Governo Marão deixa orla de Olivença suja no feriado prolongado

O governo do prefeito Mário Alexandre parece que boicota o turismo de Ilhéus.

Muitas pousadas e hotéis estão com mais de 90% dos leitos ocupados.

O movimento cresceu principalmente na zona sul, onde carros de outras cidades circulam em grande quantidade.

Além da prefeitura não ter organizado um calendário de eventos, como em Itacaré e Porto Seguro, o governo Marão sequer faz o mínimo do básico.

A orla de Olivença, trecho exuberante do litoral ilheense, está repleta de lixo.

Não há justificativa para este erro crasso em pleno feriadão, pois o gasto com a limpeza pública aumentou depois que o governo tirou a empresa Solar Ambiental para colocar a CTA.

As imagens abaixo são da última quinta-feira, 18, feitas por um morador.

TUPINAMBÁS PROTESTAM CONTRA O “MARCO TEMPORAL”

População indígena contra o "marco temporal".
População indígena contra o “marco temporal”.

No último domingo (24), no trajeto entre Olivença e a praia do Cururupe, o povo tupinambá realizou a XVII Caminhada dos Mártires. No ato,  os índios empunharam uma faixa com a frase: “Nossa história não começou em 1988. Não ao marco temporal”.

O marco temporal é uma tese ruralista e ameaça as demarcações das terras indígenas e quilombolas do país, porque defende que apenas o povo que já estava no território reivindicado em 1988, ano da Constituição Federal, tem direito originário à terra.

O argumento dos ruralistas é frágil porque a Constituição não estabeleceu o critério temporal ao reconhecer os direitos dos povos tradicionais, que antecedem inclusive a existência do Estado brasileiro.

UFBA ABRE INSCRIÇÕES PARA CONCURSO COM 222 VAGAS E SALÁRIO DE ATÉ R$ 8 MIL

RTEmagicC_ufba_01_txdam97970_d4837a.jpgA Universidade Federal da Bahia (UFBA) abriu ontem (14) o período de inscrições para o seu concurso público. O prazo vai até o dia 14 de setembro.

O certame oferece 222 vagas de todos os níveis. Os futuros contratados vão servir no Instituto Multidisciplinar em Saúde, em Vitória da Conquista, e no Campus de Salvador.

A inscrição custa sessenta, oitenta ou cem reais, a depender do cargo pretendido, e deve ser feita no site de concursos da UFBA.

Os salários vão de R$ 1.945,07 a R$ 8.361,32, por jornadas semanais de vinte ou quarenta horas. Vitória da Conquista e Salvador vão sediar as provas marcadas para o próximo dia 22 de outubro.

Acesse abaixo a lista completa de vagas. O edital está disponível neste link. Entre outros dados, ele informa as exigências e as lotações dos cargos.

(mais…)

MORRE EVERALDO MENDONÇA, SÍMBOLO DA PUXADA DO MASTRO DE SÃO SEBASTIÃO

Everaldo Mendonça. Imagem: Cid Mendonça Póvoas.

Os machadeiros de Olivença estão tristes.

Everaldo Mendonça, grande personagem da Puxada do Mastro de São Sebastião, faleceu na tarde desta segunda-feira, 22, às 17h.

Exímio tocador do sino que chamava os machadeiros à mata, Seu Everaldo era um grande entusiasta da festa popular mais tradicional de Ilhéus.

Nos últimos 6 anos, um acidente vascular cerebral (avc) o afastou daquilo que mais gostava de fazer, acordar a comunidade de Olivença no 2º domingo de janeiro, dia da Puxada do Mastro.

Daí em diante, os machadeiros, em sua homenagem, mudaram o trajeto da festa. Ao se dirigirem à mata, todos passavam na residência de Seu Everaldo, para que ele, sentado numa cadeira de rodas, pudesse tocar o instrumento que por décadas, o notabilizou como artista espontâneo, alegre e essencialmente popular.

Fiel às características mais antigas da Puxada do Mastro, Seu Everaldo criticava as novidades, mas nunca deixava de participar.

O “Caboclo dos Olhos Azuis” morreu com 82 anos. Deixou duas filhas: Maria do Socorro Mendonça (presidente do Instituto Nossa Ilhéus), Gina Mendonça e mais 5 netos.

O velório acontece no SAF da Avenida Itabuna. O sepultamento será nesta terça-feira, 23, às 15h, no Cemitério da Vitória.

5º SEMINÁRIO SOCIOAMBIENTAL DOS ÍNDIOS TUPINAMBÁ DE OLIVENÇA

Será realizado durante os dias 15 e 16 (próximo sábado e domingo), na Aldeia Itapoan (Olivença), o 5º Seminário Socioambiental dos Índios Tupinambá de Olivença.

