Faculdade de Ilhéus realiza a primeira cirurgia do projeto de atendimento a pacientes com fissura labiopalatina

O anestesista Paulo de Tarso, as estudantes Larissa Emily e Iana Midlej e o Prof. David Moreira. Foto: Ascom-Faculdade de Ilhéus.

O curso de Odontologia da Faculdade de Ilhéus realizou a primeira cirurgia resultante do projeto de atendimento a pacientes com fissura labial/palatina, serviço pioneiro na região sul e extremo sul da Bahia. O procedimento ocorreu no Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, dia 09 de agosto, que mantém convênio com a instituição de ensino superior.

A primeira paciente foi K.A.S.O, de 2 anos, da cidade de Itajuípe, submetida a uma palatoplastia realizada pelo cirurgião dentista bucomaxilofacial, David Moreira, acompanhado pelo anestesista Paulo de Tarso. O projeto conta a colaboração gerencial das estudantes do 8º semestre do curso de Odontologia, Larissa Emily e Iana Midlej, sob a orientação e supervisão do professor David Moreira.

Segundo o coordenador do curso, Fábio Silveira, o principal objetivo do projeto é restabelecer não só a estética, mas a autoestima dos pacientes, além de corrigir problemas na fala ou na ingestão de alimentos que possam causar algum constrangimento. Silveira informa ainda que o projeto abrange municípios como Ilhéus, Itabuna, Camacã, Canavieiras, Itajuípe, Itororó, Uruçuca, Itacaré, entre outros.

De acordo com o professor David Moreira, coordenador do projeto, este é um momento mágico do curso de Odontologia. “Foi a realização de um sonho, pois esse serviço na Bahia é realizado pela UFBA (Universidade Federal da Bahia) e agora também pela Faculdade de Ilhéus. Gostaria de dividir com todos essa realização e o momento de enorme satisfação para nosso curso”, comemorou o professor juntamente com os alunos.

O Projeto de Extensão Fissurados, aprovado pelo Núcleo de Iniciação Cientifica Pesquisa e Extensão (NICPEX), da Faculdade de Ilhéus, em 2018, promove atendimento especializado odontológico, e cirúrgico, a adultos e crianças com fissuras labiopalatinas, e mantém ações conveniadas com hospitais de Ilhéus e Itabuna.

Na oportunidade, o professor David Moreira agradeceu a todos os envolvidos na equipe, à direção da Faculdade e aos membros do NICPEX, por acreditarem no projeto, aos demais docentes e alunos. Ele acrescenta que há mais três cirurgias agendadas para este mês e adiantou que, a partir de agora, será intensificado o processo de interdisciplinaridade com os cursos da área de saúde – Nutrição, Enfermagem e Psicologia – a fim de aprimorar a necessária assistência a esses pacientes.

A fissura labial é a separação do lábio superior em duas partes, algo que atinge um em cada 550 bebês no Brasil. Tal como a fissura palatina, a fissura labial é causada pela junção inadequada dos dois lados da face quando o bebê ainda está no útero. Embora ninguém saiba ao certo o porquê desta deficiência, ela tende a ser hereditária. A fissura palatina ocorre quando há uma abertura direta entre o palato, ou céu da boca, e a base do nariz.

Os pacientes que procuram esse tipo de cirurgia devem manter contato com a Clínica de Odontologia da Faculdade de Ilhéus, pelo telefone (73)3201.1720, para agendamento. O atendimento acontece às sextas-feiras, pela manhã, das 8 às 11h30min, quando é feito o exame clínico, pedidos de exames complementares e procedimentos odontológicos necessários para a realização das cirurgias, que são totalmente gratuitas.

Sesab realiza primeira reunião da Sala de Situação do Sarampo

O sarampo é uma doença viral aguda, considerada uma das mais contagiosa.

Definir estratégias para o bloqueio e manejo de casos de sarampo no estado, caso seja necessário. Esse foi o principal objetivo da primeira reunião da Sala de Situação do Sarampo, realizada na manhã de terça-feira (13), no auditório Marlene Carvalho, na Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), em Salvador.

O encontro reuniu diretores e técnicos da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) envolvidos nas ações de atenção à saúde, prevenção e controle da doença. Em um segundo momento, também deverão participar da Sala de Situação representantes de entidades como a Secretaria da Educação do Estado e o Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde da Bahia (Cosems).

