Exclusivo. Quase dois anos depois, assassinato do Soldado Tyrone continua sem solução

Soldado PM Tyrone Thomaz Aquino, assassinado em abril de 2017.

Reportagem: Emílio Gusmão.

“Em sociedades como as nossas, onde tudo é efêmero, a informação voa e desaparece. A vulgaridade como os fatos são contados resulta em abandono e esquecimento, sem contexto e explicações. Vivemos com mais ruído midiático do que informação. Com certeza há certos fatos e certos momentos que constroem uma ferida, e essa ferida continua aberta e não fecha”.

O pensamento acima é do escritor espanhol, naturalizado mexicano, Paco Ignacio Taibo II. Com essa reflexão, ele inicia uma reportagem sobre o desaparecimento de 43 jovens mexicanos, moradores do vilarejo de Ayotzinapa, em setembro de 2014.

O caso que trataremos nesta reportagem, infelizmente, já está cicatrizado na opinião pública de Ilhéus. A lembrança sofrida e a saudade persistem apenas nos familiares do soldado PM Tyrone Thomaz de Aquino.

Tyrone foi assassinado no dia 23 de abril de 2017, de madrugada, numa lanchonete da Rua Bela Vista, do bairro Nelson Costa. O comportamento pacífico do soldado de 44 anos, que sequer andava armado quando estava sem a farda da PM, não correspondeu à violência do crime que lhe tirou a vida.  Quinze tiros foram disparados contra Tyrone e quatro balas atingiram suas costas.

A tragédia deixou um legado de imagens fortes e sangrentas, uma vez que a falta de escrúpulos, inclusive de profissionais da imprensa, disseminou na internet vídeos em que Tyrone agoniza ferido e desesperado em seus momentos finais.

Passados quase dois anos da execução, o crime continua insolúvel. Os dois assassinos chegaram na lanchonete vestidos com casacos pretos e cabeças envolvidas por capuzes.

Nas proximidades não havia câmeras de segurança que pudessem fornecer imagens à investigação.

A principal testemunha do caso, Danilo José Silva Santos, presa menos de 48 horas após o crime, disse em depoimento à delegada Andréa Oliveira que a morte foi encomendada por Adailton Soares dos Santos (Dai), líder da facção Raio A, na época encarcerado no complexo penal de Itabuna.

Conforme relato de Danilo, Fabrício Santana Caetano (Beiço) e um homem conhecido como Everton mataram Tyrone. Eles receberiam dois mil reais e um quilo de maconha pelo crime. Um terceiro envolvido, Fabrício Magno de Santana (Testinha), teria dirigido o carro que propiciou a fuga dos executores.

Como não houve prisão em flagrante, a delegada Andréa Oliveira foi obrigada a liberá-lo. Depois que saiu da delegacia, Danilo foi assassinado misteriosamente na Avenida Princesa Isabel. O taxi que o transportava foi emparedado e homens não identificados atiraram nele.

Após o depoimento de Danilo, os suspeitos foram mortos ou desapareceram.

Dai, o suposto mandante, foi morto em Vitória da Conquista no dia 29 de outubro de 2017. Ao tentar matar o filho de um cigano, recebeu tiros da reação implacável de um segurança e não sobreviveu.

“Beiço” morreu no dia 11 de outubro de 2017 após confronto com a Polícia Militar. Exame realizado numa pistola 380 encontrada com ele, não indicou relação com o crime.

Testinha desapareceu de Ilhéus. Informações desencontradas afirmam que ele pode estar em Brasilia (DF).

Outro suspeito, Pippou Cleber Machado dos Santos, foi assassinado em Uruçuça.

Cristiane Soares, mãe de Dai (líder do raio A), também sumiu de Ilhéus. Ela acompanhava o marido Danilo, no dia em que ele foi emboscado na Avenida Princesa Isabel. Segundo a delegada Andréa Oliveira, ela tinha várias passagens na delegacia e abandonou o apartamento que morava no Condomínio Moradas do Porto.

O suspeito de primeiro nome “Everton” jamais foi identificado.

