Posto do Salobrinho não marca exames; CPU está queimada

O posto de saúde do Salbrinho e a CPU queimada (imagem ilustrativa).

Em contato com nossa redação, um morador do Salobrinho reclama sobre o posto de saúde do local.

Segundo ele, as pessoas não estão conseguindo marcar exames há uma semana por conta de uma CPU queimada na unidade de saúde. O bairro também não tem agente de saúde. O morador informou que há quatro anos, desde que o antigo agente de saúde se aposentou, não apareceu ninguém para preencher a vaga.

De acordo com o relato, não faz muito tempo que posto não tinha internet para realizar as marcações.

Enviamos pedido de esclarecimentos ao secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, mas ele não respondeu.

Hospital Regional Costa do Cacau amplia cirúrgicas cardíacas de alta complexidade

Imagem: Clodoaldo Ribeiro/Secom-Ilhéus.

O Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, já realizou mais de 50 procedimentos cirúrgicos cardíacos de alta complexidade, em um período de 11 meses. Entre março 2019 e janeiro 2020 foram implantados 38 marcapassos, e de agosto do ano passado até agora são 22 cirurgias cardíacas, sendo troca valvares e revascularização miocárdica (ponte de safena).

Pacientes com quadro clínico de angina ou infarto agudo do miocárdio, geralmente chegam ao hospital, pelo setor de Emergência, são submetidos ao cateterismo e posteriormente, com o resultado dessa intervenção, a equipe médica discute o caso, constatada a necessidade, direciona o enfermo para angioplastia, tratamento clínico ou revascularização do miocárdio.

A unidade hospitalar também atende pacientes encaminhados por meio do Sistema Nacional de Regulação (SISREG) ou Sistema de Regulação de Urgência e Emergência (SUREM). A equipe de cirurgia cardíaca do HRCC conta com dois médicos cirurgiões cardíacos, Décio Cardoso e Vinícius Augusto, anestesia sob coordenação do médico anestesista Levi Ramos e um perfusionista, Geraldo Ruas.

Além desses profissionais, o hospital dispõe também de uma equipe de cardiologia clínica, com os médicos cardiologistas Ademir Medeiros, Beatriz Setenta, Carolina Santana, Marisa Bastos e Milena Cristina Vieira. Para o médico Almir Gonçalves, diretor assistencial do HRCC, a unidade conta com estrutura de ponta, similar a dos grandes centros da capital e São Paulo, com equipe experiente e capacitada. (mais…)

Hospital Regional Costa do Cacau tem papel importante para captação de órgãos no Sul da Bahia

Hospital Regional da Costa do Cacau.

Com o suporte da Organização de Procura de Órgãos (OPO), entidade vinculada a Coordenação do Sistema Estadual de Transplantes da Bahia, o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, tem papel importante para captação de órgãos no sul do Estado. Neste mês de janeiro, a unidade já realizou a captação de duas córneas.

Em 2019, a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do hospital captou 29 córneas e uma doação de múltiplos órgãos, que conta com a participação do trabalho realizado pela equipe multidisciplinar da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Esse trabalho contribui para a diminuição da fila de espera por transplante e traz esperança para pacientes e suas famílias. Ronaldo Vital Pereira, enfermeiro coordenador da CIHDOTT do HRCC, diz que entre as funções do setor, está o gerenciamento do processo de doação e captação de órgãos e tecidos, responsável por viabilizar o diagnóstico e esclarecer a família sobre a doação.

Nessa questão sobre o diálogo com familiares, o enfermeiro revela que o trabalho envolve todos os colaboradores comprometidos com a causa, principalmente do Serviço Social, que lida diariamente com os parentes de pacientes no momento de luto, com ajuda fundamental para o esclarecimento sobre a importância da captação e doação de órgãos.

