Lista parcial de secretários traz Davidson Magalhães no Trabalho e Bebeto fora, por enquanto

O governador Rui Costa anunciou uma lista parcial do novo secretariado que vai ajudá-lo na gestão da Bahia até 2022. A divulgação ocorreu no programa #Papo Correria, desta terça-feira, 29, transmitido no Facebook.

A relação traz Davidson Magalhães (PC do B) na secretaria do trabalho, tira Walter Pinheiro da educação e o coloca no planejamento. André Curvello continua na comunicação e Fabio Vilas-Boas permanece na saúde. A de agricultura traz o Professor da UESB, Lucas Teixeira Costa. O deputado federal Bebeto Galvão (PSB), em final de mandato, até o momento não aparece no grupo. Novos secretários serão anunciados nos próximos dias.

Veja a lista.

Antes de apoiar o PT de Ilhéus, Wagner quer consultar Jabes Ribeiro

Jabes Ribeiro e Jaques Wagner. Foto: Gidelzo Silva.

O site Galera de Ilhéus publicou nesta segunda-feira, 28, uma análise do criterioso repórter Thiago Dias sobre a aliança PT/PP no Estado e os seus desdobramentos em Ilhéus.

Thiago, o melhor repórter que já passou pelo Blog do Gusmão (BG), informa que o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, ao ser perguntado se apoiará um candidato do PT nas próximas eleições a prefeito de Ilhéus, manifestou a intenção de antes consultar o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

A informação com certeza vai atingir o orgulho dos petistas locais, aliados no passado e hoje adversários ferrenhos de Jabes.

A análise está neste link.

Vaias para Marão no show de Diogo Nogueira

Notinhas.

A popularidade do prefeito de Ilhéus escorrega ladeira abaixo.

Na última sexta-feira, 25, antes do show do sambista Diogo Nogueira na Concha Acústica da Avenida Soares Lopes, o público não poupou o gestor.

O radialista Bebeto Oliveira citou o nome de Mário Alexandre, em sinal de agradecimento, e ouviu vaias quase ensurdecedoras.

Marão não foi ao show, mas já deve ter ouvido os ecos.

 

Jabes Ribeiro pode se tornar liderança de Bolsonaro em Ilhéus

Notinhas.

PP de Jabes paquera Bolsonaro. Fotos: Google/reprodução.

O movimento político favorável ao presidente da República, Jair Bolsonaro, não tem lideranças consistentes em Ilhéus, cujo histórico prove densidade eleitoral.

O repúdio ao lançamento do livro do ex-ministro José Dirceu (PT), que provocou fúria em militantes bolsonaristas nas redes sociais, indicou baixa capacidade de mobilização da direita.

Como na política (e na busca pelo poder) não existe vácuo, caso o governo Bolsonaro conquiste grande popularidade, um político convencional pode preencher a brecha.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, pode no futuro assumir o posto. Nos anos 90, aderiu ao grupo de Antônio Carlos Magalhães, que também tinha inclinações autoritárias e foi um dos incentivadores do golpe militar de 1964. Isaac Albagli,  lugar-tenente de Jabes, já assumiu publicamente a intenção de buscar uma “boquinha” na direção do Porto de Ilhéus, nomeado pelo novo governo. No plano nacional, o PP, partido do ex-prefeito, anunciou apoio à candidatura de Rodrigo Maia à presidência da Câmara dos Deputados. Dias depois recuou, mas pode voltar. Maia é o candidato de Bolsonaro.

Dessa forma, percebe-se que o jabismo iniciou um movimento ainda tímido para entrar na órbita do novo governo. Caso Jabes assuma esse posto, o fato não será surpreendente, pois já faz muito tempo que o traquejado político abriu mão dos compromissos ideológicos.

Se beijou a mão de ACM, pode também se curvar diante do bolsonarismo.

Nerival X PC do B de Ilhéus: “primeiro vou conversar com Alice”

Vereador Nerival, por enquanto do PC do B.

O BG conversou com o vereador Nerival, de Ilhéus, sobre o convite feito pelo PC do B, na terça-feira, 22. O comitê municipal, por meio de uma nota pública, convidou o parlamentar a sair do partido, caso mantenha o apoio ao prefeito Mário Alexandre na Câmara de Vereadores.

