Ilhéus recebe espetáculo inspirado nos poemas de Mário Quintana

Mário Quintana.

No dia 17 de abril, quarta-feira, o Teatro Municipal de Ilhéus vai ser o palco do Crianceiras. O espetáculo mistura linguagens cênicas e musicais com obras de grandes poetas brasileiros. Com dois álbuns lançados e sete anos na estrada, o grupo homenageou o poeta Manoel de Barros no primeiro trabalho. O atual é inspirado na poesia de Mário Quintana.

Além de dar forma musical aos poemas de Quintana, a apresentação traz ao palco elementos do teatro de papel e de brinquedo, com cenografia do designer e artista plástico Carlo Giovani.

A Villa Verde produz a apresentação em Ilhéus. De acordo com a direção da escola, a dinâmica lúdica do espetáculo aproxima a poesia do universo infantil. No enredo, o personagem vive numa pequena cidade, que, com o tempo, passa a ser habitada por pessoas e formas de viver de outros lugares. É assim que a diversidade da existência – suas cores, valores e sons – desvela-se para o artista e a plateia. Em cena, a presença dos outros, do novo e a celebração da multiplicidade são alegorias da chegada da primavera e do próprio movimento da vida.

A equipe da escola usa poemas musicados pelo Crianceiras nas suas atividades. Por isso, no ano passado, quando a trupe se apresentou em Salvador, a Villa Verde levou suas turmas para assistir ao espetáculo. Dessa vez, o colégio aproveitou a nova vinda do grupo à Bahia e conseguiu um espaço para Ilhéus na turnê.

O teatro da cidade vai receber duas sessões (10 e 16 horas). O ingresso custa oitenta reais. Crianças, estudantes, educadores e idosos têm direito à meia entrada. Os ingressos podem ser comprados na secretaria da Villa Verde, que fica na avenida Vereador Marcus Paiva, no bairro Cidade Nova.

Segundo a direção do colégio, representantes de outras escolas interessados em levar seus alunos ao espetáculo vão ter acesso a pacotes com preços especiais. Basta combinar por meio do telefone (73) 3634-2487.

Indicada ao Braskem, O Grande Yorick tem apresentação única no TMI nesta sexta

Imagem do espetáculo O Grande Yorick. Foto; Ascom.

O espetáculo O Grande Yorick indicado ao prêmio Braskem de Teatro, com texto e direção de Ed Paixão, entra em cartaz no Teatro Municipal de Ilhéus, com única apresentação em comemoração ao mês do Teatro e do Circo, no dia 29 de março às 20 horas.

“O Grande Yorick” conta a história de Willian Chagas, um apaixonado ator de teatro, que abraça o mundo como um “Quixote” sonhador em busca de aventuras fora do cotidiano, da realidade imposta pela sociedade, mas no decorrer de suas peripécias vai amargando o dessabor e a cruel falta de empatia dos seres humanos para com a dor alheia e surta em meio ao caos. Inspirado na belíssima e sensível obra de Miguel de Cervantes, Dom Quixote, e na filosófica e vingativa obra de Willian Shakespeare, Hamlet, nasce a montagem da Trupe Teatro Sem Fim que acontece nos tempos atuais.

Os atores trazem à vida uma obra literária que bebe e homenageia o teatro clássico com todos os seus anjos e demônios expostos. A construção das personagens, a transformação numa outra pessoa é uma das formas arquetípicas da expressão humana e o teatro é tão velho, quanto a humanidade. Com uma trilha sonora executada ao vivo pelo músico Luan Borba e com músicas cantadas sem microfone pelo elenco, a peça mostra a força do ritual da oralidade e o teatro como uma vela, consumindo a si mesmo no próprio ato de conceber a luz, e que no final vive na memória do público presente.

“O espetáculo me deixou muito extasiada. Sou atriz, faço teatro há muito anos e já vi muitas outras peças, mas essa é uma daquelas que fica marcada na memória, pela coragem, criatividade, dramaturgia e sintonia do elenco. A indicação ao prêmio Braskem de Teatro é muito merecida, pois é um espetáculo que compete em pé de igualdade com qualquer produção técnica da capital”, ressalta Aline Mota, atriz que assistiu a apresentação do espetáculo em Camaçari durante o 3º Festival de Teatro do Interior da Bahia.

Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na Livraria Papirus pelos valores de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

Teatro Popular de Ilhéus oferece curso de teatro e canto

Foto: Ascom/TPI.

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) vai oferecer aulas de teatro e canto a partir de 11 de março, nas segundas e terças-feiras, sempre das 16h às 17h30, na tenda instalada na Avenida Soares Lopes.

As atividades são destinadas a crianças e adolescentes, de 8 a 14 anos. As inscrições estão abertas até o dia 08 de março, diretamente no TPI, de segunda a sexta, das 14h às 18h. É necessário xerox do RG da criança e do RG do responsável.

O Curso de Teatro e Canto do TPI é ministrado por Tânia Barbosa (atriz e diretora teatral) e Antônio Melo (regente musical), e vai trabalhar com os alunos, de forma divertida e construtiva, práticas dramáticas, jogos teatrais, exercícios vocais e práticas musicais em grupo.

Serão apenas 20 vagas, e o investimento no curso é de R$ 120,00 mensais, podendo ainda ser pago em uma única parcela com 10% de desconto. Haverá ainda matrícula social de 20% das vagas com bolsa integral destinadas a crianças matriculadas na rede pública de ensino e cujo responsável seja portador de CadÚnico atualizado.

Foto: Ascom/SECULTBA.

A ideia é desenvolver e estimular as capacidades de expressão, socialização, espontaneidade, imaginação, observação e percepção.

A prática do teatro na infância é ideal para ajudar a criança a desenvolver a expressão verbal e corporal. A aula também contribui para o desenvolvimento mental e emocional, estimula a memória, a atenção e a concentração, melhora a dicção, a coordenação motora e a autoestima, combatendo a timidez. Além disso, a criança aprende a se relacionar melhor e a trabalhar em grupo, reforça o interesse pela leitura e literatura, controla suas emoções e estimula a capacidade criativa.

A iniciação musical feita desde criança também traz diversos benefícios de ordens física, mental e emocional. Além da aquisição de uma nova habilidade lúdica, os benefícios da prática do canto incluem melhoria da respiração e da dicção, estimula habilidades mentais como memória e raciocínio lógico, colabora na socialização e desenvolvimento de disciplina e concentração e ajuda na diminuição da ansiedade e do stress.

Teatro Popular de Ilhéus (TPI) – É uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA) com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.

Pawlo Cidade: “Romualdo poderia ter preparado um espetáculo sobre a época de Jabes”

Jabes Ribeiro é um ponto de inflexão entre Pawlo e Romualdo. Composição de imagens BG.

Perguntado sobre o novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, baseado nas trapalhadas do governo Marão, o secretário municipal de cultura, Pawlo Cidade, disse que “a arte é livre. Nunca deve haver censura a uma arte. Ela tem a liberdade de expressão garantida”.

Após ressaltar o aspecto libertário, Pawlo Cidade disse ao BG que o dramaturgo Romualdo Lisboa poderia ter preparado um espetáculo sobre o período em que Ilhéus foi governada por Jabes Ribeiro. “Eu dei um livro a ele, O Santo de Mármore”.

A obra mencionada pelo secretário foi escrita pelo próprio. Remete a uma greve de professores do Instituto Municipal de Ensino (IME), em 1987, quando Jabes Ribeiro exerceu seu primeiro mandato como prefeito de Ilhéus.

No movimento, três professores chegaram a fazer greve de fome, após serem perseguidos e exonerados por Jabes.

Pawlo Cidade deu a entender que o seu livro não sensibilizou Romualdo a preparar uma peça inspirada no principal político ilheense dos últimos quarenta anos. Os governos dos ex-prefeitos Valderico Reis, Newton Lima e o atual, de Mário Alexandre, inspiraram o TPI a produzir peças teatrais, os de Jabes até agora, não.

Comentário do blog.

O livro “O Homem que Amava os Cachorros”, do escritor cubano Leonardo Padura, relata um diálogo entre o revolucionário comunista León Trotsky e o poeta André Breton, no México, quando o primeiro, herói da revolução russa de 1917, vivia um triste exilio após ser expulso pelo ditador soviético Josef Stálin.

