Marão chega atrasado e não inaugura o Assaí; Nazal descerrou a fita

Notinhas.

Marão: o prefeito que é sempre o último a chegar.

O cerimonial de inauguração do Atacadista Assaí, em Ilhéus, pediu que as autoridades chegassem às 7 horas.

A abertura da loja estava prevista para esta sexta-feira, às 9 horas, mas a direção advertiu que poderia abrir antes, caso houvesse muita gente à espera.

O prefeito Marão, sempre relapso na pontualidade, mais uma vez não cumpriu o horário. A fita foi descerrada por volta das 8h10min., pelo vice-prefeito, José Nazal, e por diretores da empresa.

Vale lembrar que o prefeito mora a menos de 2 Km do Assaí.

Duplicação da BR-415: não é bem assim, governador

Notinhas.

Rui durante entrevista à Metrópole FM. Imagem extraída de vídeo do Facebook.

Em entrevista a Mario Kertész na manhã desta terça-feira, 23, o governador Rui Costa disse que não costuma inaugurar obras sem que estejam efetivamente prontas para atender a população.

Num ato falho de memória, Rui “correria” também afirmou: “só dou ordem de serviço quando a obra está pronta para começar”.

Em outubro de 2017, o governador, de olho na reeleição, assinou ordem de serviço para o início da duplicação da BR-415 (Rodovia Ilhéus-Itabuna).  Até hoje a obra não foi iniciada. O evento festivo teve até show da respeitada Banda Lordão, musicalmente eclética e especialista em animação de bailes.

Vinte e um meses depois da festa, realizada em Itabuna, não se sabe quando a obra sairá do plano abstrato das ideias.

Pelo menos, muita gente dançou no ritmo ditado pelo cantor Kokó.

Rui Costa assinando a ordem do serviço que não aconteceu. Foto: Jornal Grande Bahia/reprodução.

 

Ouça o trecho em que Rui fala sobre as ordens de serviço.

“Jerbinho”, o guloso

Notinhas.

Haja apetite! Foto ilustrativa/Google/reprodução.

Grande parte dos vereadores de Ilhéus se arrepende de ter indicado o colega Jerbson Moraes para a “supersecretaria” de desenvolvimento econômico, meio ambiente e urbanismo (ufa!).

“Jerbinho”, segundo dois parlamentares ouvidos, “é muito guloso e está puxando tudo pra ele”.

Afirmam que o “supersecretário” escalou pessoas de extrema confiança para explorar os bares mais próximos do camarote do Viva Ilhéus, festa que comemorou o aniversário da cidade.

“O bar do camarote oficial era de gente dele e não teve buffet livre. Todo mundo teve que pagar”, disse um dos satisfeitos.

Os vereadores, cujos umbigos também são profundos, já pensam em pedir a cabeça de Jerbson Moraes ao prefeito Marão.

Marão passa vergonha na Avenida Soares Lopes e assessor agride integrantes da Secom

Notinhas.

Marão tentou se reencontrar com o povo, mas a multidão não aceitou o convite. Foto: Secom/Ilhéus.

As vaias monumentais que o prefeito Mário Alexandre recebeu na Avenida Soares Lopes, no último sábado, 29, geraram problemas para funcionários da secretaria de comunicação.

Fontes confiáveis afirmam que Marão decidiu falar para o imenso público da banda Parangolé por decisão própria. Em nenhum momento pediu opiniões à equipe responsável pela imagem do governo.

Depois da imensa vergonha que obrigou o vocalista da banda a interromper o discurso, um assessor especial do prefeito, conhecido como “Bohaninha”, disparou agressões verbais contra três funcionários da imprensa oficial.

Uma jornalista conhecida como Laís, o supervisor de jornalismo Abimael Moura e o próprio secretário Hélio Ricardo, sem qualquer tipo de culpa, segundo nossas fontes, foram chamados de “incompetentes e burros”.

“Bohaninha” afirmou que ele mesmo iria exonerar todo mundo e quase agrediu fisicamente Abimael Moura. Na interpretação dele, a Secom tem “responsabilidade” pelas vaias.

O secretário Hélio Ricardo foi desrespeitado na frente de familiares e Laís ficou tão constrangida que caiu no choro.

A cena chamou atenção de profissionais de imprensa que estavam no camarote oficial, pois o próprio Mário Alexandre apartou a discussão. O secretário Hélio Ricardo pediu que o fato não virasse notícia, e foi atendido.

O Blog do Gusmão não estava na festa, mas ouviu 3 pessoas, em separado. Os relatos são muito parecidos.

