Doença transmitida por pombo mata dois homens em São Paulo

Dois homens morreram em decorrência da criptococose, conhecida como “doença do pombo” em Santos, no litoral paulista.

O empresário José Wilson de Souza, 56, e o cinegrafista Mauro Sérgio Senhorães, 43, tratavam da doença havia cerca de quatro meses e tiveram os mesmos sintomas: dores de cabeça fortes, sinais de febre, tonturas e cansaço. A suspeita inicial era de outras doenças, mas o quadro de saúde de ambos piorou com o tempo.

A prefeitura de Santos confirmou que o diagnóstico de ambos era a “doença do pombo”. Souza foi internado na Santa Casa da cidade no dia 6 de julho após sofrer um AVC (acidente vascular cerebral) e ficar em coma. Ele morreu 12 dias depois. Senhorães morreu no dia 26, na Beneficência Portuguesa.

A Secretaria de Saúde de Santos diz que, até a morte dos dois homens, não tinha conhecimento dos casos pois a doença não está na lista de notificação obrigatória pelos hospitais. Segundo o Ministério da Saúde, a criptococose não é transmissível entre seres humanos nem de animais para homens.

A Prefeitura de Santos afirmou que, para prevenir a doença, promove a limpeza de fezes de pombos em locais públicos e realiza eventos educacionais para instruir a população. Informações do UOL.

Morre mulher que esperou 1 semana por cirurgia de emergência no Hospital Costa do Cacau

Jandalmira faleceu aos 64 anos. Foto: arquivo familiar/Facebook.

Faleceu na manhã desta sexta-feira, 09, a senhora Jandalmira Teixeira Costa do Nascimento, de 64 anos, devido a um aneurisma cerebral.

O caso dela foi noticiado com exclusividade pelo BG no dia 27 de julho. A crise que a levou para a emergência do Hospital Costa do Cacau aconteceu no dia 20 de julho, e segundo familiares, devido à falta de material cirúrgico ela só foi operada após 7 dias (relembre aqui).

Como os parentes demonstraram receio de represálias, optamos por não identificá-la e revelamos apenas as letras iniciais do primeiro nome e do último sobrenome.

Internada na UTI semi-intensiva desde a data da operação (27 de julho), dona Jandalmira não resistiu e faleceu.

Não podemos afirmar que o período de espera, também confirmado por funcionários do hospital, contribuiu para o triste desfecho. Tentamos ouvir um especialista, mas não conseguimos obter considerações.

O corpo está sendo velado no SAF da Conquista.

O BG presta condolências à família neste momento doloroso de grande perda.

Mantivemos contato com a assessoria de comunicação do hospital, mas não conseguimos resposta.