No diálogo os dois divergem sobre arte e liberdade. Trotsky , criador do exército vermelho, não admite obstáculos para a criação artística. Breton, também comunista, afirma que a revolução proletária pode impor limites.

Por mais que não esteja submetida aos princípios da razão, a arte no mundo capitalista está sujeita aos interesses e às preferências.

Este comentário não pretende deixar um juízo de valor nas entrelinhas. Trata-se apenas de uma reflexão.

Exclusivo. TPI prepara espetáculo inspirado nas trapalhadas do governo Marão

Marão vai inspirar personagem do TPI, assim como Valderico Reis inspirou Teodorico Majestade e Newton Lima gerou Gilton Munheca. Fotos: arquivo do BG.

Depois do inesquecível Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, e de O Inspetor Geral – sai o prefeito entra o vice, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) prepara um espetáculo com sátiras inspiradas no governo do prefeito Mário Alexandre.

Os dois primeiros, com textos da literatura de cordel, trataram com bom humor as maluquices dos governos Valderico Reis e Newton Lima, respectivamente. Agora chegou a vez de Marão, figura política notadamente caricata, inspirar um personagem do respeitado diretor Romualdo Lisboa.

O BG apurou que o texto não está finalizado. A intenção do grupo é criar uma ficção com o romancista Jorge Amado no papel de narrador da trama.  A expectativa é de que a nova peça fique pronta para estreia em março deste ano.

Teodorico Majestade ajudou a opinião pública de Ilhéus a exigir a cassação de Valderico Reis em 2007. O espetáculo recebeu duas indicações ao Prêmio Brasken de Teatro 2008 (melhor texto – Romualdo Lisboa e melhor ator – Ely Izidro), foi selecionado nos festivais de Curitiba, Recife, São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro, e encerrou a Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, em São Paulo.

O Inspetor Geral foi exibido nas principais capitais do país, reinaugurou o Teatro Princesa Isabel (em Copacabana, no Rio de Janeiro), ficou quatro meses em cartaz em São Paulo-SP e foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro em 2012.

AUTO DE NATAL ENCANTA PÚBLICO E REVELA NOVOS TALENTOS DE BUERAREMA

Foto: Ascom Prefeitura de Buerarema.

O espetáculo teatral O Bonequeiro Vitalino foi a principal atração do Natal Cultural 2018, realizado por meio de parceria entre a Casa de Cultura Jonas e Pilar e a Prefeitura de Buerarema. O auto de Natal em forma de cordel foi apresentado de 21 a 23 de dezembro na Praça Domingos Cabral.

O Bonequeiro Vitalino é uma criação coletiva a partir de uma oficina com o grupo de teatro do SESC (1977), na época coordenado por Jurema Penna. A montagem atual, dirigida por Anderson Andhy, é feita pelos integrantes do grupo A Tribo, que há mais de quinze anos trabalham em Buerarema e em cidades da região com um repertório constituído principalmente de peças do teatro popular.

O espetáculo fez rir, emocionou e levou uma mensagem natalina para uma grande plateia. Teve a participação dos mais novos membros da Tribo, os alunos do curso de teatro infanto-juvenil .

A Casa de Cultura Jonas e Pilar oferece atualmente oficinas de formação, criação e difusão de inúmeros espetáculos e manifestações artísticas. Vai contemplar até 2020, cerca de 5 mil pessoas de todas as faixas etárias, com apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, por meio do Fundo de Cultura.

O GRANDE YORICK SERÁ APRESENTADO NESTA SEXTA-FEIRA NA TENDA TPI

Foto: Ascom/TPI.

Após a estreia durante a 3ª edição do Festival de Teatro do Interior da Bahia, em Camaçari, O Grande Yorick , da Trupe Teatro Sem Fim, se apresenta em Ilhéus nesta sexta-feira, 16, às 20h na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes.

A montagem concorre com outros 12 espetáculos à indicação ao prêmio Braskem (Oscar do Teatro Baiano) na categoria “Melhor espetáculo do interior”.

Com direção de Ed Paixão, o espetáculo tem no elenco a atriz Geisa Pena e os atores Ed Paixão e Maurício Lima, além da Trilha Sonora de Luan Borba e composições de Cabeça Isidoro e Luan Borba.