Na manhã desta quarta, 23, Nerival disse ao blog que desconhecia a nota, uma vez que está em Itiúba acompanhando uma visita do governador Rui Costa.

Ao tomar ciência da mensagem dos camaradas, Nerival disse que primeiro vai conversar com a deputada federal Alice Portugal, também do PC do B. “Quem manda em mim é ela, a minha deputada. Ajudei muito ela. Primeiro vou conversar”.

Nerival disse que a porta está aberta, pois o PC do B não atingiu o percentual de votos exigido pela lei da cláusula de barreiras, que exigiu dos partidos na eleição de 2018, para deputado federal, pelo menos 1,5% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 9 deputados, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação. Essa situação possibilita que os filiados com mandato eletivo saiam do partido, se assim preferirem, sem nenhum problema.

Indagado se vai continuar prestando apoio ao prefeito, o vereador Nerival disse, com a forma coloquial de sempre e aparentemente sem maldade, “Marão não está me dando nada. Ainda vou ver”, finalizou.

PC do B de Ilhéus convida vereador Nerival a sair do partido

Nerival vai ter que optar entre Marão e o PC do B.

O Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil (PC do B) por meio de uma nota pública divulgada nesta terça-feira, 22, definiu fazer oposição ao governo do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre.

No texto, os comunistas convidam o vereador Nerival a sair o partido, caso continue apoiando Marão na Câmara Municipal. Leia a nota.

O PcdoB se contrapõe ao desgoverno Marão

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) vem repudiar os descompassos do governo Mário Alexandre frente aos compromissos éticos, políticos, sociais e econômicos assumidos com a sociedade ilheense. Por inabilidade política e administrativa, o executivo municipal tem ferido mortalmente os interesses mais caras ao povo, frustrando a esperança dos que acreditaram na possibilidade de viver em uma cidade mais inclusiva.

Sempre fiel às demandas populares, mas agindo com responsabilidade política, o PCdoB, mesmo estando entre as forças derrotadas democraticamente no último pleito eleitoral, ao longo desses dois primeiros anos da gestão capitaneada por Marão, torceu pelo seu sucesso e buscou contribuir com a cidade, principalmente através do mandato do deputado federal Davidson, em seus períodos de exercício, e articulando políticas públicas junto ao governo do estado. Tomamos como irresponsabilidade fomentar a tese do “quanto pior melhor”, pois sabíamos que, ao final, os mais pobres seriam os mais prejudicados, fato constato hoje.

Torcemos muito para que o governo municipal conseguisse o objetivo de fazer com que os serviços e equipamento públicos se tornassem uma opção viável e digna. Para isso, as escolas precisariam funcionar em tempo integral e conquistar um nível de qualidade considerado adequado. As creches, de excelência, tinham de ser equipadas para atender muitas crianças; com isso, mães e pais poderiam deixar seus filhos e filhas o dia inteiro com tranquilidade e satisfação.

Mário deveria garantir o direito à cidade, cuidando, sobretudo, da mobilidade urbana. Dado o perfil territorial do município e, tomando como referência experiências exitosas pelo mundo afora, nosso prefeito poderia perseguir a modalidade de “tarifa zero”, ou seja, os Ilheenses não pagariam mais por esse serviço público porque o sistema não teria operadores privados, sendo financiado pelo conjunto da população que já paga uma extorsiva tributação. Com isso, Ilhéus ficaria menos poluída, ambientalmente sustentável e socialmente inclusiva.

(mais…)

Bolsonaristas promoveram evento de Zé Dirceu em Ilhéus

Notinhas.

Direita ilheense ajudou o “companheiro” Zé Dirceu. Foto: Whatsaap.

O lançamento do livro do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, na última sexta-feira, 18, em Ilhéus, foi sucesso de mídia e de público.

Vale destacar que os bolsonaristas foram os mais engajados divulgadores do evento. Bateram tambores barulhentos nas redes sociais com direito a manifestos, notas de repúdio e ameaças de derrubar “na marra” a tenda do Teatro Popular de Ilhéus.