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Sesab, Jeane Magnavita, explicou que a Sala Situação foi criada em razão do atual cenário epidemiológico do sarampo no Brasil, além da confirmação neste ano de três casos importados da doença na Bahia em 2019.

Para a coordenadora do Programa de Imunização da Sesab, Akemi Erdens, embora as ações de vacinação e controle do sarampo ocorreram rotineiramente, “esse é um momento de alerta, um momento em que é necessário intensificar as ações, aumentar a cobertura vacinal e capacitar profissionais para diagnóstico o diagnóstico do sarampo”.

Conforme Akemi Erdens, como o vírus do sarampo não circula há algum tempo na Bahia, alguns profissionais nunca atenderam a um caso da doença. Inicialmente, as reuniões da Sala de Situação serão realizadas quinzenalmente, mas, caso se torne necessário, poderão ocorrer com intervalos menores.

Recomendações

Na oportunidade, Akemi Erdens lembrou que o sarampo é uma doença viral aguda, considerada uma das mais contagiosas, com potencial para ser extremamente grave, afetando principalmente crianças menores de 5 anos, especialmente as mal nutridas e bebês não vacinados. A doença, no entanto, também pode acometer pessoas em qualquer idade não vacinadas. “Temos que deixar claro que a vacinação não é indiscriminada. Ela é seletiva e leva em conta o histórico vacinal de cada pessoa”, afirmou.

A coordenadora também detalhou os principais sintomas do sarampo: tosse, em geral seca e irritativa; febre alta; coriza; sensibilidade à luz; manchas vermelhas na pele e dores no corpo. Entre as complicações que podem advir da doença estão: infecções respiratórias, inflamação nos ouvidos, encefalite com dano cerebral, surdez e lesões severas de pele. Em gestantes, o sarampo pode provocar aborto ou parto prematuro.

(mais…)

Programa da Faculdade Madre Thaís identifica pacientes portadores de hanseníase

Professora Gracielle Santos, da Madre Thaís, ressalta as estratégias para a desmistificação da doença. Foto: Ascom.

Mais uma ação do Programa de Orientação e Reabilitação de Incapacidades em Hânsenicos (PROREABIH) Projeto de Extensão da Faculdade Madre Thaís (FMT-Ilhéus) foi realizada no curso de Analises Clinicas do Centro Estadual de Educação Profissional do Chocolate Nelson Schaun (Ceep Nelson Schaun).

O Programa funciona uma vez por semana, visitando as escolas da rede pública com o objetivo de passar orientações com relação à hanseníase (prevenção, tratamento, como evitar incapacidades físicas, evitar reações hansênicas etc).

De acordo com a professora Gracielle Santos, Fisioterapeuta Especialista em Neurofuncional e coordenadora do PROREABIH, da FMT-Ilhéus a parceria com as secretarias municipais de Educação e de Desenvolvimento Social tem o objetivo de transformar alunos e professores em multiplicadores de conhecimento. “Passamos orientações de educação e saúde nessa temática nas escolas eles multiplicam esse conhecimento divulgado nas comunidades onde moram e interagem”.

O projeto, apoiado pela professora Karla Rocha Carvalho Gresik, coordenadora do Curso de Fisioterapia da FMT-Ilhéus, além de identificar, fazendo a busca ativa de manchas, identifica hanseníase e encaminha os pacientes portadores para o CAE III, na Av. Canavieiras, centro de referencia.

Doença Infectocontagiosa – A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, causada por uma bactéria (Mycobacterium leprae), que compromete principalmente a pele e os nervos periféricos, provocando manchas na pele, alteração da sensibilidade e inflamação. A doença é transmitida através das secreções das vias respiratórias (nariz e boca) para as pessoas que convivem com o doente não tratado. Assim que se inicia o tratamento, os pacientes deixam de transmitir a doença. Se não for tratada precocemente, a hanseníase pode tornar-se grave e gerar deformidades físicas devido ao comprometimento dos nervos, principalmente nas mãos, pés e face.

O tratamento da hanseníase é fornecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a todos os doentes. O tratamento, conhecido como Poliquimioterapia (PQT), é composto por dois ou três medicamentos e dura de 6 a 24 meses, dependendo de cada caso.