Não conseguimos o contato do senhor “Bohaninha”. O espaço está aberto para que ele possa contar sua versão.

Assista o vídeo que mostra a vergonha vivida pelo prefeito.

Cosme Araujo emplaca a filha na Superintendência de Turismo

Notinhas.

Cosme Araujo, agora sem voz. Foto: Catucadas.

Em 2017, primeiro ano do governo Mário Alexandre, integrantes do primeiro escalão da prefeitura de Ilhéus, quando encontravam o advogado Cosme Araujo nas ruas, ouviam dele os piores adjetivos ao prefeito, golpes sempre aplicados abaixo da linha de cintura moral.

Em meados de 2018, Araujo decidiu ficar calado, justamente no período em que a gestão começou a cair no conceito do povo.

Nos bastidores da política, havia indicações de que o advogado e ex-vereador abraçara Marão politicamente. Quando lia publicações a respeito, irritado Cosme disparava desaforos à imprensa. O BG recebeu mensagens do tipo no Whatsaap e foi excluído de grupos a pedido dele.

Numa dessas voltas previsíveis que o mundo dá, na última sexta-feira, 17, o Diário Oficial do Município publicou a nomeação da filha de Cosme, a também advogada Margareth Araujo, como Superintendente de Turismo.

Na função recém-criada, Margareth vai receber R$ 8 mil por mês.

Prefeito anuncia inauguração de posto de saúde que não está pronto

Notinhas.

O prefeito Mário Alexandre concede entrevistas sobre assuntos que desconhece. Falastrão sem conhecimento de causa, comete vacilos incomuns a um prefeito competente.

No programa de Vila Nova, edição de ontem (quinta-feira, 13), Marão disse que vai inaugurar o Posto de Saúde da Avenida Esperança, no aniversário de Ilhéus, próximo dia 28 de junho.

A nova unidade não está pronta e não há a mínima possibilidade de ser inaugurada na data festiva. A cerimônia foi cancelada, segundo nossas fontes.

Vereador Jerbson Moraes emplaca a esposa na Superintendência de Cultura

Notinhas.

Jerbson Moraes e a esposa Jeniffer de Jesus. Foto: Facebook/reprodução.

No jogo da pequena política, fazer elogios rasgados a um prefeito impopular e incompetente tem preço.

O vereador Jerbson Moraes (PSD), conhecido como Jerbinho, conseguiu a nomeação da esposa, Jeniffer de Jesus Santos, no recém-criado cargo de superintendente de cultura.

O martelo foi batido na manhã desta quarta-feira, 12, durante uma reunião do prefeito Mário Alexandre com vereadores no Centro Administrativo. Alguns parlamentares se opuseram à nomeação, mas no final saíram convencidos. O decreto será publicado nos próximos dias.

Jeniffer exercia o cargo de chefe de divisão no antigo organograma da secretaria de cultura, com o salario de R$ 3.800,00. No exercício da nova função terá o vencimento mensal de R$ 8.000,00.

É muito provável que Jerbson, agora super-secretário de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo, passe a elogiar o governo Marão ainda mais.

A profecia de Teori Zavascki sobre Sérgio Moro

Notinhas.

O falecido Teori Zavascki e o parcial Sergio Moro. Foto: internet/reprodução.

No dia 18 de março de 2016, o ministro do STF, Teori Zavascki, recebeu o título de cidadão ribeiro-pretano. A solenidade ocorreu no auditório da justiça federal localizado na cidade que o homenageou.

Na ocasião, Zavascki mandou um recado perspicaz para o então juiz Sérgio Moro.

Com as publicações do site The Intercept no último final de semana, que trouxeram à tona diálogos parciais do juiz Moro com procuradores do MPF, as palavras do experiente magistrado, já falecido, repercutem na memória como profecia confirmada.

 

Paulo Magalhães quer derrubar Marão

Notinhas.

Ângela e Paulo Magalhães junto com Marão numa data em que havia confiança.

Na última sexta-feira, 7, o governador Rui Costa entregou a reforma do trecho Itajuípe-Coaraci da Rodovia BA-262. O evento teve o tradicional palanque onde os políticos ficam sentados ouvindo e tecendo elogios rasgados às obras comezinhas do governo estadual.

Despertou atenção em vários convidados os xingamentos do deputado federal, Paulo Magalhães, ao prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, ambos do PSD. Fora do microfone e em conversas com políticos do eixo Ilhéus-Itabuna, o parlamentar externou contrariedade e se dispôs a repercutir denúncias contra o ex-aliado. “Farei de tudo para tirar Mário da prefeitura”, disse Paulo Magalhães.