Em Camaçari, O Grande Yorick foi aplaudido de pé por todos os espectadores do “Teatro Cidade do Saber” que se emocionaram com a história de Wiliam Chagas, ator que luta para não se submeter às convenções da sociedade atual. Os ingressos custam R$10,00 (meia) e R$20,00 (Inteira) e podem ser adquiridos na Bilheteria da Tenda.

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS ESTREIA ESPETÁCULO “UMA CERTA MÃE CORAGEM”

Imagem: Ascom/TPI.

Uma Certa Mãe Coragem, novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, estreia no primeiro fim de semana de outubro, na Tenda TPI.

Com texto de Paulo Atto e direção de Romualdo Lisboa, a peça inspirada na obra Mãe Coragem e seus filhos, de B. Brecht, está sendo preparada há mais de um ano. No elenco Ely Izidro, Tânia Barbosa, Takaro Victor, Franklin Costa, Pedro Albuquerque, Aldenor Garcia, Maria Cândida, Pablo Lisboa, Genícia Barbosa e Laiane Vitória dão vida às personagens desta história passada na guerra dos trinta anos, na Europa.

A montagem conta a trajetória de Anna Fierling, uma vivandeira apelidada de Mãe Coragem que acompanha o exército sueco com sua carroça e vive os horrores da guerra que a faz lucrar.

O novo trabalho é a segunda parte da Trilogia da Guerra, iniciada em 2017 com “Os fuzis da Senhora Carrar”. Romualdo explica que “o grupo segue a pesquisa em torno do Teatro Épico do poeta e dramaturgo alemão Bertold Brecht. Isso faz com que a gente tenha mergulhado no universo de três obras com temáticas semelhantes envolvendo a guerra: Os fuzis da Senhora Carrar, Mãe Coragem e seus filhos e A Santa Joana dos Matadouros. Estamos trabalhando muito para trazer uma nova montagem com a marca do Teatro Popular de Ilhéus”.

(mais…)

ILHÉUS RECEBE A COMÉDIA “CHEGANDO JUNTO”

Imagem: SECOM/ILHÉUS
Imagem: SECOM/ILHÉUS

No próximo dia 8 de junho, a partir das 20 horas, o Teatro Municipal de Ilhéus recebe a comédia “Chegando Junto”, o espetáculo é do humorista Miguel Marques sob a direção do comediante Maurício Manfrini (Paulinho Gogó).

O ingresso pode ser adquirido na bilheteria do teatro ao preço de R$ 40,00 (inteira) e R$20,00 (meia-entrada).

ESPETÁCULO DE TEATRO ACONTECE HOJE EM ILHÉUS

Teatro Popular de Ilhéus. Imagem: Clóvis Lunardi.
Teatro Popular de Ilhéus. Imagem: Clóvis Lunardi.

Neste sábado (27) ás 20 horas, estréia “Os fuzis da senhora Carrar”. A produção é do Grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e vai acontecer na Tenda (espaço cultural localizado na Avenida Soares Lopes).

O espetáculo conta a história de Teresa Carrar, uma mãe que tenta manter a integridade dos filhos em meio à guerra civil espanhola.

Os ingressos para a estreia podem ser adquiridos, em horário comercial, na Papirus Livraria (Shopping It’art) e na bilheteria da Tenda a partir das 19 horas do sábado.

500 MIL PARA O TEATRO MUNICIPAL

TMI.
TMI.

O Teatro Municipal de Ilhéus será contemplado com uma reforma que custará 500 mil reais.

Os recursos sairão de emenda parlamentar do deputado federal Mário Negromonte (PP), parceiro político do prefeito Jabes Ribeiro.

Segundo o presidente da Fundação Cultural de Ilhéus (Fundaci), Paulo Atto, os recursos serão investidos na recuperação das vigas, na cobertura da casa de máquinas e no ar condicionado. As poltronas, camarins e o sistema de iluminação serão reformados. Novos equipamentos serão adquiridos para a área cênica, além da pintura, higienização e limpeza geral.

Comentário do blog.

Já não era tempo! Até que enfim Mário Negromonte faz algo por Ilhéus.

Falta divulgar o início da reforma.