Ao criar o Programa de Orientação e Reabilitação de Incapacidades em Hansênicos , a Fisioterapeuta Neurológica e Professora Gracielle Santos, da Faculdade Madre Thaís, reconhece que para enfrentar a hanseníase, além da questão terapêutica é necessária a educação em saúde, as estratégias de informação e a desmistificação da doença.

Uruçuca: Campanha Julho Amarelo alerta para prevenção de hepatites virais

Membros da Campanha Julho Amarelo atendem a população. Foto: Ascom-Uruçuca.

A Prefeitura de Uruçuca, por meio da Secretaria de Saúde, intensificou a Campanha Julho Amarelo no município. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância da prevenção e dos testes rápidos para diagnóstico precoce das hepatites virais.

A Unidade de Saúde da Família 005 Portelinha realizou ações para reforçar as medidas de prevenção às hepatites virais, bem como, o tratamento correto da doença junto aos seus pacientes. Foram feitos testes rápidos para diagnóstico das hepatites virais. O teste rápido para hepatite B ou C é simples, sai em 30 minutos. O exame é feito com apenas duas gotas de sangue retiradas da ponta do dedo.

A hepatite viral é uma doença infecciosa que se aloja especialmente no fígado, causada por vírus.

A equipe de Saúde alerta sobre simples atitudes que podem prevenir a contaminação:

Usar camisinha;

Não compartilhar materiais de manicure, lâminas de barbear ou depilar, escovas de dente e objetos cortantes e perfurantes;

Exigir materiais descartáveis ou esterilizados em procedimentos odontológicos, médicos, tatuagens ou piercing;

Vacinar-se contra a hepatite B.

Morte de bebê no Hospital Vida Memorial: exame sobre causa vai ficar pronto em 30 dias

Lorenzo. Foto do arquivo familiar.

O bebê Lorenzo, de 1 ano e 2 meses, que faleceu no Hospital Vida Memorial na última sexta-feira, 02, em circunstâncias aparentemente duvidosas, segundo a família (veja aqui), foi sepultado no sábado, 03, no cemitério de Ponta do Ramo, em Ilhéus.

Antes do funeral, o Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizou perícia no corpo. Por meio da coleta de sangue, espera-se que o exame de necrópsia determine se o bebê recebeu ou não alguma substância contraindicada no organismo, como desconfiam alguns familiares. O resultado do exame ficará pronto em 30 dias.

Vale ressaltar que até o momento não há nenhuma prova, apenas desconfianças.

A família, principalmente os pais, demonstra revolta com o caso. Porém, a partir da ampla repercussão os genitores de Lorenzo decidiram agir com cautela e não querem conceder entrevista à imprensa.

Neste link, publicamos a nota de esclarecimento do Vida Memorial.

 

 

Nota de esclarecimento do Hospital Vida Memorial

 

O Hospital Vida Memorial enviou nota de esclarecimento para o BG relacionada à morte do bebê Lorenzo, de 1 ano e 2 meses. A criança faleceu ontem (sexta-feira,02) em circunstâncias aparentemente duvidosas, segundo os familiares (leia aqui). Leia a nota.

O Hospital Vida Memorial vem a público reafirmar seu compromisso com a busca pela excelência e pela qualidade no atendimento.

Somos uma Unidade Hospitalar com quantitativo superior a 35 mil atendimentos na Emergência e mais de 1126 internamentos, realizados há mais de um ano, a cargo da pediatria do município e da região pactuada.

Vimos, por meio deste comunicado, nos solidarizar com as famílias e a sociedade em geral, trazendo luz às informações que estão sendo divulgadas.

Afinal, estamos falando de saúde infantil, que aqui não se restringe à criança em si, mas se estende a toda a família e amigos.

Ressaltamos que, em nosso atendimento, seguimos todos os protocolos necessários, além de contarmos com uma equipe capacitada e preparada, que, ao longo deste ano, vem realizando um trabalho de referência no cuidado das nossas crianças e das suas famílias.

Informamos, ainda, que, em relação aos casos que vêm sendo noticiados pela mídia, todos os acontecimentos estão sendo investigados para que possamos trazer informações mais concretas e fiéis, baseadas em fatos e não em especulações.

A direção.

Mais uma criança morre no Hospital Vida Memorial

Imagem ilustrativa.

Uma criança de 1 ano e 2 meses faleceu em circunstâncias aparentemente duvidosas nesta sexta-feira, 02, no Hospital Vida Memorial, de Ilhéus.

