

Exclusivo. TPI prepara espetáculo inspirado nas trapalhadas do governo Marão

Marão vai inspirar personagem do TPI, assim como Valderico Reis inspirou Teodorico Majestade e Newton Lima gerou Gilton Munheca. Fotos: arquivo do BG.

Depois do inesquecível Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, e de O Inspetor Geral – sai o prefeito entra o vice, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) prepara um espetáculo com sátiras inspiradas no governo do prefeito Mário Alexandre.

Os dois primeiros, com textos da literatura de cordel, trataram com bom humor as maluquices dos governos Valderico Reis e Newton Lima, respectivamente. Agora chegou a vez de Marão, figura política notadamente caricata, inspirar um personagem do respeitado diretor Romualdo Lisboa.

O BG apurou que o texto não está finalizado. A intenção do grupo é criar uma ficção com o romancista Jorge Amado no papel de narrador da trama.  A expectativa é de que a nova peça fique pronta para estreia em março deste ano.

Teodorico Majestade ajudou a opinião pública de Ilhéus a exigir a cassação de Valderico Reis em 2007. O espetáculo recebeu duas indicações ao Prêmio Brasken de Teatro 2008 (melhor texto – Romualdo Lisboa e melhor ator – Ely Izidro), foi selecionado nos festivais de Curitiba, Recife, São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro, e encerrou a Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, em São Paulo.

O Inspetor Geral foi exibido nas principais capitais do país, reinaugurou o Teatro Princesa Isabel (em Copacabana, no Rio de Janeiro), ficou quatro meses em cartaz em São Paulo-SP e foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro em 2012.

Lista parcial de secretários traz Davidson Magalhães no Trabalho e Bebeto fora, por enquanto

O governador Rui Costa anunciou uma lista parcial do novo secretariado que vai ajudá-lo na gestão da Bahia até 2022. A divulgação ocorreu no programa #Papo Correria, desta terça-feira, 29, transmitido no Facebook.

A relação traz Davidson Magalhães (PC do B) na secretaria do trabalho, tira Walter Pinheiro da educação e o coloca no planejamento. André Curvello continua na comunicação e Fabio Vilas-Boas permanece na saúde. A de agricultura traz o Professor da UESB, Lucas Teixeira Costa. O deputado federal Bebeto Galvão (PSB), em final de mandato, até o momento não aparece no grupo. Novos secretários serão anunciados nos próximos dias.

Veja a lista.

Antes de apoiar o PT de Ilhéus, Wagner quer consultar Jabes Ribeiro

Jabes Ribeiro e Jaques Wagner. Foto: Gidelzo Silva.

O site Galera de Ilhéus publicou nesta segunda-feira, 28, uma análise do criterioso repórter Thiago Dias sobre a aliança PT/PP no Estado e os seus desdobramentos em Ilhéus.

Thiago, o melhor repórter que já passou pelo Blog do Gusmão (BG), informa que o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, ao ser perguntado se apoiará um candidato do PT nas próximas eleições a prefeito de Ilhéus, manifestou a intenção de antes consultar o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

A informação com certeza vai atingir o orgulho dos petistas locais, aliados no passado e hoje adversários ferrenhos de Jabes.

A análise está neste link.

Vaias para Marão no show de Diogo Nogueira

Notinhas.

A popularidade do prefeito de Ilhéus escorrega ladeira abaixo.

Na última sexta-feira, 25, antes do show do sambista Diogo Nogueira na Concha Acústica da Avenida Soares Lopes, o público não poupou o gestor.

O radialista Bebeto Oliveira citou o nome de Mário Alexandre, em sinal de agradecimento, e ouviu vaias quase ensurdecedoras.

Marão não foi ao show, mas já deve ter ouvido os ecos.

 

Jabes Ribeiro pode se tornar liderança de Bolsonaro em Ilhéus

Notinhas.

PP de Jabes paquera Bolsonaro. Fotos: Google/reprodução.

O movimento político favorável ao presidente da República, Jair Bolsonaro, não tem lideranças consistentes em Ilhéus, cujo histórico prove densidade eleitoral.

O repúdio ao lançamento do livro do ex-ministro José Dirceu (PT), que provocou fúria em militantes bolsonaristas nas redes sociais, indicou baixa capacidade de mobilização da direita.

Como na política (e na busca pelo poder) não existe vácuo, caso o governo Bolsonaro conquiste grande popularidade, um político convencional pode preencher a brecha.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, pode no futuro assumir o posto. Nos anos 90, aderiu ao grupo de Antônio Carlos Magalhães, que também tinha inclinações autoritárias e foi um dos incentivadores do golpe militar de 1964. Isaac Albagli,  lugar-tenente de Jabes, já assumiu publicamente a intenção de buscar uma “boquinha” na direção do Porto de Ilhéus, nomeado pelo novo governo. No plano nacional, o PP, partido do ex-prefeito, anunciou apoio à candidatura de Rodrigo Maia à presidência da Câmara dos Deputados. Dias depois recuou, mas pode voltar. Maia é o candidato de Bolsonaro.

