Senado aprova pacote anticrime

Foto: Fabio Pozzebom/ Agência Brasil.

Fonte: Agência Brasil

O Senado aprovou ontem (11) o Projeto de Lei 6.341/2019, conhecido como pacote anticrime. O pacote reúne parte da proposta apresentada no início deste ano pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e trechos do texto elaborado pela comissão de juristas coordenada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Agora, o texto vai à sanção do presidente Jair Bolsonaro.

A matéria traz mudanças na legislação penal, como aumento de penas e novas regras para progressão de regime pelos condenados. O texto foi aprovado na Câmara na semana passada, sem pontos considerados mais polêmicos. Dentre esses pontos, estão temas como prisão após condenação em segunda instância, que está em discussão por instrumentos diferentes na Câmara e no Senado; e o plea bargain, dispositivo que prevê a redução de penas de acusados que confessarem ter cometido um determinado crime.

Outro ponto considerado polêmico que também ficou de fora do texto aprovado foi o excludente de ilicitude. Esse dispositivo protegeria de punição agentes de segurança que, por “violenta emoção, escusável medo ou surpresa”, cometessem excessos no exercício da função.

Após a aprovação do texto na Câmara (http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2019-12/camara-aprova-pacote-anticrime-texto-vai-ao-senado), Moro chegou a dizer que “o Congresso poderia ter ido além”, lamentando a retirada desses pontos. “Em relação ao que não foi aprovado [na Câmara], vamos trabalhar para restabelecer no Senado, ou, eventualmente, por projeto à parte. Isso faz parte do jogo democrático”, disse o ministro no dia seguinte à aprovação do projeto pelos deputados. O texto aprovado no Senado não sofreu alterações em relação ao que saiu da Câmara.

Durante a discussão do projeto, o senador Humberto Costa (PT-PE) destacou a importância da retirada dos pontos polêmicos. E apesar de criticar a ausência de um processo de combate ao maior encarceramento em massa, indicou seu voto favorável. “Certamente é bem melhor que a proposta inicial que foi mandada a esta Casa. Votaremos favoravelmente a esse projeto, sabendo das suas imperfeições. Mas se não aprovarmos agora, com as condições que ele tem, estaremos sujeitos a retrocessos ainda maiores”. (mais…)

Câmara aprova pacote anticrime; texto vai ao Senado

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil.

Fonte: Agência Brasil

O plenário da Câmara aprovou na quarta-feira (4) o  projeto de lei do pacote anticrime (PL 10372/18). O texto-base foi aprovado por 408 votos a favor, 9 contra, e 2 abstenções e, posteriormente, os parlamentares rejeitaram um destaque do partido Novo, que pedia a retirada do texto da figura do juiz de garantias, um magistrado responsável pelo controle da legalidade da investigação criminal e que não fará o julgamento do mérito do fato.

O PL segue para análise do Senado.

Mais cedo, os deputados aprovaram um pedido de tramitação em regime de urgência do PL, que foi aprovado por 359 votos a 9.

Os deputados aprovaram o substitutivo do deputado Lafayette de Andrada (Republicanos-MG), seguindo o texto do relator do grupo de trabalho, deputado Capitão Augusto (PL-SP). O grupo de trabalho analisou dois textos sobre o assunto encaminhados ao Legislativo. Uma das propostas originais foi elaborada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, e a outra pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Para chegar ao texto final, o grupo de trabalho retirou temas polêmicos, como a definição de que não há crime se a lesão ou morte é causada por forte medo (o chamado excludente de ilicitude) e a previsão de prisão após condenação em segunda instância.

Entre os pontos que constam no projeto estão o aumento de 30 anos para 40 anos no tempo máximo de cumprimento da pena de prisão no país e o aumento da pena de homicídio simples, se envolver arma de fogo de uso restrito ou proibido (como fuzis), que passará de 6 anos a 20 anos para 12 anos a 30 anos de reclusão, entre outros casos em que há aumento de penas.

Outra alteração é que a concessão da liderdade condicional  dependerá também de o condenado não ter praticado falta grave no presídio nos últimos 12 meses dessa liberação e o comportamento deverá ser considerado bom em vez de satisfatório.