Tudo isso transformou o lançamento de um simples livro num grande ato da militância de esquerda, com direito à presença do assessor direto do governador Rui Costa, o petista de longa data Nelson Simões, e policiais civis na plateia cuidadosamente posicionados.

No final, Zé Dirceu saiu da polêmica mais inocente do que nunca foi. Seu maior heroísmo, segundo o imaginário petista, está na resistência às ofertas de delação premiada. E a direita de Ilhéus demonstrou que só sabe fazer barulho, pois tem dificuldade para lotar uma Van, talvez até um velho Chevette, uma vez que difunde discurso ultrapassado, intolerante e contrário à liberdade de expressão.

Partidos progressistas e movimentos sociais lançam a frente democrática de Ilhéus

Terreiro de Mãe Laura Sandoiá recebeu o Café com Política.

Aconteceu no sábado, 19, no terreiro de Mãe Laura Sandoiá, na Rua Castro Alves, no Pontal, a terceira reunião do Café com Política.

Na ocasião, foi definido o lançamento da Frente Democrática Ilhéus, formada por partidos progressistas, movimentos sociais, entidades de classe e associações comunitárias. A Frente objetiva a criação de um movimento norteado pelos princípios: unidade de ação e liberdade na discussão; decisão coletiva e responsabilidade individual; valores coletivos; e não reprodução do machismo, racismo, homofobia e valores individualistas.

De acordo com seus integrantes, a Frente vai priorizar a construção do poder popular com independência e autonomia, e deverá ser dirigida pelas cidadãs e cidadãos num esforço de fortalecimento organizativo nos bairros, conselhos populares e participação nos conselhos municipais instituídos.

A frente definiu etapas de um plano de ação: propor uma ação popular na justiça sobre os problemas do transporte coletivo; ir aos conselhos de saúde, cultura, merenda escolar e educação; fazer um balanço da situação das políticas públicas e das estruturas dos conselhos mencionados acima; levantamento das escolas que estão aptas para receber o ensino fundamental (com acessibilidade); e propor projetos para os imóveis abandonados.

A pedido do ativista comunitário Edito de Jesus, o popular Periquito, o bairro Nelson Costa será a primeira comunidade em que será realizado o balanço dos problemas enfrentados. A visita vai acontecer na segunda quinzena de fevereiro.

Participaram da terceira reunião: José Henrique Abobreira (ex-vice-prefeito de Ilhéus); Carlos Pereira Neto (professor da UESC); José Nazal (vice-prefeito de Ilhéus); o vereador Makrisi (PT); Shi Mario, José Levi, Leonor Pimentel e Ed Paixão (membros do PSOL); Marialva Monteiro (Ong Cineduc); Qila Nobre (segmento dos deficientes físicos); Mestra Lainha (Presidente do Conselho Municipal de Cultura) e a sacerdotisa Mãe Laura (terreiro Laura Sandoiá).

Segundo José Henrique Abobreira,  “o encontro teve simbolismo muito forte, uma vez que remeteu à luta do nosso povo por igualdade social e econômica, num terreiro sagrado do povo de santo, espaço de resistência da cultura afro-brasileira”.

Cinco secretários podem cair com a reforma administrativa de Marão

Notinhas.

Hermano, Alcides, Alisson, Valmir e Ceo estão na corda na bamba.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, já definiu os nomes dos secretários que deixarão o governo na próxima reforma administrativa, contam fontes do Centro Administrativo da Conquista.

Valmir Feitas (Agricultura e Pesca), Alisson Mendonça (Seplandes), Ceo Modas (Indústria e Comércio), Alcides Kruschewsky (Turismo) e Hermano Fahning (Serviços Urbanos) provavelmente deixarão o governo municipal.

As exonerações de Valmir, Alisson e Alcides atenderão o pedido dos 11 vereadores que, de maneira subliminar, ameaçam cassar o prefeito. Ceo Modas pode sair por não ter apoiado os candidatos de Marão e Ângela nas últimas eleições, principalmente, o senador eleito Ângelo Coronel (PSD). Hermano Fahning não está satisfeito com a função e alega falta de condições de trabalho. Por ser funcionário concursado do município, continuará atuando como engenheiro civil. Já entregou o cargo ao prefeito.

Marão tem dito que não vai chamar ninguém para conversar. Os cinco tomarão conhecimento das exonerações por meio do Diário Oficial.