Dessa forma, percebe-se que o jabismo iniciou um movimento ainda tímido para entrar na órbita do novo governo. Caso Jabes assuma esse posto, o fato não será surpreendente, pois já faz muito tempo que o traquejado político abriu mão dos compromissos ideológicos.

Se beijou a mão de ACM, pode também se curvar diante do bolsonarismo.

Nerival X PC do B de Ilhéus: “primeiro vou conversar com Alice”

Vereador Nerival, por enquanto do PC do B.

O BG conversou com o vereador Nerival, de Ilhéus, sobre o convite feito pelo PC do B, na terça-feira, 22. O comitê municipal, por meio de uma nota pública, convidou o parlamentar a sair do partido, caso mantenha o apoio ao prefeito Mário Alexandre na Câmara de Vereadores.

Na manhã desta quarta, 23, Nerival disse ao blog que desconhecia a nota, uma vez que está em Itiúba acompanhando uma visita do governador Rui Costa.

Ao tomar ciência da mensagem dos camaradas, Nerival disse que primeiro vai conversar com a deputada federal Alice Portugal, também do PC do B. “Quem manda em mim é ela, a minha deputada. Ajudei muito ela. Primeiro vou conversar”.

Nerival disse que a porta está aberta, pois o PC do B não atingiu o percentual de votos exigido pela lei da cláusula de barreiras, que exigiu dos partidos na eleição de 2018, para deputado federal, pelo menos 1,5% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 9 deputados, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação. Essa situação possibilita que os filiados com mandato eletivo saiam do partido, se assim preferirem, sem nenhum problema.

Indagado se vai continuar prestando apoio ao prefeito, o vereador Nerival disse, com a forma coloquial de sempre e aparentemente sem maldade, “Marão não está me dando nada. Ainda vou ver”, finalizou.

PC do B de Ilhéus convida vereador Nerival a sair do partido

Nerival vai ter que optar entre Marão e o PC do B.

O Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil (PC do B) por meio de uma nota pública divulgada nesta terça-feira, 22, definiu fazer oposição ao governo do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre.

No texto, os comunistas convidam o vereador Nerival a sair o partido, caso continue apoiando Marão na Câmara Municipal. Leia a nota.

O PcdoB se contrapõe ao desgoverno Marão

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) vem repudiar os descompassos do governo Mário Alexandre frente aos compromissos éticos, políticos, sociais e econômicos assumidos com a sociedade ilheense. Por inabilidade política e administrativa, o executivo municipal tem ferido mortalmente os interesses mais caras ao povo, frustrando a esperança dos que acreditaram na possibilidade de viver em uma cidade mais inclusiva.

Sempre fiel às demandas populares, mas agindo com responsabilidade política, o PCdoB, mesmo estando entre as forças derrotadas democraticamente no último pleito eleitoral, ao longo desses dois primeiros anos da gestão capitaneada por Marão, torceu pelo seu sucesso e buscou contribuir com a cidade, principalmente através do mandato do deputado federal Davidson, em seus períodos de exercício, e articulando políticas públicas junto ao governo do estado. Tomamos como irresponsabilidade fomentar a tese do “quanto pior melhor”, pois sabíamos que, ao final, os mais pobres seriam os mais prejudicados, fato constato hoje.

Torcemos muito para que o governo municipal conseguisse o objetivo de fazer com que os serviços e equipamento públicos se tornassem uma opção viável e digna. Para isso, as escolas precisariam funcionar em tempo integral e conquistar um nível de qualidade considerado adequado. As creches, de excelência, tinham de ser equipadas para atender muitas crianças; com isso, mães e pais poderiam deixar seus filhos e filhas o dia inteiro com tranquilidade e satisfação.

Mário deveria garantir o direito à cidade, cuidando, sobretudo, da mobilidade urbana. Dado o perfil territorial do município e, tomando como referência experiências exitosas pelo mundo afora, nosso prefeito poderia perseguir a modalidade de “tarifa zero”, ou seja, os Ilheenses não pagariam mais por esse serviço público porque o sistema não teria operadores privados, sendo financiado pelo conjunto da população que já paga uma extorsiva tributação. Com isso, Ilhéus ficaria menos poluída, ambientalmente sustentável e socialmente inclusiva.

(mais…)

Bolsonaristas promoveram evento de Zé Dirceu em Ilhéus

Notinhas.

Direita ilheense ajudou o “companheiro” Zé Dirceu. Foto: Whatsaap.

O lançamento do livro do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, na última sexta-feira, 18, em Ilhéus, foi sucesso de mídia e de público.