Com as sucessivas mortes e desaparecimentos, a investigação não teve tempo e condições para apurar se o depoimento de Danilo era verdadeiro.

Delegada Andréa Oliveira, do núcleo de homicídios da 7ª Coorpin/Ilhéus. Foto: Emilio Gusmão.

A delegada Andréa Oliveira disse à reportagem do BG que a esperança de solucionar o caso está no resultado do exame feito numa arma encontrada com um homem chamado Felipe Ariel. Trata-se de outro suspeito que não pode ser incriminado, pois o Departamento de Polícia Técnica (DPT) ainda não disponibilizou o resultado.

A delegada também revelou que dias antes de ser assassinado, Tyrone fez carga de uma arma de fogo da PM, para uso fora do serviço, procedimento poucas vezes registrado no histórico dele.

Uma névoa de mistério ronda o caso. Um policial militar, servidor da segurança pública, foi brutalmente assinado e o Estado não oferece condições mínimas para que o crime seja resolvido.

O apelo ao esquecimento está feito. A impunidade tende a prevalecer e só restará a memória das pessoas que gostavam de Tyrone devido ao seu jeito tranquilo e gentil.

Soldado PM Tyrone.

No peito aberto dos seus amigos e familiares ecoa o canto e a letra de Milton Nascimento, na música Sentinela.

“Longe, longe, ouço essa voz

Que o tempo não vai levar”.

Operação prende suspeitos de tráfico de drogas em Barra Grande e Saquaíra; dois homens morreram

Foto enviada pela Polícia Militar.

Operação conjunta da PM com a Polícia Civil prendeu sete suspeitos de tráficos de drogas em Barra Grande e Saquaíra, localidades do município de Maraú.

A ação policial aconteceu às 5 horas desta quinta-feira, 14. Segundo a PM, os suspeitos atiraram contra os policiais depois que perceberam que seriam presos. Dois homens tombaram no confronto: Reinaldo de Jesus (vulgo Pajé) e outro conhecido como “Do Bode”.

Foram apreendidas três armas de fogo, seis aparelhos celulares, 300 gramas de maconha, material para embalagem e uma adolescente de 13 anos que estava no grupo.

Foram conduzidos para a delegacia de Maraú: Denivaldo dos Santos (40 anos): Heildson Bonfim Santana (26 anos); José Conceição Souza (31 anos); Joelson Assunção Marques (25 anos); Vinícius Pinto dos Anjos (18 anos); Thiago Pereira Passos (19 anos) e Ivanildo Conceição Bonfim (39 anos).

A operação reuniu policiais da 72ª CIPM/Itacaré, delegacia territorial de Marau (7ª COORPIN), CAERC, RONDESP (Sul) e GRAER.

Pescador acusado de estuprar turista de Brasília é preso em Maraú

Joseilton Conceição. Foto: Ascom/Polícia Civil.

Joseilton Jorge da Conceição, de 25 anos, acusado de estuprar uma turista de Brasília no último domingo, na praia da Ponta do Mutá em Maraú, foi preso na noite de segunda-feira, 11. A vítima também foi agredida com chutes e socos antes do estupro.

De acordo com o delegado Marcos Larocca, da Polícia Civil, o acusado foi reconhecido pela vítima por meio de fotografias. A roupa usada por ele no momento do crime também foi apreendida e encaminhada para perícia.

Além do reconhecimento fotográfico, o delegado vai solicitar exame de comparação genética do material encontrado na roupa da vítima. “Em 2014, Joseilton, que é pescador, foi conduzido para o posto policial de Barra Grande, suspeito de ter importunado sexualmente uma mulher”, informou o delegado.

Joseilton está custodiado na 7ª Coorpin de Ilhéus.

Skatista de Ilhéus foi assassinado e teve cabeça e mão decepadas

Pedro Punkzila: Foto encontrada no Facebook.

A Polícia Civil investiga o assassinato brutal do skatista Pedro Gheovani Silva Amorin, conhecido como Pedro Punkzila, ocorrido em Ilhéus na última semana.