O projeto também aumenta o número de casos considerados como crimes hediondos, em que o condenado não pode contar com anistia, graça ou indulto e deve começar a cumprir a pena em regime fechado. Passam a ser considerado esse tipo de crime, entre outros, homicídio e roubo com arma de fogo de uso restrito ou proibido; furto com uso de explosivo; comércio ou tráfico internacional de arma de fogo e organização criminosa para a prática de crime hediondo. Entretanto, deixou de ser hediondo a posse ou porte de arma de uso restrito por aqueles que não podem fazê-lo.

O direito à progressão de regime, quando o condenado pode passar de um cumprimento de pena mais rigoroso (fechado, no presídio) para outro menos rigoroso (semi-aberto, somente dormir no presídio, por exemplo), dependerá do tipo de crime. Com as novas regras, o tempo exigido varia de 16%, para o réu primário cujo crime tenha sido sem violência à vítima, a 70%, no caso de o condenado por crime hediondo com morte da vítima ser reincidente nesse tipo de crime.

Câmara aprova texto-base que altera regras do Imposto sobre Serviços

Reprodução Câmara dos Deputados.

Fonte: Agência Brasil

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na segunda-feira (2)  proposta que cria uma transição para que o Imposto sobre Serviços (ISS), a cargo dos municípios, passe a ser pago à cidade na qual os serviços são efetivamente prestados. Os destaques apresentados serão votados na terça-feira.

A mudança atinge casos de empresas que têm clientes em diversos municípios, como planos de saúde e administradoras de cartão de crédito.

Transição

Segundo a transição estabelecida, até o fim de 2020, 66,5% do ISS nesses tipos de serviços ficarão com o município do local do estabelecimento do prestador do serviço e 33,5% com o município do domicílio do que contratou.

Em 2021, será o inverso: 33,5% do ISS ficarão com o município do local do estabelecimento do prestador do serviço e 66,5% com o município do domicílio do contratante. Em 2022, 15% ficarão com a cidade do prestador do serviço e 85% com o contratante.

A partir de 2023, 100% do ISS ficará com o município do domicílio de quem contratou o serviço.

Todas as decisões sobre a forma como o imposto será remetido a cada município ficarão a cargo do Comitê Gestor das Obrigações Acessórias do Imposto sobre Serviços.

O projeto aprovado foi um substitutivo ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 461/17, do Senado. De autoria do deputado Herculano Passos (MDB-SP), a proposta teve aprovação 312 deputados, com apenas um voto contra.

‘Pode mandar brasa’

O deputado estadual Rosemberg e o desembargador Gesivaldo Britto. Fotos: TSE e TJBA / Divulgação.

Fonte: O Estadão

O presidente afastado do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Gesivaldo Britto, alvo da Operação Faroeste – investigação sobre suposto esquema de venda de sentenças judiciais em processos de grilagem de terras na região oeste do Estado – caiu no grampo da Polícia Federal tratando com o deputado estadual Rosemberg (PT) da possível indicação de um juiz eleitoral para a região de Camamu.

Com população estimada em 40 mil habitantes, Camamu fica na Costa do Dendê, litoral Sul da Bahia, a 330 quilômetros de Salvador.

Líder do Governo Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa da Bahia, Rosemberg Pinto – presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa – não foi alvo da Operação Faroeste, nem é investigado, mas seu interlocutor, o magistrado, é apontado como personagem decisivo de um esquema criminoso que se teria instalado no TJ para ‘legitimação de grilagem de terras’.

Por ordem do ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, Britto foi desligado da presidência da Corte, e das funções da toga, por 90 dias.

Rastreamento bancário indica que, entre 1.º de janeiro de 2013 até agora ele movimentou em suas contas R$ 24,4 milhões, dos quais R$ 2,2 milhões ‘não apresentam origem/destino destacado’.

Além do presidente, outros cinco magistrados foram alijados temporariamente de suas cadeiras – os desembargadores José Olegário Monção Caldas, Maria da Graça Osório Pimentel Leal (em nome dela a investigação aponta 57 contas bancárias), Maria do Socorro Barreto Santiago e os juízes de primeiro grau Marivalda Almeida Moutinho e Sérgio Humberto de Quadros Sampaio. (mais…)

Segundo Marinho Santos, Paulo Meio Kilo obriga assessores a usar tickets em seu mercado; vereador diz que estabelecimento é da irmã

O radialista Marinho Santos e o vereador Paulo Meio Kilo.