GILTON MUNHECA CHAMA O PADRE DE “BOIOLA”

A cena vergonhosa do prefeito Newton Lima xingando um padre de “viado” (lembre aqui) virou comédia e foi parar na peça “O Inspetor Geral – sai prefeito e entra o vice”.

O espetáculo, aplaudido por platéias de várias cidades brasileiras, retorna a Ilhéus nesse fim de semana, sábado (09) e domingo (10), com duas apresentações no Teatro Municipal, às 20 horas.

A peça tem o texto de Romualdo Lisboa e conta, com humor e senso crítico, os bastidores da corrupção e da política na pequena cidade de Ilha Bela.

SESC TV GRAVA DOCUMENTÁRIO SOBRE O TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

À esquerda, o diretor do documentário, Amilcar Claro. À direita, os entrevistados, Romualdo Lisboa e Elielton Cabeça.

No último sábado (14), uma equipe de técnicos da SESC TV, emissora de televisão do Serviço Social do Comércio de São Paulo (SESC-SP), esteve na Casa dos Artistas para gravar um documentário da série “Teatro e Circunstância” sobre o Teatro Popular de Ilhéus. 

Comandada por Amilcar Claro (diretor) e por Sebastião Milaré (crítico de teatro e roteirista), a equipe produziu e gravou entrevistas com Romualdo Lisboa (diretor do TPI), Elielton Cabeça (músico e ator), Ely Izidro e Tânia Barbosa (atores). Os quatro integrantes falaram da trajetória do grupo, desde a fundação em 1995, por Équio Reis, até os dias atuais.

Antes da gravação, iniciada às 15h30min, Sebastião Milaré explicou o seu encantamento com Teatro Popular de Ilhéus: “o primeiro espetáculo que eu vi, do grupo, foi Teodorico Majestade. Para mim, é um espetáculo de uma qualidade estética incomum, muito especial. É um teatro que trabalha o cordel de uma maneira muito bonita e particular. Depois, eu vi o Inspetor Geral e essas qualidades foram confirmadas. O Teatro Popular de Ilhéus faz um diálogo permanente com sua cidade e seu povo, sem baratear, sem fazer gracinha. Na verdade, o TPI eleva esse diálogo ao nível de arte, buscando uma grande literatura. Esse é um caminho extraordinário”.

(mais…)

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS INDICADO AO PRÊMIO SHELL

Cena de "O Inspetor Geral".

O Teatro Popular de Ilhéus continua encantando o Brasil. Dessa vez chegou mais longe ainda e está concorrendo  na Categoria Especial da 24ª edição do Prêmio Shell 2012, com a sátira em cordel “O Inspetor Geral”. A peça tem texto e direção de Romualdo Lisboa.

Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros. 

Os vencedores de cada categoria recebem troféu e uma premiação individual de R$ 8 mil. O reconhecimento é oferecido aos maiores destaques da temporada teatral, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

TPI: DA AVENIDA PAULISTA AOS ASSENTAMENTOS DO SUL DA BAHIA

De Sampa para os assentamentos da região.

Os artistas do Teatro Popular de Ilhéus não podem reclamar de 2011. O trabalho criativo, levado a sério, sempre árduo, rendeu excelentes resultados.

Em maio, a participação do TPI na VI Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, com Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito, propiciou críticas muito positivas de Sebastião Milaré e do colombiano José Assad, dois renomados estudiosos do teatro brasileiro e latino-americano. No dia 1º, o público que esteve presente na sala Jardel Filho, do Centro Cultural São Paulo, não economizou aplausos ao grupo ilheense.

Após a Mostra, o TPI fez duas temporadas exitosas em São Paulo, do novo espetáculo, O Inspetor Geral – Sai o prefeito entra o vice (continuação de Teodorico Majestade), nos SESI’s Mário Amato e Vila das Mercês.

A recepção da nova peça, de estética inspirada no Movimento Armorial de Ariano Suassuna, música do cancioneiro popular nordestino e texto escrito em cordel, surpreendeu o crítico Sebastião Milaré. Entusiasmado, ele incluiu o grupo na série de documentários: Teatro & Circunstância Nacional, da SESC TV. O programa será gravado no dia 28 de novembro, e por enquanto, não tem data de exibição.

(mais…)