O prefeito tem dificuldades para adotar decisões duras. Também não costuma expor suas opiniões frente a frente, prefere fazer triangulações com “disse me disse” e mandar recados.

Marão nomeia filha de César Porto na Controladoria

César Porto e Marão: conciliação e filha nomeada. Fotos: Vermelhinho/reprodução.

Decreto publicado na terça-feira, 14, no Diário Oficial do Município, nomeou a advogada Gabriele Silva Ribeiro como “Chefe de Setor de Apoio à Comissão Permanente de Controle Interno – COPECI”, vinculada à Controladoria Geral do Município, com salário de 2.500 reais.

Gabriele é filha do presidente da Câmara Municipal, vereador César Porto, líder do grupo de 11 vereadores insatisfeitos com o governo Mário Alexandre. Os parlamentares pediram o afastamento dos secretários: Alisson Mendonça (Seplandes); Alcides kruschewsky (Turismo); e Valmir Freitas (Agricultura e Pesca).

Comentário do blog

Parece que as coisas estão se ajeitando dentro do fluxo normal da velha política.

Nazal afirma que Marão escolheu secretários sem compromisso com Ilhéus

Marão sumiu de Olivença, afirma Nazal. Foto: Clodoaldo Ribeiro.

O vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal (Rede), fez críticas ao prefeito Mário Alexandre, na tarde da última sexta-feira, 11, na cerimônia de abertura da Puxada do Mastro de São Sebastião, em Olivença.

Estavam presentes: o secretário municipal de turismo Alcides kruschewsky; o major Pinheiro (comandante da 69ª PM); Ariovaldo “Camisa” (presidente da Associação dos Machadeiros de Olivença) e os caciques tupinambás Nane e José Raimundo, além de várias pessoas que assistiram a solenidade.

Quando a palavra foi concedida ao cacique José Raimundo, o prefeito Mário Alexandre, que estava ausente, foi questionado por ter prometido em 2018 promover uma festa mais estruturada e bonita, capaz de trazer de volta as características mais tradicionais  da Puxada do Mastro.

Na festa desse ano, sequer um carro de som para a execução do hino nacional foi enviado pela prefeitura. O equipamento utilizado pelos machadeiros foi emprestado.

Insatisfeito, José Raimundo pediu que José Nazal levasse as reclamações dos indígenas e dos machadeiros ao prefeito.

No seu momento de fala, Nazal externou alegria por estar na festa, lembrou de suas raízes em Olivença (terra de alguns familiares e que morou na infância) e elogiou os secretários Alcides kruschewsky e Pawlo Cidade (cultura) por terem organizado a festa apenas com apoio de empresários.

Ao se manifestar sobre a postura do prefeito, lembrou que na campanha de 2016 a dupla Marão e Nazal prometeu fazer visitas periódicas em Olivença, atender na medida do possível as reivindicações da comunidade e, sobretudo, apoiar e manter a tradição secular da Puxada do Mastro. “Na campanha dissemos aqui que as decisões seriam tomadas em conjunto. Esse foi o compromisso que Mário fez comigo”.

Segundo Nazal, ao assumir o governo Mário escolheu alguns secretários que não têm compromisso com Ilhéus. “Essas pessoas é que estão decidindo tudo. Eu não posso fazer nada, pois vice não manda e não governa. Eu não tenho qualquer influência. Já disse a Mário que nos primeiros anos busquei fazer críticas dentro do governo. De agora em diante vou expor, reclamar e apontar os erros publicamente”, advertiu o vice.

José Nazal disse que o sumiço do prefeito “ficou feio” e que estará sempre disposto a dialogar com a população, olhando-a de frente e com sinceridade.

Por volta das 13h55min., deste domingo, 13, tentamos falar com o prefeito Mário Alexandre via celular e por meio de mensagens no Whatsaap. Não conseguimos ouvi-lo.

PC do B de Ilhéus emite nota sobre afastamento dos servidores não estáveis

A executiva municipal do PC do B/Ilhéus, por meio de uma nota, se posicionou sobre o afastamento dos servidores não estáveis, medida adotada pelo prefeito Mário Alexandre na última segunda-feira, 07.