Segundo a delegada Andréa Oliveira, Punkzila foi visto com vida pela última vez no dia 20 de janeiro, numa casa da zona sul de Ilhéus na companhia de três homens.

Na quarta-feira, 23, o corpo da vítima foi encontrado enterrado nas proximidades do Caic Darcy Ribeiro, com a cabeça e uma das mãos decepadas.

Após ouvir testemunhas, a investigação trabalha com duas hipóteses. Membros da facção Terceiro Comando (do tráfico de drogas) mataram Pedro por achar que ele pertencia ao grupo rival “Raio A”.

Outra possibilidade remete a uma briga ocorrida no passado entre Punkzila e um dos suspeitos. Depois de certo tempo os dois fizeram as pazes, mas o suposto assassino, que estava na casa onde Pedro foi visto pela última vez, não teria desculpado e decidiu se vingar.

A delegada Andréa Oliveira disse ao BG que até o momento não há indícios de que Pedro Punkzila tinha ligações com a facção “Raio A”.

Conselho de psicologia vai apurar conduta de pastor/psicólogo acusado de estupros

Pastor/psicólogo pode perder a inscrição no CRP. Foto: Ascom/Polícia Civil.

O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03) emitiu nota pública em que expressa seu posicionamento sobre o caso do psicólogo e pastor George Hilton Brito Pereira, preso na última quarta-feira, 16, em Alcobaça, acusado de abusar sexualmente de três mulheres com idades entre 19 e 20 anos. Segundo a Polícia Civil, George alegava que as práticas sexuais faziam parte do tratamento psicológico aplicado em seu consultório em Alcobaça, no extremo sul da Bahia.

O Conselho informa que repudia e condena práticas psicológicas que não se pautam em parâmetros técnicos, científicos e éticos da profissão. A autarquia defende o zelo com a psicologia, o respeito às pessoas e atuação dentro dos princípios éticos e da ciência.

O Conselho, enquanto órgão fiscalizador da profissão, afirma que está tomando as medidas cabíveis referentes ao fato. Os procedimentos disciplinares encontram-se em andamento visando a devida tratativa do caso.

Com informações do site Teixeira News.

Delegacia da mulher prende pastor/psicólogo acusado de estuprar pacientes

Pastor/psicólogo é acusado de impor o seu sexo como parte do tratamento. Foto: Ascom/Polícia Civil.

George Hilton Brito Pereira, de 49 anos, foi preso na quarta-feira, 16, por investigadores da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), de Teixeira de Freitas, após ser denunciado por estupro por três de suas pacientes. Os crimes teriam ocorrido no consultório onde ele atuava como psicólogo, no bairro Recanto do Lago, em Alcobaça, cidade do extremo sul da Bahia.

A polícia apurou que Hilton alegava que a prática sexual fazia parte do tratamento psicológico e, assim, teria violentado pelo menos três mulheres, entre 19 e 20 anos. O acusado também é pastor numa igreja de Alcobaça.

A delegada Viviane Scofield solicitou à justiça um mandado de prisão contra Hilton, com base nas denúncias. Com a ordem em mãos, policiais da unidade especializada cumpriram o mandado e o pastor/psicólogo encontra-se à disposição da Justiça.

Preso avô acusado de estuprar duas netas

Valdívio Pereira Freire, preso em Jucuruçu. Foto: Ascom/Polícia Civil.

A Policia Civil de Itamaraju cumpriu mandado de prisão provisória de Valdívio Pereira Freire, o “Del”, de 52 anos, na última sexta-feira, 11, no município de Jucuruçu, extremo sul da Bahia. Ele é acusado de estuprar duas netas, de onde e sete anos, naquela cidade.

Segundo a delegada Waldiza Rocha, a denúncia foi feita por familiares das duas crianças, em setembro do ano passado. “Acompanhadas da família, as vítimas relataram que sofreram os abusos por diversas vezes e não contaram aos pais, na época, porque eram ameaçadas de morte pelo autor”, explica. Valdívio está preso à disposição da Justiça.