Nesta terça-feira,19, um áudio circulou no WhatsApp causando mais uma polêmica sobre o Legislativo ilheense. O radialista Marinho Santos, que apresenta na Gabriela FM o programa Tropa de Elite, junto com Robertinho Scarpita, fez uma série de denúncias contra o vereador Paulo Meio Kilo.

Segundo Marinho Santos, Paulo estaria dando “tiro no alvo errado” e que este poderia ser “no próprio pé”. Marinho afirmou que o vereador estaria se favorecendo dos tickets de alimentação dos servidores do seu próprio gabinete. Paulo Meio Kilo é dono de um mercado no bairro Nossa Senhora da Vitória, zona sul de Ilhéus, e teria obrigado seus assessores a fazer compras no estabelecimento. O radialista classificou o fato como “estranho” e ressaltou que a prática já é de conhecimento do Ministério Público da Bahia.

Durante a sessão da Câmara, Paulo Meio Quilo afirmou estar chateado com as informações que estavam circulando. Segundo ele, o mercado passou a pertencer à sua irmã, assim que ele passou a ser vereador. “Meu patrimônio foi adquirido com trabalho. Sou homem honesto e não faço falcatruas”, afirmou o vereador.

Governadores discutem criação de rota de gás natural no Nordeste

Foto: Elisa Elsie.

O uso de energias limpas foi destaque na missão internacional do Consórcio Nordeste, que continua em Paris, nesta segunda-feira (18). Com interesse na criação de ‘blue corridors’, uma rota de transporte de gás natural entre os nove estados nordestinos, os governadores estiveram com representantes da Golar Power, joint venture entre a norueguesa Golar e o fundo norte-americano Stonepeak.

Denominado ‘Rota Azul’, o projeto de integração no Nordeste inclui a instalação de postos de combustíveis capazes de fornecer gás natural liquefeito (GNL) para veículos de carga. Em outros países, a exemplo da China, Espanha e Alemanha, os caminhões e ônibus movidos a gás natural já são realidade.

Segundo o vice-presidente da Golar no Brasil, Marcelo Sacramento, o plano de trabalho da empresa prevê inúmeras oportunidades de investimentos. “A disponibilidade do gás para carros e caminhões nas rodovias do Nordeste irá gerar uma nova dinâmica no transporte da região. Novas empresas irão se instalar e as já existentes vão ganhar competitividade”, afirmou.

O gás natural é considerado combustível de transição da economia de carbono, em razão das vantagens econômicas, geopolíticas e ambientais. Quando condensado, ele pode ser transportado em carretas ou navios gaseiros, permitindo atender localidades que não possuem gasodutos. Um dos benefícios do uso de GNL é a redução da emissão de poluentes. (mais…)

Bolsonaro anuncia desfiliação do PSL e criação de partido

Foto: Felipe Barros/ Twitter.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na terça-feira (12/11) a deputados do PSL que vai se desfiliar do partido e criar a legenda a qual confirmará, em convenção a ser realizada em 21 de novembro, a futura filiação. A nova sigla se chamará Aliança pelo Brasil. A desfiliação, por ora, foi apenas comunicada, não tendo sido confirmada a assinatura.

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) acredita que, do total de pesselistas, 51 em exercício, cerca de 30 podem anunciar a filiação ao Aliança pelo Brasil. A deputada Bia Kicis (PSL-DF) explica, contudo, que, no caso de deputados, será preciso aguardar a abertura da janela partidária para a filiação no novo partido.

Como o mandato de deputados é do partido, eles não podem se transferir para outra legenda sem a abertura de janela partidária. No caso de senadores, governadores, prefeitos e o presidente da República, que são donos de seus mandatos, o anúncio poderá ser feito na cerimônia de criação do partido, marcada para 21 de novembro.

Além de Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) foi outro a formalizar a desfiliação do partido na reunião desta terça. No entanto, o futuro partido deve receber não apenas dissidentes do PSL. Kicis garantiu que as portas estarão abertas para congressistas de outras legendas.

