PARALISAÇÃO REDUZ O NÚMERO DE PMS NAS RUAS DE ILHÉUS

Em Ilhéus, a paralisação dos policiais militares atingiu seu objetivo. Pouquíssimos são os pms que estão nas ruas.

Na cidade, o efetivo está dividido em três companhias (68ª, 69ª e 70ª). Grande parte da tropa está amotinada e alguns se revezam no policiamento. Poucas viaturas estão nas ruas, mesmo assim paradas.

Fontes da PM informaram ao Blog do Gusmão que o patrulhamento é “meia-boca”. Os comandantes das companhias negam o êxito do motim. A informação, fora da realidade, visa provar ao comando geral que eles não perderam o controle da tropa.

O PM QUE FICOU DE CUECA

O soldado Mario Caspechen, da Polícia Militar de Santa Catarina, ficou bastante irritado ao atender uma ocorrência, gerada por um morador, que reclamava do barulho causado por um grupo de oito crianças e adolescentes que estavam numa rua de Joinville.

O PM, que tem histórico de sofrer por depressão, tirou a farda e ficou de cueca, em sinal de protesto.

NÚMERO DE HOMICÍDIOS AUMENTA NA BAHIA

Em quatro anos, o número de homicídios na Bahia aumentou 50,7%, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O Estado fechou 2010 com 4.856 assassinatos, em 2006 foram 3.222.

Apesar das promessas, desde que tomou posse, em janeiro de 2007, o governador Jaques Wagner não conseguiu reduzir o número de homicídios.

A onda de violência no estado levou o governador a renovar o quadro da Secretaria de Segurança Pública, logo após assumir o novo mandato, no início deste ano.

 

O TENENTE QUE BATE NA CARA

Um tenente da Polícia Militar, conhecido como Kalil, lotado em Ipiaú, tem recebido diversas críticas, devido ao uso desproporcional que costuma fazer de sua força e autoridade.

Segundo relatos, o oficial é viciado em bater no rosto das pessoas que costuma abordar. Em janeiro deste ano, ao advertir Gilmar Martins, proprietário de uma residência, que comemorava aniversário e fazia uso de um aparelho de som em alto volume, Kalil não gostou de ser questionado e partiu para a agressão. Familiares, incluindo a mãe do rapaz, presenciaram a brutalidade. As imagens foram parar na internet.

Recentemente, um advogado também foi vítima dos tapas. O tenente já foi denunciado à Corregedoria da Polícia Militar.

O Blog Ipiaú Notícias tem denunciado os abusos. Clique aqui e aqui.

Veja imagens do fato ocorrido em janeiro.

CADEIA SEM BÓIA

Segundo o SINDPOC (sindicato dos policiais civis do estado da Bahia) doze presos encarcerados na 7ª COORPIN, em Ilhéus, há vários dias não recebem a alimentação que deveria ser fornecida pela secretaria de segurança pública.

A Bom Gosto, de Ituberá, venceu a licitação para o fornecimento, mas terceirizou o serviço com uma empresa de Ilhéus. A terceirizada, por falta de pagamento, foi obrigada a suspender as entregas.

Os agentes da polícia civil têm recomendado aos familiares dos detentos que tragam as refeições de casa. O presídio Ariston Cardoso, quando pode, cede o rango, mas ninguém pode afirmar até quando.

MARINA PROPÕE PROGRAMA AOS PRESIDENCIÁVEIS

Com informações do Estadão.

Marina Silva (PV) apresentou ontem (08) dez tópicos – subdivididos em 42 propostas ou exigências – do seu partido para negociar o apoio a Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB) no segundo turno. O texto começa com uma exigência: não adotar nenhum mecanismo de restrição à mídia.

O documento denominado “Agenda por um Brasil mais justo e sustentável” traz propostas de reforma política, com adoção do voto distrital misto e financiamento público de campanha. Para a educação, o aumento do investimento na área para  7% do PIB e a erradicação do analfabetismo até 2018.

Na área de segurança pública, a principal proposta é a criação de um fundo nacional “para complementar os salários dos policiais civis e militares”. No meio ambiente, que dá a Marina suas principais bandeiras, o destaque é a recusa a propostas do código florestal que promovam “anistia a desmatadores”. Além disso, o documento propõe um reforma tributária que simplifique impostos e também em uma política externa “orientada pela promoção da paz”.

