Teatro Popular de Ilhéus inicia fechamento definitivo do seu espaço cultural

Imagem: Larissa Paixão/Ascom-TPI.

O Teatro Popular de Ilhéus está fechando seu espaço cultural, a Tenda, localizada na Avenida Soares Lopes. Até o final desta semana, o TPI, que realiza suas atividades naquele local desde 2013, deve entregar seus dois containers onde funcionam a administração/bilheteria e os banheiros, e na semana seguinte deve ser efetuada a entrega da lona, encerrando assim o funcionamento da sua sede. Enquanto isso, a equipe está em busca de alternativa para a guarda de seus equipamentos.

O grupo enfrenta dificuldades financeiras desde o ano passado. Com a pandemia do Novo Coronavírus, teve que interromper suas atividades em 15 de março, deixando de contar com os recursos de bilheteria e venda de pautas. Além disso, o Teatro Popular de Ilhéus vem sofrendo com a descontinuidade dos repasses do Fundo de Cultura da Bahia, o que provocou 10 meses de atraso no pagamento do aluguel da lona e 9 meses dos containers, 4 meses sem pagamento de salários dos 15 trabalhadores e falta de pagamento das contas de água, telefone, internet e energia elétrica, que já foi interrompida duas vezes neste período.

Outro agravante é que o funcionamento da Tenda TPI, assim como de qualquer espaço cultural, demanda grande investimento em manutenção física e de equipamentos. Para piorar, a estrutura é situada à beira-mar, sujeita a sol, chuvas e fortes ventos, e o efeito da maresia nos equipamentos de som, luz e projeção, nos mastros, mastareis e paus-de-roda é devastador. Normalmente o grupo contaria com o recurso de bilheteria para pequenos investimentos. Este, nunca foi suficiente, o que já vinha tornando o espaço bastante deteriorado. A lona já deveria ter sido substituída, mas como isso até hoje não foi possível, a mesma se encontra em péssimo estado, o que inviabilizaria a reabertura da Tenda mesmo que a pandemia tivesse um fim agora.

Desde o início do ano, para tentar driblar essas dificuldades, o TPI lançou campanhas de apoio financeiro, como o “Passaporte TPI”, e o financiamento coletivo “Teatro Popular de Ilhéus + 25 anos”, na plataforma “Apoia.se”. Acontece que as campanhas obtiveram pouco engajamento, e o recurso arrecadado só foi suficiente para quitação de parte da dívida de energia elétrica e água. O grupo também buscou apoio da Prefeitura Municipal de Ilhéus. Através de Emenda Parlamentar, aprovada para o orçamento do exercício 2020, o Teatro Popular de Ilhéus poderia contar com um recurso fundamental para sua manutenção, mas, infelizmente esse apoio ainda não foi efetivado. (mais…)

TPI fará live da peça Teodorico Majestade nesta sexta-feira (07)

Teodorico Majestade está em cartaz há 14 anos, e foi criado pelo Teatro Popular de Ilhéus como uma forma de protesto contra a situação política da cidade de Ilhéus em 2006. Desde então, o espetáculo rodou o mundo, foi indicado a prêmios e agora ganhou uma versão 100% virtual para transmissão ao vivo durante a pandemia.

Se você ainda não assistiu “Teodorico Majestade: a última Live de um Prefeito”, garanta logo seu ingresso para essa sexta-feira! Após a apresentação teremos um bate-papo com Gordo Neto, ator e diretor premiado, e co-fundador do grupo Vilavox. Vamos conversar sobre Teatro de grupo na Bahia e as trocas do Vilavox com o Teatro Popular de Ilhéus, e sobre como o grupo residente do espaço cultural Casa Preta está se virando durante a pandemia. Os ingressos são limitados, corre! www.sympla.com.br/teatropopulardeilheus

Teatro Popular de Ilhéus realiza leitura on-line da Lei Aldir Blanc

Tranmissão acontecerá no Youtube.

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) realizará nesta segunda-feira (22), às 19h, uma leitura online coletiva da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

O objetivo é, através de uma leitura coletiva da Lei, levantar as principais questões que possam subsidiar o poder público na aplicação da mesma no município de Ilhéus. Os comentários serão feitos por Ely Izidro (ator e administrador) e pelo Dr. Fernando Hughes (advogado especialista em direito constitucional, administrativo e eleitoral).