O bebê, de primeiro nome “Lorenzo”, deu entrada na manhã de ontem no hospital por estar com o corpo quente e com febre. Segundo relato de familiares, exames detectaram que ele estava com uma infecção, por isso ficou internado.

Hoje a criança amanheceu bem melhor. Os avós chegaram a gravar um vídeo em que Lorenzo aparece no berço brincando e mais animado.

O caso teve um desfecho trágico depois das 17 horas. Após tomar uma sopa, a criança faleceu levando os pais ao desespero.

Funcionários afirmam que o bebê morreu sufocado após ter um “refluxo”. Os pais desconfiam de erro no tratamento, pois Lorenzo faleceu logo após receber uma injeção.

Outra mãe, cujo filho também estava internado, viu o momento em que a injeção foi aplicada e contou à família. Ela se dispôs a servir de testemunha para que o caso seja investigado.

Especialista ouvido pelo BG disse que o fato requer cuidado na análise,  e sobretudo, investigação. A perda de uma criança desespera os pais profundamente e a busca por culpados pode resultar em acusações injustas.

De acordo com o advogado Mesaque Soares, nos últimos 8 dias três crianças faleceram no Vida Memorial. O menino Leon, de 4 anos, uma criança filha de indígenas por falta de UTI infantil, e hoje o bebê Lorenzo. O advogado representa os familiares de duas crianças falecidas.

O BG tentou ouvir a direção do Hospital Vida Memorial, mas devido ao adiantado da hora não conseguimos falar com ninguém. 

Atualizado às 21h45min.

Leia a nota de esclarecimento do hospital.

 

Idosa com aneurisma cerebral aguardou uma semana por cirurgia no Hospital Costa do Cacau

Dona J… esperou 7 dias por cirurgia que deveria ser realizada imediatamente. A imagem foi desfocada, mas foi copiada visível de uma rede social.

No sábado, dia 20 de julho, uma senhora de 64 anos, cujo primeiro nome começa com a letra “J” e o último com “N”, deu entrada na UTI do Hospital Regional Costa do Cacau após sofrer uma crise de aneurisma cerebral, diga-se de passagem, doença perigosa e grave.

Segundo familiares da paciente e funcionários do hospital, a cirurgia de emergência só foi realizada após 7 dias devido à falta de material cirúrgico.

É bom repetir, a demora aconteceu devido à falta de material cirúrgico.

No último sábado, 27, o procedimento foi realizado. No dia anterior, familiares da paciente ficaram o dia todo no hospital tentando falar com a diretoria. Só foram recebidos após ameaçarem levar o problema ao conhecimento da imprensa.

Parentes, após confirmarem o caso, pediram que o BG não publicasse estas informações com receio de represálias. Eles têm medo que a idosa seja maltratada no período de convalescença.

Decidimos publicá-las omitindo o nome da paciente, uma vez que funcionários do hospital também confirmaram.

Por sorte, a situação desta senhora foi resolvida, porém, tememos que casos parecidos voltem a se repetir.

O nosso objetivo, ao tornar público esse exemplo vergonhoso no SUS, é fazer que o hospital, cuja responsabilidade é do governo da Bahia, melhore a qualidade e seja mais rápido nos atendimentos.

O BG tentou contato com a assessoria de comunicação do Costa do Cacau via Whatsaap, mas não obtivemos resposta.

Segundo o site do médico Drauzio Varella, “aneurisma cerebral, ou aneurisma sacular, é uma dilatação que se forma na parede enfraquecida de uma artéria do cérebro. A pressão normal do sangue dentro da artéria força essa região menos resistente e dá origem a uma espécie de bexiga que pode ir crescendo lenta e progressivamente. Os maiores riscos desse afrouxamento do tecido vascular são ruptura da artéria e hemorragia ou compressão de outras áreas do cérebro. Apenas 2/3 dos pacientes sobrevivem, mas cerca da metade permanece com sequelas importantes que comprometem a qualidade de vida”.

Marão faz ôba ôba com aparelho de raio x

Marão faz festa por aparelho de raio x sem prazo de instalação. Imagem extraída de vídeo.