A coleta de assinaturas está sendo conduzida pela advogada Karina Kufa. É ela que costura a articulação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para viabilizar o recolhimento de rubricas por meio digital. A ideia do Aliança pelo Brasil é colher nomes de apoiadores por meio de um aplicativo. Para isso, depende da autorização da Corte Eleitoral.

“Marão é malandro e sem palavra”, detona presidente do Sindicato dos Radialistas de Ilhéus

Manoelito Puentes.

Por meio de um áudio que circula nas mídias sociais, o presidente do Sindicato dos Radialistas de Ilhéus, Manoelito Puentes fez sérias críticas ao governo Marão. Ele classificou como um “governo sem rumo, não possui comando e o prefeito é sem palavra”. Manoelito afirma que os secretários não cumprem as ordens do prefeito e que a Prefeitura está cheia de “estrangeiros” que não conhecem a cidade e afirmou que é preciso mudar e escrever nova história para Ilhéus nas eleições de 2020.

Puentes demonstrou indignação com a gestão, dizendo que chegou a seguir “esse malandro, subindo morro, ouvindo a conversa ‘cuida de mim, Doutor” e na verdade ele cuida apenas da própria família e dos estrangeiros”. Ele declarou também que Marão conseguiu fazer com que Ilhéus perdesse a única deputada estadual e que não terá sucesso na reeleição.

Manoelito também criticou a saúde pública do município. “Essas pessoas não têm compromisso com a eficiência da gestão, nem com os ilheenses. Não adianta ter postos de saúde bonitos, pintados de amarelo, se o principal, que é o médico para atender a população, não existe. O atual secretário [Geraldo Magela] arrombou as Secretarias de Saúde de Teixeira de Freitas e Itabuna e agora está em Ilhéus” disse. Manoelito aproveitou e fez um alerta ao prefeito; “Acorda prefeito! Tome prumo! Tome uma posição de líder! Não penalize nosso povo sofrido com uma Saúde esculhambada desse jeito”.

Após renunciar, Evo Morales diz que teve casa atacada e que polícia tem ordem para prendê-lo

Evo Morales, pouco antes de anunciar as novas eleições, na manhã de 10 de novembro de 2019 — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Na noite do domingo (10), Evo Morales, que renunciou mais cedo ao cargo de presidente da Bolívia, postou em rede social que um “oficial da polícia anunciou publicamente que tem instrução para executar um mandado de prisão ilegal” contra ele. “Grupos violentos assaltaram minha casa. Os golpistas destroem o Estado de Direito”, acrescentou. Evo havia renunciado poucas horas antes, após uma escalada nas tensões no país. O anúncio foi feito em rede nacional, pela televisão. O vice-presidente, Álvaro García Linera, também apresentou a renúncia.

“Decidi, escutando meus companheiros, renunciar ao meu cargo da presidência”, disse Evo. Logo em seguida, ele atacou seus opositores Carlos Mesa e Luis Fernando Camacho. “Por que tomei essa decisão? Para que Mesa e Camacho não sigam perseguindo meus irmãos dirigentes sindicais. Para que Mesa e Camacho não sigam queimando a casa dos governadores de Oruro e Chuquisaca.” Evo ainda classificou a situação como um golpe: “Lamento muito esse golpe cívico, e de alguns setores da polícia que se juntaram para atentar contra a democracia, contra a paz social com violência, com amedrontamento para intimidar o povo boliviano.” Depois de acusar a oposição de atos violentos, ele terminou: “Por essas e muitas razões, estou renunciando, enviando a minha carta renúncia à Assembleia Legislativa Plurinacional da Bolívia. Muito obrigado”.

No fim da noite, Evo postou em rede social que um “oficial da polícia anunciou publicamente que recebeu instruções para executar um mandado de prisão ilegal” contra ele. “Grupos violentos assaltaram minha casa. O golpe destrói o estado de direito”, denunciou. Evo havia dito, mais cedo no domingo (10), que convocaria novas eleições, após a Organização dos Estados Americanos, OEA, divulgar que as eleições de 20 de outubro haviam sido fraudadas. Ele lembrou isso em seu pronunciamento de renúncia: “De manhã cedo estivemos reunidos com alguns ministros e decidimos, inclusive, renunciar ao nosso triunfo para que novas eleições ocorram em toda a amplitude”. Não está claro como vão acontecer as novas eleições e nem se ele mesmo será candidato. Mais cedo, ao anunciar a nova votação, Evo disse que elas são importantes para que o povo boliviano possa eleger novas autoridades, “incorporando novos atores políticos”. (mais…)

Por 6 votos a 5, STF muda de posição e derruba prisão após condenação na 2ª instância

STF.

Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na quinta-feira (7) derrubar a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância, alterando um entendimento adotado desde 2016.

Na quinta sessão de julgamento sobre o assunto, a maioria dos ministros entendeu que, segundo a Constituição, ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado (fase em que não cabe mais recurso) e que a execução provisória da pena fere o princípio da presunção de inocência.

O voto de desempate foi dado pelo presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli, o último a se manifestar.

A aplicação da decisão não é automática para os processos nas demais instâncias do Judiciário. Caberá a cada juiz analisar, caso a caso, a situação processual dos presos que poderão ser beneficiados com a soltura. Se houver entendimento de que o preso é perigoso, por exemplo, ele pode ter a prisão preventiva decretada.

A decisão pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba e cuja sentença ainda não transitou em julgado, e cerca de 5 mil presos, se não estiverem detidos preventivamente por outro motivo.

Após o julgamento, a defesa de Lula informou que levará à Justiça nesta sexta-feira um pedido de soltura com base no resultado do julgamento do STF.

COMO VOTARAM OS MINISTROS (mais…)

Bolsonaro diz que Witzel lhe contou no dia 9 de outubro sobre o envolvimento no caso Marielle

Presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: G1

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (30) que o governador do Rio de Janeiro, Wison Witzel (PSC), contou a ele em 9 de outubro que o porteiro do Condomínio Vivendas da Barra citou o nome do presidente da República em depoimento nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Bolsonaro tem casa no condomínio onde mora Ronnie Lessa, suspeito dos assassinatos. O Jornal Nacional revelou, na terça (29), que o porteiro do condomínio Vivendas da Barra contou à polícia que horas antes do crime, em 14 de outubro, outro suspeito, Elcio Queiroz, entrou no condomínio e disse que iria para a casa do então deputado Jair Bolsonaro.

Os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que Bolsonaro estava em Brasília no dia. Como houve citação ao nome do presidente, a lei obriga que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a situação.

Ainda na noite de terça-feira (29), horas após a revelação feita pelo JN, Bolsonaro culpou Witzel por repassar as informações à imprensa, o que o governador nega.

Na manhã desta quarta, em entrevista a jornalistas em Riad (Arábia Saudita), o presidente voltou fazer a afirmação, e disse que o governador do Rio de Janeiro já havia lhe contado sobre o depoimento do porteiro, em um evento no Clube Naval do Rio de Janeiro, há 21 dias. (mais…)

O deputado Pedro Tavares conseguiu recursos para Ilhéus?

Pedro Tavares.

O ato de votar representa a vontade de ser representado. E quando essa possibilidade existe nada mais justo do que chamar os políticos à responsabilidade assumida por eles. Sendo assim, o BG procurou saber do deputado estadual Pedro Tavares (DEM), quais os recursos ele conseguiu para Ilhéus por meio de suas emendas parlamentares.

Pedro Tavares nasceu em Ilhéus e volta e meia está na cidade fazendo publicidade de sua atuação parlamentar. Concretamente, os ilheenses não veem nenhuma ação realizada por meio de suas emendas. A atuação do deputado para com o município tem sido bastante tímida, para não dizer praticamente inexistente.

No dia 28 de setembro o BG entrou em contato com o deputado Pedro Tavares pedindo esclarecimento sobre quais recursos de seu mandato foram destinados a Ilhéus. Na oportunidade o deputado afirmou não poder responder por estar no velório do sogro. Hoje, 21 de outubro, 23 dias depois, ainda não fomos respondidos. Será que o deputado se identifica com a cidade em que nasceu? Aguardamos respostas.

Exclusivo. Ofício com denúncia avisou Marão sobre carros fantasmas; prefeito não mandou apurar

Marão e os ‘carros fantasmas’.