Além do trabalho realizado durante o Setembro Verde, campanha nacional de conscientização sobre a doação de órgãos, a unidade hospitalar lida com o tema durante todo o ano. “Aqui na Bahia, têm muitas pessoas que temem o procedimento, muitas vezes, por desconhecimento. Existe ainda muita negativa por parte dos familiares, e por isso precisamos fazer esse trabalho de conscientização de forma contínua”, disse Ronaldo Pereira. (mais…)

Hospital Regional Costa do Cacau recebe alunos de medicina da UESC para internato hospitalar 

Foto: Ascom/HRCC.

Como instrumento fundamental para saúde pública no sul da Bahia, o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, além de prestar atendimentos médicos, contribui com a formação profissional de alunos de diversos cursos de ensino superior, como enfermagem, biomedicina, entre outros.

Dentro desse contexto, a unidade hospitalar recebeu essa semana nove estudantes, do sexto ano do curso de medicina, da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), para acompanharem as atividades médicas no HRCC, por meio de um estágio supervisionado (internato hospitalar), com orientação de médicos graduados.

Esta é a primeira vez que uma turma de medicina da UESC estagia de modo integral na unidade. Durante o período de 11 semanas, esses alunos atuarão na Emergência, Enfermarias e Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com atendimento diário e plantão, sempre sob supervisão de um médico qualificado e especializado em cada um destes setores assistenciais.

Após a conclusão desse internato, outros alunos do mesmo período chegarão ao HRCC, para continuar o estágio em Saúde do Adulto II, disciplina com 600 horas de teoria e prática, com atividades assistências, aulas, discussões de casos, seminários, acompanhados e orientados por médicos do HRCC e professores da UESC.

A médica Rosângela Melo, coordenadora da clínica médica do HRCC e vice-coordenadora do curso de medicina da UESC, destaca que a universidade deseja o Costa do Cacau como hospital escola da universidade, uma instituição de ensino superior estadual atuando dentro de uma unidade hospitalar própria da Secretária de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). (mais…)

Bahia recebe 60 mil doses da vacina pentavalente

Imagem ilustrativa.

O governo federal começou a entrega aos estados de 1,7 milhão de doses de vacina pentavalente, que estava em falta em diversas regiões brasileiras. A Secretaria de Saúde da Bahia afirmou ter recebido 60 mil unidades.

Em julho do ano passado, a Anvisa recolheu lotes da imunização porque foram reprovados no controle de qualidade. Desde outubro, quase todo o país estava carente de doses da vacina.

O Ministério da Saúde comprou o produto de outra empresa e já na semana passada enviou mais de 800 mil doses. Até o fim desta semana serão entregues outras 900 mil. É dever, então, do Governo do Estado repassar ao municípios.

Fonte: Metro1

SAC do Hospital Regional Costa do Cacau auxilia a unidade na melhoria dos serviços prestados

Os profissionais da área de saúde atuam diretamente com o cuidado e tratamento da saúde de pacientes. Por isso, é extremamente importante atender os pacientes de forma humanizada e satisfatória. Há uma grande necessidade de o paciente ter confiança, sanar dúvidas e receber apoio durante sua permanência em uma unidade hospitalar.

Com uma atenção voltada aos usuários do SUS, a direção do HRCC implantou, em junho de 2019, o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) com o objetivo de auxiliar a melhoria do atendimento, apresentando resultados de pesquisas de satisfação aplicadas com usuários da assistência médica, aos setores que prestam os serviços na unidade hospitalar.

O SAC conta com uma equipe formada por seis profissionais treinados e capacitados para realizar  atendimento de qualidade aos pacientes, acompanhantes e familiares. O serviço interage direta e indiretamente com diversos profissionais do hospital, buscando de maneira resolutiva o melhor atendimento às demandas geradas por quem procura atendimento no HRCC. Este setor dispõe de colaboradores realizando seus trabalhos no ambulatório, enfermarias, entre outros locais, além de manter um posto fixo na Emergência. (mais…)

Postos de Ilhéus não têm a vacina pentavalente para bebês; responsabilidade é do governo Rui Costa

Imagem ilustrativa.