A dinâmica será a seguinte: leitura da Lei – 30 minutos; comentários de Ely Izidro e Fernando Hughes – 10 minutos; leitura das possíveis questões realizadas pelo público – 10 minutos; considerações sobre as questões suscitadas – 10 minutos.

Para participar da leitura, inscreva-se através do link bit.ly/LeiTPI. O encontro acontecerá via Google Meet, e também será transmitido ao vivo no canal do Teatro Popular de Ilhéus no YouTube – youtube.com/teatropopulardeilheus.

TPI é aprovado no setorial de teatro com segunda edição do “Shakespeare no Sertão”

Foto: Ascom/TPI.

Após tantas dificuldades causadas pelo isolamento social da quarentena e pela tensão com o crescimento nos casos de Covid-19 em nossa cidade, finalmente acordamos com uma grande boa notícia. Na manhã desta sexta-feira (24), foi publicada pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia a lista de projetos aprovados na Análise de Mérito dos Editais Setoriais 2019. O Teatro Popular de Ilhéus foi um dos contemplados pelo setorial de Teatro, através do qual realizará a circulação da segunda edição do projeto “Shakespeare no Sertão” com o espetáculo “Sonho de uma noite de verão”.

Em 2017, o grupo circulou por diversas cidades baianas com o projeto através do edital setorial daquele ano, quando então exibia a comédia “Medida por Medida”, da obra homônima de William Shakespeare e dirigida por Romualdo Lisboa. O projeto percorreu cerca de 1500 quilômetros, se apresentando em seis cidades do sertão da Bahia: Ipirá, Pintadas, Capim Grosso, Euclides da Cunha, Canudos e Uauá. No ano seguinte, foi contemplado pelo Programa Petrobrás distribuidora de Cultura, quando circulou nos estados de Alagoas e Sergipe, nos municípios de Maceió, Arapiraca, Aracaju e Lagarto.

Na nova edição do projeto, além das seis cidades baianas por onde circulou em 2017, o projeto chegará também aos municípios de Conceição do Coité e Serrinha. Serão quase 2 mil quilômetros de estrada percorridos desde Ilhéus até Uauá e retorno, com oito apresentações para um público estimado de 10 mil pessoas. O projeto tem como proponente o produtor do grupo Rogério Matos, e está previsto para ser executado em outubro de 2020, circulando em seu palco rodante, estrutura móvel desenvolvida pelo arquiteto e urbanista alemão Carl von Hauenschild, que é instalado, conforme prevê o projeto, sempre em praças públicas. Quando desmontado, ele é transportado através do uso de reboque por um veículo maior. O grupo apresentará a montagem “Sonho de uma noite de verão”, da obra homônima de William Shakespeare, e ainda realizará intercâmbios com grupos e artistas de cada cidade. (mais…)

“Palito e Botijão” estreia na praça do Teatro Municipal de Ilhéus nesta quinta-feira

Espetáculo estreia nesta quinta-feira, 13.

Nesta quinta-feira (13,) estreia na praça em frente ao Teatro Municipal de Ilhéus, às 17 horas a peça “Palito e Botijão – Os Reis da Rua”, espetáculo de palhaços com estrutura de rua. E no dia, 12, um dia anterior, acontecerá a pré-estreia do trabalho na Associação Centro Educacional de Ação (ACEAI), no Nossa Senhora da Vitória, também no mesmo horário.

A peça nasce da parceria dos atores clowns, Ed Paixão (Trupe Teatro Sem Fim), e Gilberto Morais (Cia. de Teatro Mistura), veteranos na arte local, que através de um processo de pesquisa de imersão e aprofundamento do jogo clássico entre o Branco e o Augusto, o inteligente e o atrapalhado, trazem para a cena, um espetáculo com o humor nosense da década de 20, do século passado, com gags e reprises inspiradas na famosa dupla “O Gordo e o Magro” com toda uma contextualização para os dias atuais, bebendo muito da identidade local da terra do cacau.