Assassino de professora é preso em Taperoá

Professora Sabrina foi executa por Vitor dentro de casa. Fotos: Ascom/Policia Cil e Correio/reprodução.

A Polícia Civil elucidou o homicídio da professora Sabrina dos Santos Vidal, morta a facadas, em Taperoá, no baixo sul do estado. A vítima, cujo nome civil era Edson dos Santos, era transgênero e segundo as investigações, mantinha um relacionamento amoroso com Vítor da Silva Santos, autor do assassinato.

O crime ocorreu no dia 31 de dezembro e desde então, Vítor estava escondido numa fazenda, na zona rural de Taperoá, onde foi preso, na manhã desta terça-feira, 8, por equipes da 5ª Coorpin com sede em Valença.

Vítor teve a prisão temporária decretada pela justiça.

Roubo de celulares: Cippa prende dupla de assaltantes na Avenida Ubaitaba

Foto: CIPPA/Porto Seguro.

Neste sábado, 05, por volta de 01h30 da madrugada, a Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (CIPPA/Porto Seguro) em conjunto com o PETO da 70ª CIPM/Ilhéus, prenderam em flagrante dois homens.  Rafael de Jesus Oliveira e Cleidson Conceição dos Santos foram presos na Avenida Ubaitaba quando conduziam uma motocicleta. As guarnições da PM realizavam uma blitz, quando perceberam que a dupla havia efetuado dois disparos de arma de fogo, no momento em que roubava dois celulares de duas vítimas. As guarnições interceptaram os assaltantes em via pública.

Foram apreendidos: 01 revólver calibre 32 da marca Taurus com numeração suprimida; 02 cartuchos deflagrados e um intacto calibre 32; 01 motocicleta Honda NXR/160 Bross ESDD vermelha placa PJZ 3452; 01 corrente aparentando ser de prata; a quantia de R$ 94,40; 01 relógio dourado; 01 cartão de crédito da Caixa Econômica Federal; 01 documento de identidade (RG); 01 CNH; 05 celulares, dentre eles os dois celulares roubados das vítimas.

Os dois criminosos foram apresentados na 7ª Coorpin.

Na operação 14 condutores de motocicletas foram notificados por falta de documentos obrigatórios e 02 motocicletas foram removidas para o pátio da 13ª Ciretran. De acordo com os policiais, todos os condutores que se encontravam com seus veículos retidos na blitz aplaudiram a ação policial que resultou na prisão dos assaltantes.

Desentendimento leva jovem a matar amigo com 22 facadas

Assassinato brutal ocorreu na Fazenda Renascer, em Castelo Novo. Foto: Bahia de Valor/reprodução.

A fazenda que serviu de cenário para a Novela Renascer, da Rede Globo, exibida na década de 90, foi o local de uma tragédia ocorrida na quarta-feira, 22, por volta das 19 horas.

Um desentendimento acalorado entre dois colegas de trabalho e de escola causou a morte de um rapaz de 20 anos, morto com 22 facadas. Quatorze golpes atingiram as costas da vítima que também foi perfurada no tórax, rosto e braço.

Rilan Alves Cândido, o jovem assassinado, era amigo do criminoso. O delegado Luciano Medeiros disse ao site Pimenta que o acusado e a vítima moravam na mesma propriedade rural.

Conforme a Polícia Civil, Rilan Alves e o acusado estudavam na mesma escola, localizada em Uruçuca. O corpo do jovem foi removido para o Departamento de Polícia Técnica de Ilhéus (DPT). O autor do crime está foragido.

TRAGÉDIA NO SOL E MAR: SEQUESTRADOR INVADIU O APARTAMENTO DA EX-NAMORADA OUTRA VEZES

Foto de Juraci Oliveira (“Bode”), que enciumado transformou-se num sequestrador. A imagem circula nas redes sociais.

A delegada Andréa Oliveira e a 69ª CIPM da Polícia Militar (sob o comando do Major Pinheiro) divulgaram os nomes do sequestrador e das vítimas do crime ocorrido ontem (quinta-feira, 27) no Condomínio Sol e Mar, zona sul de Ilhéus.