Representantes das 23 comunidades do povo Tupinambá participarão do evento, entre eles, professores, agentes de saúde indígenas, caciques e lideranças, que discutirão novas alternativas e práticas autossustentáveis, além de políticas públicas para a comunidade.

Estarão presentes também representantes da Uesc, Direc 6, secretarias de Meio Ambiente, Educação, Sesai, Funai e da coordenação de políticas públicas para os povos indígenas na Bahia.

O seminário tem o apoio da SJCDH, Secretaria de Saúde do Municipal e da Bahia Mineração. A realização é da Associação Indígena de Olivença (Ação Tupinambá).

10 ÍNDIOS ALGEMADOS NO ACUÍPE

Postagem copiada do site Racismo Ambiental

Hoje, às 4h da manhã, ocorreu reintegração de posse na retomada do Cacique Valdenilson, localizada na região do Acuípe de Baixo, em Olivença. As famílias, que estavam dormindo, foram pegas de surpresa e, desde então, dez indígenas da tribo Tupinambá estão algemados na área.

Além disso, todas as liminares que impediam a reintegração de posse das áreas no interior da Aldeia Serra do Padeiro foram suspensas. A Polícia Federal solicitou reforços para cumprir todas as reintegrações.

SAÚDE INDÍGENA TUPINAMBÁ

As comunidades indígenas de Olivença, em Ilhéus, estão sendo beneficiadas pelo projeto Ação Saúde Indígena, uma iniciativa dos agentes de saúde do índio, com o apoio do grupo Ação Bahia.

A primeira visita de médicos e palestrantes aconteceu na Aldeia Curupitanga. Houve esclarecimentos sobre prevenção de doenças como: AIDS, câncer de boca e de pele. Na oportunidade, foram distribuídas escovas e creme dental aos indígenas.

O projeto pretende atender todas as comunidades  Tupinambá de Olivença.

GRELHAS, ESPETOS E ESPERTEZAS

Newton não comeu nada de Marão, mas elogiou a picanha.

Recentemente, o vice-prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, promoveu um big churrasco para o prefeito Newton Lima.

A farra de carnes aconteceu numa casa de praia da família de Marão em Olivença. O banquete chamou atenção dos vizinhos, pois o cheiro da picanha bateu longe. Vintes reis momos dos últimos carnavais de Salvador não dariam conta de tanta fartura.

Marão que agora come pouco (comida) tinha na mente um desejo: ampliar o número de cargos na prefeitura, com a possível saída do PT.

Toda vez que as carnes eram servidas, Marão insistia em perguntar: “Tá gostoso Newton? Você quer ao ponto ou mal passada? A cerveja tá gelada? Quer mais farofa?”

Newton por sua vez, comeu, bebeu, mas não firmou compromisso.

Já o vice, além de não atingir o objetivo, saiu com as mãos meladas de carvão.

SECRETARIA DA JUSTIÇA OUVE SOCIEDADE CIVIL SOBRE QUESTÕES INDÍGENAS EM ILHÉUS

Acontece na próxima terça-feira (8), às 15h, na Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), em Salvador, uma reunião com a participação do secretário Almiro Sena, parlamentares e a rede social de apoio às causas indígenas.

O principal ponto da pauta é a construção coletiva de propostas para a convivência harmoniosa, entre os povos indígenas e não índios, das regiões onde está sendo discutida a demarcação de terras reconhecidas pela Funai como território tradicional.

O encontro foi marcado pelo secretário da SJCDH após ser informado da prisão da cacique Tupinambá Maria Valdelice Amaral de Jesus, na tarde de quinta-feira (3), em Olivença, Ilhéus.

(mais…)

CIMI PROTESTA CONTRA A PRISÃO DA CACIQUE VALDELICE

Nota do conselho indigenista missionário (CIMI).

A cacique Tupinambá Maria Valdelice de Jesus (Jamapoty), da Aldeia Itapoãn, localizada no município de Ilhéus, foi presa na tarde de ontem (3) por agentes da Polícia Federal (PF) de Ilhéus. Segundo informações obtidas, o mandado foi expedido pelo juiz Federal Pedro Hollyday após decisão da Dr. Karine Costa Carlos Rhem da Silva.

Mais uma vez uma liderança do Povo Tupinambá de Olivença é presa injustamente. Primeiro foi o Cacique Babau, depois seus irmãos Givaldo e Glicélia, agora foi a vez da Cacique Maria Valdelice (Jamopoty).

Valdelice está sendo acusada de ser líder de quadrilha, de comandar uma série de invasões de propriedades rurais desde que foi desencadeada a luta pela recuperação das terras tradicionais Tupinambá. (mais…)