O Branco e o Augusto são dois arquétipos importantes para o universo teatral e circense. O primeiro é inteligente, harmônico, gracioso e belo (O gordo). Ele é tido como a voz daquilo que se deve fazer, daquilo que a sociedade reconhece. O segundo, é a criança e o animal que não sucumbe ao “status quo” e que se rebela ao ver a perfeição (O magro). Esta relação, no entanto, não é como o bem e o mal ou o ying e yang, e sim uma relação dialética, onde a autoridade é sempre questionada. O patrão é o Branco e o proletário é o Augusto. A função social do clown está inserida numa discussão de tese e antítese, pois ele denuncia as angústias e as debilidades da sociedade em que está inserido, como explicito numa cena do filme do Gordo e o Magro, onde eles carregam uma arma de destruição em massa dentro de uma mala de couro, exemplificando a racionalização do mal e a banalidade da guerra. (mais…)

“A Travessia do Grão Profundo”, de Paulo Atto, se apresenta neste fim de semana na Tenda

A Travessia do Grão Profundo, novo espetáculo do dramaturgo e diretor teatral baiano Paulo Atto.

A Travessia do Grão Profundo, novo espetáculo do dramaturgo e diretor teatral baiano Paulo Atto, fará duas apresentações neste final de semana em Ilhéus. O espetáculo acaba de encerrar uma temporada em Salvador no mês de novembro e foi muito bem recebida pelo público e pela imprensa da capital. Agora se apresenta na Tenda Teatro Popular de Ilhéus dias 13 e 14 de dezembro (sexta e sábado), às 20 horas.

Com duração de 70 minutos, a peça conta a história de Zinho, um jovem que sai em busca de seu pai através da caatinga, que migrou abandonando a família. Atto assina o texto e a direção e o ator Marcos de Assis assume o papel do personagem principal. “A Travessia do grão profundo reflete também sobre nossa cultura e sua diversidade ao contar histórias sobre os modos de ser do sertão, seus hábitos, falares e personagens cômicos e únicos”, explica o diretor Paulo Atto.

A busca de Zinho termina por levá-lo a manter contato com um sertão profundo, muito ligado às raízes e ao imaginário de sua gente, a mergulhar na sonoridade sertaneja, na religiosidade, na prosa particular com seu rico vocabulário e a maneira de reconstruir os mitos do sertão através de personagens tragicômicos.

Um dos destaques da obra vai para a trilha sonora do espetáculo, feita com exclusividade por Luciano Salvador Bahia e J. Velloso. Luciano assina a direção musical e a trilha possui composições de Jota Veloso em parceria com ele. Também na trilha sonora há ainda as participações de Celo Costa, Evelin Bucheger, Ângelo Rafael Fonseca e o Coral Ecumênio da Bahia (Coro masculino) e o próprio J. Velloso que canta o Aboio final. Outro ponto alto são os figurinos de Schicó do Mamulengo, artista potiguar que reside atualmente em Ilhéus. (mais…)

Teatro Popular de Ilhéus leva espetáculos para a Alemanha

O grupo participa do Sommerwerft Theater Fetival, que vai até 04 de agosto. Foto: Ascom-TPI.

Desde o dia 19 de julho acontece na cidade alemã de Frankfurt o “Sommerweft Theater Festival” – algo como “Festival Teatral de Verão” –, e o Teatro Popular de Ilhéus está marcando presença com 11 integrantes do grupo, levando espetáculos, oficinas e experiências para as terras europeias. Em seus 24 anos de história a companhia já viajou para diversas cidades do Brasil e da América Latina, mas pisa pela primeira vez em outro continente. O evento alemão se estende até o dia 04 de agosto, e está recebendo companhias do mundo inteiro.

O convite para a participação no evento foi feito pelo grupo alemão “Antagon Theater AKTion”, que é responsável pela organização do festival. Para participar do evento, o TPI necessitou realizar uma campanha de arrecadação para arcar com as despesas da viagem, que levou atores, diretores e técnicos, além de figurinos, cenários e equipamentos necessários para as apresentações. O grupo partiu de Ilhéus em direção a Salvador no dia 16 de julho, onde pegou um avião com destino a Roma e com escala na África. Em seguida a equipe ainda se deslocou de trem por dentro da Europa até alcançar seu destino final.

A participação do TPI no festival começou com nada menos que a abertura oficial do evento, no qual o grupo apresentou o consagrado espetáculo “Teodorico Majestade: as últimas horas de um prefeito”. Em cartaz há 13 anos, a montagem ganhou novos elementos, que incluiu uma banda composta por Isidoro Cabeça (o Cancioneiro – voz e violão), Pablo Lisboa (violão), Antônio Melo (acordeom) e Gilberto Morais (zambumba). Além disso, o espetáculo, escrito e dirigido por Romualdo Lisboa e interpretado por Ely Izidro, Tânia Barbosa, Aldenor Garcia e Takaro Vítor, também teve a adição de ilustrações de Shicó do Mamulengo com frases de resistência pelas vidas negras e em homenagem a importantes figuras do nosso tempo, como Marielle, Jean Wyllys e Lula.