Num vídeo publicado no facebook, no dia 19 de julho, o prefeito Marão faz um grande ôba ôba sobre equipamentos novos enviados pelo governo estadual para postos de saúde de Ilhéus. A SESAB enviou três aparelhos (um de “raio x” e dois de ultrassonografia) para reforçar os atendimentos do SUS.

Fontes da secretaria garantem que desde o início do ano passado, o governo Marão sabia que os equipamentos estavam previstos para chegar. Divergências do secretário estadual, Fábio Vilas-Boas, com a então secretária do município, Elizângela Oliveira, e o período eleitoral atrasaram a remessa.

Apesar do tempo de espera, o governo Marão não se preparou para instalar o aparelho de “raio x”. Esse tipo de equipamento, para funcionar, necessita de uma “sala baritada”, capaz de blindar o ambiente e evitar o vazamento de radiação.

Só agora o prefeito vai iniciar o processo licitatório que deve demorar no mínimo seis meses.

O secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, disse ao BG que o “raio x” foi solicitado em fevereiro deste ano, e que antes da entrega, a sala não poderia ser construída, pois a secretaria não conhecia o modelo do aparelho.

Especialista ouvido pelo BG afirmou que o secretário está errado. O recurso surgiu de emendas parlamentares repassadas ao erário estadual. A SESAB fez a licitação com antecedência e por meio dela era possível saber o modelo do aparelho.

“Na construção de um hospital, por exemplo, a sala baritada vem antes do equipamento. O órgão responsável já sabe o modelo que vai adquirir e constrói o ambiente necessário. Na verdade, o que está faltando na secretaria de saúde de Ilhéus é planejamento mínimo e organização”, ressaltou um especialista que prefere não ser identificado.

Fonte do BG que atua no governo acha difícil o prefeito agilizar esse processo. Donos de clínicas particulares que também são políticos não veem com bons olhos o equipamento. “Vão ganhar menos e Marão não vai ter peito para enfrentá-los. Ele também é desse meio”, lembrou.

Medicamentos de procedência duvidosa: Magela contesta publicação e o BG pede notas fiscais

Em contato com o BG na noite de ontem, o secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, contestou a publicação sobre os medicamentos de origem duvidosa que foram distribuídos em alguns postos de saúde, sem antes passar pelo controle da farmácia básica do município. Segundo fontes confiáveis, os contratos que permitiam a aquisição desses remédios expiraram no dia 31 de dezembro de 2018.

De acordo com Magela, há remédios nos postos devido ao estoque de alguns produtos, uma vez que houve outra licitação. O secretário disse que a informação é falsa e, sem mencionar o nome, acusou um ex-funcionário da secretaria de saúde: “o restante é notícia falsa produzida por funcionário demitido que não vinha trabalhando corretamente”.

A reportagem pediu ao secretário, em nome da transparência, o envio das notas fiscais dos referidos medicamentos. Ressaltamos que a última licitação realizada habilitou o município para a compra de remédios de alto custo. A informação questionada por Magela remete a produtos farmacêuticos da atenção básica, cujo valor de cada item é bem menor.

Até o fechamento deste texto, Magela não respondeu os últimos questionamentos.

Magela e os medicamentos de origem duvidosa

Notinhas.

Geraldo Magela e os remédios de procedência estranha. Fotos: Google/reprodução.

Os contratos para aquisição de medicamentos da atenção básica de Ilhéus, principalmente para os postos de saúde, foram encerrados no dia 31 de dezembro de 2018. Em algumas unidades a falta gera insatisfação nos usuários do SUS.

Apesar do impedimento para a compra, de maneira bem estranha alguns postos receberam medicamentos adquiridos recentemente.

Segundo fontes confiáveis, remédios de procedência no mínimo duvidosa foram entregues à secretaria de saúde, mas não passaram pelo controle da farmácia básica do município. 

Com a palavra o secretário Geraldo Magela, tido em Teixeira de Freitas e Itabuna como o “senhor dos jeitinhos”.

Dia nacional e mundial do diabetes vai acontecer em 14 de novembro

Segundo a secretaria estadual de saúde, o “Dia Nacional do Diabetes” não é mais lembrado no dia 27 de junho. Desde o ano passado (2018), que o Ministério da Saúde ratificou que o evento será realizado na data mundial, que acontece em 14 de novembro. Portanto, o Dia Nacional e o Dia Mundial do Diabetes serão lembrados na mesma data, 14 de novembro.