O pai de um bebê de apenas dois meses entrou em contato com BG para relatar a falta da vacina “Pentavalente” em Ilhéus. Segundo ele, ao buscar atendimento para a criança na quinta-feira, 09, no posto de saúde do Banco da Vitória foi informado de que a funcionária que aplica a vacina estava de férias e só retornaria em fevereiro.

Ele afirmou que o antigo Sesp também não possui a vacina que imuniza a criança contra meningite, tétano, difteria, coqueluche e hepatite B. A vacina deve ser tomada aos dois, quatro e seis meses de vida.

O BG apurou a denúncia e constatou que a vacina está em falta desde setembro e atinge toda a Bahia. O laboratório que produz a vacina não está dando conta da demanda e não consegue produzir medicamento suficiente para atender a população. A responsabilidade pela distribuição da vacina é da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia.

Outro laboratório que também produz a vacina não passou no teste de qualidade da Anvisa. A distribuição do produto foi afetada, pois o laboratório foi obrigado a se adequar aos critérios estabelecidos pelo teste.

Governador Rui Costa é submetido a cirurgia em SP e passa bem

Rui Costa passa bem após cirurgia.

A Secretaria de Comunicação Social do Governo da Bahia informa que o governador do Estado, Rui Costa, 57 anos, foi submetido a uma intervenção cirúrgica no fim da manhã do domingo (5), no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde permanece internado em recuperação.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, que acompanha o governador em SP e é médico dele há 25 anos, a cirurgia foi realizada para a retirada de um nódulo mamário e ginecomastia, identificados durante investigação no mês de dezembro passado.

Ainda segundo Vilas-Boas, embora não houvesse qualquer indicação de malignidade, os médicos optaram pela retirada bilateral das duas glândulas mamárias, procedimento que ocorreu com normalidade.

O cirurgião plástico do Hospital Sírio Libanês, Marcelo Sampaio, informou que Rui passa bem e está em plena recuperação. O governador está acompanhado da primeira-dama, Aline Peixoto, e da filha mais velha.

Diagnóstico precoce aumenta eficiência dos tratamentos (mais…)

Saúde representa 6,8% do PIB da Bahia


O setor da Saúde representou 6,8% do Produto Interno Bruto da Bahia em 2018, de acordo com dados divulgados, na quinta-feira (26), pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), órgão vinculado à Secretaria do Planejamento. A SEI também informa que entre 2010 e 2019 houve crescimento de 37% de estabelecimentos que prestam serviços de saúde, sejam eles públicos ou privados.

Para o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, a pesquisa da SEI traz uma contribuição significativa para que a gestão do setor seja cada vez mais aprimorada. “A pesquisa revela, por exemplo, a ampliação de estabelecimentos de Saúde na Bahia, que saiu de 12.802 em 2010 para 17.556 até setembro de 2019, considerando o setor público e o privado. Isso demonstra o forte investimento estadual na construção de novos hospitais, policlínicas regionais e unidades básicas de saúde”, destacou Vilas-Boas.

“A SEI, mais uma vez, presta um importante serviço para a sociedade com a sistematização destes dados da Saúde. São informações que comprovam a prioridade que o Governo do Estado tem dado a este importante segmento, uma vez que sua representatividade é bem superior àquela apresentada a nível federal, que fica com apenas 4,9% do PIB do país”, ressalta o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

O estudo da SEI ainda revela que em 2018 haviam 114.522 pessoas ocupadas nas atividades associadas ao segmento de Saúde, representando 15% de todos os empregos formais do setor de serviços. “Importante ressaltar que os dados do Ministério do Trabalho/RAIS dizem respeito apenas àquelas ocupações relacionadas aos empregos com carteira de trabalho assinada, em 2017. Se considerarmos todas as ocupações no setor, isto é, tanto as ocupações associadas aos empregos com carteira quanto aquelas associadas às pessoas jurídicas e servidores estatutários, teríamos um número ainda maior de pessoas exercendo alguma atividade no setor”, revela a diretora da SEI, Jorgete Costa.

