CLIMA DA ELEIÇÃO EM ILHÉUS ESQUENTA COM DEPOIMENTO DE PROFESSORAS

Em resposta à  entrevista supostamente fraudulenta, produzida  pelo PT, o programa eleitoral no rádio do candidato Jabes Ribeiro (PP) apresentou depoimento de duas professoras.

Uma delas (Miralva Anunciação) conta que foi demitida por apoiar o candidato do PP.

A coordenação da campanha de Jabes afirma que as professoras se apresentaram de forma espontânea.

Confira os programas eleitorais dos três prefeituráveis em Ilhéus logo abaixo.


REMINISCÊNCIAS DE UM EX-PETISTA: EDUCAÇÃO “DESCENTE”

Esta é primeira “estorinha” de muitas.

Recordo do período eleitoral  de 2004, campanha de Ruy Carvalho (na época do PT)  à prefeitura de Ilhéus.

Festa de Nossa Senhora de Santana, no Rio do Engenho.

O partido dos trabalhadores mandou imprimir um panfleto com novas propostas para a rede municipal de educação.

Na verdade, o material ensinava a encher linguiça, nada de novo. Lamentavelmente, nas primeiras linhas, o termo “educação descente” me provocava. O certo é decente. A intenção, creio eu, não era descer o nível.

Este blogueiro, então filiado do partido da estrela, pediu a Rildo Mota (eterno publicitário do PT em Ilhéus) que o material não fosse distribuído, pois trazia um erro crasso, inadmissível em qualquer texto, principalmente sobre educação. Eis a resposta.

“Fale com Gersinho! Foi ele quem fez”.

Procurei o “autor” e ouvi uma justificativa, no mínimo surpreendente.

“Emílio, deixe essa porra pra lá. Aqui no Rio do Engenho, ninguém vai ter discernimento para sacar esse erro”.

Não satisfeito, fui até o candidato Ruy Carvalho. Falei sobre o profissionalismo da campanha de Valderico, principal adversário (no final vencedor). Com certeza, eles iriam utilizar o erro para desqualificar o PT.

Convencido, Dr. Ruy determinou: “diga que eu mandei recolher essa porra agora. Não é para distribuir. Puta que pariu! Quanta burrice”.

“BARBEIRAGEM” NO REGISTRO DA CANDIDATURA

O partido dos trabalhadores registrou a candidatura da Professora Carmelita à prefeitura de Ilhéus depois das 19h, do dia 05 de julho.

O prazo correu até às 19h.

Mesmo assim, Carmelita poderia esperar a abertura de um edital da justiça eleitoral, para registar seu nome individualmente.

Precipitados, seus assessores agiram dessa forma antes mesmo da publicação.

Resultado: de nada valeu o registro, pois tiveram que esperar o edital.

Esse pequeno erro não inviabiliza a candidatura de Carmelita, mas prova que há desconhecimento e amadorismo.

E se for prefeita?

PDT VOLTA PRA JABES, POR ENQUANTO

A dança do PDT continua no lá e cá. A cada 24 horas o partido muda de posição.

Segunda-feira estava com Jabes (PP), na terça amanheceu com Carmelita (PT) e Carlos Massarollo (PMN), hoje, quarta-feira (27), Fred Geddeon, presidente do partido, anunciou o retorno aos braços de Jabes, e uma aliança com o PSB na proporcional.

Amanhã ninguém sabe o que pode acontecer. A vida no “Bataclã” da política é muito difícil.

A lida é dura!

O VAI NÃO VAI DO PDT

Candidatos do PMN estão com medo do “advogado do povão”.

Dado como certo entre os partidos que apoiariam Jabes Ribeiro, O PDT decidiu aprontar uma surpresinha.

O advogado Cosme Araújo, principal nome do partido na disputa por uma vaga na câmara de vereadores, anunciou coligação com o PMN de Carlos Massarollo, aliado à candidatura petista da Professora Carmelita.

A decisão foi divulgada hoje no programa O Tabuleiro, de Vila Nova, entretanto, o bem informado Jamesson Araujo, do blog Agravo, antecipou a informação na noite de ontem (segunda, 25).

Segundo o Agravo, Massarollo por ser vice-presidente nacional do PMN e ter livre trânsito com as direções nacionais de muitos partidos, articula a saída de algumas siglas do leque de alianças de Jabes Ribeiro. O PSDC foi o primeiro, depois o PDT.

Os candidatos a vereador do PMN não gostaram. A maioria não quer ser mula de Cosme Araújo e Fred Geddeon, o primeiro tido como favorito, provavelmente entre os mais votados.

