UESC vai discutir criminalização dos movimentos sociais

Foto: Ascom-UESC.

A V Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA -UESC) e a I Pré -Jornada de Agroecologia serão realizadas na Universidade Estadual de Santa Cruz  nos dias 17, 18 e 19. O objetivo é debater a agroecologia, a criminalização dos movimentos sociais, a defesa da reforma agrária popular e da educação do campo.

Serão apresentadas de reflexões científicas atuais destas temáticas por meio de várias atividades, como palestras, mesa redonda, roda de conversa e lançamento de livros.  O diferencial da V JURA será a parceria da I Pré-Jornada de Agroecologia com a Teia dos Povos, e também, a participação dos alunos da Especialização em Educação do Campo, com suas atividades acadêmicas.

O FATOR MST

Artigo de Leandro Fortes, publicado no blog Brasília Eu Vi.

“O MST existe há 25 anos e é o mais importante movimento social de base da história do Brasil. A crítica à sua concepção socialista e a eventuais desvios de conduta de alguns de seus participantes é, deliberadamente, ultradimensionada no noticiário para passar à sociedade, sobretudo à dos centros urbanos, a impressão de que seus militantes são vândalos nutridos pelo comunismo e outras reflexões sociológicas geniais do gênero”.

A prisão de nove lideranças do MST, no interior de São Paulo, algumas das quais filiadas ao PT, foi o ponto de partida de uma estratégia eleitoral virtualmente criminosa e extremamente profissional, embora carente de originalidade. Trata-se de perseguição organizada, de inspiração claramente fascista, de líderes de um movimento que diz respeito à vida e ao futuro de milhões de brasileiros, que revela mais do que o uso rasteiro da política. Revela um tipo de crueldade social que se imaginava restrita a políticos do Brasil arcaico, perdidos nos poucos grotões onde ainda vivem, isolados em seus feudos de miséria, uns poucos coronéis distantes dos bons modos da civilização e da modernidade.

(mais…)