Outro espetáculo que também foi em cena nas terras alemãs é a mais nova montagem do TPI, “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel ou às vezes tem briga que termina em merda” – um espetáculo de mamolengos contra o discurso de ódio e a violência. Estreado no dia 1º de junho, a obra escrita e dirigida por Romualdo Lisboa se apresentou no festival neste sábado (27). O elenco composto por Shicó do Mamulengo, Tânia Barbosa, Gilberto Morais e Ely Izidro dá vida a 10 bonecos, com trilha sonora executada ao vivo por Antônio Melo, Pablo Lisboa e Cabeça Isidoro. O cenário, que não pôde ser transportado, foi remontado no local por Romualdo e Shicó. Além do cenário físico, há também um cenário virtual em projeção mapeada criado por Hermilo Menezes, que também compõe a equipe técnica da viagem.

(mais…)

TPI apresenta espetáculo de mamulengos neste fim de semana

Cena de “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel”. Foto: Kelson Souza.

Após uma estreia de sucesso ocorrida no último sábado , 01, a Tenda Teatro Popular de Ilhéus apresenta neste final de semana, dias 07 e 08 de junho (sexta e sábado), às 20 horas, seu mais novo espetáculo, intitulado “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel ou às vezes tem briga que termina em merda”. A montagem é um teatro de mamulengos inspirado nos mamulengueiros do nordeste do Brasil e no trabalho de Shicó do Mamulengo, que é bonequeiro, cenarista e ator, recém-chegado à equipe do TPI.

A obra conta a história de Baltazar, um trabalhador muito astuto que descobre por acaso o ataque do Cangaceiro mais temido do sertão, João Valente, à sua cidade para cobrar vingança do Coronel João Redondo. O Coronel é pai de Minelvina, por quem Baltazar se desmancha de amores. Com a ajuda do amigo Benedito, Baltazar, medroso de corpo e alma, vai pôr em prática suas artimanhas para salvar a vida do Coronel e cair nas graças de Minelvina e provando que “a violência não é nada diante da inteligência”. (mais…)

Novo espetáculo do TPI estreia no sábado

Nova montagem do TPI traz bonecos de mamulengo.

No próximo sábado, dia 1º de junho, estreia o mais novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, intitulado “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel ou às vezes tem briga que termina em merda”. A montagem, escrita e dirigida por Romualdo Lisboa, é um teatro de bonecos inspirado nos mamulengueiros do nordeste do Brasil.

A obra conta a história de Baltazar, um trabalhador muito astuto que descobre por acaso o ataque do Cangaceiro mais temido do sertão, João Valente, à cidade para cobrar vingança do Coronel João Redondo. O Coronel é pai de Minelvina, por quem Baltazar se desmancha de amores. Com a ajuda do amigo Benedito, Baltazar, medroso de corpo e alma, vai pôr em prática suas artimanhas para salvar a vida do Coronel e cair nas graças de Minelvina.

Os atores Tânia Barbosa, Ely Isidro, Gilberto Morais e Shicó do Mamulengo dão voz e vida aos 10 personagens, cuja história se passa em um cenário físico montado em palitos de picolé e um cenário virtual feito em projeção mapeada. Com o mote de que “a violência não é nada diante da inteligência”, o espetáculo tem direção musical de Antônio Melo e cenários, bonecos e figurinos de Shicó do Mamulengo, que é bonequeiro, cenarista e ator, recém cegado à equipe do TPI.

No mesmo dia, a partir das 18h30, a Tenda receberá ainda diversas atrações especiais agregadas ao evento, incluindo a II Feirinha Popular de Produtos Regionais, que trará expositores locais de artesanato, moda, cosméticos e gastronomia. A Feira permanecerá montada até o final do da noite. Além disso, haverá ainda performances do grupo de palhaçaria feminina “As Madalenas” e dos grupos de drag queens “Coletivo ArtDrag Sul Bahia” e “As Drags do Maktub”.

Uma exposição de figurinos também será realizada como resultado do Curso de Figurinos e Adereços do TPI, dirigido por Shicó do Mamulengo em parceria com o ACEAI. As atrações ocorrerão em frente à Tenda, abertas ao público.