Informações obtidas com exclusividade pelo Blog do Gusmão apontam que o prefeito Mário Alexandre foi avisado da existência dos “carros fantasmas’” 60 dias antes da publicação do blog. Um ofício que esmiuçou a denúncia foi encaminhado ao gabinete do prefeito e, mesmo assim, o prefeito não tomou nenhuma medida administrativa para apurar porque seis carros alugados, incluindo dois modelo S10 para o próprio gabinete de Marão, não foram abastecidos. O contrato entre a empresa locatária e a Prefeitura é muito claro ao estabelecer que o município tem obrigação de pagar o abastecimento de combustível.

Quem usou esses carros? Quem os abasteceu? Por que o governo Marão se nega a dar explicações à sociedade sobre esses veículos, sendo que foram pagos com recursos públicos, oriundos dos contribuintes que pagam impostos. O BG tem enviado mensagens reiteradas à Secom-Ilhéus cobrando explicações. Um assessor de impressa enviou mensagem ao BG informando que o secretário Bento Lima daria explicações sobre o assunto, compromisso não cumprido até o momento.

Vale ressaltar que Bento Lima era secretário de Administração e foi responsável pela licitação e gestão deste contrato. Após a última reforma administrativa, a pasta comandada por Bento Lima passou a ser chamada de Secretaria de Gestão e Tecnologia.

Você pode ler a reportagem completa clicando aqui.

Bolsonaro assina MP que concede 13º pagamento do Bolsa Família

Jair Bolsonaro assinou ontem medida provisória (MP) que oficializa o pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família a todos os beneficiários do programa. Foto: Arquivo.

Fonte: Agência Brasil

Promessa de campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro assinou ontem (15) a medida provisória (MP) que oficializa o pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família a todos os beneficiários do programa. O adicional será pago em cerca de 60 dias, junto com o benefício de dezembro, e totaliza uma injeção extra de R$ 2,58 bilhões na economia.

“Nós sabemos que pode ser até pouco para quem recebe, mas pelo que eles têm, é muito bem-vindo esse recurso”, afirmou o presidente em um breve discurso na cerimônia de assinatura da MP, no Palácio do Planalto. Ministros, parlamentares e outras autoridades estavam presentes. Segundo Bolsonaro, a ideia de ampliar o número de parcelas pagas pelo Bolsa Família surgiu durante a campanha eleitoral, quando começaram a circular boatos de que ele acabaria com o programa, caso fosse eleito.

“Uma iniciativa bastante desesperada da oposição, que começou a pregar, em todo o Brasil, em especial no Nordeste, que nós acabaríamos com o programa Bolsa Família. Então, para mostrarmos que nós não estávamos contra esse programa, e queríamos ajudar os pobres mesmo sabendo que o bom programa social é aquele que sai mais gente do que entra”, acrescentou. (mais…)

Bebeto Galvão voltou à Bahia para trabalhar candidatura em Ilhéus, revela Lídice

Bebeto Galvão. Foto: Chico Ferreira/Liderança do PSB na Câmara

Fonte: Bahia Notícias

Nomeado no final do último mês como assessor especial no gabinete do governador da Bahia, Rui Costa (PT), o suplente de senador e ex-deputado federal Bebeto Galvão (PSB) voltou ao estado para trabalhar sua candidatura para a prefeitura de Ilhéus. A informação foi revelada ao Bahia Notícias pela deputada federal Lídice da Mata, presidente do PSB na Bahia.

“Essa mudança foi discutida com o governador e com Bebeto para, justamente, se adequar aos interesses do próprio Bebeto nesse momento. Em Brasília, ele ficaria mais distante de sua base que é em Ilhéus, onde ele é um dos possíveis candidatos a prefeito pelo PSB. Então, nesse aspecto, foi tudo combinado. Não houve dificuldade. A dificuldade foi anterior, quando houve uma dificuldade do governador por sua negociação interna de viabilizar que ele estivesse na coordenação lá em Brasília. Depois disso acertado, foi só um ajuste final”, afirmou Lídice.

O socialista ocupava o cargo de coordenador do Escritório de Representação do Governo da Bahia em Brasília. Sua nomeação para o novo cargo foi publicada no Diário Oficial do estado no dia 25 de setembro. Ele é suplente no Senado de Jaques Wagner (PT)