Governo Marão autoriza festa no Mário Pessoa, revolta moradores da Cidade Nova e PM apreende equipamentos

Uma festa realizada no Estádio Mário Pessoa, no último sábado, 20, gerou revolta e insatisfação em diversos moradores do bairro Cidade Nova, em Ilhéus.

A festa foi autorizada pelo governo do prefeito Mário Alexandre, por meio da superintendente de meio ambiente, Joelia Sampaio. Durante 5 horas, equipamentos com emissão sonora acima do limite permitido perturbaram o sossego dos moradores.

Apesar de ter estabelecido limites de horário e de decibéis, a autorização deferida por Joelia Sampaio desrespeita recomendação do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), que orientou a Prefeitura de Ilhéus a não permitir esse tipo de evento em áreas de grande adensamento residencial.

A Companhia Independente de Policia de Proteção Ambiental (CIPPA), após receber inúmeras reclamações, esteve no Estádio Mário Pessoa e apreendeu equipamentos sonoros dos infratores.

A PM mediu 108 decibéis de pressão sonora, quando o limite permitido pela autorização era de 85. A aparelhagem de Jonas Silva dos Santos foi apreendida e ele vai responder por crime ambiental.

Aparelhagem apreendida pela PM. Foto: CIPPA-PS.

Num texto informativo enviado à imprensa, a CIPPA adverte que a constante exposição a emissão de ruídos acima do permitido, causa danos à saúde humana, como problemas circulatórios, psicológicos e surdez irreversível. Esses problemas podem afetar não só o responsável pelas emissões sonoras, como também, as pessoas ao redor.

Segundo informações obtidas pelo BG, o governo Marão tende a não obedecer os critérios recomendados pelo MP-BA, pois já está em pré-campanha de reeleição e deseja ter o apoio das pessoas que promovem esses eventos.

Nossas fontes afirmam que ao permitir a festa no Mário Pessoa, o governo demonstra a intenção de desvalorizar o estádio como espaço público, pois objetiva transformá-lo num shopping center.

O BG enviou mensagens à secretaria de comunicação com pedido de esclarecimentos. Não conseguimos resposta até a publicação dessa reportagem.

Videos gravados por moradora prova a poluição. Ela também fala sobre a perturbação do sossego.

Atualizado às 17 horas.

Jonas dos Santos, identificado pela PM como o responsável pela aparelhagem, entrou em contato com o BG para contar outra versão.

Disse que não é dono do equipamento, mas organizou a festa. A pessoa que é proprietária não estava no momento da abordagem da CIPPA, por isso, ele se dispôs a assinar a autuação.

Jonas elogiou o trabalho da Polícia Militar, “todos foram educados”. Disse que o problema foi causado pelo mixador da “Banda Ding Dong” (uma das atrações) que aumentou o volume sonoro acima do limite estabelecido pela autorização da Superintendência de Meio Ambiente.

Segundo Jonas, membros da “Ding Dong” desacataram os PMs e mantiveram o som muito alto. O desacato justificou a apreensão do equipamento.

A secretaria de comunicação de Ilhéus encaminhou a nota abaixo.

A Prefeitura de Ilhéus, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), esclarece à população sobre o “paredão sonoro” ocorrido no último sábado (20), à noite, nas instalações do Estádio Mário Pessoa. A pasta informa que o espaço foi solicitado, a princípio, para realização de um evento familiar, apenas, como já ocorrido em outras oportunidades.

O promotor responsável pelo evento não obteve devida autorização para esse fim na localidade. De acordo com o protocolo municipal, a autorização deve ser obtida na Superintendência do Meio Ambiente (SEMA). A Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (CIPPA) realizou a apreensão de aparelho de som utilizado na festa.

O Governo Municipal reafirma seu compromisso junto à população, em total cumprimento as exigências recomendadas pelo Ministério Público da Bahia, através da 11ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, quando da liberação, realização e fiscalização de eventos sonoros no município, e com isso, objetiva a transparência total dos fatos e a busca pelo cumprimento da ordem pública.

CIPPA acaba com barulho no Alto do Amparo

Imagem ilustrativa.

No último sábado, 16, por volta das 22h10min., o 2° Pelotão da CIPPA apreendeu um equipamento de som que impedia o descanso de moradores do Alto do Amparo, no bairro Malhado, em Ilhéus.

Eduardo de Oliveira Santos Neto, dono do equipamento, fazia uso da aparelhagem com volume acima do permitido. Na medição, os policiais militares constataram 117 decibéis de poluição sonora.

O responsável vai responder na justiça pela prática de crime ambiental.

Quem tiver reclamações relacionadas à poluição sonora pode acionar a CIPPA pelo Tel/Whatsapp: (73) 99807-1353 ou e-maill: [email protected] .

Caixa de som apreendida no Alto do Amparo. Foto: CIPPA/Porto Seguro.