Na gestão passada, de Jabes Ribeiro, o ex-presidente do partido na cidade, Rodrigo Cardoso, foi contra as ameaças de demissão feitas pelo ex-prefeito. Por conta desse ato de coerência, se afastou do comando partidário pressionado pelo “chefe” estadual dos comunistas, Davidson Magalhães, cunhado do ex-gestor.

Sobre esse tema, o BG considera que o PC do B, devido ao exemplo de Rodrigo Cardoso, tem credibilidade no posicionamento. Leia a nota.

PCDOB ILHÉUS / NOTA – DEMISSÃO DE SERVIDORES MUNICIPAIS EFETIVOS

A direção executiva do PCdoB de Ilhéus, em nome de toda a militância, vem a público solidarizar-se com os servidores efetivos demitidos pela Prefeitura Municipal de Ilhéus, conforme publicação do Diário Oficial, na última segunda-feira (7).

Diante à situação, questionamos a justeza da decisão judicial – já que muitos funcionários prestam serviços e dedicam suas vidas há anos ao Município, estando a maioria próximos da aposentadoria; e a própria juridicidade da mesma, frente ao princípio da segurança jurídica.

Em vários casos semelhantes pelo país, os tribunais superiores reconheceram a legalidade do vínculo de servidores contratados antes da promulgação da constituição e garantiram a reintegração dos mesmos, não sem antes as decisões dos executivos municipais terem gerado grandes dificuldade às famílias desses servidores.

Ressaltamos, nesse processo, a importância da mobilização dos sindicatos representativos das categorias envolvidas diante dessa situação, que desde o primeiro momento assumiu a linha de frente da defesa dos servidores no âmbito jurídico e político.

Lamentamos que a decisão de governo do prefeito Mário Alexandre, tenha ocorrido sem o devido diálogo com as entidades representativas e se antecipando ao prazo da decisão judicial.

Causa estranheza a insensibilidade do tom dado pelo governo “Marão”, tanto no decreto, quanto nos comunicados à imprensa, ao ignorar as consequências nas vidas de centenas de famílias, e colocar o foco no corte de custos, inclusive publicando valores de salários, questões irrelevantes, se a decisão do prefeito se prestava ao cumprimento da sentença judicial. O que revela, na prática, a decisão política em promover as demissões.

Dessa forma, o governo municipal, que já demonstrava ineficiência para superar as dificuldades do município, em diversas áreas, como Saúde, coleta de lixo e Infraestrutura, dentre outras; sacrificou recentemente a maioria da população, com mais um aumento absurdo da tarifa do transporte coletivo; agora demonstra com clareza sua falta de compromisso com o direito histórico de centenas de servidores efetivos.

O PCdoB reunirá o pleno de sua direção municipal nos próximos dias para avaliar novas decisões frente à grave situação do município.

Marão e Bento elaboram reforma administrativa e demais secretários estão inseguros

Dentro da política, Mário dança a música que Bento toca.

Membros do alto escalão, ouvidos pelo BG, afirmam que o prefeito Mário Alexandre e o secretário de administração Bento Lima planejam, sozinhos, uma nova reforma administrativa. O fato de Marão só confiar em Bento para confabular a nova formação do governo de Ilhéus causa desconforto e insegurança nos demais secretários.

Bento manipula o prefeito dentro do jogo das intrigas políticas, afirmam as fontes. Desprovido da competência necessária para governar e tomar decisões, Marão praticamente entregou a caneta ao seu lugar tenente, cuja aptidão também é questionada.

A reforma, conforme apuramos, objetiva acomodar assessores da deputada estadual Ângela Sousa que ficarão desempregados com o fim do mandato no dia 31 de janeiro. Vereadores insatisfeitos também serão contemplados com mais cargos.

A última reunião do secretariado ocorreu logo após o primeiro turno das eleições (em 7 de outubro passado). Quase não há diálogo e os gestores das pastas perderam o ânimo, pois o critério principal de permanência é o “suor” derramado na tentativa frustrada de reeleger a mãe do prefeito.

Outra condição importante é ser aliado de Bento e concordar com todas as suas diretrizes. Os que divergiram abertamente nas poucas reuniões do secretariado e nos bastidores sabem que não ficarão. Dentro do governo foi liberada uma caça às bruxas.