Não eleito deputado federal nas eleições de 2018, Magalhães ficou como 2º suplente e só assumiu uma vaga no dia 14 de março deste ano, após as licenças dos titulares Josias Gomes (PT) e Sergio Britto (PSD) que assumiram secretarias no 2º mandato de Rui Costa.

O suplente atribui o insucesso ao correligionário Marão que lhe prometeu votação satisfatória. Com as urnas apuradas, colheu resultado abaixo do esperado em Ilhéus (2347 votos).

Para se ter uma ideia do fraco resultado de Paulo Magalhães em Ilhéus, em Una, pequena cidade vizinha com pouco mais de 15 mil eleitores, o prefeito Tiago Birschner passou 30,53% dos votos válidos a Mario Negromonte Jr (3.036 votos). O percentual de votos válidos passados por Marão ao seu federal ficou pouco abaixo do 3%. Vale lembrar que Ilhéus tem 115 mil pessoas aptas a votar.

Em Camamu, onde também teve o apoio da então prefeita Ioná Queiroz (PT), Magalhães conquistou 3461 votos, 23,35% dos votos válidos.

Marão não esteve em Coaraci na última sexta-feira. Ele tem evitado encontros com Paulo Magalhães com receio de ouvir desaforos.

Vereador de Ilhéus é acusado de “pegar” mil reais do rapaz do som

Notinhas.

À espera de migalhas.

Na Central de Abastecimento do Malhado (Ilhéus), e em muitas feiras livres pelo Brasil afora, é comum a presença inadequada de “cachorros fateiros” próximos de açougues e barracas que comercializam carnes.

Esses animais famintos, quase sempre “cães sem donos”, se alimentam de vísceras e ossos não aproveitados pelos magarefes.

Essa imagem serve para ilustrar a postura corrupta de alguns vereadores de Ilhéus, com uma diferença, os cães comem pela sobrevivência, os representantes do povo, nestes casos, são movidos pela sanha de dinheiro público.

Após o início da Operação Xavier, desencadeada pelo MP-BA, prestadores de serviços da Câmara de Vereadores de Ilhéus resolveram contar tudo (ou quase tudo) às investigações.

Dentre os esquemas denunciados, consta o relato de um microempresário do ramo de sonorização. Temeroso de ser preso, contou ao MP-BA que um vereador manipulou licitação em seu benefício. Como contrapartida, o “cachorro fateiro” exigiu que o empreendedor repassasse mil reais, por mês, de cada pagamento recebido.

O MP-BA ainda não divulgou o nome do parlamentar, uma vez que o caso está sob apuração e coleta de provas. O BG pode adiantar que o acusado é useiro e vezeiro na indicação de fantasmas.

Marão vai cortar o ponto do agente de trânsito Tarcísio Paixão?

Notinhas.

Marão: o pau que deu em Valmir vai dar em Tarcísio?

Depois que o prefeito Mário Alexandre jogou o ex-secretário Valmir de Inema na cova dos leões, alguns possíveis ou prováveis aderentes ficaram desconfiados.

Receosos com a falta de solidariedade do prefeito, eles perguntam:

a folha de frequência do agente de trânsito Tarcísio Paixão será fiscalizada?

Sabe-se que o servidor municipal está foragido, pode ser preso ou se apresentar à justiça. Marão, severo com Valmir, também será duro com Tarcísio?

Em caso de ausência no trabalho, o ponto de Tarcísio será cortado ou Marão vai aguardar uma sentença condenatória?

Marão será tolerante uma vez que o procurado pela justiça é vereador, aliado e conhece as partes intestinas do governo?

Marão jogou Valmir de Inema na cova dos leões

Notinhas.

Marão entregou Valmir às feras.

Menos de 24 horas depois da prisão preventiva do secretário municipal de agricultura, Valmir de Inema, na Operação Chave E, o prefeito Mário Alexandre decidiu exonerá-lo.

A nota de esclarecimento do governo diz que os atos supostamente irregulares praticados por Valmir dizem respeito à Câmara Municipal. Menciona timidamente a presunção da inocência, mas anuncia o rápido afastamento do secretário.

Políticos e advogados ouvidos pelo BG perceberam oportunismo e deslealdade em Marão.

As provas contra Valmir aparentemente são desabonadoras, mas será que o prefeito as conhece com profundidade? É provável que não, sendo assim, ficou patente o objetivo de se livrar de um problema menor, para evitar um mal pior.

Advogado experiente lembra que Valmir ainda não foi condenado e ressalta que o governo Marão está muito longe de ser exemplar.

Em 2017, quando Jamil Ocké foi preso na operação Citrus, o ex-prefeito Jabes Ribeiro concedeu entrevista em defesa do amigo.