ANTAGONISMO E CIVILIDADE

No início da noite de ontem (quarta, 14), um humilde blogueiro caminhava tranquilo pelo centro de Ilhéus, quando se deparou com esta cena que nos remete ao espírito da política. Dois membros da família Mendonça, que não são parentes, mas brigam como se fossem. Alisson e Ednei, companheiros do mesmo partido (PT), porém, ferrenhos adversários, conversavam harmoniosamente defronte ao Palácio Paranaguá, símbolo maior da política ilheense. Durante um tempo, o curioso procurou observar se ambos cerravam os punhos, na preparação de um soco. Nada disso! Os dois trocavam sorrisos e afagos, mantendo as mãos distantes de suas cinturas ou coldres (jamais sacariam um punhal ou um revólver). O assunto trilhava por amenidades, desprovido das palavras: Direc e Jorge Bahia. Por mais que os últimos acontecimentos sugerissem que ali estavam o líder da autoridade palestina e o primeiro-ministro de Israel, o que o blogueiro viu, nos semblantes dos dois, foi a possibilidade, pelo menos aparente, de um cachimbo da paz.

DUAS MULHERES E UM PREFEITO ENFERMO

A imagem ao lado é uma anomalia, um quadro difícil de aceitar.

À esquerda, vemos a arquiteta Marilene Lapa,  técnica competente, funcionária pública municipal exemplar, hoje presidenta do PT ilheense.

À direita, notamos a vereadora Professora Carmelita (PT), sindicalista de honrada história, ícone da luta pela valorização dos professores.

Hoje chamada de hanseníase, a lepra é tratada e plenamente curável. Foi-se o tempo em que os leprosos (definição preconceituosa abolida) eram internados compulsoriamente, presos e isolados. Entretanto, não podemos abrir mão da existência do leproso político.

Newton Lima é um leproso político. Trata-se de uma nulidade administrativa, um prefeito sem compostura, que perdeu a vergonha diante da opinião pública (95% de rejeição). Ele não demonstra qualquer ressentimento em ver a cidade imunda, os postos de saúde fechados, as escolas funcionando precariamente, os alunos sem merenda escolar e etc…

Além do mais, Newton tem quatro contas rejeitadas pelo TCM. Provavelmente será um “ficha-sujíssima”. Não podemos esquecer que também foi indiciado por formação de quadrilha na operação vassoura-de-bruxa da Polícia Federal. Sem querer afirmar que seja culpado, Newton, no mínimo, tem muito a explicar.

Sendo assim, qual a explicação para a imagem ao lado, onde duas mulheres de trajetória ética estão abraçadas a uma figura pública rejeitada, incompetente e omissa, cuja a probidade do governo que lidera é alvo de questionamentos insistentes?

Onde estão as justificativas para tamanho sacrifício?

PT VERSUS PT

Guerra declarada no PT de Ilhéus.

O Partido dos Trabalhadores sempre foi rachado, mas em Ilhéus a situação interna piora a cada instante.

Os apoios explícitos à candidatura de Alisson Mendonça e a exoneração de Ednei Mendonça da Direc 6, esquentaram os ânimos no diretório local.

Em conversa com o JBO, a vereadora Carmelita Ângela, esposa de Ednei, acusou o grupo de apoio a Alisson de tentar desestabilizar a candidatura de Josias Gomes à prefeitura. “Eles executam uma forte e desqualificada manobra para nos desestabilizar e isso não vamos permitir”, afirmou.

Carmelita questionou também a manobra que levou à demissão (ainda não oficializada) de Ednei e não jogou a toalha na candidatura de Josias, defendendo a realização de prévias na legenda para decidir sobre o nome do PT que disputará a eleição.

O BLOG DO GUSMÃO NÃO ESQUECE: EM 2004, JOSIAS CONVENCEU ROLAND A DESISTIR DA PREFEITURA

Convencido por Josias em 2004.

A dinâmica da política é capaz de fabricar heróis, antes tidos como vilões.

O médico Roland Lavigne (ex-parlamentar) hoje ataca o deputado federal Josias Gomes (PT), acusando-o de morrer de amores pelo ex-prefeito Jabes Ribeiro.

Em 2004, quando foi candidato a prefeito pelo PSDB, Roland desistiu da candidatura, defendida por uma frente ampla de partidos (PPS, PSDB, PTB, PMN e outros que a memória não recorda).