(mais…)

TEOTÔNIO VILELA PERDE COMPANHIA DE POLÍCIA

Vilela: companhia da PM fechada. Restou o módulo.

A comunidade do Teotônio Vilela, em Ilhéus, vem passando por sérias dificuldades, devido à cegueira dos poderes públicos. O acesso ao colégio estadual Fábio Araripe é ruim, a entrada do bairro está cheia de buracos e o terreno do antigo posto médico acumula lixo e mato.

Ontem (segunda-feira/26), os moradores perderam a companhia da polícia militar, por insuficiência do imóvel que não atende às necessidades básicas da corporação. Agora, o Vilela conta apenas com um módulo policial.

Com informações de Makrisi Angeli.

RUA SANTARÉM ÀS ESCURAS

E-mail recebido pelo Blog do Gusmão.

Os moradores da rua Santarém, na Avenida Itabuna, em Ilhéus, reclamam do descaso da secretaria municipal de serviços públicos. O local não tem iluminação há 3 meses, e mesmo após várias reclamações, nada foi feito.

Os assaltos e o uso de drogas ficaram, ainda, mais intensos, devido à falta de iluminação.

ACABOU O RESPEITO COM OS PMS

Foi-se o tempo em que usar a farda da polícia militar (seja qual for a instância hierárquica) simbolizava respeito e autoridade. Na verdade, existem pessoas que não aprenderam a respeitar sua família, o idoso, o vizinho, muito menos um desconhecido da segurança pública.

No último domingo, no bairro Hernani-Sá, um homem após ser advertido para não urinar ao lado do módulo policial, não só eliminou a excreção, como desafiou os policiais, dizendo que poderiam matá-lo, mas ele não iria aceitar aquela reprimenda.

Outro caso aconteceu ontem (segunda-feira/13), na cabana Beira Rio, no Banco da Vitória. Uma mulher que gritava “aqui só tem corno” por diversas vezes, foi indagada pelos policiais, que ouviram mais uma vez: “aqui só tem corno”, mencionando que os ‘homens de farda’ também eram chifrudos. E não ficou por aí. A debochada ao ser detida, machucou o polegar de um dos policiais e falou, sem menor temor, para ele ir tomar naquele lugarzinho!

ARRASTÕES NA PRAIA DO MARCIANO

Praia do Marciano é "palco" de arrastões.

Segundo banhistas que frequentam a praia do Marciano, no bairro do Malhado, em Ilhéus, diversas pessoas foram vítimas de arrastão, no último final de semana.

A polícia fez batidas no local e encontrou uma menor de 15 anos, que portava uma arma calibre 32, uma faca e 04 aparelhos celulares.

Por incrível que pareça, a adolescente não soube, ou não quis dizer a quem pertence as armas e como  o revólver foi parar em suas mãos.

POLÍCIAIS CIVIS ELABORAM PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA CATEGORIA

Ocorreu na última quarta-feira (25), uma assembléia da diretoria do Sindpoc (Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia) juntamente com líderes das subsedes do interior do estado, para traçar planejamento da reestruturação da carreira no plano de cargos e salários da categoria para o próximo governo. Foi debatido também, um projeto de capacitação e estruturação das delegacias da polícia civil.

Segundo o presidente em exercício do sindicato, Marcos Maurício, o objetivo é criar um programa de melhoria nas atividades de polícia judiciária na Bahia, apontando aspectos que fragilizam a instituição.

O projeto será discutido na próxima assembléia, no dia 14 de setembro, em Salvador, e entregue ao governo do estado e aos candidatos ao cargo de governador antes das eleições de 03 de outubro.

UM ESTÁ PARADO, O OUTRO SÓ PEGA NO TOMBO

A 7ª COORPIN de lhéus tem dois carros (rabecões) que recolhem os corpos para o departamento de polícia técnica (DPT).

Tudo estaria perfeito se não existissem dois detalhes: o mais antigo está há 1 ano em frente a uma oficina, na Ladeira do Pacheco, aguardando conserto. O orçamento foi elaborado e remetido à secretaria de segurança pública em Salvador, mas até agora nada. Já o outro, prestava serviços ao DPT de Itabuna. Como a cidade vizinha recebeu um veículo novo, enviaram o usado para Ilhéus. O problema é que ele só funciona à base do tombo, tem que empurrar para acionar o motor.

Este permanece há 1 ano nesta posição, aguardando reparo.
Este só funciona se a galera empurrar.