A estreia do espetáculo acontecerá às 20 horas, depois das atrações da Feira, e tem classificação indicativa de 10 anos. Os ingressos, que são limitados, já estão à venda, podendo ser adquiridos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) na Livraria Papirus, parceira do grupo, na própria Tenda ou ainda online, no site do TPI: www.teatropopulardeilheus.com.br. As próximas apresentações já têm data marcada, e acontecerão nos dias 07, 08 e 14 de junho.

(mais…)

Estudantes de Teatro do CEEP do Chocolate em Ilhéus são aprovados na UFSB

Estudantes do CEEP do Chocolate em cena. Foto: Daniel Thame.

Seis estudantes do Curso Técnico de Teatro do Centro Estadual de Educação Profissional do Chocolate Nelson Schaun, em Ilhéus, foram aprovados para o curso de Artes da Universidade Federal do Sul da Bahia-UFSB, no campus Jorge Amado, em Itabuna. Amanda Cardoso,  Andreina Tainá Guerra Félix Mendes, Ingrid Santos, Natália Santos,  Mariana Andrade e  Raromine Lopes fazem parte da primeira turma de Teatro do CEEP Ilhéus, que colou grau no mês de março, e estão iniciando a carreira universitária neste semestre.

A professora Valdiná Guerra Félix, Articuladora do Curso Técnico de Teatro, destaca que “a aprovação dos estudantes na UFSB tem um grande significado para nós, porque reflete o trabalho realizado em três anos, valorizando teoria e prática na atividade artística”. “Além disso, eles estarão dando continuidade ao processo de formação profissional e acadêmica. A existência do curso Técnico em Teatro despertou novos horizontes para os alunos do CEEP”, disse.

A estudante Natalia Santos comemora o acesso à universidade: “abri mão da aprovação em Direito, para realizar o meu sonho que é cursar Artes, a carreira que escolhi seguir. Estou muito feliz e agradeço ao CEEP do Chocolate pela formação que me possibilitou  o acesso à Universidade Federal do Sul da Bahia”.

Foto: Daniel Thame.

Além da formação básica e da valorização da cidadania, o curso também forma os alunos para assumirem  funções técnicas dentro do teatro como cenotécnica, iluminação, sonoplastia, fotografia cênica, maquiagem, figurino, direção, dramaturgia e atuação.

Cerca de 50 estudantes fazem o curso técnico de nível médio em Teatro no CEEP Chocolate Nelson Schaun, que também oferece os cursos técnicos de nível médio em Agroindústria, Análises Clínicas, Eletromecânica, Guia de Turismo, Hospedagem e Logística.

Reportagem: Daniel Thame/Secom-BA.

Ilhéus recebe espetáculo inspirado nos poemas de Mário Quintana

Mário Quintana.

No dia 17 de abril, quarta-feira, o Teatro Municipal de Ilhéus vai ser o palco do Crianceiras. O espetáculo mistura linguagens cênicas e musicais com obras de grandes poetas brasileiros. Com dois álbuns lançados e sete anos na estrada, o grupo homenageou o poeta Manoel de Barros no primeiro trabalho. O atual é inspirado na poesia de Mário Quintana.

Além de dar forma musical aos poemas de Quintana, a apresentação traz ao palco elementos do teatro de papel e de brinquedo, com cenografia do designer e artista plástico Carlo Giovani.

A Villa Verde produz a apresentação em Ilhéus. De acordo com a direção da escola, a dinâmica lúdica do espetáculo aproxima a poesia do universo infantil. No enredo, o personagem vive numa pequena cidade, que, com o tempo, passa a ser habitada por pessoas e formas de viver de outros lugares. É assim que a diversidade da existência – suas cores, valores e sons – desvela-se para o artista e a plateia. Em cena, a presença dos outros, do novo e a celebração da multiplicidade são alegorias da chegada da primavera e do próprio movimento da vida.

A equipe da escola usa poemas musicados pelo Crianceiras nas suas atividades. Por isso, no ano passado, quando a trupe se apresentou em Salvador, a Villa Verde levou suas turmas para assistir ao espetáculo. Dessa vez, o colégio aproveitou a nova vinda do grupo à Bahia e conseguiu um espaço para Ilhéus na turnê.