Em um ano, casos de Aids diminuem 60% na Bahia, aponta Sesab

Reprodução da internet.

O número de casos de Aids, doença provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), diminui em 60% entre os anos de 2017 e 2018, segundo dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Em 2017 foram registrados 1.817 casos em todo o estado. No ano seguinte, em 2018, o total foi de 736, número menor do que a metade do total de registrado no ano anterior. Em 2017, só em Salvador, houve o registro de 732 pessoas com a doença. Feira de Santana, que fica a cerca de 100 Km da capital baiana, ocupou a segunda posição, com 144 casos. Juazeiro, na região norte do estado, teve 50 pessoas infectadas no mesmo período. Já Lauro de Freitas e Camaçari, ambas na região metropolitana de Salvador, foram, respectivamente, 46 e 41 casos.

Na época, os números foram divulgados também pela Sesab e mostrava que Salvador, Feira de Santana, e Juazeiro eram os municípios com o mais casos da doença. Em 2018, Salvador continuou na liderança da lista, com 313 casos. A segunda cidade com maior número de pessoas infectadas no ano passado foi Feira de Santana, com 54. Já em Itabuna, em todo ano de 2018, 17 pessoas descobriram que estavam contaminadas pelo vírus. Lauro de Freitas e Juazeiro vieram em seguida, com 14 e 13 casos, respectivamente. Ainda não existe um balanço consolidado com dados de 2019. Apesar disso, segundo a Sesab, até maio, 834 novos casos de HIV foram registrados no estado. A maior parte das ocorrências é de Salvador. A cidade tinha, na época, 404.

Aids
A Aids é uma doença causada pelo vírus HIV que afeta o sistema de defesa do corpo humano. O vírus ataca e mata os glóbulos brancos (células do sangue que combatem as doenças). Conforme eles contra-atacam, tentando combater o HIV, há um sobrecarregamento do sistema imunológico. As células de defesa acabam morrendo por inflamação crônica e o sistema fica vulnerável a qualquer outra doença que acomete a pessoa infectada.

Onde buscar tratamento
Em Salvador, o Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (CEDAP), localizado no bairro do Garcia, presta assistência a pessoas vivendo com HIV/Aids, infecções sexualmente transmissíveis e realiza assistência multidisciplinar à população transgênero.

O atendimento é realizado a partir do encaminhamento dos pacientes por outras unidades de saúde ou também por demanda espontânea, após triagem.

No local, os pacientes são avaliados por equipe multidisciplinar composta por enfermeiros e assistentes sociais, que acolhem, escutam e orientam quanto à prevenção de doenças, realizam abordagem sindrômica, quando indicado, e encaminham para atendimento médico imediato, quando necessário. Após esta avaliação os pacientes que têm o perfil para o acompanhamento em Centro de referência são encaminhados para os ambulatórios da unidade de acordo com a sua necessidade.

Também na capital, as pessoas podem fazer testes rápidos de HIV nas 120 unidades básicas de saúde (UBS). O procedimento é semelhante ao teste de glicemia, obtido através de uma gota de sangue após uma picada no dedo.

Região de Ilhéus terá um hospital materno-infantil

Ilhéus. Foto: Arquivo

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde do Estado, investirá recursos estimados em cerca de R$ 24 milhões na reforma e ampliação do antigo Hospital Luís Viana Filho, em Ilhéus, que será transformado em Hospital Materno-Infantil. A assinatura da ordem de serviço para início da implantação da nova unidade será nesta sexta-feira (6), às 14 horas, com a presença do secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas.

“A partir da abertura do Hospital Regional Costa do Cacau, foi possível a reorientação do Hospital Geral Luís Viana Filho para a atenção materna e infantil”, afirma o secretário Fábio Vilas-Boas. Ele acrescenta que, dessa forma, a região passa a estar mais estrutura para atender as demandas de média e alta complexidade, seguindo o plano do governador Rui Costa de descentralizar a assistência à Saúde para que o cidadão seja atendido mais perto de casa.