Juraci Vieira Souza Oliveira, conhecido como “Bode”, invadiu o apartamento da ex-companheira Eliana Santos Oliveira, que estava acompanhada do atual namorado Patrick Luís da Hora Sá.

Conforme foi registrado pela Polícia Civil, “Bode” tentou esfaquear um dos braços de Patrick. Populares afirmam que ele conseguiu, mas o boletim de ocorrência não tem o registro desse fato. 

Depois, “Bode” fez Eliana de refém ao colocar uma das três facas que utilizou no pescoço da mulher. 

A chegada dos Policias Militares da 69ª CIPM deu início a uma negociação exaustiva. “Bode” estava bastante furioso e completamente fora de si. Apesar da presença do seu pai e dos policiais, não conseguiu se acalmar.

Diante das várias ameaças feitas por “Bode” de tirar a vida da ex-companheira, a PM foi obrigada a intervir com força.

Ao perceber que um policial estava bem próximo, “Bode” tentou esfaqueá-lo, mas conseguiu apenas furar o colete de segurança. O sequestrador recebeu um tiro e faleceu dentro do apartamento.

Testemunhas disseram na delegacia que “Bode” invadiu o apartamento da ex-companheira outra vezes, sempre com ameaças de matá-la. Na última invasão ele estava mais descontrolado.

O crime e a negociação iniciada pela PM despertou atenção de vários moradores do Condomínio. Muitos permaneceram na frente do prédio invadido até o desfecho da tragédia.

HOMEM ESFAQUEIA NAMORADO DA EX E FAZ A MULHER DE REFÉM

Imagem ilustrativa.

Movido por intenso ciúme doentio, um homem invadiu o apartamento da ex-companheira, esfaqueou o atual namorado dela e fez a mulher de refém durante horas.

O caso aconteceu na tarde desta quinta-feira, 27, no Condomínio Sol e Mar, na zona sul de Ilhéus.

Policias militares da 69ª CIPM monitoravam o comportamento do sequestrador, quando decidiram entrar no apartamento para evitar uma tragédia maior. Completamente enlouquecido, o homem tentou furar um dos policiais e foi alvejado.

O sequestrador não resistiu e faleceu no local. Neste momento, a PM aguarda o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para fazer o levantamento cadavérico. As vítimas foram levadas pelo Samu para o Hospital Costa do Cacau.

Mais informações dentro de instantes.

LAUDO AFIRMA QUE BEBÊ FOI MORTO APÓS 18 FACADAS E ASFIXIADO

Imagem ilustrativa.

No dia 05 de novembro deste ano, grande parte da opinião pública regional ficou chocada com a morte de um bebê recém-nascido à facadas no bairro Malhado, em Ilhéus (lembre aqui).

Lidiane Bruna Sales, 22 anos, foi acusada de matar o próprio filho. Ela escondia a gravidez da família.

Lidiane estava no seu quarto na noite do dia 03 de novembro, quando familiares ouviram o choro de uma criança. Assustados e sem entender o que estava ocorrendo, descobriram que ela teve um parto normal, sozinha.

Ao ser perguntada sobre o bebê, Lidiane disse que estava dentro do guarda-roupas. O SAMU 192 foi acionado e o recém-nascido, que pesava cerca de 4 kg e estava enrolado num pano, foi levado juntamente com a mãe para a maternidade. A criança faleceu e a mãe foi presa. Dias depois foi liberada após audiência de custódia.

Segundo a delegada Andréa Oliveira, da 7ª Coorpin, o laudo do médico legista apontou que a criança foi morta após receber 18 golpes de arma branca (facadas) e ser asfixiada. Em entrevista na manhã desta terça-feira, 18, a titular da delegacia de homicídios informou que o inquérito foi concluído e enviado à justiça. A criança não foi abortada, como previa uma hipótese levantada na investigação, nasceu com vida.

Delegada Andréa Oliveira. Foto: Emílio Gusmão.