Jamil foi condenado em primeira instância e Jabes não tem pronunciado o nome do aliado em público, mesmo assim, o ajuda nos bastidores na tentativa de anular a sentença desfavorável da Comarca de Ilhéus.

“Não cabe a uma liderança política fazer julgamentos no calor da opinião pública e com base na imprensa. Marão pode passar pela mesma vergonha. Se acontecer com ele, não terá o direito de cobrar solidariedade de ninguém”, afirma uma conhecida personalidade política de Ilhéus.

Atualizado às 14h19min de 16/05/2019.

A decisão da juíza Emanuele Vita, que determinou as prisões preventivas de 7 acusados, nomeia as investigações do MP-BA como “Operação Chave E”, contudo, segundo o promotor Frank Ferrari, o nome correto é “Operação Xavier”, nome ainda mais cifrado (opinião do BG).

Preso na Operação Chave E, Valmir de Inema chamava propina de “sarapatel”

Notinhas.

Segundo o MP, “sarapatel de carneiro” citado em conversa de Valmir com assessor é codinome de propina.

As investigações da Operação Chave E, realizadas pelo MP-BA, flagraram conversas telefônicas entre o ex-vereador e atual secretário de agricultura do governo Marão, Valmir Freitas (de Inema), e assessores do vereador Lukas Paiva.

Numa determinada conversa ocorrida em agosto de 2018, Valmir dialoga pelo celular com Rodrigo dos Santos, assessor de Lukas Paiva, sobre o pagamento de uma suposta propina.

Valmir pergunta se os dois vão almoçar “sarapatel”.

Rodrigo estranha a definição e Valmir brinca, dizendo que ele não entende “de diagrama”.

Após entender o suposto interesse de Valmir, Rodrigo afirma que o sarapatel servido será o de melhor tipo, o de carneiro.

Na conversa Valmir chama Rodrigo de “o dono do carneiro” e a Câmara de Vereadores de Ilhéus de “restaurante”.

Atualizado às 14h19min de 16/05/2019.

A decisão da juíza Emanuele Vita, que determinou as prisões preventivas de 7 acusados, nomeia as investigações do MP-BA como “Operação Chave E”, contudo, segundo o promotor Frank Ferrari, o nome correto é “Operação Xavier”, nome ainda mais cifrado (opinião do BG).

Vereador Aldemir se arrepende do vídeo: “a grande maioria dos amigos me censurou”

Notinhas.

Aldemir Almeida. Foto: Blog Agravo.

O vereador e médico Aldemir Almeida (PP) mandou mensagens para José Nazal manifestando arrependimento por ter gravado, junto com mais sete vereadores, um vídeo com questionamentos à legitimidade do prefeito de Ilhéus (em exercício), que por meio de um decreto reintegrou 268 servidores ao quadro da Prefeitura de Ilhéus.

Na manhã desta sexta-feira, 10, Aldemir, de maneira humilde, disse que “errar é humano, dar um passo atrás é um sinal de grandeza”.

O vídeo com as mensagens dos oito vereadores, em apoio a Marão, foi duramente criticado nas redes sociais. O próprio Aldemir admitiu que a maioria dos amigos dele censurou a participação.

O vereador autorizou que suas mensagens para Nazal fossem publicadas.

Decisão da desembargadora Sílvia Zarif impede que Marão afaste servidores novamente

Notinhas.

Será que Marão vai desrespeitar mais uma vez a decisão de Sílvia Zarif? Fotos: internet/reprodução.

Nos próximos dias, será debatido intensamente no meio jurídico e na opinião pública, a validade do decreto do prefeito de Ilhéus, em exercício, José Nazal, que nesta quinta-feira, 9, determinou a reintegração imediata dos servidores municipais afastados em janeiro deste ano, pelo titular Mário Alexandre.

Os advogados dos servidores já anexaram o decreto de Nazal no processo que corre no TJ-BA, bem como, incluíram documentos capazes de provar que o titular viajou para os EUA. Outro argumento contrário ao prefeito está fundamentado na decisão de não passar o cargo para o vice, com o objetivo de evitar o retorno dos servidores.

Não convém esquecer que a decisão da desembargadora Sílvia Zarif, divulgada no dia 28 de fevereiro deste ano, impede Marão de publicar mais um decreto afastando novamente os servidores.

Com o ato administrativo de Nazal, e sua consequente validade, caso Marão insista em não reinserir os trabalhadores na folha de pagamento, a possibilidade do TJ-BA mandar prendê-lo será bem maior, afirmam advogados ouvidos pelo BG.