Perfil da Unidade

O Hospital Materno-Infantil de Ilhéus terá 105 leitos de internação, integrados à Rede Cegonha e atenção às urgências e emergências da região de Ilhéus, com funcionamento 24 horas, acesso por demanda espontânea e referenciada, integrada aos demais pontos de atenção primária, mediante processos regulatórios.

A nova unidade será estruturada para assistência ao parto de risco, gestação de alto risco, cuidado intensivo e intermediário neonatal e cuidados intensivos e clínicos às crianças. Garantindo atendimento humanizado e resolutivo; acolhimento com classificação de risco; boas práticas e segurança na atenção ao parto, abortamento, nascimento e puerpério, atenção especializada em pediatria, além de certificação como “Hospital Amigo da Criança”.

Além de servir como campo para o desenvolvimento de ensino – formação acadêmica e capacitação multiprofissional – e da pesquisa, o Hospital Materno-Infantil contará com serviço de pediatria estruturado para atender em caráter de urgência aos agravos mais prevalentes na criança e no adolescente, garantindo ainda procedimentos cirúrgicos e cuidados intensivos pediátricos.

Os leitos da unidade serão distribuídos entre obstetrícia clínica (20) e cirúrgica (10), gestação de alto risco (12), pediatria clínica (17) e cirúrgica (6), UTI neonatal (10), neonatal convencional (10), neonatal canguru (5) e Centro de Parto Natural (5).

Além dos leitos de internação, a unidade hospitalar terá ambulatório com consultórios, salas de planejamento familiar, vacinas, testes da orelhinha e do olhinho, salas administrativa e de marcação. A previsão é que a partir da assinatura da ordem de serviço, a reforma e adequação do Hospital Materno Infantil seja concluída no prazo de 12 meses.

Fapesb lança edital voltado a doenças que acometem a população negra

Foto: Jonathan Lins/G1.

Às vésperas de 2020 e em pleno século XXI, a população negra ainda sofre as mazelas da desigualdade social com impacto negativo sobre a qualidade de vida. Uma delas é na área da saúde, que expõe os cidadãos negros a condições que favorecem o desenvolvimento de doenças, entre as quais a doença falciforme.

Em busca de reverter esta situação, o Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), lança um edital que vai destinar R$ 1,1 milhão para pesquisas científicas que busquem soluções para essas patologias. O lançamento será realizado nesta quinta-feira (5), ‪às 8h‬, durante a IV Conferência Estadual de CT&I, no Hotel Fiesta, em Salvador.

De acordo com o diretor-geral da Fapesb, Márcio Costa, a iniciativa é pioneira. “O edital é o primeiro criado com este foco entre todas as fundações de amparo à pesquisa. Durante a IV CCTI, onde haverá um diálogo com representantes de todo o setor do ecossistema de inovação sobre as demandas para atualizar a política estadual do setor, serão apresentados mais detalhes sobre a programa, como as linhas de pesquisa. Uma será voltada para doenças falciformes e a outra para os agraves das enfermidades da população negra, com foco em entender os indicadores da sociedade e como as condições de vida influenciam nas doenças desenvolvidas em pessoas negras”, explica.

A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, destaca a importância de investir cada vez mais em pesquisa. “O edital mostra o compromisso do Governo do Estado em buscar as lacunas de conhecimento para o desenvolvimento de pesquisa que traga soluções para a população negra no que se refere às doenças prevalentes nessa população, como a anemia falciforme. Buscamos novos conhecimentos e novas tecnologias que venham agregar qualidade de vida e melhoria da assistência à saúde”.

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) é parceira no lançamento do edital. A secretária da pasta, Fabya Reis, afirma que a iniciativa contribui com as políticas de equidade racial na Bahia. “Assim, é possível avançar com ações no campo da atenção integral à saúde da população negra, materializando as recomendações do Estatuto da Igualdade Racial do Estado e da política destinada aos segmentos dos povos e comunidades tradicionais”, considera.