O teatro da cidade vai receber duas sessões (10 e 16 horas). O ingresso custa oitenta reais. Crianças, estudantes, educadores e idosos têm direito à meia entrada. Os ingressos podem ser comprados na secretaria da Villa Verde, que fica na avenida Vereador Marcus Paiva, no bairro Cidade Nova.

Segundo a direção do colégio, representantes de outras escolas interessados em levar seus alunos ao espetáculo vão ter acesso a pacotes com preços especiais. Basta combinar por meio do telefone (73) 3634-2487.

Indicada ao Braskem, O Grande Yorick tem apresentação única no TMI nesta sexta

Imagem do espetáculo O Grande Yorick. Foto; Ascom.

O espetáculo O Grande Yorick indicado ao prêmio Braskem de Teatro, com texto e direção de Ed Paixão, entra em cartaz no Teatro Municipal de Ilhéus, com única apresentação em comemoração ao mês do Teatro e do Circo, no dia 29 de março às 20 horas.

“O Grande Yorick” conta a história de Willian Chagas, um apaixonado ator de teatro, que abraça o mundo como um “Quixote” sonhador em busca de aventuras fora do cotidiano, da realidade imposta pela sociedade, mas no decorrer de suas peripécias vai amargando o dessabor e a cruel falta de empatia dos seres humanos para com a dor alheia e surta em meio ao caos. Inspirado na belíssima e sensível obra de Miguel de Cervantes, Dom Quixote, e na filosófica e vingativa obra de Willian Shakespeare, Hamlet, nasce a montagem da Trupe Teatro Sem Fim que acontece nos tempos atuais.

Os atores trazem à vida uma obra literária que bebe e homenageia o teatro clássico com todos os seus anjos e demônios expostos. A construção das personagens, a transformação numa outra pessoa é uma das formas arquetípicas da expressão humana e o teatro é tão velho, quanto a humanidade. Com uma trilha sonora executada ao vivo pelo músico Luan Borba e com músicas cantadas sem microfone pelo elenco, a peça mostra a força do ritual da oralidade e o teatro como uma vela, consumindo a si mesmo no próprio ato de conceber a luz, e que no final vive na memória do público presente.

“O espetáculo me deixou muito extasiada. Sou atriz, faço teatro há muito anos e já vi muitas outras peças, mas essa é uma daquelas que fica marcada na memória, pela coragem, criatividade, dramaturgia e sintonia do elenco. A indicação ao prêmio Braskem de Teatro é muito merecida, pois é um espetáculo que compete em pé de igualdade com qualquer produção técnica da capital”, ressalta Aline Mota, atriz que assistiu a apresentação do espetáculo em Camaçari durante o 3º Festival de Teatro do Interior da Bahia.

Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na Livraria Papirus pelos valores de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

Teatro Popular de Ilhéus oferece curso de teatro e canto

Foto: Ascom/TPI.

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) vai oferecer aulas de teatro e canto a partir de 11 de março, nas segundas e terças-feiras, sempre das 16h às 17h30, na tenda instalada na Avenida Soares Lopes.

As atividades são destinadas a crianças e adolescentes, de 8 a 14 anos. As inscrições estão abertas até o dia 08 de março, diretamente no TPI, de segunda a sexta, das 14h às 18h. É necessário xerox do RG da criança e do RG do responsável.

O Curso de Teatro e Canto do TPI é ministrado por Tânia Barbosa (atriz e diretora teatral) e Antônio Melo (regente musical), e vai trabalhar com os alunos, de forma divertida e construtiva, práticas dramáticas, jogos teatrais, exercícios vocais e práticas musicais em grupo.

Serão apenas 20 vagas, e o investimento no curso é de R$ 120,00 mensais, podendo ainda ser pago em uma única parcela com 10% de desconto. Haverá ainda matrícula social de 20% das vagas com bolsa integral destinadas a crianças matriculadas na rede pública de ensino e cujo responsável seja portador de CadÚnico atualizado.

Foto: Ascom/SECULTBA.

A ideia é desenvolver e estimular as capacidades de expressão, socialização, espontaneidade, imaginação, observação e percepção.

A prática do teatro na infância é ideal para ajudar a criança a desenvolver a expressão verbal e corporal. A aula também contribui para o desenvolvimento mental e emocional, estimula a memória, a atenção e a concentração, melhora a dicção, a coordenação motora e a autoestima, combatendo a timidez. Além disso, a criança aprende a se relacionar melhor e a trabalhar em grupo, reforça o interesse pela leitura e literatura, controla suas emoções e estimula a capacidade criativa.