Faltando 30 dias para a eleição, Roland foi convencido por Josias a desistir da candidatura e apoiar o concorrente do PT, Ruy Carvalho.

Os candidatos a vereador ficaram revoltados com Roland. A presidente do seu partido, Rubia Carvalho, e o falecido vereador, Marcos Paiva, disseram horrores dele. Muitos preferiram Valderico Reis (vitorioso no final) do que o PT.

Até hoje, não se sabe por que Roland abriu mão da disputa. Os motivos reais viraram um segredo indesvendável da história política.

MÁRIO AMORIM DEIXA A PRESIDÊNCIA DO PT

Mário Amorim.

O sindicalista Mário Amorim renunciou à presidência do PT de Ilhéus, na tarde de ontem (segunda, 16).

Segundo informações, ele buscava ter mais autonomia no comando do partido e travava uma constante quebra de braço com Everaldo Anunciação (membro do PT estadual ligado ao deputado federal Josias Gomes).

No último sábado, militantes e pré-candidatos a vereador do PT, ligados ao grupo do vereador Alisson Mendonça, foram impedidos de entrar na sede do partido. As chaves da sala não foram cedidas, irritando profundamente Mário Amorim, que decidiu pela renúncia.

CONTRA A HOMOFOBIA, ADEPTOS DA XENOFOBIA

Por Emílio Gusmão

A presença de imigrantes estrangeiros no Sul da Bahia vem de muito tempo. Com a explosão da cacauicultura, no século XIX, milhares chegaram aos montes.

Em Ilhéus, famílias de sobrenomes “gringos” estão completamente inseridas na sociedade, lado a lado com os “Santos” e os “Silva”.

Soub, Hage e Chauí (sírias), Ocké e Chaloub (libanesas), Kaufman (suíço-alemã), Albagli (turca), Kruschewsky (polonesa), além de outras, compõem a vasta árvore genealógica da civilização do cacau.

Apesar da tradição, algumas mentes obnubiladas andam pregando a xenofobia contra os “gringos babacas”.

O preconceito, além de bobo, é inaceitável. Pessoas que lutam aguerridamente contra a homofobia, e por isso são valiosas, de uns tempos pra cá assumiram o discurso xenófobo (incrível!).

O pior de tudo é que são ligadas ao PT, partido de esquerda, pioneiro na luta em defesa das minorias.

Em Ilhéus, o petismo tonto e desinformado assume o combate aos imigrantes, típico do nazifacismo, intrínseco à extrema direita européia.

Meu Deus! Há de se voltar ao ovo, pois tudo está errado.

O PT DE ITABUNA PRECISA DE LULA

Em São Paulo, Marta já era. Vem pra Itabuna Lula!

Em São Paulo, o ex-presidente Lula pôs fim nas pretensões caciquistas da senadora Marta Suplicy.

Ex-prefeita de São Paulo (2001 a 2005), notabilizada pela frase “relaxa e goza”, dita na ocasião do caos aéreo, quando era ministra do turismo (2007), Marta perdeu duas eleições seguidas, na tentativa de retornar à prefeitura.

Lula, inteligente como sempre, percebeu que ela afasta a classe média, e decidiu lançar o ministro da educação, Fernando Haddad. O partido, aos poucos, chegou à mesma conclusão.

Em Itabuna, o cacique petista Geraldo Simões, deputado federal, insiste numa candidatura “insípida, inodora e incolor”. Quer lançar a todo custo, pela segunda vez, a esposa Juçara Feitosa na disputa pelo comando da cidade.

Juçara não vai além do apoio familiar, só agrega em casa. Os demais partidos de esquerda a olham com desconfiança e não estão dispostos a passar por um novo vexame nas urnas.

Enquanto isso, o atual prefeito, Capitão Azevedo (DEM), vai se firmando à direita, com novos apoios, graças à instrumentalização da máquina administrativa.

Diante do petismo itabunense, onde o “dedaço” familiar determina, o “sapo barbudo” faz muita falta.

DIAZEPAN

Gerson: insonia.

O secretário de serviços urbanos de Ilhéus, Gerson Marques (PT), anda insone, não consegue pregar no sono.

Para entrar no governo, o vereador Jailson “Sarney” Nascimento e o seu PMN, notabilizados pelos negócios, exigem o controle da pasta de Gerson, de olhos no cobiçado lixo.

O petista, em processo de tomada de gosto, criando apreço, não esconde a preocupação.

Para voltar à contagem dos carneirinhos, só um comprimido de diazepan, desaconselhável para dramas cujo diagnóstico é o vai e vem da política.