Vale destacar que os bolsonaristas foram os mais engajados divulgadores do evento. Bateram tambores barulhentos nas redes sociais com direito a manifestos, notas de repúdio e ameaças de derrubar “na marra” a tenda do Teatro Popular de Ilhéus.

Tudo isso transformou o lançamento de um simples livro num grande ato da militância de esquerda, com direito à presença do assessor direto do governador Rui Costa, o petista de longa data Nelson Simões, e policiais civis na plateia cuidadosamente posicionados.

No final, Zé Dirceu saiu da polêmica mais inocente do que nunca foi. Seu maior heroísmo, segundo o imaginário petista, está na resistência às ofertas de delação premiada. E a direita de Ilhéus demonstrou que só sabe fazer barulho, pois tem dificuldade para lotar uma Van, talvez até um velho Chevette, uma vez que difunde discurso ultrapassado, intolerante e contrário à liberdade de expressão.

Partidos progressistas e movimentos sociais lançam a frente democrática de Ilhéus

Terreiro de Mãe Laura Sandoiá recebeu o Café com Política.

Aconteceu no sábado, 19, no terreiro de Mãe Laura Sandoiá, na Rua Castro Alves, no Pontal, a terceira reunião do Café com Política.

Na ocasião, foi definido o lançamento da Frente Democrática Ilhéus, formada por partidos progressistas, movimentos sociais, entidades de classe e associações comunitárias. A Frente objetiva a criação de um movimento norteado pelos princípios: unidade de ação e liberdade na discussão; decisão coletiva e responsabilidade individual; valores coletivos; e não reprodução do machismo, racismo, homofobia e valores individualistas.

De acordo com seus integrantes, a Frente vai priorizar a construção do poder popular com independência e autonomia, e deverá ser dirigida pelas cidadãs e cidadãos num esforço de fortalecimento organizativo nos bairros, conselhos populares e participação nos conselhos municipais instituídos.

A frente definiu etapas de um plano de ação: propor uma ação popular na justiça sobre os problemas do transporte coletivo; ir aos conselhos de saúde, cultura, merenda escolar e educação; fazer um balanço da situação das políticas públicas e das estruturas dos conselhos mencionados acima; levantamento das escolas que estão aptas para receber o ensino fundamental (com acessibilidade); e propor projetos para os imóveis abandonados.

A pedido do ativista comunitário Edito de Jesus, o popular Periquito, o bairro Nelson Costa será a primeira comunidade em que será realizado o balanço dos problemas enfrentados. A visita vai acontecer na segunda quinzena de fevereiro.

Participaram da terceira reunião: José Henrique Abobreira (ex-vice-prefeito de Ilhéus); Carlos Pereira Neto (professor da UESC); José Nazal (vice-prefeito de Ilhéus); o vereador Makrisi (PT); Shi Mario, José Levi, Leonor Pimentel e Ed Paixão (membros do PSOL); Marialva Monteiro (Ong Cineduc); Qila Nobre (segmento dos deficientes físicos); Mestra Lainha (Presidente do Conselho Municipal de Cultura) e a sacerdotisa Mãe Laura (terreiro Laura Sandoiá).

Segundo José Henrique Abobreira,  “o encontro teve simbolismo muito forte, uma vez que remeteu à luta do nosso povo por igualdade social e econômica, num terreiro sagrado do povo de santo, espaço de resistência da cultura afro-brasileira”.

Cinco secretários podem cair com a reforma administrativa de Marão

Notinhas.

Hermano, Alcides, Alisson, Valmir e Ceo estão na corda na bamba.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, já definiu os nomes dos secretários que deixarão o governo na próxima reforma administrativa, contam fontes do Centro Administrativo da Conquista.

Valmir Feitas (Agricultura e Pesca), Alisson Mendonça (Seplandes), Ceo Modas (Indústria e Comércio), Alcides Kruschewsky (Turismo) e Hermano Fahning (Serviços Urbanos) provavelmente deixarão o governo municipal.

As exonerações de Valmir, Alisson e Alcides atenderão o pedido dos 11 vereadores que, de maneira subliminar, ameaçam cassar o prefeito. Ceo Modas pode sair por não ter apoiado os candidatos de Marão e Ângela nas últimas eleições, principalmente, o senador eleito Ângelo Coronel (PSD). Hermano Fahning não está satisfeito com a função e alega falta de condições de trabalho. Por ser funcionário concursado do município, continuará atuando como engenheiro civil. Já entregou o cargo ao prefeito.

Marão tem dito que não vai chamar ninguém para conversar. Os cinco tomarão conhecimento das exonerações por meio do Diário Oficial.

O prefeito tem dificuldades para adotar decisões duras. Também não costuma expor suas opiniões frente a frente, prefere fazer triangulações com “disse me disse” e mandar recados.