No interrogatório, a mãe admitiu o crime, mas disse não ter recordações dos momentos anteriores e posteriores ao parto. Disse que a motivação para tirar a vida do filho foi ter sido abandonada pela namorado no momento de maior necessidade. Lidiane contou que no dia do nascimento, sentiu dores mas não sabia que havia chegado a hora de parir. Sequer tinha o controle do tempo de gravidez, mesmo assim, ligou para o namorado para pedir ajuda, mas ele teria negado.

A delegada Andréa Oliveira tentou ouvir o ex-namorado de Lidiane, mas ele não se encontrava na cidade. Ela será julgada pela justiça, mas vai aguardar a decisão em liberdade.

MÃE ASSUME QUE MATOU O FILHO BEBÊ DE TRÊS MESES

Graciane Almeida Silva. Foto: Ascom Polícia Civil.

Graciane Almeida Silva, de 30 anos, foi presa em flagrante por ter assassinado seu filho, de três meses. Ela confessou o crime nessa quarta-feira, 28 durante depoimento na delegacia de homicídios de Vitória da Conquista.

Graciane havia comunicado aos familiares e equipe médica que o garoto passou mal em casa. Porém, investigadores da Polícia Civil apuraram que ela apresentava comportamento agressivo com os filhos, além do laudo de necropsia ter apontado traumatismo craniano, como a causa da morte. A mãe admitiu ter espancado o próprio filho e ser responsável pela fratura no fêmur sofrida por ele.

De acordo com delegado Marcelo Cavalcanti, a morte do irmão gêmeo da criança, ocorrida no início de novembro, também será investigada. “Diante dessa prisão, precisamos saber se o outro bebê também foi vítima de algum tipo de agressão que ocasionou sua morte”, informou o delegado.

CASAL É PRESO ACUSADO DE ESTUPRAR CRIANÇA DE 9 ANOS

Foto: Ascom Polícia Civil.

Juraci Alves, de 70 anos, e Simária Ferreira dos Santos, 36, foram presos nessa quarta-feira, 21, em Cândido Sales, por investigadores da Polícia Civil.

A dupla é acusada de abusar sexualmente de uma criança de 12 anos, desde que ela tinha a idade de nove anos. A vítima relatou que Simária a levava para a casa de Juraci, onde ela era abusada e no final do ato recebia a quantia de R$ 20.    

Segundo o delegado Relder Andrade dos Santos, a prisão do casal teve o apoio do Conselho Tutelar da cidade.

Juraci e Simária tinham mandados de prisão em aberto determinados pela justiça.

DELEGADA DESMENTE “15 FACADAS” E DIZ QUE BEBÊ PODE TER SIDO FURADO APÓS UM ABORTO

Delegada Andréa Oliveira. Imagem de arquivo: Emílio Gusmão.

Em entrevista ao Blog do Gusmão, a delegada Andrea Oliveira, da 7ª Coorpin (Ilhéus), trouxe alguns esclarecimentos sobre o caso bárbaro que culminou na morte de um bebê recém-nascido, supostamente a facadas, no último sábado, 03.  A mãe, Lidiane Bruna Sales, 22 anos, é acusada de tirar a vida da criança.

Segundo Andrea Oliveira, a mãe foi liberada após audiência de custódia. Ela apresenta sinais comportamentais de depressão pós-parto e não consegue se comunicar. Não emite sequer uma palavra.

A delegada explica que o laudo com a causa da morte não está pronto, sendo assim, é impossível afirmar que a criança recebeu “15 facadas” conforme tem sido divulgado pela imprensa.

“O médico legista disse que a análise é complexa, tanto o laudo da mãe, como do corpo do bebê. Há sinais visíveis de perfurações na criança, mas também trabalhamos com a hipótese do bebê ter sido furado após um aborto”.

De acordo com a delegada, só o laudo poderá indicar se a morte ocorreu devido às perfurações, ou, se o corpo foi perfurado após um aborto, com o bebê sem vida.

O medico legista tem 30 dias para apresentar o laudo. Só com o documento o inquérito será finalizado.