A iniciação musical feita desde criança também traz diversos benefícios de ordens física, mental e emocional. Além da aquisição de uma nova habilidade lúdica, os benefícios da prática do canto incluem melhoria da respiração e da dicção, estimula habilidades mentais como memória e raciocínio lógico, colabora na socialização e desenvolvimento de disciplina e concentração e ajuda na diminuição da ansiedade e do stress.

Teatro Popular de Ilhéus (TPI) – É uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA) com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.

Pawlo Cidade: “Romualdo poderia ter preparado um espetáculo sobre a época de Jabes”

Jabes Ribeiro é um ponto de inflexão entre Pawlo e Romualdo. Composição de imagens BG.

Perguntado sobre o novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, baseado nas trapalhadas do governo Marão, o secretário municipal de cultura, Pawlo Cidade, disse que “a arte é livre. Nunca deve haver censura a uma arte. Ela tem a liberdade de expressão garantida”.

Após ressaltar o aspecto libertário, Pawlo Cidade disse ao BG que o dramaturgo Romualdo Lisboa poderia ter preparado um espetáculo sobre o período em que Ilhéus foi governada por Jabes Ribeiro. “Eu dei um livro a ele, O Santo de Mármore”.

A obra mencionada pelo secretário foi escrita pelo próprio. Remete a uma greve de professores do Instituto Municipal de Ensino (IME), em 1987, quando Jabes Ribeiro exerceu seu primeiro mandato como prefeito de Ilhéus.

No movimento, três professores chegaram a fazer greve de fome, após serem perseguidos e exonerados por Jabes.

Pawlo Cidade deu a entender que o seu livro não sensibilizou Romualdo a preparar uma peça inspirada no principal político ilheense dos últimos quarenta anos. Os governos dos ex-prefeitos Valderico Reis, Newton Lima e o atual, de Mário Alexandre, inspiraram o TPI a produzir peças teatrais, os de Jabes até agora, não.

Comentário do blog.

O livro “O Homem que Amava os Cachorros”, do escritor cubano Leonardo Padura, relata um diálogo entre o revolucionário comunista León Trotsky e o poeta André Breton, no México, quando o primeiro, herói da revolução russa de 1917, vivia um triste exilio após ser expulso pelo ditador soviético Josef Stálin.

No diálogo os dois divergem sobre arte e liberdade. Trotsky , criador do exército vermelho, não admite obstáculos para a criação artística. Breton, também comunista, afirma que a revolução proletária pode impor limites.

Por mais que não esteja submetida aos princípios da razão, a arte no mundo capitalista está sujeita aos interesses e às preferências.

Este comentário não pretende deixar um juízo de valor nas entrelinhas. Trata-se apenas de uma reflexão.

Exclusivo. TPI prepara espetáculo inspirado nas trapalhadas do governo Marão

Marão vai inspirar personagem do TPI, assim como Valderico Reis inspirou Teodorico Majestade e Newton Lima gerou Gilton Munheca. Fotos: arquivo do BG.

Depois do inesquecível Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, e de O Inspetor Geral – sai o prefeito entra o vice, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) prepara um espetáculo com sátiras inspiradas no governo do prefeito Mário Alexandre.

Os dois primeiros, com textos da literatura de cordel, trataram com bom humor as maluquices dos governos Valderico Reis e Newton Lima, respectivamente. Agora chegou a vez de Marão, figura política notadamente caricata, inspirar um personagem do respeitado diretor Romualdo Lisboa.

O BG apurou que o texto não está finalizado. A intenção do grupo é criar uma ficção com o romancista Jorge Amado no papel de narrador da trama.  A expectativa é de que a nova peça fique pronta para estreia em março deste ano.

Teodorico Majestade ajudou a opinião pública de Ilhéus a exigir a cassação de Valderico Reis em 2007. O espetáculo recebeu duas indicações ao Prêmio Brasken de Teatro 2008 (melhor texto – Romualdo Lisboa e melhor ator – Ely Izidro), foi selecionado nos festivais de Curitiba, Recife, São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro, e encerrou a Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, em São Paulo.

O Inspetor Geral foi exibido nas principais capitais do país, reinaugurou o Teatro Princesa Isabel (em Copacabana, no Rio de Janeiro), ficou quatro meses em cartaz em São Paulo-SP e foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro em 2012.