 

Desde 1991 que no dia 14 de Novembro é celebrado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF: International Diabetes Federation) e pela Organização Mundial de Saúde como dia Mundial do Diabetes.

 

O objetivo é chamar a atenção das pessoas e dos governantes para o problema do Diabetes.

“Não desistiremos de lutar pelo Planserv”, diz nota da FETRAB

Diante do pedido de renúncia de um dos conselheiros que representavam os trabalhadores do Serviço Público Estadual no CONSERV – Conselho de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais, e das informações equivocadas sobre o PLANSERV disseminadas pelo antigo conselheiro ao renunciar, a Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia (Fetrab) emitiu a seguinte nota:

“A participação dos representantes das entidades que representam os trabalhadores públicos do Estado da Bahia no CONSERV, concomitantemente à participação dos membros do Governo do Estado no referido Conselho, é de fundamental importância para o fortalecimento e a manutenção do Planserv – Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais.

Prova disso é que diversas conquistas se originaram da voz ativa de representantes de entidades como a Fetrab no Conselho. Exemplos dessas conquistas são a maior permanência dos agregados na Assistência, a inclusão dos netos e a continuidade do plano para os trabalhadores das estatais, fundações e autarquias (inclusive aposentados e pensionistas), entre outras.

Quem realmente deseja contribuir com a melhoria da saúde e da qualidade de vida dos servidores públicos do Estado não abre mão da função de conselheiro do CONSERV, tão importante para a concretização das conquistas desejadas pelos servidores públicos estaduais, a não ser por motivos pessoais justificáveis.

(mais…)

Sesab promove Seminário Estadual sobre Doenças de Chagas

Barbeiro, inseto transmissor da doença de chagas.

Estão abertas as inscrições para o Seminário Estadual de Doenças de Chagas, que ocorrerá em Barreiras, no Instituto Federal da Bahia (IFBA), no período de 9 a 11 de julho, com o objetivo de discutir estratégias conjuntas para o fortalecimento das ações de vigilância, assistência e controle vetorial.

Os interessados podem se inscrever gratuitamente neste link até o dia 3 de julho. Já as inscrições dos trabalhos a serem apresentados durante o evento vão ocorrer entre os dias 10 e 28 de junho. Mas, o interesse em submeter trabalhos deve ser registrado durante a inscrição no evento, pois os candidatos receberão as normas para submissão de trabalhos via e-mail.

De acordo com o coordenador de Doenças de Transmissão Vetorial (CDTV), Gabriel Muricy, a Bahia possui 97 municípios classificados como de alto risco para transmissão vetorial da doença de Chagas, que é causada por um inseto, popularmente conhecido como Barbeiro. Ele acrescenta que a taxa de mortalidade pela doença no estado é a quarta maior no país, com média anual de 624 óbitos. Gabriel ainda ressalta que, dos 97 municípios, 37 fazem parte do território do Núcleo Regional de Saúde Oeste.

O seminário vai apresentar o cenário epidemiológico da Doença de Chagas na Bahia, capacitar e atualizar equipes de saúde do Estado (regionais) e municípios prioritários sobre as ações de prevenção e controle da Doença de Chagas. Além disso, serão apresentadas experiências exitosas ocorridas dentro do programa, com a participação das Secretarias de Saúde dos Estados de Goiás e Pernambuco, que são referências no programa.

O público-alvo para o seminário é formado por técnicos de referência do Programa de Controle da Doença de Chagas das regionais e municípios prioritários. Também devem participar pesquisadores vinculados às instituições públicas de ensino e pesquisa do Estado da Bahia, que desenvolvem pesquisa, ensino ou extensão sobre Doença de Chagas.

Da Ascom/Sesab.

Prefeito anuncia inauguração de posto de saúde que não está pronto

Notinhas.

O prefeito Mário Alexandre concede entrevistas sobre assuntos que desconhece. Falastrão sem conhecimento de causa, comete vacilos incomuns a um prefeito competente.

No programa de Vila Nova, edição de ontem (quinta-feira, 13), Marão disse que vai inaugurar o Posto de Saúde da Avenida Esperança, no aniversário de Ilhéus, próximo dia 28 de junho.

A nova unidade não está pronta e não há a mínima possibilidade de ser inaugurada na data festiva. A cerimônia foi cancelada, segundo nossas fontes.