Entramos em contato com a Secom/Ilhéus no objetivo de ouvir o prefeito e o secretário. Aguardamos resposta. 

Em tempo: o Blog do Gusmão não faz jornalismo declaratório, ou seja, a partir de uma fonte apenas. As informações contidas nessa reportagem foram colhidas de no mínimo três informantes ouvidos em separado, sem que um saiba do outro.

Livro de Zé Dirceu vai ser lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

Ícone do PT vai lançar livro “Zé Dirceu”no TPI.

Em primeira mão.

O novo livro do ex-ministro José Dirceu será lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, no dia 18 de janeiro, numa sexta-feira, às 18h.

Romualdo Lisboa, diretor do TPI, nos passou a informação na manhã desta quinta-feira. O evento aconteceria na Academia de Letras de Ilhéus, que segundo informações, optou por cancelá-lo após repercussão negativa em entidades afinadas com o antipetismo e com a ideologia de ultradireita do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Romualdo, a Tenda do TPI está à disposição do petista Zé Dirceu desde setembro de 2018. “Ainda não compreendi por qual razão eles procuraram um espaço sob forte influência da direita”, disse o diretor.

A resposta de Alisson Mendonça e os nomes dos 11 vereadores que pediram a exoneração dele

Alisson abraça Jerbson Moraes, um dos seus algozes. Foto: Ilhéus Notícias/reprodução.

No último sábado, 5, o Blog do Gusmão após muitas tentativas conseguiu falar com o secretário de planejamento e desenvolvimento sustentável de Ilhéus, Alisson Mendonça. Na sexta-feira, 04, publicamos que 11 vereadores pediram ao prefeito Mário Alexandre o afastamento de Alisson do governo (veja aqui). Tentamos ouvir do secretário um posicionamento sobre o fato.

Educado, porém irônico, Alisson colocou em dúvida e questionou o método de apuração, “você só ouviu três vereadores, quando deveria ter ouvido onze”. Respondemos que três fontes ouvidas em separado, sem que uma saiba das outras, é suficiente para o jornalismo. “Porreta essa!”, disse o secretário alvo dos vereadores. Afirmou que não ficaria como um “bobo” desmentindo um fato que não aconteceu.

As três fontes ouvidas pelo blog identificaram os onze parlamentares que pediram a exoneração de Alisson: Nerival (PC do B), Juarez (PMDB), Jerbson Moraes (PSD, partido do prefeito), Paulo “Meio Kg” (PV), Fabricio Nascimento (PSB), Nino Valverde (PSB), César Porto (sem partido), Abraão (PDT), Thadeu Muniz (PDT), Tarcisio Paixão e Luiz Carlos “Escuta (ambos do PP).

11 vereadores pedem o afastamento do secretário Alisson Mendonça

Alisson Mendonça. Imagem: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

 

Liderados pelo presidente da Câmara Municipal, César Porto, onze vereadores de Ilhéus comunicaram ao prefeito Mário Alexandre que não aceitam a permanência do secretário de planejamento e desenvolvimento sustentável Alisson Mendonça no governo. A saída de Alisson é condição indispensável para que haja entendimento com o grupo.

A exigência dos vereadores foi transmitida a Marão durante um encontro na Pousada Morro dos Navegantes no dia 31 de dezembro, pela manhã.  Na ocasião, o grupo também pediu a exoneração dos secretários Valmir de Inema (Agricultura) e Alcides Kruschewsky (Turismo), por serem muito ligados a Alisson.

Os vereadores reprovam a forma como o secretário conduz a interlocução com o legislativo. Outro questionamento se dá em relação ao espaço que ele ocupa no governo, muito além da sua importância política, dizem. De acordo com os três edis ouvidos pelo blog, Alisson conseguiu a nomeação de alguns parentes e muitos apaniguados.

No encontro, vereadores e o prefeito só beberam água mineral e de coco. Na saída, o prefeito tentou levar dois integrantes do grupo para sua casa. Os demais desconfiaram que ele tentaria diminuir a quantidade de rebelados. Os dois convidados não aceitaram o chamado. Todos entraram e saíram juntos da reunião.