Já o secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas, ressalta que ainda são necessárias ações para combater o racismo institucional na área da saúde. “É preciso prevenir a cegueira pelo glaucoma, controlar a hipertensão arterial, evitar amputações por pé diabético, além de ofertar cuidados a pessoas com doença falciforme”.

Hospital Regional Costa do Cacau avança e amplia procedimentos para pacientes

Hospital Regional da Costa do Cacau.

Infelizmente algumas pessoas associam a ideia de que o internamento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um local de fase terminal de pacientes. Esse conceito vem mudando no sul da Bahia, devido aos investimentos de estrutura e ampliação de procedimentos no Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus.

Esses investimentos têm possibilitado a expansão da oferta de serviços no HRCC. Com o aumento do número de leitos de UTI de 20 para 30 foi possível a ampliação do número de neurocirurgias, procedimentos exclusivos, como a questão da embolização cerebral, neurocirurgias abertas e cardiovasculares.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, “como a saúde é uma das principais bandeiras do governador Rui Costa, trabalhamos em ritmo acelerado para que os baianos tenham serviços de qualidade e resolutividade nos hospitais públicos de toda a Bahia. Hoje são realizadas mensalmente no HRCC mais de 600 cirurgias, entre elas as de alta complexidade, como: embolização da má formação da artéria venosa (MAV) e implante de marcapasso com desfibrilador/ressincronizador”, afirma o secretário, ao pontuar ainda que a unidade é referência para 70 municípios do sul da Bahia.

A unidade hospitalar, integrante da rede de saúde do Estado da Bahia, conta com equipe especializada de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, entre outros profissionais treinados e altamente capacitados para o atendimento adequado.

O médico Almir Gonçalves, diretor assistencial do HRCC, destaca os avanços significativos da unidade. “Esta semana realizamos a décima quarta cirurgia cardiovascular aberta, todas com cem por cento de êxito”. (mais…)

Família pede ajuda para tratamento de criança de 11 meses

A família da pequena Ágatha Guimarães Costa, de 11 meses, pede colaboração de pessoas que possam contribuir no tratamento dela. Ágatha nasceu com linfangioma ou higromacístico, uma má formação congênita rara do sistema linfático.

Pra que ela tenha uma vida normal é preciso fazer um tratamento em São Paulo, cujo custo não é coberto pelo plano de saúde.

Interessados podem ajudar com doações por meio deste link.

Senado aprova criação do Médicos pelo Brasil

MP que institui programa perderia validade nesta quinta-feira. REUTERS / Adriano Machado

Fonte: Agência Brasil

O Senado aprovou, na tarde de ontem (27), a medida provisória (MP) que cria o programa Médicos pelo Brasil. A MP expiraria nesta quinta-feira (28) e perderia a validade de não fosse votada. A matéria vai agora à sanção presidencial.

Na terça (26), o texto foi aprovado na Câmara dos Deputados e chegou ao Senado para uma aprovação rápida, sob risco de expirar. No entanto, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), havia se comprometido a votar a MP, mesmo com pouco tempo para apreciação da matéria. “Ela [MP] é importante, tem que votar, vou falar com os senadores. Mesmo faltando um dia [para expirar] a gente vai botar para votar”, disse ele, na semana passada.

Assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 1º de agosto, a MP amplia em pouco mais de 7,3 mil o número de médicos nas áreas mais carentes do país – 55% dos profissionais serão contratados para atender as regiões Norte e Nordeste.

O programa Médicos pelo Brasil, lançado em substituição ao Mais Médicos, criado em 2013, também define novos critérios para realocação dos profissionais considerando locais com maior dificuldade de acesso, transporte ou permanência dos servidores, além do quesito de alta vulnerabilidade. A nova proposta ainda prevê formação de especialistas em medicina da família e comunidade.

De acordo com as regras do programa, os profissionais deverão ser selecionados para duas funções: médicos de família e comunidade e tutor médico. Todos deverão ter registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). (mais…)